LONDRES NUM BATE E VOLTA



Londres é cativante, densa, convidativa, elegante, histórica, arrojada, artística. É uma daquelas cidades que dá vontade de voltar uma, duas, três, muitas vezes. E, mesmo assim, na hora de ir embora se tem sempre a sensação de que ainda falta alguma coisa. Tudo é desculpa para programar a próxima ida: um restaurante legal que ainda não foi testado, um castelo escondidinho, um parque, um hotel bacana, uma região revitalizada, umas comprinhas, uma exposição interessante, amigos para visitar, uma peça de teatro... E, não precisa de muito tempo para matar a saudade da grande dama e desvendar mais alguns de seus mistérios nos labirintos de Sherlock Holmes. Um final de semana prolongado pode ser perfeito!




PRIMEIRO DIA
  • Hotel The Berkeley
  • Afternoon Tea
  • Caminhada em Knightsbridge, Sloane St ou Hyde Park
  • Jantar no restaurante japonês Zuma
Onde ficar? Essa é sempre a primeira questão a entrar em pauta. Que tal um bom hotel em Knightsbridge? Numa viagem curta, a localização do hotel ajuda muito a agilizar o tempo. Então, uma boa opção para um bate e volta à Londres é o charmoso The Berkeley, em Knightsbridge. A área é perfeita para quem gosta de circular a pé. Por ali tem bons restaurantes, belo comércio, vários museus, a Harrod's, o Hyde Park. E, o metrô, fica quase na esquina. O serviço do hotel é impecável do check in ao check out. Funcionários muito educados estão sempre dispostos a ajudar. Os quartos são aconchegantes e os banheiros modernos. Londres definitivamente não é um lugar de preços módicos, mas para uma estadia curta é possível se dar ao luxo de ficar hospedado num hotel de padrão cinco estrelas.

O hotel The Berkeley fica em Wilton Place, Knightsbridge, telefone + 44 (0) 20 7235. 6000 e o site é www.the-berkeley.co.uk

Como Londres tem fuso horário quatro horas a frente do horário de Brasília, o check in costuma acontecer a tarde, exatamente na hora do chá. Que bela coincidência. Nada mais perfeito para a chegada em Londres. E, para completar, o The Berkeley tem um Afternoon Tea super fashion. Portanto, é hora de deixar as malas no quarto, tomar um bom banho para reanimar de um voo longo, descer para o salão de chá e se lambuzar com os bolos moldados na forma de sapatinhos, vestidos e bolsas que fazem referência à grandes nomes da moda internacional, como: Fendi, Louboutin, Alexander McQueen...

Além do concorrido chá da tarde, o hotel The Berkeley também tem dois excelentes restaurantes franceses: o Koffmann's (telefone + 44 0 20 7235.1010) e o Marcus Wareing (telefone +44 0 20 7235.1200). Só não esqueça de fazer reserva.

Depois dessa comilança é preciso caminhar para gastar as calorias ingeridas. Aventure-se pela chiquérrima Sloane Street para dar uma olhada nos lançamentos da Prada, Armani, Chanel, Tods, YSL, Emilio Pucci, D&G, Bulgari, Jimmy Choo, Fendi, Dior, Versace, Roberto Cavalli, Hermés, Gucci, Salvatore Ferragamo... uma loja ao lado da outra. Se preferir coleções mais básicas, então caminhe pela Knightsbridge e espie a H&M, French Connection, Benetton, Mulberry, Zara, Gap, DKNY. Duas lojas de departamento enormes também ficam nessa rua: Harrod's e Harvey Nichol's. Para quem dispensa as vitrines e prefere uma caminhada mais relaxante, o Hyde Park fica a poucos passos do The Berkeley. Basta escolher.

Uma caminhada pelo Hyde Park é sempre muito bem-vinda.

Para encerrar o dia com chave de ouro, nada como uma refeição leve no japonês Zuma que também fica em Knightsbridge, pertinho do hotel - duas quadras. O restaurante é cheio de gente bonita e concorridíssimo tanto pelos seus drinks exóticos como pela cozinha impecável. Não deixe de fazer reserva, pois mesmo sendo enorme, ele vive lotado. Lembre-se que em Londres os restaurantes abrem e fecham cedo. Depois das 23 hs é muito difícil conseguir achar algum lugar aberto. Outro restaurante japonês excelente é o Nobu.

O restaurante japonês Zuma fica na Raphael Street 5, Knightsbridge, telefone +44 0 20 7584.1010, www.zumarestaurant.com

SEGUNDO DIA
  • Tate Modern
  • Shakespeare's Globe
  • Borough Market
  • Southwark Cathedral
  • Tower of London
  • Jantar Maze - Gordon Ramsay
Acorde com calma, tome um belo breakfast no hotel e escolha um programa cultural para abrir o dia. O Tate Modern, por exemplo, é uma galeria que exibe um fantástico acervo de arte contemporânea. É dedicado a arte pós 1900. Abriu suas portas em 2000, na Central Elétrica Bankside, às margens do Rio Tâmisa. A entrada principal é feita por uma rampa que leva ao imenso Hall das Turbinas. Também é no primeiro andar que são vendidos os ingressos para exposições temporárias. Tem sempre ótimas exposições. Os outros cinco andares abrigam obras de Matisse, Picasso, Mondrian, Duchamp, Bacon, Warhol... além de uma zona interativa, loja e restaurante.

No primeiro andar do Tate Modern, no Hall das Turbinas, a obra Sementes de Girassol, de Ai Weimei, é feita com mais de 100 milhões de réplicas de sementes de girassol manufaturadas em porcelana. Quando se olha de longe a impressão que se tem é de ser um piso coberto de cimento.

Mas, ao se aproximar, as sementes saltam aos olhos.

A zona interativa, no quinto andar, é a preferida das crianças que ficam horas concentradas produzindo suas próprias obras, depois de visitarem a galeria.

Ao sair do Tate Modern em Southwark, não deixe de prestar atenção à Millenium Bridge, ponte suspensa super moderna, projetada por Norman Foster para ligar o Tate Modern à City. Mas, não atravesse a ponte, aproveite que o Tate fica ao lado do Shakespeare's Globe para fazer uma visita guiada a esse teatro incrível. Para quem gosta da arte da interpretação é um programa imperdível! O ingresso custa 11.50 euros por pessoa. Pequenos grupos são conduzidos por um funcionário do teatro que conta um pouco de sua história.

O teatro foi originalmente construído em 1599, em Bankside para a Companhia de Atores de Shakespeare e suas obras foram interpretadas ali. Foi durante 14 anos um sucesso enorme em Londres até o dia em que foi destruído por um incêndio. Então, outro Globo foi construído praticamente no mesmo local. Funcionou até 1642 quando foi abandonado e demolido. Em 1949, o ator-diretor americano Sam Wanamaker foi visitar Londres e ficou desolado ao ver que a única referência ao grande Shakespeare no local era uma placa na parede de uma cervejaria. Assim, em 1970, ele iniciou um projeto para a reconstrução do teatro. Após 23 anos de uma incansável busca por incentivo para tocar a obra, ele morreu. Mas, deixou tudo tão organizado que três anos depois o Globe estava em pleno funcionamento outra vez. Fantástico. E, olha que ele não era nem inglês.

A Globe Theater Company funciona como palco de abril a outubro, com um repertório composto tanto pelos trabalhos de Shakespeare como por novas peças. O teatro tem capacidade para receber 1600 espectadores, incluindo 700 lugares, chamados de groundings (que dizem ser os melhores pela proximidade com o palco) onde o público fica em pé e paga apenas 5 euros. Antigamente, esse lugar era ocupado pelas pessoas mais pobres que pagavam apenas com uma moedinha.

A reconstrução do teatro foi feita com o máximo de precisão possível. Foram usadas ilustrações antigas, documentos da época e dados de escavações arqueológicas. O teto é feito em sapê e ripas de carvalho encaixadas, sem prego, sustentam a estrutura do Globo.

A cobertura do palco é adornada pelos símbolos do zodíaco e tem alguns alçapões por onde entravam e saiam os atores que faziam papéis de deuses ou anjos. Os pilares do palco não são feitos em mármore, como parece. Na verdade são dois troncos de carvalho pintados.

Depois dessa andança certamente vai bater aquela fome. Andando mais dois quarteirões se chega ao Borough Market. Esse é um dos melhores mercados de comida de Londres. Ele fica exatamente embaixo da London Bridge, às margens do Tâmisa. Dizem que já no século XII, nos primórdios da ponte, havia um mercado ali que comercializava frutas, verduras e legumes. Nos últimos anos ganhou força com a venda de produtos mais sofisticados. Pessoas de todo tipo circulam pelo mercado: donas de casa, jovens no intervalo do trabalho, aposentados, turistas. O grande lance é ir olhando tudo e comer o que os olhos convidarem. Tem desde sanduíches, presunto cru, queijos, chás, doces árabes até comida oriental e espanhola. Vale a pena conferir. O endereço é Southwark Street 8 - www.boroughmarket.org.uk


O Borough Market funciona quintas (11h a 17h), sextas (12h a 18h) e sábados (8h as 17h).

Colada ao Borough Market fica a Catedral de Southwark (bem pouco visitada por turistas). Ela é uma das igrejas mais antigas de Londres, um dos poucos vestígios medievais do bairro. Sua construção foi iniciada em 122o. A fachada mantém todo o trabalho original feito em pedras. Shakespeare passou parte de sua vida nas imediações da igreja e frequentou essa paróquia. Seu irmão está sepultado na catedral, além de vários outros dramaturgos contemporâneos dele.


Dê um pulo para conhecer a Catedral de Southwark, ao lado do Borough Market.

Provavelmente, depois desse itinerário estará começando a escurecer. Antes de voltar ao hotel dê uma caminhada pelos prédios ultra modernos feitos em aço e vidro no City Hall e atravesse pela Tower Bridge toda iluminada antes de pegar o metrô. O contraste entre o modernidade e a tradição são incríveis em Londres.

A silhueta da Tower Bridge remete a era vitoriana, época em que a Inglaterra era uma poderosa nação marítima. Naquele tempo, as pontes elevadiças eram necessárias por causa do tráfego intenso de navios pelo rio Tâmisa. Fica aberta para visitação diarimente das 10h as 18h.

De volta ao hotel, troque o modelito e prepare-se para comer muito bem num dos restaurantes do aclamado e excêntrico Gordon Ramsay - Maze ou Maze Grill. Os dois restaurantes funcionam no mesmo endereço, o Maze de cozinha francesa com toque asiático e o Maze Grill. Os dois são bons e super elegantes. Ficam na Grosvenor Square 10-13, telefone +44 0 20 7107.0000 - www.gordonramsay.com Além desses, o chef também tem o super exclusivo Gordon Ramsay at Claridge's, seu restaurante mais sofisticado (também em Mayfair, a uma quadra dos outros dois, no próprio hotel Claridge).

TERCEIRO DIA
  • Notting Hill
  • Canary Warf
  • Greenwich Park: Royal Observatory, Queen's House e National Maritime Museum
  • Jantar no Jamie's Italian
Circular por Notting Hill tem que constar numa viagem à Londres. Afinal, Portobello Road Market foi eleito pelos turistas como um dos melhores mercados da cidade. O bairro já teve a reputação de gueto e não era muito bem visto até a década de 1990. Depois disso, ganhou novas tintas com a chegada de celebridades e de uma galera jovem mais abastada atrás de um lugar alterntivo para morar. Outro fator que impulsionou definitivamente a região foi o filme Um lugar chamado Notting Hill. Depois disso... ninguém mais segurou os preços dos imóveis por lá e o comércio explodiu.

As ruas vivem lotadas de gente que procura roupas exóticas...

... roupas de segunda mão...

... antiguidades ...


... pôsteres e placas antigas ...


... guloseimas ...


... bolsas cheias de estilo ...


... e até roupas mais sofisticadas, como as da All Saints, loja toda decorada com máquinas de costura antigas.

Mesmo que sua intenção não seja fazer compras, não dispense uma parada em Notting Hill. Vale a pena. Dá para sentar num café e ver a vida passar, entrar num dos tantos pubs do bairro ou mesmo sentar para almoçar. As lojas abrem durante toda a semana e o mercado abre aos sábados. Mais informações no site www.portobelloroad.co.uk

Agora faça um programa diferente do básico tradicional de Londres. Pegue a linha Jubillee do metrô (cinza) e vá até Canary Warf. Em menos de dez minutos você chega à antiga região das Docas que historicamente já foi muito importante. Chegou a ser o porto mais movimentado do mundo (teve seu auge em 1964), mas logo caiu em profundo declínio e foi totalmente abandonado. Na década de 80, o governo resolveu investir maciçamente na revitalização das Docklands e como resultado hoje se vê um tremendo skyline de prédios gigantescos em aço e vidro, um shopping imenso e gente em profusão circulando. Incrível. Uma bela surpresa.

O principal destaque é o prédio Canary Warf, edifício mais alto da Grã-Bretanha, com 243 metros. Visite também os pubs históricos da área que ficam às margens do Rio: Prospect of Whitby, Grapes e Mayflower.

Vista a região das Docas a luz do dia, é hora de continuar até Greenwich. Para fazer o trajeto Canary Warf-Greenwich é preciso sair do metrô e embarcar no DLR (Docklands Light Railway), um trem de superfície novinho e limpíssimo.

A Romney Road é a rua que passa entre o Greenwich Park e a University of Greenwich.

Greenwich é um lugar animado, cheio de gente jovem que circula pelas ruas a caminho da universidade. Tem astral bem diferente do agitado centro de Londres. Faz você pensar que está numa outra cidade. Tem um parque incrível onde fica o Royal Observatory, o National Maritime Museum, a Queen's House.

Quando a multidão e o barulho de Londres estiverem deixando você tonto fuja para a tranquilidade do Greenwich Park.

O Observatório Real foi criado em 1675, por Charles II com a intenção de descobrir a almejada longitude de outros lugares para aperfeiçoar a arte da navegação. Fica no ponto mais alto da colina do Greenwich Park e tem um visual lindo.






O Observatório Real foi concebido por Christopher Wren e funcionou como o principal observatório da Grã-Bretanha até 1945.

Atualmente, é um museu que retrata a trajetória do observatório e oferece algumas exibições sobre o tema. O museu é gratuito e abre diariamente das 10h as 17h.

O que mais atrai a atenção dos visitantes é a linha longitudinal O0 que passa por ali - o primeiro meridiano. As pessoas adoram tirar uma foto com um pé no hemisfério leste e outro no oeste.






Ainda dentro do parque visite a Queen's House. O início da construção desse pequeno palácio iniciou em 1616, para a rainha Anne da Dinamarca. No entanto, quando ficou pronto em 1635 ela já tinha falecido e Henriquetta Maria, mulher de Charles I, arrendou a propriedade.

O Museu Marítimo Nacional é considerado o maior museu do mundo dessa categoria. O que mais chama atenção é o pátio interno todo envidraçado por onde muitas crianças correm, brincam e lancham. Muitos quadros importantes e modelos de navios estão expostos. É gratuito e também abre das 10h as 17h.






Saia do parque pelo portão St. Mary's Gate que é lindo e caminhe um pouco pelo tranquilo bairro. Essa rua é a King William Walk.

Na volta para o centro de Londres, ao descer do DLR em Canary Warf, você terá que mudar do trem de superfície para o metrô. Então, aproveite que já vai estar perto da hora do jantar e experimente o Jamie's Italian, do chef "quase popstar" Jamie Oliver, em Canary Warf. O restaurante é um italiano fantástico e descontraído. Eu já tinha ido ao Fifteen e não tinha ficado com uma boa lembrança. Agora, mudei minha opinião sobre o chef. Dá vontade de pedir todos os pratos sugeridos e tudo é bom. www.jamieitalian.com


O Jamie's Italian fica na Unit 17, Churchil Place 2. Telefone para reservas +44 020 3002.5252.


QUARTO DIA
  • National Gallery
  • Café in the Crypt
  • National Portrait Gallery
  • Almoço no chinês Hakkasan ou no indiano Masala Zone
  • Covent Garden
  • Teatro
Comece o dia respirando arte. Uma visita à National Gallery vai deixar você em êxtase. Vá sem pressa. Pegue um mapa, se organize e procure suas obras favoritas. O museu abriga uma das mais extensas coleções de arte ocidental do mundo. São mais de 2 mil quadros. A maior parte dos museus de Londres tem entrada franca. Isso facilita e entrada, uma vez que não há filas - www.nationalgallery.org.uk

Praticamente ao lado da National Gallery fica a National Portrait Gallery com uma coleção enorme de retratos de personalidades que fizeram parte da história da Grã-Bretanha. É uma viagem no tempo. Tem retratos antigos e mais atuais. Observar seus trajes, cabelos e expressões faciais é muito interessante.

Nos dias ensolarados, a Trafalgar Square, onde fica a National Gallery, fica lotada de pessoas caminhando, fotografando ou simplesmente tomando sol.

A Coluna de Nelson, também fica em frente à National Gallery. Tem 56 metros de altura e é dedicada ao herói naval almirante Nelson.

Faça uma pausa para descansar da caminhada do museu e sente no Café in the Crypt para tomar um café. O ambiente lembra um calabouço. É sinistro e interessante. Fica na Duncannon St., Cripta de St. Martin in the Fields. Telefone: +44 020 7766.1100.

Se ainda tiver pique para mais uma caminhada vá ao Palácio de Buckingham, veja os Guardas Montados em cavalos educadíssimos e assista a Troca da Guarda.

Na hora da fome pegue um táxi e almoce na nova casa do chinês mais fashion e sofisticado de Londres, em Mayfair, Hakkasan. A comida é perfeita. Não tem erro. Fica na Bruton Street 17. Tem que fazer reserva +44 020 7355.7729. www.hakkasan.com

Se não quiser pegar taxi e preferir comer por ali mesmo, experimente o exótico indiano Masala Zone, em Covent Garden. Mas, tem que gostar de curry. O restaurante fica na Floral St. 48, telefone +44 020 7379.0101 - www.realindianfood.com

A tarde circule por Covent Garden e se misture aos transeuntes que aglomeram o pedaço. É um lugar dinâmico, animado, cheio de artistas de rua, barracas de flores, muitos pubs (The Lamb and Flag, no número 33 da Rose Street, é o mais antigo deles) e lojas mais descoladas.


A Covent Garden Piazza foi construída em estilo italiano, em 1630. No princípio era um endereço elegante. Mas, depois de quarenta anos virou um mercado de frutas, flores e legumes e a partir de então a região se deteriorou, virando área de prostituição. Em 1830 foi feito o saguão central em ferro e vidro e o mercado continuou ali até 1974, quando foi transferido para outra região. Agora, lojas e restaurantes ocupam o local.

As bancas de frutas e legumes de Covent Garden foram substituídas pelo Apple Market que abriga artesãos, lojas de roupas, antiquários.


Aproveite a última noite em Londres para assistir a uma peça de teatro. Afinal, você está na terra de Shakespeare. Para saber o que está acontecendo de uma olhada na revista WHERE LONDON.

QUINTO E ÚLTIMO DIA
  • Tower of London
  • Caminhada pela Bond, New Bond, Regent, Oxford e Carnaby St.
  • Chá da Tarde na Sketch
  • Hora de ir embora...
Londres sem nenhuma chuva é até estranho. Um chuvisco leve, um certo fog ou pelo menos um céuzinho nublado fazem parte do programa na cidade. Lembre de levar sempre uma bota de borracha, uma vez que os guarda-chuvas estão sempre à disposição dos hóspedes nos quartos dos hotéis. That's London!

Durante uma viagem, até um pouco de chuva pode ser divertido! Basta entrar no clima...

De guarda-chuva em punho é hora de seguir uma programação mais curta, afinal chegou o dia de retornar para casa. Que tal uma volta no tempo em uma visita breve a Tower of London? Bem, esse programa não é gratuito. O preço por pessoa é de 17 euros. Mas, é o último dia... Hora de torrar algumas das libras que restaram nessa atração histórica com mais de 900 anos de vida.

A Torre de Londres já funcionou como castelo, como palácio, como prisão e até como local de execução. Algumas alas tem um ar bem macabro, objetos de tortura estão expostos na Torre.

As visitas costumam ser conduzidas por um guarda real vestido de modo tradicional. Ao longo da caminhada personagens caracterizados com as roupas de época aparecem para fazer pequenas performances ou interagir com as crianças.

Quem viaja com os filhos fará um programa legal com a garotada, do ponto de vista histórico. É uma experiência muito rica. Afinal, temos um país tão jovem e ver um pouco do passado, mesmo que de forma teatral faz com eles guardem boas recordações.

Circule pelo Portão dos Traidores, pela Torre Verde (local onde foram decapitadas Ana Bolena e Catarina Howard), Torre Branca (tem uma linda capela do século XI), Capela de St Peter ad Vincula, Casa das Jóias.

A sorte é que a chuva facilitou a visita. As filas costumam ser enormes e não peguei nenhuma dessa vez.

Se ainda sobrar um tempo antes do voo e houver espaço na mala, vale fazer uma caminhada pela meca do consumismo formada pelas ruas:
  • Bond (Hermés, Burberry, Louis Vuitton, Patek Phillipe, Bulgari, Chanel, Cartier...),
  • New Bond (Russel & Bromley, Jimmy Choo, Ralph Lauren, Diesel...),
  • Regent (National Geographic, Mango, Zara, Tommy Hilfiger, Antropologie, Guess, Desigual, Banana Republic, H&M, Ted Baker, Apple, All Saints...),
  • Oxford (Urban Outfitters, Nike Town, Top Shop, The Body Shop, Esprit, Massimo Dutti, John Lewis, French Connection...), e,
  • Carnaby Street (Benefit, Camper, Pepe Jeans, Diesel, Storm, G-Star, American Apparel, The North Face...), todas no bairro de Mayfair.

Para dar aquela relaxada final e tomar um chá da tarde inesquecíveis entre no descolado Sketch, na rua Conduit 9. O lugar é escuro, as mesas são compartilhadas, vive lotado e tudo é gostoso. Não deixe de experimentar. A rua Conduit fica entre a Regent e a Bond. O telefone é +44 020 7629.1684. www.sketch.uk.com

INFORMAÇÕES ÚTEIS

Idioma: o autêntico "inglês britânico".

Documentos: apenas passaporte. Não é preciso visto para brasileiros.

Moeda: libra esterlina que vale R$ 2.30 (cotação de abril/2011).

Fuso Horário: 4 horas à frente do horário de Brasília.

Como chegar: British Airways, TAM, Air France

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Londres é uma cidade fascinante: já a visitei variadas vezes e há sempre algo de novo.
    Duas sugestões: trocar Portobello Road por Camden Town; e ir ao mais belo parque de Londres, no norte da cidade, Hampstead Head.

    ResponderExcluir
  2. Menino. Taí um lugar que ainda não conheço em Londres, o Hampstead Head. Já fica registrado para a próxima.
    Camden eu citei no post anterior de Londres.
    Valeu pela dica!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Claudia, que bate e volta é esse menina! Graças às suas fotos e relatos, Londres está cada vez mais em meu imaginário (he he). Estou guardando para quando for visitar minha irmã em Barcelona, e certamente darei um pulinho por lá!
    Beijocas
    Bia
    www.biaviagemambiental.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Bia! Que bom ter uma irmã morando na Europa!
    Dá para fazer muito "bate e volta". Londres é uma cidade que adoro. Sempre que posso dou um pulinho.
    Beijos
    Claudia

    ResponderExcluir
  5. Bate e volta maravilhoso!
    Obrigada por compartilhar as dicas. Quando planejar um "BV" desses já sei onde consultar!
    bjocas

    Flávia

    ResponderExcluir
  6. Oi Flávia.

    Sabe que eu adoro viagens longas, daquelas que você fica um tempo grande e consegue entender legal a espírito do lugar. Mas, depois de já conhecer, essas idas e vindas curtinhas são tão apetitosas!!
    Um beijo
    Claudia

    ResponderExcluir
  7. Claudia
    Londres é realmente show.
    um novo hotel lá que é novinho e super legal é o Park Plaza Westminster, colado no BigBen e LondonEye
    abs
    VS

    ResponderExcluir
  8. Boa diaca. Londres deve estar cheia de hotéis novos para receber os Jogos Olímpicos, em 2012.
    Legal.
    Abs
    Claudia

    ResponderExcluir
  9. Claudia
    Como esta semana estou em Londres
    Vou te enviando alguns achados novos.

    Visitar a The O2 Arena é imperdivel, fica na estação do Metro North Greenwich.

    www.theo2.co.uk

    São mais de 30 restaurantes e bares.
    abs
    VS

    ResponderExcluir
  10. Claudia

    Como vc sabe I LOVE LONDON!!!!hehe...e amei também o seu post!
    Eu acho que agora já não vou a Londres para visitar a cidade...vou apenas para estar lá!
    Uma das coisas que mais gosto de fazer em Inglaterra e particularmente em Londres é entrar nas muitas e fantásticas livrarias que por lá há!A Stanfords em Covent Garden,especializada em viagens é que perder a cabeça!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Pois é, Margarida.
    Depois de irmos muitas vezes a um determinado lugar, nossa relação com aquela cidade fica diferente. Só estar lá e perambular pelos lugares que gostamos já é perfeito.Fazemos uma rotina diferente.

    Adoro quando fico muito tempo numa cidade e entendo bem o modo de vida daquele lugar. Numa primeira viagem nossa experiência ali é sempre muito limitada e pouco consistente. Às vezes, nem gostamos de imediato de um determinado país e só aprendemos a curtir com a intimidade com aquela cultura.
    Isso é muito legal.
    Já vi lá seu blog a frase:
    I love London!
    Bjs
    Claudia

    ResponderExcluir
  12. Oi Claudia!

    Nos aqui falamos sempre de ir a Londres, mas queremos ir com alguns muitos dias, para girarmos com bastante calma.
    Com toda a certeza o teu post ira nos ajudar muito qdo decidirmos realmente ir.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  13. Brenda,
    Vocês estão bem pertinho...
    Londres é uma cidade super elegante. Com muitos dias para explorar, melhor ainda.
    Beijos
    Claudia

    ResponderExcluir
  14. ual, como renderam os seus dias por lá. Vc conseguiu fazer tudinho isso em apenas 5 dias?!!! Menina the flash !!

    bj

    ResponderExcluir
  15. Vivian,
    Mas, eu já conheço bem a cidade. Assim, fica mais fácil, né? rsrs
    Bj
    Claudia

    ResponderExcluir
  16. Menina, isto é um livro. Quando você vai publicar? Perfeito, simplesmente.

    Conheci Londres e gostei demais. Vou voltar em breve para visitar uns amigos. Matheus voltou ontem de lá. Fez uma viagem de estudos com a turma da escola. Meus guris adoram esta cidade.

    Acredite, Claudia, eu não subi na roda gigante... De medo!!! Mas não conte para ninguém tá? Beijo

    ResponderExcluir
  17. Adorei este seu artigo do início ao fim (ou se preferir desde a primeira palavra e imagem até à ultima).

    E é super interessante a forma como dispõe o programa dos seus dias e finaliza com as suas dicas.

    Se me é permitido dizer: Muitos muito parabéns, está um "must".

    ResponderExcluir
  18. Ilaine,
    Morar na Europa tem isso de bom. Os meninos podem viajar e estudar história nos locais onde ela aconteceu de verdade. Isso não tem preço. Levo sempre que possível meus filhos, pois acho que cultura é o melhor que posso dar a eles.
    Beijo grande
    Claudia

    ResponderExcluir
  19. Oi Turista Ocasional!
    Que comentário bacana. É muito bom receber elogios. Fiquei super feliz!!
    Obrigada.
    Claudia

    ResponderExcluir
  20. Aiiii...fiquei com uma tremenda vontade de conhecer Londres....!!!! Bjssss

    ResponderExcluir
  21. Uau, adorei o modelito da 7 léguas combinando com o cachecol! Ô menina chique! :)

    Estou em Cuiabá agora, terra quente!! Vim a trabalho e só agora descobrí que estou há menos de 100km do pantanal... pena! Poderia ter aproveitado e esticado até o fim de semana...

    Bjo grande,

    ResponderExcluir
  22. Oi fê, sumida pelo mundo!!!
    Você tem viajado muito...Que coisa deliciosa!! Mesmo sendo por conta do trabalho é bom D+.
    Não vai dar uma passada aqui pelo Rio? Se tiver planos, me fala.
    Beijos
    Claudia

    ResponderExcluir
  23. Olá querida! parabéns! pelo seu blog, estou indo para LONDON mês que vem, estas dicas foram de grande valia para mim.

    Bjos!!!


    Ps> Coloca umas diquinhas de compras, please!

    ResponderExcluir
  24. Sandra.
    Aproveite Londres. Quanto às compras, escrevi nesse post cada loja que tem nas diferentes regiões da cidade. Não sei exatamente o que você quer comprar, se alta costura ou coisas mais despojadas. De todo modo, vale sempre a pena dar uma conferida na clássica Burberry, na despojada All Saints, nas lojas descoladas de Portobello Road e Camden Town. Não costumo comprar muito em Londres pois os preços são em libras... Bem mais caro do que nos países que usam o dólar... It is up to you!! Se você gosta de chá, eles não podem ficar de fora.
    Boa viagem
    Claudia

    ResponderExcluir
  25. Claudia, que delícia de viagem, mulher!!!! Que saudade de Londres! Quero muito voltar e também conhecer o País de Gales, Escócia e Irlanda! É um dos roteiros programados pra futuras férias!!!!! Ótimas dicas, seus posts são sempre cheios de detalhes, vc deveria ser consultora de uma revista de turismo!!!!! Beijão!

    ResponderExcluir
  26. Katia. Escócia eu já conheço. Lindo país. Mas, País de Gales e Irlanda ainda não. Devem ser interessantes...
    Bjs
    Claudia

    ResponderExcluir
  27. londres e msmo tdoo de bom! como minha filha morou la por 10 anos conheço bem londres pelas visitas quase anuais q fazia,,, londres e magica!!!!parabenssss pelo blog vc e otima!!!!!
    claudia andrade.

    ResponderExcluir
  28. Oi Claudia!
    Ter a chance de ir com frequencia à Londres é muito bom. Sempre que posso dou um pulo lá. Adoro. Quanto mais conheço, mais me apaixono.
    Obrigada pela visita.
    Claudia

    ResponderExcluir
  29. Claudinha, comecei a dar uma olhada em teus relatos sobre Londres pra me atualizar, e pelo que vi vou me surpreender muito depois desses 24 anos sem visitar essa cidade inesgotável. Tuas dicas certamente serão super úteis. Depois comento com vc minhas impressões. Mil beijos, Carminha

    ResponderExcluir
  30. Carminha!

    Você passou muito tempo sem regressar à "Grande Dama". Imagino como será legal voltar!!!

    Eu sou suspeita, pois adoro Londres!!!!

    Aproveite muito.

    Bjsss

    Claudia

    ResponderExcluir
  31. Boa Tarde

    Gostaria de saber que restaurante italiano é esse em Greenwich.
    Obrigada. Thaise
    tmfloripa@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  32. Thaise,
    Imagino que você esteja se referindo ao Jamie's Italian, em Canary Warf, que fica no caminho para Greenwich. Se não for esse restaurante me diga exatamente ao que você está se referindo.
    Se for esse é um italiano adorável do Jamie Oliver, super simpático, com preços ótimos e bela cozinha italiana. Vale a pena totalmente.
    Bj
    Claudia

    ResponderExcluir
  33. Oi Claudia, tudo bem?
    Você foi no Afternoon Tea do The Berkeley?
    Tenho uma reserva lá no dia 21/02 ás 13:30 e gostaria de alguma dicas de "o que vestir" no chá.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  34. Karina,
    Fui sim e fiquei hospedada no hotel. Londres é uma cidade que tem todos os estilos. Tudo é permitido. Mas, como acho uma cidade cheia de classe sempre prefiro andar em Londres com um ar mais elegante e formal. Ainda estará frio nessa época, mas tomando chá o calor vai batendo devagar e roupa demais complica. Então, vá com uma roupa bem leve por baixo e um super caso e belo cachecol para chegar e sair.
    Como por mim!!!
    Beijos
    Claudia

    ResponderExcluir
  35. Obrigada querida, vou seguir sua dicas.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  36. Bom dia Cláudia,
    Descobri hoje seu blog e é maravilhoso. Parabéns! Vou para Londres pela primeira vez com meu filho de 16 anos e ficaremos 5 dias. Que bairros você me aconselha ficar? Estou procurando hotéis pelos sites. Nós vamos com muita vontade e disposição para caminhar e andar de metrô.
    Obrigada e beijos.

    ResponderExcluir
  37. Patrícia,

    A cidade é muito bem servida de metro. É um dos melhores do mundo. Fácil e conecta a cidade toda. Compre um cartão Oyster e ande com tranquilidade. Quanto à hotel, eu não sei a faixa de preço que você quer. Eu adoro ficar em Mayfair e em Knighsbridge por serem locais centrais e cheios de restaurantes por perto.

    Espero ter te ajudado.

    Boa viagem e aproveitem muito Londres. Cidade espetacular!!!!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!