ARUBA, ONE HAPPY ISLAND


Bonbini a Aruba! Essa expressão irá receber você já na chegada. Quer dizer “seja bem-vindo” em papiamento - uma das línguas faladas nessa ilha simpática que tem como lema “One happy island” - e que estranhamente tem muitas palavras que conseguimos entender. É que o papiamento tem forte influência do português que era falado pelos escravos vindos de Cabo Verde, daí as palavras familiares, mas apenas algumas pois há uma bela mistura do português com idiomas africanos, espanhol, holandês e inglês. Eis Aruba e suas peculiaridades!

Bem-vindo a Aruba. Bonbini!

O QUE VOCÊ PRECISA SABER ANTES DE IR PARA ARUBA

Já deu para perceber que a comunicação não será um problema. Os idiomas oficiais são o papiamento e o holandês. Mas o inglês é muito falado em função do turismo ser uma das principais atividades econômicas da ilha, além do espanhol. Afinal, a colonização começou em 1499 com a chegada dos espanhóis. Quase duzentos anos mais tarde, com o fim da Guerra dos Oitenta Anos entre Espanha e Holanda, os holandeses ficaram com a posse da ilha. Aruba se tornou independente em 1986 quando deixou de fazer parte das Antilhas Holandesas. Hoje é um território totalmente autônomo, com governo parlamentarista. Faz parte do Reino dos Países Baixos e é uma das ilhas ABC, juntamente com Bonaire e Curaçao, que aliás merecem ser visitadas na mesma viagem. Bonaire é o paraíso dos mergulhadores e Curaçao uma ilha sossegada, com hotéis charmosos e recortada por praias paradisíacas. As três ilhas ficam muito próximas entre si.

De Aruba a Curaçao são 110 quilômetros – voo de 20 minutos pela Insel Air

De Curaçao a Bonaire são 48 quilômetros – voo de 15 minutos pela Insel Air

De Aruba até a costa da Venezuela são menos de 30 quilômetros.

Ilhas ABC (Aruba, Bonaire, Curaçao)

COMO É ARUBA NA PRÁTICA

Aruba é uma ilha relativamente pequena. Tem menos de 40 quilômetros (de leste à oeste) por 10 (de norte à sul). Pode ser percorrida de ponta a ponta, com calma, em menos de duas horas. Tem 110 mil habitantes, aproximadamente o mesmo número de pessoas que moram em Balneário Camboriú, Santa Catarina. A maioria deles são católicos, descendentes de holandeses e africanos, por isso tem igrejinhas lindas. Eles são muito receptivos com os turistas. Estão sempre sorrindo, fazem o possível para ajudar, param para deixar os pedestres atravessarem a rua, dão passagem nos cruzamentos. São pessoas de bem com a vida. Realmente “uma ilha feliz” e super organizada.

Tem um jeitinho bem americanizado com grandes resorts, cassinos, locadoras de carro, restaurantes com bons preços, praias bem estruturadas para o turismo, parasail, windsurfe, passeios de barco, mergulho, comércio de luxo e vida animada, seja na capital Oranjestad ou nas praias de Eagle Beach e Palm Beach, os locais onde se concentra a maior parte dos hotéis e centros comerciais. Aruba é segura, limpa, colorida e vestida de festa com arquitetura caribenha caprichada. Ou seja, Aruba tem uma fórmula que agrada com facilidade. Mar azul-turquesa + resorts + alto astral + sol o ano inteiro + American Way of Life. Eu diria que o astral da ilha mistura ares de Miami com Cancun numa versão “mini”. É alegre, movimentada, turística, divertida e cheia de coisas para se fazer. Para facilitar, brasileiros não precisam de visto.

Sol o ano todo e astral delicioso em Aruba.

ALUGAR CARRO: SIM OU NÃO

É fundamental alugar um carro se sua intenção for explorar a ilha toda no seu ritmo. Você até pode circular de taxi ou nos coloridos ônibus públicos turísticos, mas não terá muita independência para parar onde quiser e pelo tempo que tiver vontade.

Malmok um cantinho para ser explorado sem pressa.

A ilha é bem sinalizada e o trânsito é super tranquilo. Com um mapa do próprio hotel, Waze ou Google Maps você se vira fácil. Se preferir, compre um chip local da Digicel com capacidade ilimitada, por 20 dólares, para 72 horas. Tranquilidade garantida.

Sem chip você pode se virar bem usando o Maps Me.

O trânsito é tranquilo em Aruba, especialmente nos dias em que não há grandes navios atracados.

Saiba que as distâncias entre as praias, hotéis e áreas comerciais são grandes para serem trilhadas a pé. Além disso, faz calor. Caminhar pelas ruas e estradas não é boa ideia. Portanto, alugar um carro é bom negócio e você pode usar sua carteira de habilitação brasileira. O valor do aluguel varia de 40 a 100 dólares por dia dependendo do tipo de carro. Se quiser se aventurar pela parte norte da ilha é recomendado alugar veículo 4x4 pois as estradas são de terra, eventualmente com rochas vulcânicas, areia e corais. Caso contrário, um modelo compacto dá conta do recado.

Ônibus públicos de Aruba. Puro charme!

PRAIAS E MAIS PRAIAS

OESTE: DO FAROL CALIFÓRNIA À ORANJESTAD

Um dos pontos altos de Aruba são as praias "sem ambulantes" com aquele mar azul caribenho que embala muitos sonhos. Tem praias de todo tipo. Com certeza haverá uma para chamar de sua: praias cheias de espreguiçadeiras com boa estrutura para quem quer conforto e movimento, locais com corais lindos para mergulhar, alguns navios naufragados que podem ser explorados em mergulho de profundidade, praias com bons ventos para a prática de esportes aquáticos, outras calminhas tipo lagoa, pequenas enseadas escondidinhas e algumas muito extensas com areia branquinha ótimas para uma caminhada ou corrida.

Vamos começar pela ponta oeste, onde fica o icônico Farol Califórnia que há pouco completou 100 anos. Os tickets para subir até a torre de observação custam 5 dólares por pessoa. O visual da ponta oeste da ilha é lindo lá de cima. Um lugar rústico, com vegetação rasteira, muitos cactos, estradinhas estreitas de terra e mar agitado que bate nas rochas.

 
Farol Califórnia.

Também tem um restaurante italiano com belo visual nessa ponta chamado de Faro Blanco.

Faro Blanco, um bom lugar para curtir o pôr do sol.

De oeste à leste, Aruba tem ao redor de 40 quilômetros pontilhados por belas praias. Na costa sul, que é voltada para a Venezuela, o movimento é maior. Já, ao norte, rochas vulcânicas dominam o cenário, há poucas enseadas e o acesso é difícil, é preciso carro 4x4 e alguns locais só podem ser alcançados por trilha.

Mapa de Aruba.

Arashi Beach é a praia mais próxima do Farol Califórnia e foi uma das minhas favoritas na ilha. Tem areia branca, mar calmo, muitos peixinhos para se ver de snorkel nos corais que ficam pertinho da praia e pequenos quiosques fixos na areia cobertos de palha que podem ser usados pelos banhistas sem nenhum custo. Nessa região há alguns navios naufragados.

Arashi Beach vista do observatório do Farol Califórnia.

A seguir vem Boca Catalina, uma pequena enseada, super charmosa, com água de cor linda, perto dos corais. Tem uma mistura que adoro de areia com rochas, além de algumas árvores watapana típicas dessa região do Caribe.

Banhistas aproveitam a sombra do divi divi em Boca Catalina.

Malmok é um ponto incrível para snorkeling. Tem água cristalina e muitos corais. Um daqueles lugares que não dá vontade de ir embora. Muitos barcos de turismo fazem parada nessa região.

Malmok é um verdadeiro aquário.

Já Handicurari é um antigo reduto de pescadores e como venta bastante é onde a galera vai praticar windsurfe e kitesurfe.

Handicurari.

Abaixo começa o movimento maior da ilha nas praias de Palm Beach (hotéis mais altos a 6 km do centrinho), Eagle Beach e Manchebo (hotéis mais baixos a 3 km do centrinho). Logo vem Druif, um pouco mais tranquila. Essas praias são extensas, tem boa estrutura com quiosques, calçadão entre os hotéis, lojas, bares e restaurantes. Tem areia branca e muitas árvores Divi Divi e Fofoti que são baixas e com desenhos exóticos moldados pelo vento que sopra sem parar de leste para oeste.

Para quem viaja com crianças esse trecho da ilha é ótimo, pois tem mar calminho e a estrutura é muito boa. Para quem quer sossego não é o ideal, é cheio demais.

Eagle Beach e a árvore típica das praias da ilha.

Grandes hotéis seguem em sequência: o elegante Ritz-Carlton, os americanos Marriott Beach, Marriott Ocean e Marriott Surf Club, Holiday Inn, Playa Linda, o sofisticado Hyatt Regency, o básico Brickell Bay a uma quadra da praia, Occidental Grand, o bem posicionado Hilton, os dois all-inclusive Riu Palace e Riu Antilhas, The Mill Resort, Caribbean Palm Village, Divi Aruba Phoenix, Amsterdam Manor, La Cabana Beach, Tropicana Resort, Paradise Beach Villas, o econômico MVC Beach Resort, La Quinta, Costa Linda, o romântico Bucuti, o all inclusive Manchebo, Aruba Beach Club, Casa del Mar, Divi Aruba, Divi Village, o all inclusive Tamarijn e Divi Dutch.

Hyatt Regency.

Ritz Carlton Aruba.

SOBRE O RENAISSANCE E SUA ILHA COM FLAMINGOS

Você já deve ter percebido que a oferta de resorts é enorme em Aruba. Mas, tem um que se destaca, dois quilômetros abaixo desses que acabei de citar, por ter marina, praia particular e uma ilha privativa onde habitam alguns famosos e polêmicos flamingos que viraram cartão-postal de Aruba. É o Renaissance Aruba Resort & Casino, um hotel dividido em duas alas, uma para famílias (Ocean Suites) e outra exclusivamente para adultos (Marina Hotel), que somam 556 quartos.

Flamingos do Renaissance Aruba.

Então vamos à polêmica. Em primeiro lugar, flamingos não são aves típicas de Aruba. Os que ali vivem foram trazidos de Curaçao, Bonaire ou Cuba quando filhotes. Não faz sentido que tenham virado ícone por ali.

Outra questão que gera discussão é que os flamingos são aves migratórias e em determinadas épocas do ano mudam seu paradeiro. Como então esses flamingos ficam disponíveis para a selfie da galera durante o ano todo? Será que por terem vindo filhotes e pela oferta abundante de alimentos (há máquinas que fornecem pequenas quantidades de ração quando se coloca uma moeda) eles optem por ficar ali por conta própria? Pode até ser. Mas, o que se especula é que “talvez” as aves tenham a plumagem das asas cortada para não voar e assim, atrair a atenção dos turistas para se hospedarem no hotel que tem duas praias privativas, uma com flamingos e outra com iguanas. Não hóspedes também podem passar o dia na cobiçada ilha mediante pagamento de um ingresso de 126 dólares e a fila é enorme em função das vagas limitadas. Perguntei para algumas pessoas na ilha e para a assessoria do hotel, mas não obtive resposta sobre as supostas “asas cortadas”.

Deixando esse tema controverso de lado, a ilha teve uma mãozinha do homem mas é linda e os flamingos parecem felizes, bem alimentados, são belíssimos e bem familiarizados com a presença humana. Inclusive, optam por ficar exatamente onde tem mais gente.

PRAIAS DESDE O AEROPORTO AO EXTREMO LESTE

O aeroporto Queen Beatrix de Aruba tem localização privilegiada à beira-mar, no centro Aruba, em frente a tal ilha do hotel Renaissance que se chega em 15 minutos de barco a partir da marina do hotel. Acima dele fica o movimento maior que já citei. Abaixo vem uma sequência de praias  mais tranquilas, pequenos hotéis e povoados singelos. Foi o cantinho que mais me encantou em Aruba.

Aviões e barcos convivem com tranquilidade em Aruba.

Para viver momentos de paz vale fazer uma parada na praia de Mangel Halto onde o mar encontra um manguezal. Poucas famílias tomando sol, mergulhando com snorkel ou passeando com seus cachorros. 

Mangel Halto.


Logo abaixo fica Savaneta, a praia que escolhi para chamar de minha e onde fiquei hospedada no charmosíssimo Aruba Ocean Villas, o único hotel de Aruba com bangalôs sobre a água. Super exclusivo, com apenas seis acomodações decoradas pela proprietária que é uma artista talentosa. Água cristalina e tranquila tipo piscina protegida por uma barreira de corais. Um lugar idílico que recomendo para casais.

Aruba Ocean Villas.

No extremo leste ficam as famosas praias azul piscina de Baby Beach e Rodger’s Beach. São lindas. Evite apenas olhar para a Refinaria Valero, um monstrengo no canto direito de Rodger’s Beach. A proximidade com a Venezuela é tão grande (menos de 30 km) que por muitos anos a indústria do petróleo venezuelano foi a principal fonte de renda de Aruba. Hoje, ainda há refinarias mas seu tamanho reduziu bastante.

Baby Beach é a praia preferida das crianças. 

A linda Rodger's Beach e ao fundo a refinaria. 

O QUE VER NO NORTE DA ILHA

A partir desse ponto, em direção ao norte, o mar tem correnteza forte, é agitado e tem muitas rochas. Essa região é pouco visitada e cheia de burricos soltos. É preciso carro 4x4 para circular pelo Parque Nacional Arikok, onde estão os picos mais altos da ilha e a Natural Pool, uma piscina natural em Boca Keto. Perto dali, Boca Andicuri é onde tem uma formação rochosa natural que lembra uma ponte e o acesso também deve ser feito preferencialmente em carro 4x4. Também é nessa parte da ilha que ficam os cataventos que produzem 20% da energia consumida em Aruba.

Os donos de Aruba.

MINHAS PRAIAS FAVORITAS EM ARUBA

  • Malmok
  • Baby Beach
  • Boca Catalina
  • Arashi
  • Savaneta
  • Rodger’s Beach
  • Mangel Alto

HOTÉIS QUE RECOMENDO

Aruba Ocean Villas com apenas seis bangalôs de padrão luxo sobre a água, em Savaneta.

Aruba Ocean Villas.

Outro hotel muito simpático é o Ocean Z Boutique Hotel, em Westpunt. Não é pé na areia, mas fica em frente a charmosa Malmok.

Se quiser ficar hospedado na região hoteleira mais movimentada dê uma olhada no Hyatt Regency e no Ritz-Carlton, em Palm Beach .

O Renaissance fica abaixo da zona hoteleira. Tem um shopping com lojas de luxo, muitos restaurantes e uma ilha particular linda.

ONDE COMER

Old Man and the Sea (no hotel Aruba Ocean Villas, reserve o gazebo sobre o mar)
Flying Fishbone (para curtir o pôr do sol em Savaneta com os pés literalmente dentro d’água)
Ruth’s Chris Steak House (Hotel Aruba Marriott)
Pinchos Bar and Grill (um deque sobre o mar logo acima do aeroporto)

Pinchos Bar and Grill.

O QUE COMPRAR EM ARUBA

Cosméticos feitos com Aloe (babosa) fabricados na ilha. Vale visitar a fábrica.
Além disso, há muitos shoppings com marcas internacionais.

Aruba Aloe.

QUANDO IR

Aruba pode ser visitada durante o ano todo. Tem temperatura entre 28 e 30 graus, e a boa é que está fora da rota dos furacões. De outubro a janeiro é a época mais chuvosa. Mesmo assim, nada que atrapalhe. Assim como a chuva vem, ela vai embora rapidinho pois venta constantemente.

Aruba tem sol o ano todo.

COMO CHEGAR

É possível chegar em Aruba via Panamá (Copa Airlines), Bogotá (Avianca) ou Miami (American Airlines ou outras).

Desde o início de dezembro a Divi Divi Air passou a fazer um voo semanal São Paulo – Curaçao. A partir de Curaçao é preciso fazer mais um pequeno voo de conexão de 15 minutos para Aruba com a Divi Divi Air ou com a Insel Air.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

Brasileiros não precisam de visto para visitar o país. É necessário ter passaporte válido por pelos menos 6 meses e certificado de vacina contra febre amarela. Se for pelos Estados Unidos você precisará ter viso americano dentro do prazo de validade.

MOEDA LOCAL

Florin Arubano 1 dólar = 1.80 AWG, mas todos aceitam dólares no comércio.

Dólares americanos são aceitos em praticamente todos os lugares. Alguns inclusive só aceitam dólares. Máquina ATM para retirada de dinheiro (em dólar ou florin) são disponíveis e cartão de crédito é aceito em toda parte.

Aruba é colorida, alto astral e divertida. 
Programe pelo menos 4/5 dias para curtir a ilha. 
Se tiver tempo disponível conjugue na mesma viagem as espetaculares ilhas

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Oi Claudia
    Mais um post cheio de novas dicas
    Ligadas fotos e muita historia
    Obrigdo
    Abracos VS

    ResponderExcluir
  2. Claudia
    Vc sabe quanto custa este voo SP-Curaçao ?
    E se ele tem classe executiva também ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VS,

      O voo da Divi Divi Air é semanal, sai do Brasil (Guarulhos-SP) aos domingos, as 9:35 da manhã e chega às 14hs em Curaçao. Horário ótimo. Retorna aos sábados saindo 10:50 am e chegando 19:20 em Guarulhos. Valor de ida e volta ao redor de 550 dólares.

      Excluir

Deixe seu comentário. Obrigada!