BICHINHO É PURA ARTE!


Já ouviu falar em Bichinho? Um pequeno vilarejo mineiro que fica entre as cidades de Tiradentes e Prados? O lugar é famoso pela concentração de ateliês de artesanato. São muitos. Um ao lado do outro. As peças são feitas pelos próprios moradores da região, nos fundos de casa, em madeira, ferro, papel mache, pedra sabão... e são comercializadas ali mesmo. É um lugar rústico, simples, acolhedor e carregado de "brasilidade".

A maioria das casas tem um ateliê cheio de peças lindas de artesanato.

O Arraial de Bichinho surgiu no século XVIII com a exploração do ouro, na mesma época em que nasceram Tiradentes, São João del Rei e Prados. Mais tarde passou a se chamar Vitoriano Veloso, em homenagem ao inconfidente que foi condenado pela coroa portuguesa. E hoje ali está Bichinho com uma população que gira em torno de mil habitantes, cheia de arte nas veias.

O Esplendor com Espírito Santo é uma das marcas da região.

Basta dar alguns passos pela rua principal, com calçamento de pedras, para sentir a importância da arte na vida do povoado. Casas de aparência muito simples reservam grandes surpresas no seu interior. É arte por toda parte.

A simplicidade e a arte caminham juntas pelas ruas.

Um dos grandes responsáveis por alçar o vilarejo ao estrelato foi o artista plástico Toti. Ele saiu de Embu das Artes, onde teve um antiquário por mais de 20 anos e foi parar em Bichinho. Ali declarou sua paixão pelo mundo das artes. Em 1991, criou a Oficina de Agosto com a intenção de desenvolver ainda mais o artesanato brasileiro. Com muito bom gosto passou a incentivar a utilização de matéria-prima local e a orientar os artesãos da região na criação de peças incríveis. Ele conseguiu um feito fantástico, pois a arte coletiva produzida pelos artistas mantém uma identidade própria, o que torna Bichinho um lugar absolutamente especial.

Oficina de Agosto

Galpão onde são produzidas as peças idealizadas por Toti.

A primeira parada em Bichinho, se vier de Tiradentes, certamente será na Oficina de Agosto. Visite a loja principal que fica na beira da estrada e vá até os galpões, alguns metros atrás da loja, onde os artesãos trabalham. A seguir, virá uma infinidade de pequenos ateliês pelo caminho. Entre onde seu coração mandar. Olhe sem pressa. Você vai se encantar com a simplicidade e com a gentileza de todos. Gostei muito da Casinha de Adobe e da Bichinho Bacana. No entanto, o povoado está crescendo rápido e já tem muitas lojas esquisitas querendo levar uma fatia do mercado sem merecer. Fique atento e prestigie o artesanato local. Nada como ter na sua casa uma peça de arte moldada por mãos que você conheceu. 

Artesão esculpindo um animal em pedra sabão, em frente a sua casa.

A grande atração de Bichinho, definitivamente, é o artesanato. Se tiver tempo e interesse, visite também a singela igreja Nossa Senhora da Penha, a fábrica de cachaças Velho Ferreiro, faça cavalgada nos arredores e pedale pela região. 

Igreja N. Sra. da Penha.

COMO CHEGAR: a partir de Tiradentes são apenas 6 quilômetros e de Prados são 12 quilômetros. 

ONDE COMER: No caminho entre Tiradentes e Bichinho tem dois restaurantes interessantes de comida mineira: Pau de Angu (32 99948.1692) e Tempero da Angela. Eles são bem sinalizados. Não tem erro. Você encontrará com facilidade. 

Reserve pelo menos uma manhã ou uma tarde para conhecer o simpático vilarejo.
A arte de Bichinho tem muita personalidade!

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Verdade! Bichinho é pura Arte. Criações ímpares.
    Lugar onde o rudimentar é apresentado com inédita arte!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!