OS INCRÍVEIS VULCÕES DA COSTA RICA



Considerada uma das zonas mais vulcânicas do mundo, a Costa Rica tem sete vulcões ativos e mais de uma centena de inativos. É de assustar! Em média há 6500 pequenos tremores de terra por ano, sendo que apenas algumas centenas deles são percebidos. Lembro que quando estive pela primeira vez no país, a pressão no solo estava tão alta que era possível sentir o hotel balançando todos os dias, ao entardecer. Mas, após uma grande terremoto, de 7.6 graus na escala Richter ocorrido em setembro de 2012, em Guanacaste, o maior em 190 anos, a pressão acalmou e dessa vez, felizmente, não senti nenhum tremor. 

Curioso ver um país tão pequeno cortado por tantas cadeias montanhosas vulcânicas. Uma delas vem da vizinha Nicarágua e percorre o país longitudinalmente até a região de São José (a capital do país), no Planalto Central. Seu último maciço é o Turrialba, na província de Cartago, antiga capital da Costa Rica. Ele é o vulcão mais oriental do país. Tem 3340 metros de altitude. Seu nome vem da junção de duas palavras indígenas que significam "rio de fogo".

Pois e não é que o Turrialba resolveu entrar em erupção exatamente quando eu visitava San José! E ele fica bem pertinho da capital. Pode ser avistado do aeroporto. Fiquei apreensiva, claro. Nos noticiários locais o fato era comentado a toda hora. 

Apesar do Parque Nacional Vulcão Turrialba ocupar ao redor de 13 quilômetros quadrados de área de uma região tomada por floresta tropical, ele é pouco visitado. Em primeiro lugar, por ser ativo. E depois, por ter acesso difícil. Não tem transporte público. Pequenas estradas de terra levam os corajosos até a boca do vulcão e depois é preciso caminhar por trilhas de terra para chegar ao fundo da cratera onde gases sulfurosos escapam constantemente na forma de fumarolas. Dizem que a caminhada é perigosa, o solo é quente e é preciso sangue frio para se aproximar do gigante adormecido que vez ou outra dá o ar de sua graça. E isso eu presenciei. Sorte que foi uma erupção leve. Seu ataque mais violento foi registrado em 1860. Depois disso, passou 100 anos totalmente quieto e agora, vez ou outra entra em atividade.


Vulcão Turrialba em erupção, visto do aeroporto de San José. Ao lado o vulcão Irazú

O Vulcão Irazú é praticamente vizinho ao Turrialba. Seu parque ocupa uma área de 18 quilômetros quadrados. Na parte mais alta tem 3430 metros de altitude. É o vulcão mais alto da Costa Rica e historicamente o mais ativo. Teve ataques de fúria violentos em 1917, 1921 e 1963 quando o presidente John Kennedy visitava o país. Seu nome significa "montanha do trovão" em língua indígena. O acesso até o parque para visitar o vulcão é fácil. Sua cratera principal tem 300 metros de profundidade e um quilômetro de largura. No seu interior há um lago esverdeado que estampa muitos cartões postais da Costa Rica. Também há outras quatro crateras que se pode visitar. Minha intenção era fazer um bate-e-volta a partir de San José para conhecer o Irazú. Mas, como o vizinho Turrialba resolveu acordar do sono profundo, e eles distam pouco mais de 20 quilômetros, não pude ir até lá. O Irazú costuma ficar encoberto por uma névoa constante. A dica é ir bem cedo para conseguir melhor visibilidade. 


Vulcão Irazú.

Outro bate-e-volta fácil a partir de San José é ao Parque Nacional do Vulcão Poás, que fica na Cordilheira Central. O vulcão é ativo e teve pequenas erupções recentemente em 2006 e 2011. Fiz essa visita da outra vez em que estive no país. Espetacular com seu lago ácido de cor azul turqueza e fumarolas em vários pontos. A boca da cratera principal é enorme. Tem mais de um quilômetro e meio de largura. E, profundidade de 300 metros. Também há outras duas crateras que podem ser visitadas por quem quiser caminhar por trilhas pela floresta. Mas, prepare-se para enfrentar um chuvisco constante com neblina. A temperatura é baixa. Ao redor de 12 graus. Boa dica é levar roupas quentes para se proteger do frio. Também considere chegar cedo para ter melhor visão da cratera e evitar finais de semana, pois esse é o vulcão mais visitado da Costa Rica. A partir de San José se leva uma hora e meia de carro. 

Vulcão Poás.

Uma das atrações mais procuradas na região Norte é o Vulcão Arenal. Ele é considerado um dos mais “nervosinhos” da América Central. Tem o formato de um cone e vive encoberto sob nuvens espessas que se formam exatamente em função dos gases que ele expele. Não dei sorte de ve-lo em atividade. Mesmo assim, é uma visita interessantíssima. Na verdade, não dá para chegar muito perto do vulcão. Só se avista seu contorno de longe pois ele é ativo. De San José até o Arenal são mais de 150 quilômetros, percorridos em três horas (se não parar). No caminho, uma parada em Grecia para um café. O que se destaca ali é a Iglesia de Grecia. Foi construída com placas de aço pré-fabricado trazidas da Bélgica. Possui duas torres e adornos em filigranas. Mais adiante Sarchi e nova parada para visitar um centro de artesanato. Depois de quatro horas finalmente o Arenal.

Iglesia de Grecia.

Centro de Artesanato de Sarchi.

Roda de carreta de bois típica da região rural da Costa Rica, em cores forte.

Vulcão Arenal.

Da base do Vulcão Arenal há vertentes de águas muito quentes que abastecem o Tabacón Grand Spa Thermal Resort. O lugar é inusitado. Imperdível! Um parque de águas termais e um belo spa ao lado do único hotel do grupo The Leading Hotels of the World da Costa Rica. Cascatas, riozinhos, piscinas para crianças, bar molhado, área reservada para adultos onde se pode relaxar em águas muito quentes tendo ao fundo o Arenal. Ali dá para sentir toda a força da mãe natureza. As águas são terapêuticas e deliciosas com temperaturas que variam entre 27 e 39 graus centígrados. O parque pode ser usado tanto pelos hóspedes do hotel como por visitantes que querem apenas passar o dia, como foi o meu caso. Para isso, basta pagar uma taxa de day-use. Leve roupas de banho. Nos vestiários há armários com chave para deixar suas roupas e há toalhas para uso dos visitantes. Boa dica é marcar uma hora no spa e usar a infra-estrutura do spa em vez dos banheiros do parque. Muito mais exclusivo e bem atendido. 

 


Piscinas naturais quentes de água vinda do vulcão Arenal.


A fauna da região é muito rica. Lagartos e iguanas passeiam sem se importar com quem passa.

O Parque Nacional do Vulcão Arenal ocupa uma área de 120 quilômetros quadrados. É enorme. E, não dá para deixar de fora numa visita ao país. Só as piscinas de água termal já valem. E, se a "Morada do Deus Fogo" - nome que as antigas tribos pré-colombianas davam ao vulcão Arenal - resolver dar o ar de sua graça, melhor ainda. Dizem que as cores do espetáculo noturno são de arrepiar quando o gigante começa a lançar no ar suas lavas incandescentes. 

Vulcão Arenal sempre encoberto por uma névoa.

Ao redor do vulcão há muitas trilhas cobertas por lava. Em algumas áreas o acesso é restrito e placas avisam "não prossiga". É perigoso mesmo. Muita gente já perdeu a vida por ali. Na região também tem um museu dedicado aos vulcões, um Jardim de Mariposas, um teleférico sobre a floresta que conduz a um mirador, uma lagoa enorme onde são praticados esportes náuticos e algumas pontes suspensas ao redor do vulcão Arenal. Muita gente opta por se hospedar vários dias nessa região para explorar com calma. Optei por ficar apenas um dia num bate-e-volta a partir de San José. Cansativo. Pois são pelo menos seis horas no carro. Talvez o ideal seja permanecer uma noite ou duas no hotel Tabacon Grand Spa Thermal Resort. Adorei o spa. A piscina é de água termal e as áreas de massagem ficam em bangalôs de madeira muito bem decorados no meio da floresta tendo como trilha sonora o barulho da água que passa pelas corredeiras em volta do spa. Fantástico. 

 Spa Tabacon.

As forças da natureza merecem todo nosso respeito. Somos muito pequenos diante da sua grandiosidade. Estar próximo da cratera de um vulcão nos conduz a momentos de profunda reflexão. Seus mistérios evocam nossa humildade. O incontrolável assusta. Mas, o prazer de reverenciar a exuberância da mãe natureza é tão grande que nos magnetiza e nos convida. Foi assim que me senti diante desses vulcões espetaculares: pequena, inquieta, surpresa, perplexa e magnetizada. E, não pense que quem viu um deles já viu tudo. Cada um tem seus mistérios. Pura vida!


Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Claudina,estou apaixonada pela Costa Rica!Seus posts são os únicos responsáveis!

    Eu nunca tinha visto um vulcão.Este ano, na viagem a Bali,chegando na Ilha vi um de cima do avião e fiquei enlouquecida!Depois na Ilha, vimos mais um.Muito legal!

    Bjocas

    ResponderExcluir
  2. Claudia

    Aorei a dica do Spa, obrigado. E parabéns pelas lindas fotos
    Abs
    VS

    ResponderExcluir
  3. Flavinha,

    Bali tem muitos. Cinturão de Fogo. Você gostou da viagem.? Ainda não estive lá. Há quem ame e quem deteste.

    A Costa Rica é muito bacana e relativamente perto do Brasil Os vulcões e as praias fazem valer a viagem.

    Beijos


    ResponderExcluir
  4. Fantástico, hein?
    Como vc fez essas fotos? De helicóptero??? São ótimas! PArabéns!

    bhos,
    VAnessa

    ResponderExcluir
  5. Vanessa,

    O Poás e o Irazú dá para chegar na cratera andando. Tem acesso fácil. Já o Arenal, só de longe. Até tem uma trilha para subir um trecho, mas como ele é ativo, eu tenho certo receio...

    Alguns outros sobrevoei indo para a Península Papagayo. O avião voa baixo e tem muitos inativos pelo caminho.

    Muito bacana. Uma viagem super diferente!

    Beijos

    Claudia

    ResponderExcluir
  6. Cláudia,

    Costa Rica é linda, os vulcões são incríveis e suas fotos são demais.
    Aquele spa tem um aspecto muito "apetecível" :)

    ResponderExcluir
  7. Rui

    O Spa é muito caprichado! Vale a viagem de três horas. E, o hotel Tabacon é bem interessante. Lotado de americanos!


    ResponderExcluir
  8. Prá brasileiro o que chama atenção mesmo são os vulcões. Um do ladinho do outro! Concordo com a sensação de impotência ao estar perto de uma força da natureza tão gandiosa. Nós tivémos essa sensação durante toda a viagem. Sinto que muitos perdem ao visitar lugares tão interessantes e se focarem apenas nas atividades. Para mim, as sensações são o que fazem a viagem valer a pena! Parabéns pelo post, Claudia. Como sempre, com informações e sensações bem descritas.
    Um beijo, Marina
    ps: já voltamos para Santos!

    ResponderExcluir
  9. Marina,

    Que bom voltar pra casa. Ainda mais depois de tanto tempo. Deve ter sido uma super experiência. Uma lição de vida. A gente cresce muito com um projeto como esse. Parabéns pela iniciativa, espírito livre e coragem.

    A Costa Rica é linda demais. Os vulcões são o aspecto natural mais diferente para nós brasileiros. Temos muitas florestas, temos praias lindas, temos um lado rural forte, temos arroz com feijão (hahaha), só não temos vulcões ativos (ainda bem).

    Um beijo enorme.

    ResponderExcluir
  10. Claudia

    Que fotos incríveis!!!
    Também gostei do Spa...hoje era mesmo o que eu estava a precisar...rsrs...deixava os vulcões para amanhã...hehe

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Margarida,

    Esse spa é muito bom! Lindo, com excelente serviço e no meio de uma floresta. Para completar a água da piscina é natural, vem diretamente do vulcão e é muito quente. Perfeito! Adorei.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Vulcões, tormentas, tudo que vem da natureza selvagem me encanta! A Costa Rica me parece ser um desses paraísos perdidos na América!
    Ah, se em um estalar de dedos eu estivesse lá......
    (E minha listinha só vai aumentando, rs, rs)

    Bjks

    Bia
    www.biaviagemambiental.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Olá Claúdia! Depois de ver seus posts sobre a Costa Rica minha vontade de ir até lá só aumenta. Amigos que já foram lá falam maravilhas. Costa Rica deve ser mesmo Pura Vida!
    Abraço
    Laise

    ResponderExcluir
  14. Que saudades de passar por aqui, Claudia! Menina, se eu mandar esse seu post pro Marcelo, ele vai querer ir pra Costa Rica nas próximas férias!!!! Lindas fotos, que lugar incrível e que natureza exuberante!!!! Parabéns por mais um relato fantástico! Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Ai Bia,

    Nossa lista é interminável... Muito bom. Estamos sempre de olho na próxima parada.

    Eta mundão lindo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Laise,

    Um país tão pequeno e com tantas opções... Interessante demais. Tem um cenário para cada perfil. Eu amei especialmente os vulcões e as praias.

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Katia,

    E não é que dá para ficar um tempo enorme no país. A Costa Rica é mínima, mas cheia de opções. Tem muito para se conhecer. Vai sem medo e no caminho ainda dá para fazer um pitstop no Panamá.

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Claudia pelo post, realmente rico em informações. Tive o privilegio de conhecer todos esses vulcões e digo a todos que te acompanha que vale muito apena, e claro também aproveitar as termales de Tabacón. Já venho pela segunda vez e este pais pede mais rsrsrs. Abraços

    ResponderExcluir
  19. Tany,

    Verdade. A Costa Rica pede muitas idas e vindas. O país é muito rico e diverso em belezas naturais.

    Bj

    ResponderExcluir
  20. oi,meu nome é lauren e eu estou fazendo um trabalho de escola sobre a Costa Rica,mas aqui no RS a Costa Rica não é lá muito conhecida.....alguém poderia de ajudar me dando 6 ou mais caracteristicas sobre esse pais tão lindo pelo que pudi olhar por fotos?? obrigada

    ResponderExcluir
  21. Olá Claudia!
    Estou estudando um roteiro para visitar a Costa Rica. É seguro ir sozinha? Existe alguma forma de deslocamento via ônibus? Ou as únicas formas são alugar carro ou aéreo pela Sansa e Nature Air?
    Meus interesses seriam Puerto Viejo/Cahuitas (caribe), Playa Manuel Antonio (Pacífico) e a região de La Fortuna/Monteverde (Arenal, Poás, canopy). Essa região dos vulcões dá pra fazer com passeios saindo de São José, certo?
    Pode me ajudar?
    Muito obrigada!
    Geovana

    ResponderExcluir
  22. Oi Geovana,

    A Costa Rica me pareceu um país tranquilo. Não tive nenhum problema por lá. Já fui duas vezes. Na primeira vez, o país atravessava uma fase política turbulenta e fui orientada a sair apenas acompanhada. Dessa última vez, estava muito tranquilo.

    Para visitar os vulcões há muitos passeios com guias, que partem dos hotéis, super práticos, com preços em conta e seguros.

    O país é relativamente pequeno. No entanto, para atravessar de leste à oeste as cadeias montanhosas atrapalham muito. O ideal é ir de avião. Há pequenas companhias que fazem essas rotas.

    Boa viagem.

    Claudia

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!