LENÇÓIS MARANHENSES, PELAS DUNAS E ALÉM


Atins foi minha porta de entrada para o único “deserto molhado” e um dos destinos mais bonitos do mundo, os Lençóis Maranhenses. A magnitude do cenário parece até miragem. De tão espetacular, me faltam adjetivos para descrever esse capricho da natureza. Criado em 1981, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses conta com 155 mil hectares, dos quais 90 mil são formatados por dunas e lagoas que se enchem de água azuL turquesa na estação chuvosa, a qual gradativamente evapora ao longo da estação seca. Uma metamorfose de paisagens, em um dos ecossistemas mais singulares do Brasil, inserido em uma zona de transição dos biomas Cerrado, Caatinga e Amazônia. Se você ainda não conhece sugiro fortemente que inclua na sua lista de desejos!

A beleza surreal dos Lençóis Maranhenses, no mês de outubro.

Dividido entre Pequenos Lençóis e Grandes Lençóis, tendo entre eles o rio Preguiças, os Lençóis Maranhenses dançam conforme o Ciclo das Águas. As lagoas se formam quando as chuvas do primeiro semestre abastecem o lençol freático. No final de maio, quando termina o período chuvoso, algumas delas chegam a ter cinco metros de profundidade e mais de um quilômetro de extensão. Então, o sol se encarrega de dar continuidade ao ciclo. Aos poucos, a água das lagoas vai diminuindo com a evaporação até secar no final de novembro. E assim o ciclo se repete ano após ano.

Uma paisagem inacreditável.

ATINS, SANTO AMARO OU BARREIRINHAS? 

O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses fica no litoral do Maranhão, a pouco mais de 200 quilômetros da capital São Luís. Como a região é muito vasta - tem área maior do que a cidade de São Paulo - e a paisagem é homogênea, escolha sua base entre as cidades de Atins, Santo Amaro ou Barreirinhas.

Lagoas e dunas a perder de vista.

Barreirinhas é a maior cidade, a mais conhecida e a mais movimentada. O acesso de São Luís até Barreirinhas é de pouco mais de três horas por estrada asfaltada. A partir daí apenas carros 4X4 credenciados podem circular. Já tive uma experiência em Barreirinhas quando a cidade começava a se estruturar para receber turistas. Foi ótimo. Mas, cresceu bastante e agora está movimentada demais.

Barreirinhas.

Santo Amaro é o vilarejo mais tímido em termos de estrutura. Ainda não estive por lá, mas imagino que seja interessante para quem gosta de locais intocados. Acesso apenas em veículo 4X4 e pousadas bem simples. Santo Amaro costuma entrar na rota de quem faz a travessia dos Lençóis a pé, por dentro do parque, num percurso que costuma ser feito entre 3 e 5 dias.

Atins, bons ventos e paisagens intocadas.

Mas vamos combinar que Atins, no momento, é o povoado perfeito para se viver uma bela experiência nos Lençóis Maranhenses. Tem paisagens cinematográficas e ventos perfeitos para Kite, por isso passou a figurar entre os destinos preferidos da galera do velejo. É preciso tomar uma lancha para seguir de Barreirinhas até Atins pelo rio Preguiças num trajeto de uma hora, ou ir de carro 4X4 por estrada de areia em 50 minutos. Também é possível chegar de lancha a partir de Caburé, com travessia de 30 minutos. Esse foi meu caminho de chegada, pois estava subindo desde o Ceará, passando pelo Piauí e finalizando no Maranhão.

A vida como ela é Atins.

EM ATINS, VILA ATY! 

Assim que a lancha atracou em Atins, um simpático funcionário da pousada Vila Aty veio ao nosso encontro. Seguimos na boleia da camionete por alguns minutos. A entrada nos Lençóis Maranhenses foi inesquecível. Céu azul, sol forte, bons ventos, ruas de areia, gente sem pressa, vacas, jegues e ovelhas circulando por todos os cantos, e um cheiro delicioso de caju invadindo o ar. Um vilarejo simples e totalmente conectado com a natureza. 

Em Atins de jardineira.

Ao chegar, uma placa sinalizava a Vila Aty dando as boas-vindas em várias línguas. Me senti entrando em casa e assim foi durante toda a semana. A pousada Vila Aty é novinha. Abriu as portas no final de 2020, com apenas 10 acomodações que se espalham ao redor da piscina, do bar e do restaurante.

Vila Aty.

A arquitetura prima pela sustentabilidade e pela integração com a natureza. Biodigestores próprios processam a matéria orgânica e uma mini estação de tratamento de esgoto garante o retorno de água limpa para a natureza.

É tudo rústico, construído em madeira e palha, em sintonia com a cultura da região sem abrir mão do conforto. Você pode escolher sua acomodação no andar superior ou no térreo. Os quartos são aconchegantes, amplos, arejados pelo vento, têm varanda com rede, mini bar, cafeteira e ar condicionado. Os banheiros têm decoração moderna e atenção aos detalhes.

Aconchego, espaço e conforto nas suítes da Vila Aty.

A cozinha da pousada é deliciosa. Uma explosão de sabores maranhenses do café da manhã ao jantar. Desde os pães feitos diariamente na própria pousadas até os peixes fresquíssimos. 

O chá da tarde é servido todos os dias aos hóspedes com um bolo de milho quentinho que virou patrimônio da casa. Quer a receita? Espia na foto abaixo.

  
Sabor da Vila Aty.

A localização da Vila Aty é perfeita. Dentro do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, num vilarejo de pescadores na foz do rio Preguiças, com fácil acesso para as lagoas e para a praia.

Pés descalços e as melhores lembranças da Vila Aty.

Mas o ponto altíssimo são as pessoas que trazem a melhor energia à pousada. A hospitalidade é genuína. Dos meninos do bar às meninas do serviço de quarto. Todos especiais.

Recomendo a Vila Aty para uma experiência inesquecível em Atins.

Vila Aty, minha casa em Atins.

KITESURFE EM ATINS

Velejar nas lagoas de água transparente dos Lençóis Maranhenses é uma experiência sem igual. Imperdível tanto para os aprendizes de kite como para praticantes de nível avançado. Atins tem quilômetros de praias, rios e dunas. É possível programar downwinds pela região com o Surfin sem Fim. Tem bons ventos para velejo praticamente o ano todo sendo o auge da temporada de julho a janeiro.

Kitesurfe em Atins, na alta temporada.

ATINS ALÉM DO KITE

Antes de mais nada... desacelere, tire os sapatos e entre no ritmo local. Então, deixe que a Vila Aty organize todos os seus desejos. Caminhe longas distâncias pelas lagoas e dunas dos Lençóis Maranhenses. Mergulhe em todas as lagoas que tiver vontade, elas são diferentes umas das outras e são inúmeras. Entre elas estão a Lagoa do Kite, Lagoa do Gavião, Lagoa da Maria Vitória, Lagoa do Mário e por aí vai.

Não tem como resistir ao chamado dessas lagoas. 

Recomendo que faça um piquenique ao pôr do sol nos Lençóis Maranhenses com direito a champagne, frutas, queijos e um belo mergulho. Experiência ímpar. Basta solicitar à equipe da pousada Vila Aty e a magia acontecerá.

Um piquenique inesquecível nos Lençóis Maranhenses.

Outra coisa interessante é ver os Lençóis do alto, em um sobrevoo. Os aviõezinhos partem do Aeroporto Municipal de Barreirinhas e fazem voos panorâmicos de 30 minutos. É lindo.

E se quiser conhecer as lagoas próximas de Barreirinhas, não deixe de fora a Lagoa Bonita e a Lagoa Azul. É preciso contratar um guia com carro 4X4 antes de tomar a lancha voadeira de Atins para Barreirinhas.

Um dos lugares mais incríveis do mundo.

No mais é relaxar, bater bons papos, mergulhar na praia, ver os barcos de pescadores chegando do mar, tomar água de coco ou caipirinha na piscina da Vila Aty, e curtir o astral selvagem de Atins.

BONS RESTAURANTES EM ATINS 

Camarão da Sesse, restaurante simples que serve um camarão famoso em Atins

La Ferme de Georges, cozinha fresca “da horta para a mesa”

Restaurante da Luiza, tem um camarão grelhado que é quase patrimônio da região 

Restaurante da Carminha, na beira de uma lagoa cercada de vegetação, seu prato tradicional é a galinha caipira

Vila Aty, culinária nativa maranhense

Vila Aty.

QUANDO IR

A cada período do ano você terá um cenário diferente. A época chuvosa inicia em janeiro indo até o final de maio ou início de junho. Os meses mais chuvosos são março, abril e maio. Com tempo nublado as cores das lagoas, que são lindas, ficarão escuras e sem brilho. Uma boa luz torna o mundo mais colorido. Para ver os Lençóis no período mais exuberante vá de junho a setembro. Depois disso, a água começará a evaporar e poucas lagoas permanecerão cheias. Algumas lagoas nunca secam totalmente. Portanto até janeiro a estação seca será um convite perfeito para os Lençóis Maranhenses.

Quadriciclo, um passeio imperdível pelas lagoas mais desertas de Atins.

COMO CHEGAR

De São Luís do Maranhão até Barreirinhas é preciso encarar mais de 200 quilômetros de estrada (4 horas). A partir de Barreirinhas existe a opção de ir até Atins de lancha “voadeira” ou de jardineira por estrada de areia, em aproximadamente uma hora. Caso esteja vindo dos Pequenos Lençóis faça uma travessia pelo rio a partir de Caburé.

Caburé.

PORTAS DA AMAZÔNIA

Aproveite para conhecer a capital do Maranhão, uma vez que você passará por ela. São Luís do Maranhão é conhecida como a “Cidade dos Azulejos”. Seu centro histórico tem dezenas de casarões azulejados, além de palacetes, museus e igrejas. Foi tombado pela UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade.

São Luís do Maranhão.

Vale ficar uma noite hospedado na pousada Portas da Amazônia no centro histórico. Três casarões em estilo colonial, que datam de 1835, foram transformados nessa pousada de 36 apartamentos, depois de serem restaurados. Os quartos são muito simples. Têm ar condicionado e televisão. Outra possibilidade é o Blue Tree, mas saiba que também é um hotel mediano.

Pousada Portas da Amazônia.

Fiquei apenas algumas horas na pousada Portas da Amazônia entre a chegada de Atins e a saída para o aeroporto. Não cheguei a conferir o café da manhã (que dizem ser delicioso) e nem a provar as pizzas da La Pizzaria. Quem sabe na próxima.

Bar e pizzaria da pousada Portas da Amazônia.

ENFIM

Os Lençóis Maranhenses estão entre os destinos mais exóticos do mundo. Centenas de dunas de até 40 metros de altura, se espalham por mais de 80 quilômetros do litoral do Maranhão. Muita gente opta por uma parada rápida na região ao fazer a Rota das Emoções, roteiro que inclui Preá, Jericoacoara, Camocim, Barra Grande, Delta do Parnaíba e finaliza nos Lençóis. Mas saiba que se ficar menos de quatro dias, você sairá com o coração partido. Esse “deserto molhado” pede calma. É lindo! É exuberante! É Brasil! 

Lençóis Maranhenses, um dos lugares mais bonitos e exóticos do mundo! 

* Essa matéria foi atualizada em junho/2022 após minha terceira viagem aos Lençóis Maranhenses. Entre em contato pelo e-mail claudia@viajarpelomundo.com para ter sua viagem personalizada, organizada por mim em parceria com uma agência boutique da minha inteira confiança. 

LEIA TAMBÉM 

DELTA DO PARNAÍBA EM PROSA E VERSO

BARRA GRANDE, ONDE BONS VENTOS E NATUREZA SE ENCONTRAM NO PIAUÍ

O MELHOR DE JERICOACOARA

RANCHO DO PEIXE, UM REFÚGIO NA TERRA DO VENTO

THERE'S FRENCH ACCENT IN PREABEACH VILLAS

DESCUBRA A BAÍA DAS CARAÚBAS E A CASA DE SAO JOSÉ, EM CAMOCIM

ROTEIRO NA TERRA DO VENTO: CEARÁ, PIAUÍ, MARANHÃO

GUIA COM OS MELHORES HOTÉIS DAS MALDIVAS

Booking.com

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Linda matéria, só algumas observações:
    1 - já existe estrada asfaltada até a cidade de Santo Amaro.
    2 - O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses é uma Unidade de Conservação Integral, então por lei e para preservação da natureza é ilegal construir dentro dos limites do parque, se há respeito pela natureza ficar hospedado em hotel construído dentro de uma UC não é nada legal, sustentável ou ecologicamente correto...

    ResponderExcluir
  2. Meu sonho!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Claudia, esse é definitivamente um dos lugares mais bonitos do mundo. Concordo com você.
    Beijos
    Ana B.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!