A PEQUENA GRANDE TIRADENTES


Tiradentes é um daqueles lugares que vive num ritmo particular. Convida a andar sem pressa pelas ruas estreitas de pedra, com o olhar atento aos detalhes dos casarios coloridos, das igrejas barrocas, das praças, dos museus. Em cada esquina, uma surpresa. Em cada cantinho, uma história. Mas, além de ter um patrimônio histórico e cultural riquíssimo, Tiradentes também conquista com sua arte, bela gastronomia e pousadas super charmosas. É uma pequena grande cidade.

A Matriz de Santo Antônio começou a ser construída em 1710

FOI ASSIM QUE TUDO COMEÇOU

A cidade foi fundada no século XVIII quando o Ciclo do Ouro estava em expansão em Minas Gerais e os paulistas encontraram metais preciosos nas encostas da Serra de São José. Inicialmente era só um acampamento. Conforme foi crescendo, virou um vilarejo e recebeu o nome de São José. Mais tarde, em 1789, foi palco da Inconfidência Mineira, um dos movimentos sociais mais importantes do povo brasileiro pela liberdade, contra o domínio do governo português, no período colonial. Tiradentes, Joaquim José da Silva Xavier, foi o líder da revolta que não foi bem sucedida. Ele foi aprisionado e enforcado. Em 1889, após a proclamação da República, o nome do herói nacional foi adotado em sua homenagem. Em 1938, a cidade foi tombada como patrimônio histórico pelo Sphan (Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Isso garantiu a preservação dos sobrados, igrejas, lampiões e monumentos.

Tiradentes  e seu belo patrimônio histórico, rua Direita.

OLHOS ATENTOS PELAS RUAS

Caminhar pelas ruas de Tiradentes é puro deleite. Comece pelo Chafariz São José. Parada obrigatória. Ele marca o início da ladeira que conduz à Matriz Santo Antônio. Foi construído em 1749 pelos escravos para abastecer o vilarejo com água potável, para lavagem de roupas e para servir como bebedouro para os animais. A água vem de uma nascente que fica a um quilômetro de distância e funciona até os dias de hoje. Na sua fachada barroca tem uma imagem de São José de Botas e um brasão da Coroa Portuguesa.

Chafariz São José

DICA: Se bater a fome aproveite para almoçar no restaurante da chef Beth Beltrão que fica a alguns passos do chafariz. A comida mineira preparada com carinho por ela no Varanda's do Largo é das melhores da cidade. Imperdível!

A seguir, vá ao Museu de Sant'Ana. Que bela surpresa! Ele abriu suas portas há pouco tempo e ocupa a antiga Cadeia Pública. O acervo conta com 300 imagens espetaculares de Sant'Ana, a santa mãe da Virgem Maria, que protege os lares, as famílias e os mineradores. As peças são todas brasileiras, trazidas de várias partes do país por Angela Gutierrez, colecionadora e devota da santa. O museu é absolutamente imperdível! A entrada custa apenas R$ 5,00 reais (inteira) e R$ 2,50 (meia). www.museudesantana.org.br

Museu de Sant'Ana


Imagens de Sant'Ana.

Praticamente em frente ao museu fica a graciosa Capela de Nossa Senhora do Rosário, na rua Direita. Ela foi construída em 1708 e concluída em 1719, com mão de obra escrava. As imagens que compõe o altar são de cor negra, com exceção da imagem de Nossa Senhora do Rosário.

Igreja Nossa Senhora do Rosário. 

Ao sair da pequena igrejinha, ande sem pressa pela rua Direita que tem um belo conjunto arquitetônico e vá em direção a Matriz Santo Antônio. A igreja é uma preciosidade barroca e merece uma visita. É considerada a segunda mais rica em ouro do Brasil (a primeira fica em Salvador). Foi construída entre 1710 e 1752. Sua fachada atual é de 1810, com projeto do Aleijadinho. No interior, observe o belíssimo órgão de origem portuguesa com 630 tubos. No final do dia, o principal programa de Tiradentes fica na Matriz de Santo Antônio. No seu interior há um Show de Som e Luz onde é narrada a história da igreja na voz do ator Paulo Goulart, seguido por um Concerto Barroco no órgão. Informe-se sobre os horários pelo telefone 32 3355.1238. Vale a pena assistir. Quando tem casamento, os espetáculos são cancelados.

Matriz Santo Antônio.

Praticamente em frente a igreja fica a Casa da Câmara que data de 1717. Ali se reuniam os imperadores e pessoas importantes da época. A casa, na ladeira, é muito graciosa. Preste atenção ao passar. Ela é a única da rua com uma arcada.

 Casa da Câmara.

Visite o Museu Padre Toledo onde ocorreu a primeira reunião da Inconfidência Mineira. Era ali que morava o inconfidente Padre Toledo. Conheça também o Museu da Liturgia se tiver tempo.

Museu da Liturgia.

Ao lado do Museu Padre Toledo fica a Igreja de São João Evangelista pertencente a irmandade dos homens pardos (mulatos). As pinturas e os altares são muito graciosos.

Igreja de São João Evangelista

Mais distante um pouco fica a Santíssima Trindade, atrás da Matriz. Visite também a Igreja de São Francisco de Paula, a Igreja de Nossa Senhora das Mercês e a Capela de Santo Antônio do Canjica. Essa última foi construída em 1702 pelo bandeirante João de Siqueira Afonso, fundador da cidade. Ela é bem singela e fica fora do núcleo histórico, no bairro do Canjica. 

HORA DO LANCHE COM ARTE

Depois de tanto andar pela cidade faça uma pausa para o lanche da tarde. Não pode faltar um pão de queijo com um cafézinho feito na hora. A cara de Minas. Experimente o Na Venda onde o cheiro dos pães sempre quentinhos é um convite e tanto. A casa usa uma receita tradicional da família. Eles também fazem vários tipos de sanduíches deliciosos usando o pão de queijo. O endereço é rua Min. Gabriel Passos, 212, Centro Histórico.

Outro opção para um café com uma bela torta é o Doce Diferença. O legal é que a doçaria fica dentro de uma loja de artesanato charmosíssima comandada por Cyro e Maria Cristina que produzem muitas das peças que comercializam. Vale a pausa para um café com arte. O endereço é rua Ministro Gabriel Passos, 262, Centro Histórico. www.docediferencatiradentes.blogspot.com

O artesanato é uma grande referência da região. 

Uma loja de artesanato, aliás duas, com peças lindas não só da região, como de todo o Brasil é Brasileirinho. Vale a visita e, claro, umas comprinhas. www.brasileirinhotiradentes.com.br

Anjo barroco na entrada da loja Brasileirinho.

HOMENAGEM A SANTA CRUZ

Andando pelas ruas observei que havia, em muitas portas, cruzes enfeitadas de diversas maneiras, mas especialmente com tirinhas de papel. Parei em frente a uma porta e fiquei olhando o que imaginei ser uma proteção quando Cidinha, a dona da casa, gentilmente me explicou o significado do amuleto. Todo dia 3 de maio, ao entardecer, a cruz recebe enfeites para homenagear Santa Cruz. Reza a lenda que as casas que tem cruzes enfeitadas são visitadas na manhã do dia seguinte pela Nossa Senhora que vem representada por um beija-flor. Lindo! Adorei o simbolismo. 

Homenagem a Santa Cruz nas portas das casas em Tiradentes.

ALGUMAS DISTÂNCIAS A PARTIR DE TIRADENTES

Rio de Janeiro: 340 km
São Paulo: 485 km
Belo Horizonte: 210 km
Ouro Preto: 169 km
Barbacena: 60 km
Prados: 30 km
São João del Rei: 16 km
Bichinho: 7 km

NÃO DEIXE DE VISITAR

BICHINHO: um lugar famoso pela concentração de ateliês de artesanato
SÃO JOÃO DEL REI: de Maria Fumaça
SERRA DE SÃO JOSÉ: para fazer trilhas

Maria Fumaça que liga Tiradentes a São João del Rei.

INDICAÇÃO DE HOTEL: Solar da Ponte (perfeito em localização e condizente com a cidade)

Solar da Ponte.

EVENTO IMPORTANTE NA CIDADE
Agosto: Festival Cultura e Gastronomia de Tiradentes geralmente nas duas últimas semanas do mês.

INDICAÇÃO DE RESTAURANTES

PARA ALMOÇAR
Viradas do Largo
Estalagem do Sabor
Villa Paolucci
Bar do Celso

PARA JANTAR
Tragaluz
Angatu
Paco e Baco
Santíssima Gula
Atrás da Matriz


Tiradentes.

Os próximos posts serão dedicados a Bichinho, São João del Rei, restaurantes e hotéis em Tiradentes.

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Já fui várias vezes e sempre voltarei à minha querida Minas Gerais.

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Lindo mesmo. E cheio de história. Da nossa história.

      Excluir
  3. Sensacional. Quem for vai gostar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem como não amar. Cidade cheia de charme. Muito bem preservada.

      Excluir
  4. Fico na expectativa de ver seu post sobre bichinho, fui lá e não curti muito não, coisas muito simplórias ou muito caras, um baú por 3.000 reais é surreal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andreia
      No final de semana Bichinho estará no ar.
      Bj

      Excluir
  5. Fico no aguardo do post sobre Bichinho, acabei de passar por lá e achei ou muito simplório ou muito caro, uma baú por 3.000 reais achei surreal ou tem aquelas galinhas pintadas para enfeite ou almofada de fuxico. Sei lá, fico esperando. De repente perdi algo. Abç

    ResponderExcluir
  6. Amo Tiradentes, na época em que tínhamos casa no Sul de Minas, não perdíamos a oportunidade de levar nossas visitas até lá. São João, Bichinho e Carrancas, também são imperdíveis. Beijos!!!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!