A CIDADE IMPERAL DE FES (FEZ)



Foi no final da tarde, quando o som do muezim ecoava dos alto-falantes numa lamúria insistente chamando os fiéis à oração, que cheguei em Fes para minha despedida do Marrocos. Mesquitas, madrassas e palácios pipocam por todo lado. A antiga Cidade Imperial também é conhecida como Capital Religiosa do país. Um belo mosaico que mistura passado e presente nos labirintos confusos desse museu a céu aberto que hoje é um merecido Patrimônio Histórico da Humanidade pela UNESCO.

Entre palácios, souks, mesquitas e tapetes. 

UMA VOLTA NO TEMPO

Fes é uma das cidades mais antigas do Marrocos e uma das maiores. Sua importância religiosa para o mundo islâmico é enorme. Dizem que em 789 d.C., um descendente de Maomé foi adotado como líder espiritual do povo berbere ao chegar naquelas terras. Moulai Idrís, como passou a ser chamado pelos marroquinos, então fundou a cidade de Fes que rapidamente se desenvolveu chegando a ser a Capital do Império e até 1912 foi a capital do país.

Palácio Real Dar El-Makhzen.

O MELHOR DE FES

Uma visita a Fes pode ser dividida em duas partes:

  • dentro da Medina (Cidade Velha) 
  • fora da Medina (Cidade Nova)

O ideal é dispor de pelo menos dois dias para visitar a cidade com calma. Fes é intensa!

No interior daquelas muralhas você vai se deparar com um dos centros medievais mais bem preservados e impressionantes do mundo! Os números superlativos dão uma ideia do que está por vir: 250 mesquitas, 10 mil ruelas, 25 mil casas, 20 mil fontes, centenas de lojinhas, 200  mil pessoas. Não é incrível? Saiba que a grande estrela é definitivamente a caótica Medina!


 
Pelos labirintos da Medina de Fes.

Atravesse o Blue Gate (Bab Boujloud), principal portão da Medina decorado com mosaicos azuis incríveis pelo lado de fora e verdes por dentro, e seja arremessado para o passado. Carros não entram e o burburinho dos mercados, de aspecto ainda medieval, se desnuda em cenas insólitas pelas principais ruas como a Talaa Sghira e a Talaa Kbira.

Blue Gate Bab Boujloud, uma das tantas portas que se abrem para a Medina de Fes.

Circule sem pressa pelas lojinhas do souk que vendem de tudo (artesanato, doces, tapetes, cerâmica, artigos de couro, instrumentos musicais, produtos feitos com argan, roupas...) e se deleite com as cenas do dia a dia que remetem a uma volta no tempo.

Das melhores tâmaras do mundo!

Ouro líquido do Morrocos, óleo de argan.

Quando cansar sente num restaurante ou café para tomar um chá de hortelã ou café já que bebidas alcoólicas não são facilmente comercializadas por ali. Adorei o Made in M, na confusão da Medina, super charmoso.

Made in M, o lugar mais simpático da Medina para um chá. 

Entre em algumas das antigas escolas de islamismo, como a Madrassa Bou Inania (construída no século XIV é a mais importante de Fes), Attarine, Cherratine, Seffarine, Mesbahia, Sahrij ou Sbaiyine.


Os detalhes da Madrassa Bou Inania encantam.

Visite algumas das mesquitas, mas saiba antecipadamente que apenas homens muçulmanos podem entrar. As principais são: Al Anouar, Al Hama, Al Oued, Bab Guissa, Boujloud, Mesquita dos Andaluzes, El Fekharine, Er Rcif, Lakbir, Azhar, Quaraouiyine e por aí vai...

Ao lado da Mesquita Quaraouiyine (que é uma das maiores do Marrocos) fica a universidade mais antiga do mundo ainda em funcionamento, de mesmo nome da mesquita, e fundada por uma mulher, Fátima El Fihria, em 859.

As madrassas podem ser visitadas e recebem sempre muitos turistas, diferente das mesquitas. 
Essa é a Madrassa Attarine.

Prepare seu nariz para circular na região dos curtumes. Apanhe um punhado de hortelã para amenizar o cheiro enjoativo e boa sorte. Entre no local onde as peles de animais são preparadas e tingidas em tanques coloridos. É uma tradição. Fique alguns minutos observando o trabalho pesado dos funcionários nos terraços das lojinhas. Então desça as escadas por dentro de alguma loja acompanhado pela insistência dos vendedores.

Curtume Chouara. 

Tanques de tingimento de couro. 

Ainda na Medina, mas do outro lado (parece que você saiu da Medina pois vai atravessar algumas ruas movimentadas, com carros), visite o antigo bairro dos judeus, o Mellhah, onde ainda há algumas sinagogas abertas para visitação. Se tiver com pouco tempo priorize outros locais.

Sinagoga Aben Danan, século XVII.

Andando alguns passos vá até o Palácio Real Dar El-Makhzen. Ele só pode ser visitado por fora pois ainda é usado pela família real do Marrocos, ainda assim vale a pena conhecer. É lindo. Em formas retas, tem grandes portas em arco trabalhadas e a fachada é toda decorada com mosaicos.

Portas lindas do Palácio Real.

Entrada do Palácio Real Dar El-Makhzen.

Outros palácios interessantes são Ba Mohamed Chergui, Dar Bayda, Mokri, Dar Adiyel, Dar Pacha Tazi, Jamai, Glaoui. Um patrimônio histórico riquíssimo.

Dar Pacha Tazi, ao lado do Riad Fes.

Se quiser ver a cidade do alto vá até os Túmulos Merenid ou ao terraço do Riad Fes. Mas, sinceramente, isso não é o melhor de Fes. Se emaranhar nos becos, sim!

Os telhados de Fes.

Dê uma passada na região das famosas fábricas de cerâmica marroquinas. Elas são feitas em processo totalmente artesanal à moda antiga e algumas decoradas com mosaicos.

Cerâmicas de Fes.

CONTRATAR UM GUIA EM FEZ. SIM OU NÃO?

Andar pelas ruelas da Medina de Fes não é tarefa fácil. São quase 10 mil becos, muitos sem saída e escuros, onde trabalham e vivem quase 200 mil pessoas. Uma tremenda confusão de sons, cheiros, cores, animais e gente! Um guia é sempre recomendado pelos hotéis. Pois além do traçado labiríntico do centro antigo, tem sempre um esperto se fazendo de gentil para levar você nas lojas onde recebem comissão e extorquir uma boa gorjeta depois da caminhada (que nunca é o suficiente para eles). Contrariando as regras me aventurei por conta própria e sobrevivi. Aliás, adorei! Para quem se garante em termos de “senso de localização” e “habilidade para ignorar chatos-espertos-insistentes” vale seguir em frente apenas com um mapa na mão parando onde der vontade. Mas, se você ficar inseguro, com medo de se perder, ou se tiver pouco tempo para explorar a cidade, contrate um guia.

O valor cobrado pelos guias é o seguinte:

250 MAD para tour guiado de 3 horas (Blue Gate, Madrassa Bou Inania, souks, Palácio Dar Batha, Museu Nejjarine, Palácio Real, Mesquita Andalusian, Mesquita Quaraouiyine, tanques de tingimento, fábrica de cerâmica e quarteirão dos judeus).

400 MAD para tour guiado de 5 horas

300 MAD para tour de 3 horas de carro com motorista pelas antigas muralhas da cidade. Se quiser incluir guia há um adicional de 250 MAD.

A EXPERIÊNCIA DE SE HOSPEDAR NUM RIAD

Os palácios-hotéis são puro luxo ao melhor estilo marroquino. Dormir num riad é uma experiência imperdível. Fiquei hospedada no Riad Fes, um dos mais emblemáticos da cidade, dentro da Medina. Um verdadeiro oásis em plena confusão. Depois de atravessar a porta de entrada você mergulha numa paz tão grande que até esquece do agito que ficou do lado de fora. Esse é considerado um dos melhores lugares da cidade em termos de localização e conforto. Recomendo totalmente. Serviço atencioso, restaurante muito bom, ótimo café da manhã e quartos aconchegantes. Além disso, vale relaxar no spa no final do dia.


 A arquitetura e a decoração do Riad Fes são incríveis!

O suco de laranja marroquino é dos melhores da vida. 

Quarto do Riad Fes. 

Fontes são a marca registrada da Medina. 
Não poderia faltar uma no Riad Fes.

ALGUMAS DISTÂNCIAS

Marrakech 400 km
Rabat 180 km
Casablanca 90 km

Muito grata por ter passado duas semanas intensas conhecendo esse povo de personalidade forte e cultura tão enraizada. O Marrocos foi uma experiência fantástica. 

LEIA TAMBÉM 

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Cláudia, que horas você conseguiu essa foto do Palácio Real vazio?! rs

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!