ONDE COMER E BEBER (MUITO BEM) EM BELÉM


Impressionante como é fácil comer bem em Belém! A cozinha paraense é saborosa, exótica, aromática e cheia de personalidade. Tem forte influência dos indígenas que habitam a região amazônica. Muita farinha, peixes de rio, caranguejo, açaí, castanha-do-pará, ervas e frutas nunca vistas antes. Nomes que talvez você não conheça: maniçoba, tacacá, tucupi, taperebá, uxi, cumaru, bacuri... Abaixo indico os melhores lugares para você experimentar e se deliciar com a culinária paraense.

1. REMANSO DO BOSQUE. O restaurante do badalado chef Thiago Castanho é imperdível. Tem ambiente agradável e o melhor dos sabores do Pará. Para começar peça o “açaí bun”, um pãozinho roxo delicioso recheado com peixe empanado na farinha d’água, picles de maxixe, maionese de chicória e uma pimentinha na medida. Como prato principal sugiro o clássico Filhote assado na brasa acompanhado de salada de feijão e macaxeira na manteiga. Mas, vale voltar várias vezes para provar tudo. O Tucunaré na brasa com pirão de tucupi também é maravilhoso. Travessa Perebebuí 2350, telefone (91) 3347.2829

Filhote na brasa.

PS: Aproveite para comprar alguns produtos da gastronomia paraense na Mercearia Remanso. Tem várias geleias interessantes com frutas exóticas, cachaça com jambu, molho de pimenta com acaí, farinhas locais e doces produzidos com chocolate da Ilha do Combu.

Molho de pimenta com tucupi.

2. REMANSO DO PEIXE. Esse foi o primeiro restaurante da família de Thiago Castanho. Fica dentro de uma vila residencial e começou numa salinha da antiga casa onde a família morava, como uma pizzaria. Em 2000, o pai Chicão incluiu alguns pratos típicos de peixe no cardápio. Ficou conhecido pelos clientes carinhosamente com Peixaria de D. Carmem, o que motivou Thiago a se dedicar a gastronomia. Hoje a casa é badalada e ganhou fama com seus peixes, moquecas e caldeiradas paraenses. Tudo é delicioso. As caipirinhas de frutas exóticas e a cachaça de jambu são perfeitas para acompanhar. Recomendo o restaurante para o almoço pois o endereço é bem escondidinho, longe do centro, no caminho para o aeroporto e não tem placa com o nome. Hoje, Felipe Castanho toca o restaurante com o irmão de Thiago. Conj. Celso Malcher, 64, telefone (91) 32282477.

Remanso do Peixe.

3. SUSHI RUY BARBOSA. Um lugar inusitado onde você vai encontrar uma combinação incrível da culinária japonesa com os sabores do Pará. A criatividade impera no cardápio maravilhoso que utiliza peixes locais nos sushis e sashimis, e frutas locais nos drinques preparados pelo barman renomado. Peça um combinado regional e tenha uma bela surpresa. Uma mistura japa-paraense perfeita! Travessa Rui Barbosa 1816, telefone (91) 33552255

Combinado regional do chef do Sushi Ruy Barbosa e caipirinhas com frutas locais.

4. PORTINHA. Escondida numa ruela entre o casario colonial histórico de Belém fica a portinha mais saborosa da cidade para um lanche de sexta a domingo, de 17h às 22h. Um lugar muito simples e delicioso para uma guloseima no final da tarde. Você pode escolher entre os tantos sabores de esfiha (sugiro a de pato ao tucupi e camarão com jambu), empada de queijo cuia com creme de jambu, vatapá ou torta de frango. Para acompanhar vá de Guaraná Garoto. Rua Dr. Malcher 436, entre as ruas Capitão Pedro Albuquerque e Travessa Gurupá, quase esquina da Gurupá, telefone (91) 99115.2222

Lanchonete Portinha.

5. MANJAR DAS GARÇAS. O restaurante está localizado numa bela casa dentro do Parque Mangal das Garças. É boa pedida conjugar um passeio no parque com um almoço no Manjar. De dia, é servido um buffet de pratos com ingredientes locais, com o melhor da culinária paraense. Bom para provar de tudo um pouco, de maniçoba a tacacá. À noite, o ambiente é mais sofisticado e o serviço é a la carte. Rua Carneiro da Rocha, Cidade Velha. Telefone (91) 32421632.

Restaurante Manjar, no Mangal das Garças.

6. LÁ EM CASA. Localizado na Estação das Docas, esse é um bom restaurante para experimentar a culinária paraense com jeitinho caseiro depois de dar uma caminhada pela região portuária revitalizada, ao lado do Mercado Ver-o-peso, e de fazer um passeio de barco pela orla de Belém. O Lá em Casa faz parte do grupo de Restaurantes da Boa Lembrança. Peça o pato ao tucupi, a maniçoba ou os peixes regionais. Fui de tacacá e peixe. Comi bem, mas confesso que nada uau. O que mais gostei no Lá em Casa foram os músicos passando para lá e para cá, sobre uma esteira que antigamente era usada para transportar os containers dentro do galpão. Interessante! Av. Boulevard Castilho França, Galpão 2, Loja 4, telefone (91) 3212.5588.

Lá em Casa.

7. AMAZON BEER. Que tal provar uma Stout Açaí, uma Florest Bacuri, uma Witbier Taperebá, uma Red Ale Priprioca, IPA Cumaru? Pois é, os sabores da Amazônia também estão presentes nas cervejas artesanais que você pode degustar na Estação das Docas. Com nomes e sabores tão curiosos e regionais, mesmo quem não é muito fã de cerveja, como eu, tem que provar! Estação das Docas, Av. Boulevard Castilho França.

Amazon Beer.

8. SORVETERIA CAIRU. Pensa numa sorveteria artesanal maravilhosa onde os nomes exóticos e a quantidade de sabores (mais de 50) vão te deixar com dificuldade de escolher: bacuri, uxi, araçá, cupuaçu, graviola, murici, taperebá, açaí, castanha-do pará... Dá vontade de provar todos. Gostei muito dos sorvetes de açaí com tapioca, castanha-do-pará e Cairu (coco com raspas de chocolate). Tem vários endereços em Belém, um deles na Estação das Docas. Outras sorveterias deliciosas são a Icebode (de um familiar da Sorveteria Cairu) e a Sta. Clara (sorvetes feitos com menos açúcar e menos gordura).

Sorveteria Cairu.

9. POINT DO AÇAÍ. Você sabia que no Pará o açaí é servido tanto com comida salgada como com açúcar? O Point do Açaí é o melhor lugar da cidade para fazer uma refeição exatamente como os locais. Você escolhe seu prato (vá de chapa mista paraense) e o garçom vai dando as instruções. Traz o prato que você pediu, na frente coloca uma tigela e pergunta se você quer o açaí tradicional ou mais consistente. Então ensina que você deve intercalar uma garfada do seu prato salgado, com uma colherada de açaí com tapioca. Misturar tudo no mesmo prato é pecado para eles. E saiba que pedir açaí com banana é motivo de piada. Tem vários endereços na cidade. Experimentei o Point Boulevard, em frente a Estação das Docas e fui muito bem atendida. Boulevard Castilho Franca, 744 esquina com Presidente Vargas, telefone (91) 3212.2168.

Point do Açaí.

10. BOX DA LÚCIA. É um bom lugar para experimentar a comida popular paraense, fica no Mercado Ver-o-peso. Circule por lá com atenção. Ainda no Mercado Ver-o-peso procure a Barraca da Carmelita para provar frutas exóticas e tomar água de buçú (com efeito medicinal para problemas gástricos).

11. BAR DA PRAÇA. Bar muito simpático, na Praça da República. Vive  lotado o dia todo.

ABAIXO AS DICAS DE THIAGO CASTANHO

- Remanso do Bosque
- Remanso do Peixe
- Iacitatá
- Tacacá do Renato (também tem bom vatapá e maniçoba)
- Bar da Alzira (peixe frito e casquinha de caranguejo – com cara de pé sujo)
- Bar do Parque (bar tradicionalíssimo de Belém recém reinaugurado – ao lado do Teatro da Paz)
- Boteco Meu Garoto (no Bairro Campina)
- Mercado Ver-o-peso: Barraca da Carmelita, Casa das Ervas, Cavalo Peixeiro, Box da Lúcia, Box da Eliana e Peixe Frito do Alemão/Loiro

Na Ilha do Combu:
- Casa Combu (casa ribeirinha que abre no fim de semana)
- Chocolate Filhos do Combu (fazer uma visita pela manhã telefone 99616.0648)
- Saldosa Maloca (restaurante tradicional, simples, pedir peixe assado e isca de pirarucu)

Mercearia do Remanso.

Imagino que você tenha percebido que bons restaurantes não faltam em Belém. Então, anota as dicas! Agradeço demais ao Thiago Castanho pelas indicações preciosas da culinária local e a Gaby Amarantos pelas dicas de quem conhece o Pará com o coração. 

Compartilhe:

Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Obrigada!