LIMA, CON MUCHO GUSTO!!

Por Claudia Liechavicius

À medida que o avião se aproximava de Lima, minha curiosidade aumentava. Da janela via a vastidão do oceano Pacífico, morros altos à beira-mar e uma imensa cidade (bem maior do que esperava). Eu não tinha ideia do que iria encontrar na capital do Peru. Mesmo tendo lido muito sobre a cidade, ainda não tinha conseguido idealizar nada.

Ao desembarcar, no saguão do aeroporto, o conforto de ver a plaquinha do hotel com meu nome. Ótimo! Nem precisava ir atrás de taxi. Em países que não conhecemos é sempre bom chegar com o traslado previamente agendado para evitar aborrecimento. Afinal, a primeira impressão conta muito!

No caminho até o hotel, o trânsito me surpreendeu. Quantos carros buzinando! Que confusão!!! A ordem é buzinar para avisar que vai passar. É preciso cuidado. Mas, além de observar o caos do trânsito, meus olhos estavam atentos a tudo. Praias de areia escura lotadas de surfistas com roupas de borracha (ou seja, água gelada), falésias suntuosas à beira-mar, um calçadão lotado de gente (não à beira-mar, mas lá em cima do morro) e muitos prédios coloniais. Uma cidade bem animada.

Bairro de Miraflores, em Lima.

Chegando ao Hotel Miraflores, serviço impecável, salões luxuosos, ar condicionado perfeito (pois na cidade faz calor). Bem, até aqui boas impressões! Então, deixamos as malas no quarto (que era lindo e enorme) e fomos almoçar no restaurante La Mar, de Gaston Acurio. Uau!!! Espetacular!!! Comi o melhor ceviche peruano!!! E, realmente entendi porque a gastronomia peruana está em alta no mundo todo.

 Ceviche do restaurante La Mar, do fantástico Gaston Acurio.

DICA DE MOTORISTA: O motorista que nos levou ao hotel foi imediatamente adotado para nos acompanhar por Lima, nos dois dias em que ficamos por lá. Quer a indicação? Alfredo Faccio, celular 990 399 077, um senhor educadíssimo, gentil e discreto. Ah! E, melhor do que isso, sem o hábito de buzinar alucinadamente.

A GASTRONOMIA PERUANA

Atualmente, Lima é uma vedete da gastronomia da América do Sul. Um dos responsáveis por esse movimento é o chef Gaston Acurio, pai da culinária novoandina. E, claro, os ingredientes locais ajudam muito. Peixes fresquíssimos das águas geladas do Pacífico, muito aji (pimenta), cebola roxa, uma variedade de batatas que impressiona e milhos de todas as cores fazem parte dessa sinfonia. De restaurante em restaurante se vai degustando a história peruana.

Um tipo de aji. 

 Milho tipo cancha, uma constante nos restaurantes, parece uma pipoca que esqueceu de explodir.

Milho roxo usado para fazer Chicha Morada, uma bebida não alcoolica.

Por todo lugar você vai ouvir falar a palavra "fusion". Para traduzir o termo pense em uma civilização de mais de 500 anos que deixou suas marcas (os Incas), some a esse caldeirão a influência dos conquistadores espanhóis, adicione ainda a influência dos imigrantes chineses, japoneses, africanos e misture tudo. Pronto. O resultado é uma gastronomia dos deuses!

Esse crescimento vertiginoso da culinária peruana convive com um país que ainda sofre com a fome. É aí que entra Gaston Acurio com uma forte missão social. Ele tem uma escola de culinária para 200 jovens carentes do Peru e um convênio com comunidades andinas. O incentivo é tamanho que a escola francesa de culinária Le Cordon Bleu abriu uma filial em Lima. Aliás, é a única da América Latina. Prestígio para o país.

Então, vamos traduzir as vertentes da cozinha peruana:

  • criolla = peruana + espanhola + africana (quinoa, aji, anticuchos e lomo saltado).
  • chifa = peruana + chinesa (arroz chaufa)
  • nikkey = peruana + japonesa (ceviche, tiraditos)
  • norteña = peruana + influências vaiadas (arroz com pato, cuy - porco-da-índia - e, cabrito)

BONS RESTAURANTES NÃO FALTAM

O ceviche é o prato típico mais prestigiado do Peru. Há quem diga que ele talvez seja originário do Chile, mas isso é intriga da oposição. Esse é o prato nacional do Peru. Ele é feito com peixe fresco ou frutos do mar marinados em limão, com pimenta e sal. Geralmente é acompanhado de milho (choclo) ou batata doce (camote) para equilibrar a acidez dos outros ingredientes. 

LA HUACA PUCLLANA. Serve um ceviche quente de camarões que vem numa pedra aquecida e os deliciosos anticuchos (carne cortada em cubos, sendo o mais tradicional feito com coração de boi ou alpaca). Tem vista para um templo inca, que pode inclusive ser visitado à noite e com guia para auxiliar no trajeto e na história. O ingresso custa 12 soles por pessoa. É certamente um lugar para guardar na memória com carinho, se não for pela comida certamente será pelo visual. Endereço: General Borgoño cdra.  8 , Miraflores. 

 La Huaca Pucllana há bem pouco tempo era um lixão. 
Ele foi escavado e o resultado é essa maravilha em pleno bairro de Miraflores.

LA MAR. E por falar em Gastón Acurio, o chef comanda o templo do ceviche com tanta maestria que até estendeu suas asas por outros países, inclusive o Brasil. Ele tem uma casa em São Paulo para nosso deleite. A degustação de cinco ceviches é imperdível: peixe, mariscos, lulas, atum e chifa chifa. Endereço: Av. La Mar 770, Miraflores. Só abre para almoço e não aceita reservas. As mesas são ocupadas por ordem de chegada. Chegue cedo, a fila de espera é enorme...

La Mar.

AMOR AMAR. É um lugar simpático e charmoso que serve ótimos tiraditos (um misto de carpaccio com sashimi). Endereço: Garcia y Garcia 175, Barranco. 

 Amor Amar.


Tiraditos.

PESCADOS CAPITALES. Restaurante simples, com astral praiano e pratos deliciosos. Av. La Mar 1337, Miraflores. Telefone: 421 8808 / 222 5731. http://www.pescadoscapitales.com/

 Vieiras gratinadas, restaurante Pescados Capitales.

Em dois dias, esses restaurantes citados acima foram os que experimentei e aprovei. Abaixo, seguem outras indicações de um amigo peruano.
Rosa Náutica (típica, fusión e internacional com bela localização) 
Mercado Municipal (típica, boxe Muelle 46, simplicidade total)
Astrid y Gastón (fusión, alta gastronomia) 
La Gloria (típica, fusión e internacional) 
Francesco (típica y fusión, somente almoço) 
Fiesta (comida regional norteña) 
La Tratoria de Plebisciani (pastas) 
Canta Rana (típica, fusión, exótica) 
Las Brujas de Cachicha (típica peruana) 
Restaurante Central (chifa)

AS BEBIDAS NACIONAIS

Com a colonização espanhola foram trazidas parreiras das Ilhas Canárias para o Peru e assim começou a produção de uma espécie de aguardente feita de uva: o pisco. Há três tipos de pisco: o puro (feito com a destilação de apenas um tipo de uva), o acholado (combinação de duas ou mais uvas) e o mosto verde (feito através de um processo conhecido como fermentação interrompida associado à destilação). A bebida alcoolica nacional é o PISCO SOUR que leva pisco, suco de limão, clara de ovo e angostura.

 Pisco Sour.

Para aqueles que não gostam de bebidas alcoolicas, vale provar a Chicha Morada, que parece um suco de uva, mas na verdade é uma bebida feita à base de milho roxo ou a Inka Kola,  refrigerante local de cor amarela, com gosto de guaraná com tutti-frutti. Doce ao extremo.

Chicha Morada.

Inka Kola, o "guaraná" peruano. 

O QUE CONHECER EM LIMA

Antes de sair do Brasil ouvi muitos comentários negativos sobre a segurança dos turistas em Lima. Recebi várias advertências. Claro que quando se está numa cultura que você desconhece é preciso respeito e cuidado. Então, nada de andar à noite pela rua, além de evitar joias e máquina fotográfica muito exposta. Mas, nossoo motorista Alfredo tomava conta desses detalhes e o clima foi de total tranquilidade. Os bairros mais interessantes são Miraflores, Barranco, San Isidro, Pueblo Livre e, claro, o Centro Histórico.

Miraflores

Miraflores é considerado o melhor local para os visitantes ficarem hospedados por ser perto de tudo e pela segurança. Escolhi o Hotel Miraflores com a chancela do Orient Express e amei. Faça uma caminhada pelo Malecón no final da tarde para assistir um por do sol de cores vibrantes.

Por do sol, em Lima.

Vá até o Parque do Amor e se encante com a escultura El Beso que representa um momento romântico de dois namorados se beijando. Foi feita pelo artista peruano Victor Delfín. O parque foi inaugurado no Dia de São Valentino, o Dia do Amor, 14 de fevereiro.

Parque do Amor. 

Escultura El Beso.

Se quiser fazer umas comprinhas entre no shopping Larcomar que também fica no Malecón pertinho do Parque do Amor. O shopping é interessante.  Ele é aberto, vive lotado e tem vista para o mar do Pacífico.


Larcomar.

Barranco

Bairro simpático, colorido, festeiro e boêmio. É repleto de casas coloniais antigas. Pode ser comparado com a Lapa, inclusive em termos de segurança, é preciso andar com cuidado à noite quando muita gente se reúne nos bares, restaurantes e boites. Não deixe de passear pela Ponte dos Suspiros, pela praça principal, conhecer as igrejas e caminhar pelas ruelas onde muitos artistas peruanos mantém seus ateliers. Dois bons restaurantes em Barranco são o Amor Amar (peixe) e o Tio Mario (anticucho).

O bairro de Barranco faz jus ao nome. É um barranco que desce a caminho do mar.

Pelas ruas de Barranco.

San Isidro

O bairro de San Isidro é residencial e considerado chique. Tem ótimos hotéis, mas é um pouco afastado para os turistas de primeira viagem. No meio de tantos prédios e casas um enorme sítio arqueológico é  a  estrela: Huallamarca. Foi construído pelos Huallas que vieram do vale de Lima. Abrigou por quatro séculos um templo e centro administrativo, de 200 a.C. a 200 d.C. Mais tarde foi abandonado e entre 700 d.C. e 1000 d.C. passou a ser usado como cemitério. O ingresso ao local custa 5 soles para se visitar o pequenino museu e a ruína.

Bairro de San Isidro. 

 Sítio Arqueológico de Huallamarca.

Centro Histórico

Ruas estreitas, lojinhas vendendo de tudo que se possa imaginar, calor, gente em profusão, muitos prédios coloniais e igrejas encantadoras. Assim é o centro histórico de Lima. Comece seu trajeto pela Plaza de Armas onde fica a suntuosa Catedral de Lima.

Plaza de Armas. 

A atual Catedral de Lima data do século XVI. Ela foi a terceira igreja construída nesse local, as outras eram muito pequenas e foram gradativamente substituídas por igrejas maiores. É incrivelmente rica.  Formada por um altar-mor e 14 capelas magníficas. Tem várias obras de arte em ouro e prata, e guarda os restos mortais do conquistador espanhol Francisco Pizarro. Adultos pagam 10 soles pelo ingresso. Não deixe de visitar.


Acima, a fachada da Catedral, o altar-mor, a Capela dos Santos Peruanos e a Capela Santo Toribio de Mogrovejo.

Ao lado da Catedral de Lima fica o Palácio Arquiepiscopal de Lima, onde antes era a Casa do Sacerdote. O museu abriga um acervo enorme de peças sacras. O ingresso custa 30 soles por pessoa.



Palácio Arquiepiscopal de Lima.

Pertinho dali fica o Museu do Convento de São Francisco, um complexo arquitetônico do século XVIII que engloba uma basílica, um convento, uma capela e um museu, além de sinistras catacumbas. As catacumbas impressionam pelo número de ossadas expostas. São milhares. O cheiro é horroroso por causa da umidade e do mofo. No convento viveu São Francisco Solano, chamado o Taumaturgo da América (nome dado aos homens que na antiguidade construíram grandes templos). A visita é guiada e fotografias não são permitidas. O valor do ingresso é 7 soles por pessoa. 

Basílica e Convento de São Francisco.

Ossadas das catacumbas da Basílica de São Francisco.

Pueblo Libre.

O bairro abriga dois museus interessantes. O que mais gostei foi o Museu Larco. Foi fundado em 1926 pelo arqueólogo peruano Rafael Larco Hoyle e renovado em 2010. Abriga mais de 45 mil peças que contam 5.000 anos da história pre-colombiana do Peru. É o museu mais importante de arqueologia peruana do mundo. Ele fica numa mansão linda e com jardins impecáveis. Tem também um restaurante super charmoso. O ingresso para adultos sai a 30 soles. Imperdível.

Jardim do Museu Larco.

O acervo do museu inclui joias do Peru pré-colombiano em ouro e prata,...

... trabalhos manuais, e ...

... uma sala dedicada à curiosas peças eróticas. É quase um Kamasutra peruano!

O depósito impressiona e é aberto ao público. 

Já o Museu Nacional de Arqueologia, Antropologia e História do Peru (10 soles) é bem mais fraco, mas como fica perto do Larco, vale uma visita rápida pelas suas 25 galerias. 

O museu fica num casarão colonial lindo. Foi fundado em 1822 e pertence ao estado.



Peças em cerâmica do Museu Nacional de Arqueologia, Antropologia e História do Peru.


Outros lugares que parecem interessantes, mas não tive tempo de conhecer são:

  • Circuito Mágico del Agua, no Parque de La Reserva, são 13 fontes com jatos de até 80 metros de altura. É citado no Guiness Book como o maior complexo de fontes do mundo.
  • Sítio arqueológico de Pachacamac. É um dos mais importantes do Peru. 
  • Passeio de barco até as Ilhas Ballestas para nadar com leões marinhos. Trajeto de uma hora de barco.

INDICAÇÃO DE HOTEL
  • MIRAFLORES PARK by Orient Express. Excelente. Bem localizado, ótimos quartos, banheiros enormes com amenidades L'Occitane. Café da manhã charmoso, na cobertura do prédio com vista para o Pacífico. Fica na AV. Malecón de la Reserva, 1035. http://www.miraflorespark.com/

CLIMA
  • Em Lima faz calor o ano todo. A temperatura costuma girar em torno dos 22 graus centígrados. De maio a agosto (outono e inverno) o tempo costuma ficar fechado, mas o interessante é que não chove. E, apesar de não chover é úmido. Muito estranho. Vez ou outra uma forte neblina cobre a cidade subitamente e logo se desfaz. De setembro a abril os dias são mais coloridos e o céu fica azul.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS
  • Apenas passaporte ou carteira de identidade. Fácil, fácil. Também leve o certificado de vacinação contra febre amarela (ninguém solicitou na minha entrada). Melhor pecar pelo excesso de documentos do que pela falta.

MOEDA
  • Novo sol: 1 real vale 1,55 soles

IDIOMA
  • Espanhol

FUSO HORÁRIO
  • Três horas atrás do horário de Brasília no nosso horário de verão e -2 no horário de inverno.

COMO CHEGAR

  • TAM, TACA  e LAN



Lima foi uma bela surpresa! Recomendo!

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Claudia,
    Dicas maravilhosas ! Já anotei várias.
    As fotos estão lindas. Obrigada !
    Bj
    MT

    ResponderExcluir
  2. Thanks for all these wonderful pictures....nice places !!
    It's a great serie.

    greetings, Joop

    ResponderExcluir
  3. Conheço Lima apenas da janela do avião e o aeroporto , quando fizemos uma escala na última viagem.
    Adorei o post, como sempre.Fotos lindas!
    Pode-se chegar a Lima de TACA também!
    Bjão

    ResponderExcluir
  4. Que grande reportagem, ótimas dicas, já deu vontade de conhecer...
    E as fotografias estão fantásticas, mostram a beleza e o colorido de Lima. Adorei a última foto.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. MT,
    Quer dizer que você está pensando em ir à Lima. Que ótimo!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Flavinha,
    Já acrescentei a TACA. Obrigada pela dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Cris,
    Receber esse elogio de uma fotógrafa é fantástico!
    Obrigada,
    Bj

    ResponderExcluir
  8. Obrigada, Regina. Vou dar uma olhada nas letrinhas...
    Valeu!
    Claudia

    ResponderExcluir
  9. As fotos estão geniais (mas isso já não é uma novidade por cá), e adorei aquela com que o artigo começa dos dois enamorados.

    O texto do artigo é muito apelativo e informativo, como sempre também.

    É impossível perder um dos seus artigos, pois são sempre deveras interessantes.

    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Turista,
    O céu de Lima tem cores incríveis. No final do dia, as nuances de tons alaranjados ressaltam nas fotos. Talvez pelo clima tão diferente do convencional. Não chove em Lima, mas a umidade é grande pela proximidade com o mar. Bem interessante.
    Bj
    Claudia

    ResponderExcluir
  11. Lima surpreende mesmo.
    Adorei seu post, tem informações valiosas.

    ResponderExcluir
  12. Claudia
    Lima parece ser uma cidade bem interessante!Estou a anotar as suas dicas sobre os lugares lindos da América do Sul para uma futura visita...ainda não vai ser esse ano,mas quem sabe no próximo...
    Bjs
    Ps: estou a preparar para este ano uma grande viagem á America...mas do Norte...hehe

    ResponderExcluir
  13. Margarida,
    Quer dizer que vens à América? Você esteve em NY e Boston ano passado. Dessa vez vai ao Canadá? Ou Costa Oeste? Qualquer opção é boa escolha!!!
    Bjs
    Claudia

    ResponderExcluir
  14. Claudinha
    Nem ao Canadá ( ainda!!)nem á Costa Oeste!!hehe...vc vai ficar surpreendida com a escolha dos lugares e a forma da viagem!! :))
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Xiiii!!!! Estou curiosa, Margarida!!!!
    Será Hawaiiiiii???????
    Quero saber....
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Olá... Gostei muito do seu blog!!!!
    Adorei esse post sobre Lima.... Li sobre Miraflores num livro do Mário Vargas Llosa.. E Pelas fotos pude perceber que ele não estava errado em falar tão bem de lá... :)
    Até mais!

    ResponderExcluir
  17. Oi Ju!
    Mario Vargas Llosa é maravilhoso!!!! Ainda não li esse livro. Mas, certamente Lima deve ser um lugar interessante nas palavras desse belo autor. Antes de ir para a República Dominicana li "A Festa do Bode" para entender melhor a cultura do país. O livro é ótimo, eu não conseguia parar de ler. Obrigada pela dica do livro. Vou procurar.
    Bj
    Claudia

    ResponderExcluir
  18. Claudia,
    Com esse post deu para matar as saudades de Lima.
    O La Mar foi um dos restaurantes mais bacanas que eu fui na vida.
    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Ana Paula,
    Realmente. Amei esse restaurante. Lima tem uma gastronomia incrível!!!
    Beijo
    Claudia

    ResponderExcluir
  20. Claudia eu quero ir p/ o Peru, um dia, mas esse seu post me deu vontade de programar uma viagem p/ lá agora! Super completo de informações as fotos estao lindissimas!!! Parabens viu! Da gosto de ver e ler posts assim! bjus!!

    ResponderExcluir
  21. Oi Guta!
    Quanto tempo. Tudo bem?
    Menina, o Peru é um país muito exótico e o melhor é que fica pertinho do Brasil. Adorei ter conhecido.
    Programa essa viagem que vale a pena!!!
    Bj
    Claudia

    ResponderExcluir
  22. Parabéns pelo blog, ele é fantástico! Realmente é uma viagem pelo mundo!

    Quando puder, visite o meu site!

    Felipe - www.fotografiasdepaisagens.com

    ResponderExcluir
  23. Oi Felipe,
    Já conheço seu site. Te visitei várias vezes e gosto muito das fotos e da organização.
    Abs
    Claudia

    ResponderExcluir
  24. oi, claudia!
    excelente post. aguçou minha vontade de conhecer o peru.
    bjão.

    ResponderExcluir
  25. Silvana, que bom.
    Essa é a intenção... Estimular a vontade de fazer as malas. :)
    Um bj
    Claudia

    ResponderExcluir
  26. Quanto tempo não vinha ao seu cantinho e que cores, que imagens, que tudo!
    Tivemos aqui uma Feira de Etnias e provei a mazamorra morada, uma sobremesa feita com chicha, frutas secas, frescas, cravo, canela, suco de limão, engrossada com fécula. Fica parecendo um sagu de vinho. Gostoso!
    O Peru tem milhos de todas as cores, né? (que mania de reparar nas comidas, hein...rs!)
    Bjs.

    ResponderExcluir
  27. Como sempre minha linda, eu me apaixono pelas suas fotos.. Conheci a Lima festeira, mas através do seu post, vejo um país romântico e tentador.. não vejo a hora de retornar ao lado do maridex!!

    Beijs

    ResponderExcluir
  28. Claudia, vou ao Peru em fevereiro anotei todas as suas dicas, porém gostaria de saber se além do fone do motorista Alfredo Faccio, vc tem um outro contato como o e-mail. Desde já agradeço,
    Renata.

    ResponderExcluir
  29. Renata,

    Só tenho o telefone mesmo. Infelizmente, não tenho o e-mail.

    Espero que vc goste dele.

    Boa viagem!

    ResponderExcluir
  30. Olá Cláudia, estamos no Peru. Lima, Arequipa (onde vivemos uma experiência única e marcante no treking de 2 dias ao desfiladeiro de Colca) e neste momento com 3 dias pela frente em Puno. Adoraria que Puno também estivesse aqui retratado por si. As dicas são óptimas. Vou ler o que publicou sobre Cuzco... É o que se segue! E, claro, continue publicando! Susana e Nuno, Portugueses em trânsito ;)

    ResponderExcluir
  31. Oba!

    Viagem bacana!!! Puno ainda preciso conhecer. Na próxima. Contem como foi a experiência de vocês.

    Boa viagem!

    ResponderExcluir
  32. Muito bom o post. Em dezembro li seu post antes de viajar e fiz o roteiro Lima, Cuzco, Vale Sagrado e Macchu Picchu seguinte todas as dicas. E realmente já ter alguém te esperando no aeroporto é um conforto que vale a pena, fica tudo mais tranquilo sem risco. Parabéns.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!