OUARZAZATE E SKOURA, AS PORTAS PARA O DESERTO DO SAARA


Conforme você vai se aproximando da região central do Marrocos, a vastidão do deserto vai tomando conta e a cultura berbere se mostra com força. Esse povo nômade sobreviveu às invasões árabes, às dominações espanhola e francesa e ainda mantém vivas suas tradições nas montanhas e no deserto. Para mergulhar verdadeiramente nos mistérios marroquinos é preciso sair das grandes cidades, atravessar a Cordilheira Atlas e seguir rumo ao Saara. Um mundo mágico vai se abrindo aos poucos. Ouarzazate e Skoura são duas cidades-oásis na zona de transição entre as montanhas e o deserto que merecem uma visita.

Oásis de Skoura com as Montanhas Atlas ao fundo.

Depois de passar cinco dias em Marrakech, no hotel Amanjena e dois em Asni, no Kasbah Tamadot, nossa próxima parada era o oásis de Skoura, 50 quilômetros depois de Ouarzazate. Atravessamos as montanhas Atlas, paramos para conhecer a incrível aldeia de Ait Ben Haddou 20 quilômetros antes de Ouarzazate e no final do dia chegamos ao Kasbah Dar Ahlam, o super-hotel-oásis escolhido para ficarmos dois dias na região.

Se quiser um hotel incrível dê uma olhada no Kasbah Dar Ahlam.

COMO CHEGAR

Rodamos de carro um total de 270 quilômetros de Marrakech até Skoura, em pouco mais de cinco horas. O trajeto é lento pois serpenteia a cordilheira. Mas, saiba que as estradas são muito boas no Marrocos. O ponto mais alto das montanhas tem 2.260 metros de altitude e é sinalizado por um portão com os dizeres Col Du Tichka, que significa “passagem pela montanha” e onde vendedores aguardam os turistas com fósseis e minerais retirados da região. Para quem prefere mais agilidade na viagem, tem voos da Royal Air Maroc três vezes por semana de Marrakech a Ouarzazate, com duração de 45 minutos.

Travessia pelas Montanhas Atlas.

Col Du Tichka, ponto mais alto das montanhas.

Mapa do trajeto que rodamos de carro. 
Nesse post falo do trajeto Marrrakech -Ouarzazate, o primeiro trecho de estrada.

OUARZAZATE

Uma longa avenida repleta de luminárias anuncia a chegada a Ouarzazate, conhecida como a “Porta do Deserto”. A cidade é relativamente grande e bem policiada. Fique atento às placas que indicam a velocidade máxima permitida. Pois foi nessa reta que levamos uma multa por excesso de velocidade. Leve a sinalização a sério. Eles multam mesmo. Leia mais AQUI sobre dirigir no Marrocos.

Ouarzazate em si não oferece muita coisa, mas tem uma tremenda vocação cinematográfica. A inspiração vem da beleza natural dos arredores, do Kasbah Taourirt, do Kasbah Amridil, de Ait Ben Haddou, dos oásis ao seu redor como o do vilarejo de Skoura e da proximidade com o deserto. É provável que você já tenha visto alguma cena de um dos tantos filmes que tiveram essa parte do Marrocos como locação: Gladiador, Alexandre O Grande, Lawrence da Arábia, Ali Babá e os 40 Ladrões, Jesus de Nazaré, Joia do Nilo, Asterix e Obelix: Missão Cleópatra, A Múmia, Cruzada, Sahara, Caminho da Liberdade, Babel, Príncipe da Pérsia... Ficou espantado com a quantidade? É realmente impressionante e olha que citei apenas alguns dos filmes rodados ali. A 3 quilômetros do centro de Ouarzazate fica o Atlas Studio Corporation, um local que guarda muitos dos cenários e objetos que foram usados nessas filmagens. O museu do cinema pode ser visitado por 50 dirhams.


Atlas Studio Corporation.

Não deixe de visitar o Kasbah Taourirt, em Ouarzazate. Ele é considerado um dos mais bonitos do Marrocos. O palácio-fortaleza foi construído no século XVIII pela família Glaoui. Tem mais de 300 quartos e 20 riads. É uma pena que esteja em ruínas.

Kasbah Taourirt.

PS: Vale lembrar que hotéis não faltam em Ouarzazate. São muitos! Você pode até chegar sem reserva que não vai passar apuro.

O VILAREJO DE SKOURA

A 50 quilômetros de Ouarzazate fica o oásis de Skoura. Impressionante a quantidade de palmeiras espalhadas por uma área de 25 quilômetros quadrados. O bosque tem mais de 138 mil palmeiras em pleno deserto. É um lugar interessante para se conhecer mais a fundo a vida dos beduínos no centro do Marrocos, visitar o mercado local, passear de camelo, ir até o Kasbah Amridil construído no século XVII, bem preservado e que por muito tempo estampou as notas de 50 dirhams. Além disso, vale ficar hospedado em grande estilo no Kasbah Dar Ahlam, em Skoura, um dos melhores hotéis do Marrocos.


Oásis de Skoura.


Beduíno morador de Skoura.

KASBAH DAR AHLAM

Na entrada do deserto, o Kasbah Dar Ahlam é um oásis de paz com astral tipicamente marroquino. Esse autêntico kasbah foi cuidadosamente restaurado e hoje é um hotel de luxo com o selo Small Luxury Hotels of the World. É um daqueles hotéis que garante uma experiência inesquecível. Tem apenas 14 suítes, todas com decoração diferente. Algumas ficam no corpo do kasbah e outras no jardim. Nossa suíte era imensa, com decoração indiana que remete ao espírito cinéfilo do centro do Marrocos.

Kasbah Dar Ahlam. 

Decoração de um dos quartos do Kasbah Dar Ahlam. São todos diferentes.

Para chegar ao hotel, que fica bem escondidinho, combinamos antecipadamente um ponto de encontro no vilarejo de Skoura, pois estávamos de carro alugado. E lá estava o motorista do hotel nos esperando pontualmente. Os funcionários são extremamente amáveis e todos são moradores da região. É um bom modo de entrar em contato com a cultura local.

A simpatia dos funcionários do hotel.

Chegamos no hotel já no final do dia. Um vinho marroquino esperava para um brinde de boas-vindas e logo o jantar foi servido numa sala preparada exclusivamente para nós, a luz de velas. E assim foram todas as refeições. Sempre feitas em locais diferentes do hotel e servidas apenas para nós dois. Super romântico. A comida é excelente, marroquina com influência francesa. Tudo é preparado com carinho e fresquíssimo. Desde o café da manhã ao jantar.

Cada refeição é servida num local diferente. Um charme.

Um dos nossos almoços mais interessantes foi numa tenda à beira do rio, depois de fazermos uma trilha pelo palmeiral de Skoura. Fantástico! Além disso, o hotel oferece a possibilidade de um aventura no deserto, com hospedagem privativa por uma noite, tipo glamping, a cinco horas do hotel. É preciso reservar com boa antecedência.

Almoço numa tenda na beira do rio.

E para relaxar, o hotel tem uma piscina deliciosa cercada por belos jardins e palmeiras, um spa delicioso com hamman e vários cantinhos aconchegantes.

Piscina do Kasbah Dar Ahlam. 

Spa super aconchegante com hamman.

Durante o dia, o hotel faz uma programação de acordo com o que o hóspede solicita. Trilhas, passeio de camelo, visita ao Kasbah Amridil, passeio pelo mercado local, visita a Ouarzazate, Ait Ben Haddou. Você decide onde quer ir e um carro 4x4 com motorista e guia espera por você.

Ait Ben Haddou.

Mercado de Skoura

Kasbah Amridil.

Com pouco mais de 15 anos de vida o hotel já recebeu o título de refúgio mais charmoso do mundo pela Harper’s Bazaar, foi listado como número 25 dos 100 melhores hotéis do mundo na Lista de Ouro da Conde Nast Traveler e ganhou o título de Best Value Luxury Hotel in the World pela revista inglesa Sunday Times Travel. Merecido. Ah! E mais um detalhe interessante: o hotel não tem chaves. Nos quartos apenas trancas internas e quando você sai uma pedra segura o portão por fora. Adorei! Como é bom ter segurança e liberdade.

O Kasbah Dar Ahlam é m lugar muito especial.

UMA AVENTURA NO DESERTO

Depois dessa experiência maravilhosa nossa próxima parada foi num acampamento no Deserto do Saara. Saímos cedinho de Skoura para percorrer 400 quilômetros em oito horas até Merzouga onde ficamos hospedados num acampamento de beduínos por uma noite. No próximo post conto essa aventura.

Merzouga Luxury Desert Camp.

LEIA TAMBÉM

Compartilhe:

Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Obrigada!