NANNAI NORONHA SOLAR DOS VENTOS


A pouco mais de 500 quilômetros da costa de Pernambuco, o paradisíaco arquipélago de Fernando de Noronha, repousa na tranquilidade de um dos azuis mais cobiçados do Brasil. Pois foi exatamente ali, numa das curvas mais bonitas da ilha, na Baía do Sueste, que o Nannai Noronha Solar dos Ventos abriu as portas recentemente.

Nannai Noronha Solar dos Ventos.

Impecável é pouco para definir. Com apenas 10 acomodações em estilo contemporâneo, a pousada boutique Nannai Noronha Solar dos Ventos traz exclusividade e sofisticação à Fernando de Noronha. Agregou o famoso DNA Nannai ao segundo hotel do grupo, depois de ter conquistado uma legião de fãs em Muro Alto onde faz história há mais de 20 anos.

Basta colocar os pés na pousada Nannai Noronha para você se sentir em casa e desfrutar da tradicional hospitalidade do grupo. O brinde de boas-vindas é feito com o espumante personalizado Nannai, produzido pela vinícola Quinta Don Bonifácio, no Rio Grande do Sul.

Um brinde ao novo Nannai Noronha. 

Da cadeira de balanço pendurada a um canto no deque do salão principal - que conjuga lounge, restaurante e recepção - meus olhos corriam curiosos de um lado para outro tentando absorver a cena. Sol alto, ambiente aconchegante, muita luz natural e finalmente meu olhar ancorou na piscina de borda infinita estrategicamente posicionada no centro de um grande gramado. Ao redor dela se espalham os dez bangalôs sobre palafitas, voltados para o degradê turquesa da Baía do Sueste que tem como enfeite as ilhas do Chapéu e Cabeluda. Cenário digno de protetor de tela.

Piscina do Nannai Noronha cercada pelos bangalôs.

A pousada boutique Nannai Noronha nasceu onde havia a pousada Solar dos Ventos e foi totalmente repaginada antes de ser batizada como Nannai Noronha Solar dos Ventos. Mantém a proposta sustentável iniciada pela família Brussolo há 20 anos, no antigo Solar dos Ventos, e vai além. Entre as medidas adotadas estão a utilização de energia solar, uma torre de energia eólica, estação própria de tratamento de esgoto, captação de água das chuvas e eliminação de embalagens plásticas. Fiquei encantada com a horta orgânica e com o pomar repleto de pitangueiras, pés de manga e sapoti, que viram iguaria na cozinha do hotel.

Lounge, recepção e restaurante ocupam o mesmo salão tendo vista para o mar.

Aliás, a cozinha do Nannai Noronha merece destaque. Elevou a régua da gastronomia em Fernando de Noronha para um novo patamar. É tudo perfeito desde o café da manhã até o jantar com menu degustação, passando pelo chá da tarde. Nunca comi tão bem na ilha. A ponto de nem ter vontade de sair do hotel durante as refeições.

Pro dia nascer feliz.

O café da manhã é servido a la carte num salão totalmente envidraçado, com cortinas esvoaçantes, onde você se sente conectado à natureza. A companhia dos passarinhos ávidos por alguns farelos de pão é constante. Eles sabem o que é bom e não arredam pé durante toda a manhã. Destaque para os sucos frescos, para os croissants, pães de queijo, bolos recém saídos do forno e para os ovos oferecidos em versões variadas, sempre caprichados. Considero o desjejum, uma das principais refeições do dia. Dedico tempo e qualidade ao café da manhã, por isso não posso deixar de parabenizar a equipe da chef Nilciane Lara.

Mas se o café da manhã é servido nesse padrão, imagine as surpresas que se sucedem no jantar ao longo do menu degustação de 7 pratos criado diariamente com produtos fresquíssimos pela chef Nil. Vou dar só uma palinha para vocês ficarem com água na boca. Para começar tartar de salmão com sunomono. Na sequência poke de atum, polenta trufada com cogumelos, bobó de camarão, lagosta ao thermidor com puré de baroa e como gran finale uma paella de frutos do mar. Para adoçar os sonhos trio de brownie, cocada de maracujá e pannacota com calda de frutas vermelhas. Tudo divino!

Observe a delicadeza dos pratos do menu degustação de jantar do Nannai Noronha.

E por falar em sonhos, os bangalôs garantem noites de rei. São dois bangalôs master com 75 metros quadrados, seis bangalôs de 56 metros quadrados e dois apartamentos de 30. Todos têm vista para o Sueste, que está a 350 metros da pousada. Essa é uma das poucas pousadas de Noronha com acesso fácil ao mar.

Minha casa em Noronha.

Nos quartos tons suaves, madeira e muito espaço envolvem a cama super king, impecavelmente arrumada com lençóis de toque delicioso e excelentes travesseiros. Banheiro conjugado com o quarto, com duas duchas, uma delas envidraçada com vista para a natureza e outra ao ar livre. As embalagens dos amenities L’Occitane são grandes para reduzir a quantidade de lixo. 

As acomodações contam ainda com roupões Trousseau, secador de cabelo, frigobar bem abastecido, máquina de café e muitos mimos. Na varanda, espreguiçadeiras confortáveis e redes suspensas de frente para o mar e para a piscina. Azul por todos os lados.

  
Todos os bangalôs tem vista para o mar.

A piscina é ponto alto. Deliciosa. Escolha entre se acomodar em uma espreguiçadeira, nas redes suspensas, em uma cadeira de balanço ou nas mesinhas com ombrelone. Difícil mesmo será sair dali, especialmente com a qualidade dos drinques e aperitivos servidos.

Depois de um dia intenso nada como uma piscininha sossegada para relaxar.

INDO ALÉM

Para circular pela ilha alugue um buggy ou carro, de preferência elétrico. Fernando de Noronha é a maior ilha do arquipélago, composto por 21 ilhas, e a única habitada, mas é relativamente pequena. Tem 17 quilômetros quadrados, sendo 10 quilômetros de comprimento e 3,5 de largura máxima. Saiba que taxis também são boa opção, especialmente se for beber. A ilha é bem policiada e teste do bafômetro é uma constante.

Ao caminhar pela ilha você verá canhões espalhados por toda parte e alguns fortes. É que na Segunda Guerra, a ilha serviu como base americana e mais tarde, durante a ditadura militar abrigou uma colônia penal. As marcas do passado seguem marcando ponto, mas os tempos são outros e seus 3.500 habitantes vivem em paz.

Apesar da ilha ser pequena, é bom alugar um veículo para se locomover com independência.

Fernando de Noronha é um dos santuários de vida marinha mais importantes do mundo e merece todo cuidado. O Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha é o responsável por manter o ecossistema protegido. Ele se refere a 70% da área total do arquipélago, sendo o restante Área de Proteção Ambiental (APA). O arquipélago é tombado como Patrimônio Mundial Natural pela Unesco.

Vista do porto a partir do Forte Nossa Senhora dos Remédios.

Se quiser se encantar com a riqueza da vida marinha faça um mergulho de profundidade. Mesmo que você não seja um expert no assunto há empresas locais que oferecem opções para todos os níveis, inclusive para o batismo, ou seja, uma primeira experiência acompanhada por um instrutor. Para os mergulhadores de nível avançado há várias opções interessantes como o navio Corveta Ipiranga naufragado a uma profundidade entre 50 e 60 metros.

Corveta Ipiranga.

Caso você não queira encarar um mergulho com tubo, um simples snorkel já garante bons momentos. É provável que você encontre peixinhos coloridos, tartarugas e tubarões. Também há um navio naufragado no porto, pertinho da praia, que pode ser visto facilmente de snorkel.

Mergulhar é preciso!

Outro passeio que vem fazendo sucesso ultimamente é a canoa havaiana pela costa do Mar de Dentro, com direito a uma parada para mergulho e com sorte, a companhia dos golfinhos.

As dezesseis praias da ilha são divididas entre Mar de Dentro (voltado para a costa brasileira) e Mar de Fora (virado para o continente africano). Minhas praias favoritas no Mar de Dentro são a Baía do Sancho (listada entre as dez mais bonitas do mundo), Baía dos Porcos, Cacimba do Padre, praia do Bode, piscinas naturais do Boldró e Porto. Do outro lado da ilha não deixe de viver bons momentos na praia do Leão, na piscina natural da praia de Atalaia e flutuação no Sueste, quando reabrir. No momento a baía do Sueste está fechada desde que ouve um ataque de tubarão em fevereiro de 2022. 

Para entrar no Sancho, Golfinhos, Leão e Sueste é preciso pagar uma taxa ambiental de 165 reais para brasileiros de 12 a 60 anos. Basta pagar uma vez e você pode retornar quantas vezes quiser no período de 10 dias. As demais são liberadas.

Baía dos Porcos.

Se fazer trilhas é para você saiba que há trilhas incríveis, inclusive com direito a ótimos mergulhos. Minha preferida é a Trilha do Atalaia onde uma piscina natural se forma na maré baixa entre as rochas e o mergulho acontece num verdadeiro aquário. Impressionante. Vi de tudo por lá. Desde filhotes de tubarão, até moreia e polvo. 

Outras trilhas interessantes são a dos Abreus, também com direito a mergulho numa piscininha natural, a Capim-Açu que termina na praia do Leão depois de passar por um costão rochoso, Trilha Costa Esmeralda pelo Mar de Dentro, Trilha do Mirante dos Golfinhos que vale ser feita antes do nascer do sol para presenciar a entrada de centenas de golfinhos na baía, Trilha do Piquinho para ter uma visão em 360 graus da ilha, entre outras. 

Os agendamentos devem ser feitos diariamente no Centro de Visitantes do ICMBio, ao lado do Projeto Tamar. Eles darão todas as orientações e indicarão guias locais.

Baía do Sancho.

ENFIM

Fernando de Noronha tem o dom de aguçar nossos sentidos. A ilha deu passos importantes em direção à sustentabilidade e preservação do ambiente marinho. E foi exatamente dentro desse conceito que nasceu o Nannai Noronha Solar dos Ventos. Sejamos atentos com nossas escolhas para cuidar com muito carinho do “Paraíso de Noronha”.

Cuide bem de Noronha! O paraíso merece!!

QUANDO IR

O ano inteiro! A ilha tem duas estações: uma seca de setembro a março e outra chuvosa de abril a agosto. Mas, as chuvas são passageiras e a temperatura é sempre agradável. Para pegar onda, escolha o período de dezembro a março, e tome o rumo da Cacimba do Padre e da praia da Conceição.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

TAXA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL que varia conforme o tempo de permanência na ilha. Por exemplo, para 6 dias o valor é 494,73 reais por pessoa.

CERTIFICADO DO ESQUEMA VACINAL COMPLETO (duas doses + reforço)

TESTE DE COVID-19 com resultado negativo. Pode ser PCR (72 horas antes) ou ANTÍGENO (24 horas antes)

Baixe o aplicativo IMMUNIE e inclua todos os documentos acima para agilizar seu PASSE VERDE, pelo qual você pagará 10 reais, e sua entrada será muito rápida.

COMO CHEGAR

Tem voos diários partindo de São Paulo, Recife e Natal com as companhias Gol e a Azul.

O QUE LEVAR NA MALA

Capriche nas roupas leves. Vestidos soltos, biquínis e maiôs, saídas de praia, chinelo, óculos, chapéu e protetor solar. Salto alto não tem vez em Noronha, nem ostentação. Entre no clima da ilha.

Isso é Noronha! 

LEIA TAMBÉM 

NANNAI ENTRA EM CENA 

CHAPADA DAS MESAS, MUITO PRAZER

DESCUBRA A BAÍA DE CAMOCIM

GUIA COM OS MELHORES HOTÉIS DAS MALDIVAS

Booking.com

Compartilhe:

Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Obrigada!