HISTÓRIAS QUE COSTURAM A SIMPLICIDADE E A SOFISTAÇÃO DOS MELHORES HOTÉIS DE TRANCOSO


Um caldeirão de histórias que ferve desde os primórdios do Brasil transborda de personalidade ao redor do Quadrado de Trancoso, desde os anos 70, quando um grupo de jovens hippies, intelectuais e idealistas fincou raiz no vilarejo. Talvez você nem saiba que Trancoso foi um vilarejo fundado pelos jesuítas em 1583. Sua existência é longa. Mas por muito tempo o isolamento e a dificuldade de acesso mantiveram seu anonimato até se estabelecer como um cantinho mágico do mundo.


CAPIM SANTO

Sandra Marques, mãe de Morena Leite, diz com conhecimento de causa: “Trancoso não tinha luz, água, telefone, padre ou polícia”. Ela e o (ex) marido Nando ancoraram naquele paraíso intocado quando não havia nada, além de uma seta apontando para um futuro cheio de promessas. 

Morena ainda era bebê quando se estabeleceram num sítio no Quadrado e nem podia sonhar que iria tão longe em sua trajetória pelo mundo dos sabores. A vida simples era encantadora, mas nada fácil. Sandra fazia pães e bolos que eram vendidos na praia pelo marido hippie. A cozinha sempre esteve no DNA da família Leite. A seguir eles arrendaram o Bar São João, no Quadrado, junto com o Cacau, onde o “prato feito” virou febre. Estava lançada a sorte. O primeiro “point” de Trancoso tinha a presença frequente de Caetano Veloso.

O Capim Santo veio ao mundo em 1985, inicialmente como restaurante de cozinha intuitiva, com produtos frescos que saiam da sua própria horta. Sempre à frente do tempo, a mãe de Morena Leite já se enquadrava na tendência: “farm to table”. Dois anos depois, nasceram os primeiros dois quartos da pousada pelas mãos da Sandra que também é arquiteta. Apoiada nos pilares gastronomia, hospitalidade e sustentabilidade, hoje a Pousada Capim Santo tem 21 acomodações deliciosas, de astral descontraído, que prezam pelo conforto, num jardim tropical de 10 mil metros quadrados, no coração do centro histórico e que usam soluções responsáveis como uso de energia solar e captação de água da chuva para reduzir o impacto ambiental.

Pois todos os dias, ao acordar ansiosa para o café da manhã, minha mesa aguardava prontinha ao lado da mesa da família, onde Sandra, seu atual marido, o filho Marcel, a nora Fernanda e os netos mostravam sem rodeios aos hóspedes o sabor da simplicidade. Uma família que viu Trancoso florescer e foi parte fundamental dessa engrenagem.

Que privilégio o meu de ter entrado nessa história viva. 

Capim Santo.

UXUÁ 

Se a Bahia o cobriu de axé, ele retribuiu o borogodó colocando Trancoso na mira das celebridades internacionais. Virou trend. Foi em 2004 que o designer holandês Wilbert Das, diretor criativo da marca italiana Diesel, se apaixonou perdidamente por Trancoso. Dois anos se passaram até ele deixar no passado a brilhante carreira no mundo da moda para se estabelecer definitivamente no Quadrado. A Bahia o fisgou de jeito. Ele montou um estúdio de design no Quadrado, em 2006, e não demorou a abrir o hotel-boutique Uxuá. Um sucesso estrondoso com 13 casas originais do Quadrado, em vez de quartos sem personalidade, decoradas com artesanato regional e mobiliário reciclado, tudo de extremo bom gosto orquestrado pelo próprio Wilbert. A sensação é de estar realmente vivendo em uma daquelas casinhas coloridas, de modo totalmente integrado ao dia a dia do povoado. As casas são todas conectadas por um jardim privativo belíssimo repleto de árvores nativas. A hospitalidade de luxo é o grande diferencial, mas sempre mantendo a conexão com a experiência de “Trancosear”.

A preocupação social e ambiental são pilares dos quais Wilbert não abre mão. Seus funcionários vem das comunidades vizinhas, fazem aula de inglês e têm apoio para investir na formação superior. A sustentabilidade é levada ao pé da letra. O aquecimento é solar, o consumo de plástico foi praticamente abolido, as áreas verdes são cuidadosamente preservadas.

Foi um prazer ter sido apresentada ao mundo Uxuá pelo próprio Wilbert Das, com tanta generosidade. Uma cabeça fantástica, com um senso de estética que mescla simplicidade e sofisticação, e que conseguiu resgatar muitas técnicas de arte que estavam sendo abandonadas e à beira do esquecimento.

Uxuá.

PERAINDA

Alexandre Gobbo e Virgílio Machado chegaram de mansinho em Trancoso mas não conseguiram segurar o anonimato por muito tempo. A estrela da Casa de Perainda brilhou assim forte, a alguns passos do Quadrado, numa rua carimbada pela privacidade e pelo silêncio.

Colecionadores de arte, os sócios tomaram a decisão de trocar a vida atribulada na coordenação de uma escola particular em Belo Horizonte, onde estavam havia 28 anos, pela calma de Trancoso. Trouxeram boa parte de seu acervo particular para compor os ambientes desse hotel-casa feito de amor e arte. E então, a Casa de Perainda, um complexo formado por 5 suítes super aconchegantes na casa principal e outras duas casas luxuosas, passou a figurar como o lugar perfeito para os hóspedes viverem a verdadeira essência de Trancoso, com o melhor da hospitalidade baiana.

A história da pousada é linda e eleva Trancoso a um outro nível de hospitalidade, arrematado pela arte de bem receber. A cada manhã o café é servido em temas diversos, como Oferendas à Iemanjá, Gorjeios da Primavera, Lembranças da Vida, Vereda Tropical entre outros. Uma verdadeira celebração à vida, numa explosão de cores e sabores.

A hospitalidade e a arte são os pilares que saltam aos olhos na Casa de Perainda. Como diferencial, Alex e Virgílio criaram um Galpão de Arte e há 3 anos fazem o Festival de Cinema de Trancoso com a intenção de levar cinema, dança, música e arte em geral ao alcance de todos. 

Que prazer enorme presenciar esse trabalho lindo e ganhar dois amigos tão especiais. 

Casa de Perainda.

ENFIM

Os recortes históricos desse povoado cheio de graça levaram a sua atual fotografia. Cada um desses personagens acima, além de tantos outros, teve um papel fundamental contribuindo de forma particular no sucesso que é Trancoso hoje. Que venha o próximo Festival de Cinema, que muitas pessoas da comunidade sejam tocadas pela arte, pela cultura, pela educação, pela responsabilidade ambiental e que a essência do Brasil seja revelada com sabedoria ao mundo. 

LEIA TAMBÉM

CASA DE PERAINDA E A ARTE DE BEM RECEBER

O MELHOR DE ITACARÉ

KA BRU TRAZ A GRÉCIA PARA A BAHIA 

CASA DOS ARANDIS, UM REFÚGIO DE PAZ NO SUL DA BAHIA


Booking.com

Compartilhe:

Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Obrigada!