O MELHOR DE CHIANG MAI, A SEGUNDA MAIOR CIDADE DA TAILÂNDIA


Ao norte da Tailândia está a encantadora, despojada, espiritualizada e abençoada Chiang Mai, um daqueles destinos que despertam a paixão num piscar de olhos. Tem um centrinho histórico bem preservado entre muralhas perfeito para ser desvendado a pé, mais de 300 templos, vilarejos onde habitam grupos de etnias minoritárias como as “mulheres-girafa”que vivem da venda de seu próprio artesanato, santuários de elefantes, cachoeiras lindas, montanhas onde se pode pedalar, praticar rafting, arvorismo e trekking, além de festejar todos os anos o Yi Peng (Festival das Lanternas) e Loy Krathong no mês de novembro. Uma cidade que tem tudo para agradar incluindo bons hotéis, cafés hipsters e gastronomia exótica.

Festival das Lanternas em Chiang Mai, um dos eventos que mais chama atenção na cidade.

SOBRE CHIANG MAI

Chiang Mai fica pertinho da tríplice fronteira, onde se encontram Tailândia, Laos e Mianmar. Mistura ares de vida rural com cidade grande, pois é a segunda maior cidade da Tailândia, mas vive de modo bem mais relaxado do que a caótica capital Bangkok.

Nasceu em 1296 cercada por muros e foi a capital do Reino Lanna por muito tempo. Só em 1932 passou a ser, oficialmente, província da Tailândia.

A capital espiritual da Tailândia, como é conhecida Chiang Mai, fica 700 quilômetros ao norte de Bangkok e tem clima um pouquinho mais ameno pois fica numa região montanhosa, mas saiba que o calor impera o ano todo.


A simpatia de uma senhora da etnia White Karen, em Chiang Mai.

O QUE FAZER EM CHIANG MAI

1. Comece explorando o centrinho antigo de Chiang Mai que é um quadrilátero de 1,5 quilômetros quadrados, cercado por fossos e pelos restos da muralha do século XIII que abrigou por quase 500 anos a capital do Reino Lanna e é recheado de templos, mercados, lojinhas, cafés e restaurantes. Caso esteja hospedado fora dos muros, vá até lá de tuk-tuk, taxi ou nas lotações vermelhas chamadas de songthaew que lembram um carro de bombeiro.


Mapa de Chiang Mai.

2. Visite o templo budista Wat Chedi Luang que funcionou nos séculos XV e XVI como uma escola de monges. Foi uma das construções mais altas do antigo reino com 80 metros de altura. Parte dele foi destruída por um terremoto, mas ainda tem estátuas de elefantes e serpentes adornando as escadarias. Nesse e em alguns outros templos você pode sentar numa mesinha para fazer um Monk Chat e conversar com um monge. Vá também ao templo Wat Phan Tao que fica a alguns metros.

Wat Chedi Luang e seus detalhes.

3. Ainda dentro das muralhas não perca o Wat Phra Sing. Ele é o templo mais visitado de Chiang Mai pois abriga uma bela imagem de Buda considerada muito sagrada. Durante alguns festivais, a imagem é retirada para participar de rituais religiosos. Nos arredores ficam os templos Wat Si Koet, Wat Tung Yu e Wat Chai Phrakiat ao longo da rua Rachadamnoen que é só para pedestres aos domingos.

O templo Wat Phra Sing é muito sagrado para os budistas.

3. Para entender mais sobre a cultura e história do Reino Lanna sugiro que vá ao Museu Nacional de Chiang Mai. Ele fica fora das muralhas, na parte noroeste da cidade. O Reino Lanna ocupou o norte da Tailândia do século XIII ao XVIII e chegou a rivalizar com o Reino de Ayuthaya. No entanto, o reino enfraqueceu e passou a fazer parte da Birmânia. Essa mistura de influências deixou marcas importantes.

4. Se você simpatiza com elefantes visite um santuário para encontrar e interagir com eles. Preste atenção para escolher um que seja gentil com os animais, que não ofereça passeios montados. Sugiro o Kanjana onde os animais são resgatados de maus tratos e muito bem cuidados. Também dê uma olhada no Elephant Nature Park, no Hug Elephant Sanctuary e no Kanta onde não são acorrentados nem treinados. Esses santuários costumam ser distantes do centro de Chiang Mai em lugares cercados pela natureza. Eles oferecem visitas de um dia inteiro ou de meio dia com almoço incluído e direito a banho de rio com os elefantes. Para esses passeios mais distantes, contrate um motorista de van e acerte com ele um roteiro de dia inteiro.

DICA DE MOTORISTA: Mr. Tong nos acompanhou por 2 dias. É um senhor muito simpático, está sempre sorrindo e disposto a ajudar. Entre em contato pelo telefone +66 0 91 0725354. Ele tem um taxi que pertence ao grupo que atende o aeroporto, taxi número 30. Foi lá que o conhecemos e adoramos. Recomendo.

Hora da selfie com os elefantes.

5. O Night Bazaar na Chang Klan Road é um lugar muito visitado em Chiang Mai tanto pelos turistas como pelos locais. Tem barraquinhas com comidas típicas, tendas que vendem de tudo que se possa imaginar desde roupas à artesanato, de chá a papel feito com cocô de elefante. Vale uma caminhada. Outro mercado interessante é o Warorot Market, mais local.

Night Bazaar.

6. O templo mais importante de peregrinação para os budistas da região é o Wat Phra That Doi Suthep, Templo da Montanha. Foi construído em 1383. Tem arquitetura característica do estilo Lanna, com muito dourado e uma escadaria com dragões. Reza a lenda que um monge vinha de Sukhothai trazendo uma relíquia de Buda que era carregada por um elefante branco, o qual tinha a missão de definir onde nasceria um templo sagrado. O elefante foi subindo a montanha até que parou lá no topo e morreu, 13 quilômetros a oeste de Chiang Mai. Nesse lugar foi erguido o sagrado templo.

Templo da Montanha.

7. Se ainda não estiver saturado de ver templos, visite o Wat Sri Suphan, o Templo de Prata. Ele é muito interessante, tem um estilo todo próprio.

Templo de Prata.

8. Quando cansar basta sentar numa das tantas casas que oferecem massagens e curtir um belo relaxamento ou não... Afinal, a massagem tailandesa tem fama de ser forte pois o terapeuta utiliza os pés, joelhos e cotovelos para auxiliar na pressão e nos alongamentos. Mas, o cardápio de massagens é enorme. Certamente alguma há de agradar. Massagem nos pés? Gosta?

As massagens tailandesas não podem ficar de fora.

9. Vale visitar o vilarejo Baan Tong Luang onde estão reunidas várias minorias étnicas que produzem artesanato para vender e assim manter suas tradições e costumes. As Mulheres-Girafa são as que mais chamam atenção com seus colares, pulseiras e joelheiras feitos com grandes argolas. Essa etnia é originária do sul do Mianmar e nos períodos de guerra para fugir das zonas de conflito, elas tinham que atravessar as montanhas habitadas pelos tigres. Muitas eram atacadas e os animais mordiam principalmente no pescoço, pulsos e canelas. Para terem mais chance de sobreviver, elas passaram a se proteger com essas argolas que viraram uma marca e hoje garantem seu sustento. O projeto desse vilarejo foi criado em 2003. Vale a visita.

Mulher-girafa no vilarejo de Baan Tong Luang.

A simpatia das pessoas já faz a viagem valer a pena. Essas senhoras são da etnia Akha.

10. Se tiver tempo disponível vá até Chiang Rai, a 200 quilômetros de Chiang Mai e visite o famoso Templo Branco Wat Rong Khun. O trajeto leva ao redor de 3 horas, portanto, é puxado para um bate e volta. O ideal é dormir uma noite na cidade para não ficar muito cansativo. Vale lembrar que o templo não é antigo. Ele foi construído recentemente, em 1997 e é bastante polêmico. Mistura elementos da tradição budista e hinduísta, entre caveiras e espelhos que reluzem ao sol. Chiang Rai também é o local onde houve aquela tragédia em que vários meninos ficaram presos dentro de uma caverna inundada.

Templo Branco de Chiang Rai.

ALÉM DISSO

Você também pode optar por fazer rafting, zipline, ir a uma fazenda de cobras, visitar um parque de macacos, ir à fábrica das sombrinhas de papel, subir a montanha mais alta da Tailândia (Inthanon Mountain), visitar as cachoeiras Wachirathan e Sirithan.

O QUE NÃO FAZER EM CHIANG MAI

Na Tailândia ainda têm muitos tigres. Eles são lindos quando soltos na natureza. No entanto, muitas vezes são capturados e usados para atrair turistas, o que divide opiniões. Vi alguns animais dopados nas várias viagens que fiz à Tailândia. Vi folhetos desses polêmicos zoológicos em Chiang Mai e não recomendo que se dê apoio para tamanha crueldade. Os tigres mal conseguem abrir os olhos e levantar a cabeça. Ficam deitados, posando para a foto praticamente desmaiados. Uma cena triste de se ver.

COMO ORGANIZAR MUITO BEM SUA ESTADA

O ideal é dividir sua estada em dois hotéis. Um no centro de Chiang Mai para curtir a vibe urbana e explorar a pé o centro antigo, os templos e os mercados noturnos, e outro nos arredores para curtir o astral rural mais relaxado da região, visitar templos distantes, cachoeiras e ir aos santuários de elefantes.

Na cidade vale conferir o delicioso Shangri-La Chiang Mai fora das muralhas e perto de tudo, ou o Anantara, às margens do rio Ping, bem localizado para quem vai ao Festival das Lanternas. Se quiser ficar hospedado num hostel dê uma olhada no Nalada (naladahostel@hotmail.com). Ele fica junto com uma casa de massagens e conheci ao acaso quando entrei para um footmassage. Tem astral relaxado, simpático e é cheio de gente jovem.

Shangri-La Chiang Mai. Leia AQUI a review completa sobre o hotel.

Já, o sensacional Four Seasons Chiang Mai fica a 45 minutos do centro da cidade e é um hotel para desacelerar e descansar em grande estilo. É um santuário de bem estar em meio a lagos com flores de lótus e plantações que produzem o arroz consumido pelo próprio hotel. Os 99 quartos têm decoração tailandesa cuidadosa, flores por todo lado inclusive no banheiro e na varanda. Um hotel incrível!

Four Seasons Chiang Mai. Leia AQUI a review completa sobre o hotel.

Vale esticar sua estadia por mais alguns dias para ir até a tríplice fronteira da Tailândia com o Laos e Mianmar e ficar hospedado no sensacional Four Seasons Tented Camp Golden Triangle, um hotel super exclusivo, com apenas 15 bangalôs e um spa ao ar livre em uma floresta de bambu.

Four Seasons Golden Triangle.

DICA

Conjugue a viagem com os países vizinhos Laos, Mianmar, Camboja e Vietnam.

LEIA TAMBÉM

TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O FESTIVAL DAS LANTERNAS (YI PENG E LOY KRATHONG)

VÁ PRA TAILÂNDIA E APOSTE NO HOTEL SHANGRI-LA BANGKOK

CUIDADO! VOCÊ PODE SE APAIXONAR PELO LAOS

ROTEIRO DE UM MÊS PELO NORTE DA TAILÂNDIA, LAOS, MIANMAR E DUBAI

AMANTAKA, UM PARAÍSO EM LUANG PRABANG

O QUE VOCÊ NÃO PODE PERDER UM DUBAI

O REINO ENCANTADO DO CAMBOJA

A PRIMEIRA VEZ NO VIETNAM A GENTE NUNCA ESQUECE


Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Oi Claudia
    Acho que quando for lá vou preferir Chiang Mai do que Bangkok.
    Em 2019 que dias caem esta semana do Festival das Lanternas ?
    Obrigado
    Abraços
    VS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola VS,

      Esse ano o Festival das Lanternas será dia 13 de novembro.

      É lindo.

      Excluir
  2. Oi, Cláudia. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!