O QUE VISITAR EM MASCATE, A CAPITAL DE OMÃ



A porta de entrada para essa potência petrolífera - chamada de Omã - costuma ser a capital Mascate. Via Dubai é o modo mais fácil de chegar, pois os Emirados Árabes são vizinhos de Omã. O voo dura menos de uma hora. O país tem 4 milhões e meio de habitantes sendo que aproximadamente 1 milhão e meio de pessoas vivem em Mascate. A cidade não é muito grande. Mas é cercada por montanhas e espalhada ao longo da costa em bairros distintos que até parece ter várias cidades aglutinadas em uma só. Indo do hotel Shangri-La em direção ao aeroporto, a sequência de áreas é a seguinte:

1) Velha Mascate, foi a cidade fortificada construída pelos portugueses à beira-mar. Abriga prédios reais como o Palácio Al Alam que é cercado pelos fortes Al Jalali e Al Mirani. As muralhas originais foram postas abaixo em 1983 e as muralhas atuais foram reconstruídas.

Palácio Al Alam.

2) Al Mutrah é uma antiga vila de pescadores onde fica o porto, o labiríntico e emblemático Souq Mutrah, o Mercado do Peixe e a avenida beira-mar conhecida como Corniche.

Corniche.

3) Ruwi é o centro diplomático e comercial da cidade, com forte influência indiana.

4) Al Qurum ostenta a Opera House que tem inclusive uma deliciosa delicatessen Fauchon, além de alguns shoppings.

Royal Opera House.

5) Al Gubrah é onde fica a principal estrela da cidade, a Mesquita do Sultão Qaboos.

Mesquita do Sultão Qaboos.

NÃO PERCA

#1 Visitar a Mesquita do Sultão Qaboos é um dos pontos obrigatórios na capital de Omã. Ela nasceu em 1993 quando o adorado sultão promoveu uma competição para escolher o arquiteto que iria acompanhar o projeto da mesquita comemorativa aos seus 30 anos de poder. O arquiteto escolhido foi Mohammed Saleh Makyia, nascido em Omã que vive em Londres. O prédio levou mais de seis anos para ser concluído. É magnífico em todos os detalhes. Tem fachada e pátios externos com traços simples e tons de terra. Apesar de enorme é muito acolhedora e transmite uma tremenda sensação de paz. Seu interior é magnífico. Na principal sala de oração destaca-se o enorme tapete persa que cobre todo o chão. Ele levou 4 anos para ser feito no Irã por 600 mulheres. Foi tingido com pigmentos vegetais tradicionais. É o segundo maior tapete feito a mão do mundo, o primeiro é o da Mesquita de Abu Dhabi.  O grandioso lustre de 14 metros de altura que pende da cúpula central do salão de oração também merece atenção. Ele é repleto de cristais Swarovski e tem 1122 lâmpadas. Maravilhoso.

Interior da Mesquita do Sultão Qaboos.

#2 Outro ponto imperdível é o agitado Souq Mutrah. Esse tipo de mercado é comum no Oriente Médio e revela muito da cultura local. São lugares perfeitos para se entrar em contato com o cotidiano do povo. Mesmo que você não queira comprar nada. Vá! Há poucos turistas. Você certamente será reconhecido como comprador em potencial e será assediado. Aproveite para interagir com as pessoas. Nos arredores do souq vale caminhar pelas ruelas e descobrir a grande influência indiana.

Souq Mutrah.

#3 O souq fica perto do porto. Aproveite para dar uma caminhada pela Corniche, a avenida a beira-mar. Sente-se por ali e acompanhe o vai e vem das pessoas e dos dhows, embarcações a vela utilizadas a muito tempo para transportar mercadorias e para pesca. Hoje, eles também são usados para passeio.

#4 Entre no Mercado do Peixe para entender a importância da pesca no modo de vida tradicional omanita. O peixe é o principal alimento do país. Mas as tâmaras também têm presença garantida.

Mercado de Peixe e seus negociantes de peixes, tâmaras e frutas.

#5 Ao sair do mercado atravesse a rua e almoce no clássico restaurante de comida local Bait Al Luban. Sente-se em almofadões coloridos no chão e peça algum prato típico do país.

#6 Observe a herança portuguesa na forma de um complexo defensivo importante com muralhas e fortificações que ajudavam a proteger a cidade dos ataques persas e turcos. Elas continuam em pé contando sua história. Visite por fora os Forte de Mutrah que hoje é ocupado pela polícia e os fortes gêmeos Al Mirani (Forte do Almirante) e Al Jalali (Forte de São João).

Fortes por todo lado.

#7 Dê uma caminhada pela praia de Qurum no final da tarde quando a temperatura estiver mais branda. Mas, saiba que as praias não são muito frequentadas em Mascate. Algumas “poucas” pessoas se exercitam, outras sentam para olhar o mar e alguns pescadores param ali para tentar a sorte do dia.

#8 Perto dali fica a Royal Opera House de Mascate. O prédio é super moderno, lindo, clean e desenvolvido com tecnologia avançada. Tente assistir um espetáculo. Se não conseguir faça uma visita guiada e ainda aproveite os tantos cafés, restaurantes e shoppings do complexo. Imperdível.

Opera House Muscat.

QUANTO TEMPO

Em três dias você terá tempo suficiente para conhecer a cidade.

NOS ARREDORES

Visite também o espetacular vale de Wadi Shab a pouco mais de duas horas de Mascate.

Wadi Shab.

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Seus posts são sempre bem escritos e cheios de informações interessantes. Dá muita vontade de explorar mais esses destinos menos óbvios.
    E adorei esse souq!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rosângela e Felipe,

      Adorei receber o comentário de vocês.

      Sou fã viagens menos óbvias. Conforme a gente vai trilhando esse mundo começa a descobrir lugares super interessantes e não muito explorados. Cada viagem nos enche de ensinamentos.

      Um beijo para vocês

      Claudia

      Excluir
  2. Oi Claudia, três dias inteiros para visitar Mascate + 1 no dia de chegada e outro no dia de ir embora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é o ideal se quiser ficar apenas em Mascate e arredores. Omã oferece mais do que isso se você tiver tempo disponível. Vale conhecer Salalah, o deserto e a Península Musandam, onde fica o super Six Senses.

      Excluir

Deixe seu comentário. Obrigada!