PIT STOP EM SANTIAGO DO CHILE


Santiago do Chile se reinventou nos últimos 25 anos. Outrora singela, é hoje uma cidade extremamente convidativa. Ostenta bairros elegantes, tem bons restaurantes, vinhos maravilhosos, hotéis charmosos, grandes shoppings, museus, parques. Deixou no passado muitos de seus problemas. Se transformou numa metrópole moderna, de economia estável. Somado a isso, sua localização é privilegiada. Tem uma costa extensa banhada pelo Oceano Pacífico, voltada para a Oceania. Por isso, passou a ser um bom ponto de partida para alguns destinos localizados nessa região, entre eles o paradisíaco Tahiti.

No entanto, chegar nesse paraíso azul, chamado de Polinésia Francesa não é das tarefas mais fáceis. Os voos não são diretos. As rotas são picotadas, cheias de conexões. A partir do Brasil dá para optar entre ir por Buenos Aires via Nova Zelândia (Air New Zeland), Los Angeles (American Airlines) ou Santiago do Chile via Ilha de Páscoa (Latam). A última opção é a mais ágil, mesmo que seja necessário fazer três voos de aproximadamente cinco horas cada, com muitas horas de espera entre um e outro. É longe e cansativo.

Para reduzir o cansaço e já começar a viagem em grande estilo, o ideal é fazer o trecho inicial Rio ou São Paulo (de Latam) para Santiago do Chile, de aproximadamente 5 horas, dormir uma noite nessa metrópole adorável e partir no final do dia seguinte para o Tahiti cheio de energia. Que tal?

 Parque Bicentenário

PARA TER BONS SONHOS

Como os voos da Latam que partem do Rio para Santiago têm poltronas com espaço muito reduzido para as pernas, sem a opção de classe executiva e sem a possibilidade de se comprar lugares com espaço extra, uma boa noite de sono se torna fundamental na viagem. Nesse caso, o hotel precisa ser escolhido a dedo para compensar as cinco horas de aperto, literalmente.

Santiago tem muitos hotéis interessantes, mas considero o Hotel W Santiago uma excelente opção. É cool, badalado, aconchegante e com decoração caprichada.

Lounge Hotel W.

Os quartos são muito charmosos. Têm janelões enormes, são bem iluminados, além de ter camas, lençóis, edredons e travesseiros perfeitos para garantir aquela noite merecida. 

Quarto do Hotel W Santiago.

Sua localização também é ponto alto. Em plena rua Isidora Goyenechea, no elegante bairro de Las Condes. Uma região animada, repleta de cafés e restaurantes. E por falar em restaurantes, o hotel tem quatro: Noso, Terraza, Whiskey Blue e Osaka, sendo que esse último é considerado um dos melhores da cidade. É um excelente restaurante de comida nikkei. Para curtir o pôr do sol da cidade, que tem tons rosados lindos, o hotel tem um rooftop muito simpático junto da piscina. 

Rooftop do Hotel W.

Outro ponto forte é a academia. Maravilhosa! Super bem equipada. Ela fica dentro do Isidora 3000, um prédio comercial conectado ao Hotel W e que também tem um simpático salão de beleza, o restaurante Coquinaria, o Bistrô Km0, o Mundo Del Vino, algumas outras lojas e o tradicional Café Juan Valdez. Melhor impossível!

Academia do Hotel W Santiago.

Não posso deixar de citar o café da manhã. Fantástico. E com serviço muito atencioso. Os funcionários do hotel são super gentis e fazem de tudo para agradar. Recomendo.

PARA APROVEITAR SANTIAGO

Passar momentos agradáveis em Santiago do Chile é muito fácil. A cidade tem bairros de perfis bem diferentes ao longo do rio Mapocho, basta escolher um com o jeitão que você quer naquele momento.

Vitacura e Los Condes representam a área mais nobre e nova da cidade. É onde estão concentrados os melhores hotéis, lojas de grifes conhecidas, novos shoppings, o centro financeiro e restaurantes badalados como: Boragó, Coquinaria, La Mar e tantos outros. Essa é a parte mais elegante de Santiago.

Para mudar o astral, boa pedida é o bairro boêmio de Bellavista, também repleto de bares e restaurantes. Considero imperdíveis o Peumayen de cozinha chilena ancestral e o turístico-badalado-delicioso Como Água para Chocolate com seu inesquecível “congrio almendrado”. Depois de comer muito você vai precisar dar uma caminhada. As ruas da região são muito simpáticas com casarões antigos grafitados. Aproveite para visitar a casa de Pablo Neruda - La Chascona - onde ele viveu clandestinamente com sua amante Matilde, e hoje é um museu que guarda parte da história desse grande poeta-político chileno. Suba de teleférico até o topo do Cerro Cristobal, no final da Calle Pio Nono e receba as bênçãos da Virgem Maria, a santa protetora da cidade. O visual que se tem lá do alto, especialmente ao pôr do sol é muito bonito. Ao final do passeio, se der vontade de sentar para descansar e tomar um café, vá ao animado Pátio Bellavista.

Bellavista e seus casarões coloridos grafitados.

Se seu interesse estiver mais voltado para o lado histórico da cidade, então caminhe pelas ruelas do Centro, mas sempre com muito cuidado, pois a região é um pouco perigosa. Vá até o Palácio de la Moneda (atual Palácio Presidencial), entre na Catedral Metropolitana que fica na Plaza de Armas, circule pelo movimentado Mercado Central, sente para degustar uma famosa “centolla” (caranguejo enorme)  e visite o Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana.

Palácio de la Moneda.

Algumas quadras acima do Centro fica o bairro de Lastarria. É o reduto dos universitários. Um local jovem e bem descolado. Tem bares alternativos como o The Clinic, galerias de arte, lojas de design, um grande parque, um cachorro quente tradicionalmente chileno na Salchicheria Hogs e restaurantes interessantes como o Bocanariz que tem uma carta inacreditável de vinhos vendidos em copo. Nessa região deixe de visitar o Museu de Belas Artes e o Museu de Artes Visuais.

Se quiser caminhar para descomprimir depois do voo de cinco horas, um lugar novo e bacana é o Parque Bicentenário. Muita gente corre ou pedala por ali durante o dia. Aproveite para almoçar no restaurante Mestizo, perto da área onde ficam os flamingos. Também visite o Museu da Memória e dos Direitos Humanos dedicado ao período da ditadura militar ocorrida entre 1973 e 1990. A arquitetura do museu é muito interessante.

Restaurante Mestizo, no Parque Bicentenário.

Depois dessa pausa estratégica, prepare-se para encarar mais dois voos de cinco horas cada, com uma parada técnica em Ilha de Páscoa, antes de chegar no tão sonhado paraíso.

MAIS ALGUMAS DICAS

  • O valor de um TAXI para ir do aeroporto até Santiago fica entre 20 e 30 mil pesos. Faça o pagamento do taxi antes de sair do setor de retirada de bagagens do aeroporto e já chegue ao saguão com seu voucher em mãos.
  • Também troque alguns pesos antes de sair do setor de retirada de bagagens. 
  • Se precisar pernoitar em Santiago e não quiser sair do aeroporto saiba que basta atravessar a rua e você encontra um hotel Holiday Inn.
  • Use o metrô para se locomover de modo mais ágil.

LEIA MAIS SOBRE:  SANTIAGO DO CHILE


Compartilhe:

Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Obrigada!