TEQUILA EXPRESS - UMA ROUBADA MEXICANA

Por Claudia Liechavicius

O trem Tequila Express é tido como uma das grandes atrações para quem visita o México, especialmente quando se está em Guadalajara. Ele vai até o povoado de Amatitán (que fica a 40 quilômetros de Guadalajara) para uma visita a uma fábrica de tequila - Casa Herradura.

Comprei os bilhetes no dia anterior, na Camara de Comércio, ao preço de 960 pesos cada. O horário previsto para a chegada dos turistas na Estação Ferroviária de Guadalajara era as 9:00 horas. Então, como gosto de ser pontual e o trânsito na cidade é caótico, cheguei as 8:30. Vixe! P'ra quê? Tomei um chá de banco!!! A espera foi de matar!!! Cadeiras duras, calor e guichês fechados para o check in. Eis que lá pelas 9:30 abre o balcão de embarque. Muito bem. Então, depois de mais uma hora de espera o trem parte para Tequila. Ou seja, esperei a bagatela de duas horas "apenas", ao som dos Mariachis, para a partida do trem.

Mariachis na Estação Ferroviária de Guadalajara.

Finalmente, o trem parte. E anda feito tartaruga... faz 40 quilômetros em duas horas!!! É bem verdade que a estrada é linda. Campos verdejantes, muitas plantações de agave azul. Mas, não dá para ir um pouquinho mais rápido? Afinal, andar a 20 quilômetros por hora dá um sono... E, nem se atreva a dormir. Pois, se tentar, aparecerá um mariachi soprando uma corneta no seu ouvido ou quem sabe outro mais delicado embalando uma canção de ninar com um violino até você abrir os olhos. Hum!!!

 Plantações de agave azul, a matéria prima para a produção da Tequila.

Pouco depois de meio dia, o trem chega a Amatitan. Aleluia!!! Fazendo as contas: são mais de três horas para alcançar um vilarejo que fica a 40 quilômetros de distância. Lento!!!! Muito chato!!!! Fazer esse percurso de carro é muito mais confortável e ágil. Não vale a pena pegar o trem. Esse é o legítimo programa de índio. Muita gente me dizia que era imperdível. Bem, então eu fui. E, me arrependi com todas as minhas forças. Sincera demais? Acho que sempre vale uma advertência.

Nesse momento, toma-se um ônibus para ir até a tequilaria. Mais meia hora para acomodar uma galera enorme em 4 ônibus. A visita é a parte mais interessante do programa - dura em torno de 40 minutos. Uma funcionária muito gentil conduz o grupo e explica passo-a-passo como é produzida a tequila. 

O agave azul parece com um abacaxi gigante. Se desenvolve em terrenos vulcânicos e clima árido, típicos dessa região do México. Seu tempo de crescimento é de 6 a 10 anos até que esteja pronto para a produção da Tequila. 

São necessários 7 quilos de Agave para produzir um litro de Tequila. O processo inicial é todo feito a mão. Cada funcionário descasca em torno de 120 plantas por dia, com uma pá que pesa 7 quilos. Trabalho duro.


A produção começa assando as chamadas "piñas" por 48 horas em grandes fornos. Depois, elas   ficam esfriando por mais 14 horas para converter suas fibras em açúcar fermentável. Provamos um pedacinho e parece cana-de-açúcar.


Nessa etapa, é feita uma moagem para extração de todo açúcar e como resultado surge um líquido que recebe levedura natural para fermentação. As moléculas de açúcar se quebram e são transformadas em álcool.

O resultado é um vinho de Agave que deve ser destilado duas vezes até se tornar a legítima Tequila. 

A Tequila mais jovem deve descansar por 2 meses e a "añejo" por 12 meses. 

Essa foi a parte interessante do programa. Muito curioso ver como o processo é artesanal, quanto tempo de vida as plantas devem ter para produzir a Tequila e visitar as instalções antigas onde originalmente iniciou a produção da bebida no México.

Equipamentos originais para produção de Tequila, na área histórica da Casa Herradura.

Bem, depois disso ainda teve um almoço mexicano bem fraquinho com show dos mariachis, dança típica mexicana, apresentação com laços e concurso de dança moderna (nada a ver com o contexto) com os participantes. Isso levou mais três horas. Chato demais. E, olha que adoro conhecer a cultura de cada país.

Dança típica mexicana. 

Mais duas horas de trem - a 20 quilômetro por hora - um monte de gringos bêbados gritando (claro, tomaram tudo que conseguiram no trem de ida e no de volta) e um sono doido sem poder dormir, pois os mariachis vinham cantar no ouvido. O saldo final foi negativo.


PROGRAMAÇÃO DO TEQUILA EXPRESS

  • 9:00 - Chegada a Estação Férrea.
  • 9:30 - Check in ao som dos Mariachis
  • 10:15 - Saída do trem
  • 12:00 - Chegada em Amatitán e traslado em ônibus para Hacienda San Jose del Refugio.
  • 12:10 - Tour para conhecer processo de fabricação da Tequila.
  • 13:30 - Almoço com buffet mexicano
  • 14:30 - Show de Mariachis, dança folclórica e concurso de dança.
  • 16:30 - Retorno de trem
  • 18:30 - Chegada a Guadalajara


ONDE COMPRAR OS BILHETES
  • Internet (mais fácil)
  • Camara de Comércio de Guadalajara: Av. Vallarta 4095 esquina com Niño Obrero, Guadalajara. Telefone: 33 38800 9090


LOCAL DE EMBARQUE
  • Estação Ferromex GDL: Av. Washington esquina com Av. 8 de Julio.


SITE PARA MAIS INFORMAÇÕES
  • www.tequilaexpress.com.mx


VISITA DIRETA A CASA HERRADURA
  • De segunda a sexta a Casa Herradura disponibiliza vários tours, com duração de 90 minutos (às 9, 10, 11, 12, 13, 14 e 15:00 hs). Aos sábados são três tours (9, 10 e 11:00 hs). Muito mais rápido e interessante - www.herradura.com


    CASA JOSÉ CUERVO
    • Também oferece passeios guiados. 

      A Tequila é marca registrada do México.

      Sinceramente, um passeio de dia inteiro para aproveitar apenas uma hora do total não é boa escolha. Dá para visitar a Tequilaria José Cuervo, a Casa Herradura ou a La Cofraria, indo de carro, num período bem menor. Muito mais prático e rápido. Não gosto muito da velocidade lenta com que se desenrolam os programas em grandes grupos. Mesmo assim, às vezes tento me enquadrar e sempre fico entediada. Não fui feita para excursões, definitivamente!!! 

      Compartilhe:

      COMENTÁRIOS

      1. Claudinha,
        Adorei este relato! Acho super legal as pessoas mostrarem as "furadas" nos roteiros, para ficar de dica para os demais viajantes!
        Sinceramente, se fosse correndo talvez o passeio fosse mais rápido, não é? rsrs
        Adorei a variedade de tequila!E o design das garrafas! Aqui em casa temos uma Jose Cuervo(via free shop)que está aguardando para ser detonada!!!rsrs
        Bjosss e um lindo fim de semana.

        ResponderExcluir
      2. hahaha, querida, pude sentir seu mau humor desde a primeira palavra do texto. E olha, te acompanho a tanto tempo e não me lembro de ter visto você assim em outra ocasião. Mas o passeio deve ser mesmo muito bonito, se otimizado, saindo as 9h e voltando no máximo as13h.
        bjsss

        ResponderExcluir
      3. Claudia, que interessante! Nunca havia pensado do que poderia derivar a tequila... adorei conhecer! Eu adoro conhecer estas destilarias, seja cachaça, vinícola, etc...
        Beijos!

        ResponderExcluir
      4. kkkkkkkk...me desculpe, mas tive que rir do mau humor que ficaste com a excurção...soou quase como hilário. Oh mô pai, livre-nos das enrrascadas em viagens...é dureza quando isso acontece. As imagens ficaram incríveis, saldo positivo para elas. Beijocas menina.

        ResponderExcluir
      5. Flavinha!
        Acho que a gente tem que dizer o que vale e o que não vale com sinceridade numa viagem.
        Mas, como sou insistente fui a Tequila novamente, de carro e não de trem. Outra coisa!!!
        O passeio foi incrível. Adorei a cidade de Tequila. Visitei uma tequilaria espetacular chamada La Cofradia. Conheci inclusive os donos e tive outra impressão. Vou escrever sobre Tequila num outro post e mostrar o outro lado da moeda. hehehe.
        Beijo
        Claudia

        ResponderExcluir
      6. Vivian,
        É verdade. O próprio título já mostra minha irritação com o tal trem. Fiquei rindo sozinha com seu comentário. Acho que consegui transmitir totalmente minha emoção. Muito bom!!!
        Um beijo
        Claudia

        ResponderExcluir
      7. Fê!
        Oi viajante sumida!!!! Que bom saber de você.
        Conhecer esses lugares é realmente interessante. Uma visita direta a cidade de Tequila é outra coisa!!!! Afinal, evitar o trem é necessário!!!
        Bj
        Claudia

        ResponderExcluir
      8. Estou aqui rindo da sua sinceridade, esse tipo de passeio meu esposo joga longe.
        É bom saber as furadas de viagens para não repeti-las.
        Beijos.

        ResponderExcluir
      9. Ah Taia! Adoro seu bom humor!!! Realmente, o trem é uma roubada, mas conhecer Tequila vale totalmente a pena (sem trem). Então, vou escrever outro post falando sobre minha nova experiência de ir a Tequila de carro. Aí você vai sentir a mudança de astral. hahahaha!!!!
        Beijo enorme e te cuida.
        Claudia

        ResponderExcluir
      10. Karen,
        Seu marido é sensato.KKKKKKK
        Não costumo cair nessas roubadas, mas todos falavam tão bem sobre o trem... Acho que isso aconteceu porque não bebi tequila o suficiente. hahahaha!!!!
        Beijo
        Claudia

        ResponderExcluir
      11. Subscrevo em absoluto... este programa como o descreveu também não me agradava nada.

        As excursões por vezes têm estes inconveniente de tudo ser feito a uma velocidade que não se enquadra minimamente com a que gostaríamos (seja porque é rápida demais não nos deixando apreciar os pormenores que gostaríamos, seja porque é lenta demais, como foi o caso desta, e nos faz desesperar com a lentidão).

        A sua advertência é bastante útil, para que outras pessoas não embarquem numa "canoa furada" caso também não apreciem um programa assim.

        Mas uma parte da sua descrição soou-me bastante familiar, tirando alguns pormenores. Os comboios de rodas dentadas que "escalam" as montanhas na Suiça, Alemanha ou Áustria, por exemplo para se subir ao Jungfraujoch (Suiça) ou ao Zugspitze (Alemanha) também se movimentam a uma velocidade bastante lenta. A diferença é que os horários de partida são cumpridos escrupulosamente, e no caso do Junfraujoch nao há meio de transporte alternativo enquanto que no caso do Yugspitze pode optar-se alternativamente pelo funicular. E nos dois exemplos sitados a paisagem também é bastante interessante (pelo menos enquanto a viagem é feita no exterior do túnel que existe no interior da montanha) P.S. Desculpe esta dissertação sobre os exemplos mas era para explicar as semelhanças e diferenças, que fazem com que se encare a viagem de comboio de forma totalmente diferente.

        Mais um artigo óptimo e com fotos fantásticas, como sempre.

        ResponderExcluir
      12. Querida Claudia,adorei a tua sinceridade.Pois é,este tipo de programa de índio também não me interessa.
        estou sempre te acompanhando.Não tenho escrito porque mudei de computador e ainda não me acostumei com a nova geringonça ...rsrsrs
        Bj
        MT

        ResponderExcluir
      13. Oi Turista!

        Realmente, não gostei da velocidade do trem. O passeio como um todo foi chato. Mas, fui novamente à Tequila, dessa vez de carro e tive outra impressão da cidade. Adorei a visita. Vou relatar em breve.

        Na Suiça fui à Zermat num trem assim bem lento. No entanto, a lentidão fazia parte do programa e a beleza natural das montanhas nevadas era de tirar o fôlego. Lindo demais!!!

        Obrigada pela visita. Gosto muito de recebe-la aqui.

        Claudia

        ResponderExcluir
      14. MT querida!

        O bom é que nos blogs que não tem intenção comercial dá para confiar. Claro que cada um gosta de coisas diferentes. Para algumas pessoas o Tequila Express deve agradar bastante. Especialmente para aqueles que querem beber toda a tequila que podem... Não é meu caso... Pois, não bebo quase nada!!!

        Mudanças de equipamentos são sempre um problema...Até a gente se familiarizar outra vez com tudo leva um tempinho. Logo, logo você vai dominar tudo outra vez.

        Beijo

        Claudia

        ResponderExcluir
      15. Claudia:

        Adorei o teu post sobre uma roubada, pois sempre pode acontecer para qualquer um. Mas as fotos estão maravilhosas!
        Lembro de algumas roubadas em viagens. Quando fomos à África do Sul, a caminho da Cidade do Cabo, fizemos uma parada em uma fazenda de avestruz. Depois de horas visitando o local e vendo os filhotes de avestruz (tão bonitinhos) o nosso almoço foi patê de avestruz com pão, arroz com avestruz e avestruz assada!!!
        Óbvio que só comi o pão.

        Bjos
        Ana

        ResponderExcluir
      16. Ana,
        Sempre tem alguma coisa que é roubada na viagem e acho que devemos comentar esse percalços também. Serve para ajudar aos viajantes que irão desbravar terras por onde já passamos.
        Imagino seu aperto com o almoço na Africa do Sul. kkk
        Bj
        Claudia

        ResponderExcluir
      17. Ei Claudia, que suplício para chegar a uma fábrica de tequila, não!
        Já sei onde NÃO VOU quando for (será?) ao México! Aliás, você descreveu tão bem cada detalhe que....dispensamos esta visitinha, rs rs. Minha próxima parada agora é ir ao Rio no comecinho de dezembro, ufa! Já estou saudosa da minha "terrinha", tão longe dos olhos, mas sempre perto do coração!
        Beijocas Bia
        www.biaviagemambiental.blogspot.com

        ResponderExcluir
      18. Hahahaha adorei Claudia!!! Nunca pensei em viajar de trem pelo México, agora então cortado da minha lista definitivamente!
        Acho que prefiro ver Tequila de carro, mas vou com alguém dirigindo pq quero provar todassss as tequilarias :o)


        Bjos

        ResponderExcluir
      19. Kauu! O blog está show como sempre!!
        legal mostrar o outro lado da moeda também...que existem algumas "frias" também heheh
        e imagino a felicidade do Kim frente as tequilas hahhaha
        beijao!

        ResponderExcluir
      20. Bia!
        Voltar para casa é muito bom!!! Viajar é ótimo e voltar pro porto seguro melhor ainda.
        Bj
        Claudia

        ResponderExcluir
      21. Manu,
        Aqui dá para tomar todas e mais um pouco. Como eles bebem!!! Vixe Maria. E as Margaritas são deliciosas.
        Beijo

        ResponderExcluir
      22. Lucas,
        Felicidade mesmo foi a minha com os dois pimpolhos embaixo do braço.
        Beijo enorme
        Kau

        ResponderExcluir
      23. Olá Claudia, estou lendo seu blog e estou achando o máximo. Amo viajar e sempre é bom pegar dicas com pessoas experientes.
        Beijos :o)

        ResponderExcluir
      24. Oi Carol!
        Então volte sempre. Vou esperar outras visitas.
        Beijo
        Claudia

        ResponderExcluir
      25. monica montenegro (moninica@uol.com.br)4 de novembro de 2011 00:33

        que maravilha encontrar esse post!!! terei um domingo livre em guadalajara, e estava na dúvida entre pegar o trem ou ir a tlaquepaque. pelo visto meu gosto é parecido com o seu, então minhas dúvidas sumiram na hora, rs... se vc ainda estiver no méxico e tiver tempo, recomendo demais um trem que não tem nada de roubada, chamado chepe (chihuahua-pacífico). é uma viagem linda, linda, que corta a barranca del cobre, um canion imenso (dizem que maior que o grand canyon). e vc faz no seu tempo, eu fiz em três dias, parando em cidadezinhas com paisagens incríveis.

        ResponderExcluir
      26. que maravilha encontrar esse post!!! terei um domingo livre em guadalajara, e estava na dúvida entre pegar o trem ou ir a tlaquepaque. pelo visto meu gosto é parecido com o seu, então minhas dúvidas sumiram na hora, rs... se vc ainda estiver no méxico e tiver tempo, recomendo demais um trem que não tem nada de roubada, chamado chepe (chihuahua-pacífico). é uma viagem linda, linda, que corta a barranca del cobre, um canion imenso (dizem que maior que o grand canyon). e vc faz no seu tempo, eu fiz em três dias, parando em cidadezinhas com paisagens incríveis.

        monica montenegro
        moninica@uol.com.br

        ResponderExcluir
      27. Monica,
        Até pensei em fazer esse percurso de trem até Chihuahua, mas as pessoas com quem estava em Guadalajara disseram que no momento era perigoso para uma mulher sozinha. Os estados do norte estão com muitos problemas por causa das drogas. Então, achei mais seguro fazer viagens curtas por perto de onde eu estava. Quem sabe noutra viagem?
        Obrigada pela dica.
        Beijo
        Claudia

        ResponderExcluir
      28. Claudia!
        Já te disse que além de viajante profissional, você esta virando uma escritora SUPER profissional? Uau, seus posts estão cada vez melhores e cheios de detalhes importantes para os outros trips ;)

        Muito bom, super beijos

        ResponderExcluir
      29. Carol,
        Super obrigada!!!!
        Adorei o elogio!!!
        Um beijo
        Claudia

        ResponderExcluir
      30. Oi? com sempre sua materia e muito produtiva, sempre mostrando a cultura da cidade e como sempre nos minimo detalhes .Gosto muito do jeito que observa as coisas para escrever, nunca esquece os pequenos detalhes, vc sempre me surprende cada vez mas.E cada viagem que faz aprendo muito mas.
        Engraçado que eu tinha em mente um outro lado do mexico ,mas vendo essa materia mudei de opinião. Bjão.

        ResponderExcluir
      31. Ess
        Obrigada pela visita ao blog.
        Fico feliz que você curta os posts.
        Volte sempre!!!
        Bj
        Claudia

        ResponderExcluir
      32. Muito bom adorei saber afundo sobre a tequila !

        ResponderExcluir
      33. Acho que quando viajamos para outro país, temos que estar dispostos a nos entregar a toda a cultura e a todas as situações; estar abertos! Talvez você pudesse ter relaxado mais. Acho que o trem da tequila é uma experiência ótima. Mais positiva do que negativa. Aproveite melhor a próxima. Um abraço.

        ResponderExcluir
      34. Julia,

        Você não me conhece nem um pouquinho. Dá para perceber que não acompanha o blog com frequência. Eu viajo bastante. Sei tirar proveito de situações inacreditáveis. Sou feliz e muito de bem com a vida. Mas, não sou hipócrita e não tenho blog patrocinado (por opção). Por isso, posso falar abertamente sobre minhas experiências. Posso ser muito honesta e transparente. Se você curtiu o trem fico feliz por você. Mas, acho que o México é riquíssimo culturalmente e um programa tão comercial como esse, onde só têm turistas, deve receber críticas pesadas de pessoas que sabem viajar. E disso eu entendo. Quando você chegar perto dos meus quilômetros rodados talvez seja capaz de compreender.

        Desejo um lindo final de semana pra você.

        Beijos e muitas viagens.

        Claudia

        ResponderExcluir
      35. Parece que não foi só vc quem achou chato o percurso de trem :-)
        Fui ao site do Tequila Express e agora fazem tudo de ônibus, hehehe...
        Abraços!

        ResponderExcluir

      Deixe seu comentário. Obrigada!