OS MOINHOS DE ZAANSE SCHANS


Impossível pensar na Holanda e deixar de fora seus moinhos de vento. Eles são uma das marcas registradas do país e fazem parte da paisagem desde o século XI.

Os moinhos eram usados com diversos fins como moer milho, serrar madeira e extrair óleo. Mas sua principal função desde os primórdios é a retirada do excesso de água das regiões pantanosas para torná-las habitáveis e produtivas.


Há 3 mil anos as casas holandesas eram construídas em terrenos altos para não inundarem quando a água subisse. Mais tarde, entre os séculos IV ao VIII, as coisas começaram a evoluir e diques passaram a ser cavados ao redor das casas e das plantações como forma de proteção. Então, no século XI, com o grande crescimento da população, os moinhos de vento começaram a ser utilizados para que as pessoas conseguissem um melhor aproveitamento das terras tendo controle sobre o nível da água.

Moinhos de Zaanse Schans.

Para se ver moinhos ainda em funcionamento como antigamente, um lugar interessante é Zaanse Schans, o centro turístico que reproduz a vida de um típico vilarejo holandês do século XIX. São 6 moinhos, muitas casas de madeira verdes e marrons com lojas que fabricam produtos típicos como tamancos de madeira e queijos, além de um museu que conta sobre a montagem do local, restaurantes, cafés e até um hotel. É tudo conectado por pequenas pontes sobre canais. 

As simpáticas casas de madeira de Zaanse Schans, na região de Zaan.

Moinhos, casas, ovelhas, pontes e canais para mostrar como era a vida no século XIX.

Na verdade, as casas e moinhos que agora formam o complexo foram trazidos de outros locais e agrupadas às margens do rio Zaan, mas são originais. É um dos pontos turísticos mais visitados da Holanda. Muita gente torce o nariz para esse tipo de "museu recriado a céu aberto". No entanto, isso não tira o seu charme. O lugar é extremamente simpático e fotogênico. Num dia ensolarado então, nem se fala. É realmente uma volta no tempo.

As cores de Zaanse Schans. 

Cafés, restaurantes e lojas compõe o cenário de Zaanse Schans. 

Quer saber se vale a pena visitar? Vale sim. Em primeiro lugar porque é bem pertinho de Amsterdam. Dá para ir de carro, de ônibus ou trem em pouco mais de meia hora. E, em segundo lugar porque foi montado respeitando exatamente os padrões da época, com a preocupação de manter a história viva sob supervisão do arquiteto Jaap Schipper. 

Moinho de Especiarias, em Zaanse Schans.

Moinho de Tintas e Moinho Serraria.

Quando venta, os 6 moinhos começam a girar. É lindo. Tudo o que eles produzem é vendido ali mesmo: azeite, tinta, mostarda...  Zaanse Schans não é um lugar estático. É vivo. Tudo funciona como no passado: a farmácia, a padaria, a destilaria, a fábrica de chocolates, a fábrica de queijos, a de tamancos e os moinhos. A entrada no complexo é gratuita, paga-se apenas para entrar em alguns locais.

Visitar Zaanse Schans é programa para um dia inteiro. Dá para ir de manhã, caminhar pelo vilarejo, conhecer os moinhos, entrar nas casas museus, ver a fabricação de queijos e chocolates, sentar para tomar um café com stroopwafel, visitar o Zaans Museu. Depois, saia para almoçar em Zaan. Basta atravessar a ponte andando ou de carro e escolher um restaurante por ali.

 Há muitos restaurantes gostosos do outro lado do rio Zaan basta atravessar pela ponte ou de barco.

Moinho de vento, Zaan.

E, se ainda sobrar tempo aproveite para conhecer os arredores. Tem cidades muito bonitinhas na região. 

Zaadam.

COMO CHEGAR

A distância de Amsterdam à Zaanse Schans é de apenas 22 quilômetros. É pertinho. Dá para ir de trem partindo da Centraal Station e chegando na estação Koog-Zaandijk (20 minutos + 15 de caminhada). Os ônibus da linha 391 Connexion partem a toda hora da Centraal Station para Zaanse Schans e levam 40 minutos. Também dá para ir de carro em aproximadamente 20 minutos e essa opção dá mais liberdade de locomoção. Além disso, para os mais animados dá para ir de bicicleta em pouco mais de uma hora ou de barco. 

HOTEL

Para quem quiser ficar hospedado em Zaanse Schans tem a opção de um Bed & Breakfast bem simpático chamado Heerlijck Slaapen

Quer saber se eu gostei de Zaanse Schans? Amei. 
Mesmo sendo bem turístico. Vá sem medo. É pertinho de Amsterdam e muito simpático. 

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Que post mais colorido. Estive em Zaanse Schans no passado mês de Março mas o tempo estava bem cinzento, deve ser muito mais bonito visitar o local num dia de sol e sem pressa. Apenas tive cerca de 1 hora, 1 hora e meia, o necessário para visitar um dos moinhos. Fiquei com muita pena de não ter mais tempo e um tempo melhor, mas hei-de lá voltar numa futura visita à Holanda.

    ResponderExcluir
  2. Ah, Marta, sol faz a maior diferença. Quando eu cheguei estava ensolarado e lindo. De repente o céu ficou negro e desabou aquele temporal. Por sorte, nesse momento eu estava indo almoçar. Qdo terminou o almoço saiu outra vez um solzão. Dei muita sorte.

    Bj

    ResponderExcluir
  3. Ai que invejinha boa de você, Claudia, rs.
    Suas fotos, como sempre, são maravilhosas! Os moinhos lindos, como nos cartões postais!
    A Holanda é uma gracinha de país, onde minha irmã morou por 5 anos (e eu, sniff, fiquei devendo!). Mas nos meus planos para o ano que vem ainda reina a dúvida cruel: Holanda ou Alemanha??? Sim, tem que ser uma das duas, uma vez que Portugal estará sempre na rota, pois o maridão é português, he he.

    Beijinhos e bons ventos sempre!

    <°)))< Bia

    ResponderExcluir
  4. Amei este lugar!!! Já fui algumas vezes, gostei mais do interior da Holanda que de Amsterdã em si.

    ResponderExcluir
  5. Que cidade mais charmosa e única, de fato passar pelos Países Baixos sem conhecer os famosos moinhos não dá,super importantes na Histórica rica desse país.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!