UM PARAÍSO CHAMADO FERNANDO DE NORONHA


Feche os olhos e pense em uma ilha distante. Pensou? Então, pinte com tintas coloridas um mar transparente e deslumbrante, em tons de azul e verde. Conseguiu? Agora povoe esse oceano com golfinhos, tartarugas, raias, barracudas, tubarões pacíficos e peixinhos de todas as cores do arco-íris. Pois bem, você não está sonhando. Esse lugar existe. É o arquipélago de Fernando de Noronha, um aquário a céu aberto, cercado pela hospitalidade contagiante da população de ilhéus e distante a apenas uma hora de avião das cidades de Natal (360 Km) ou Recife (545 Km).


Impossível ir à Fernando de Noronha e não mergulhar. É fácil, seguro, espetacular e obrigatório!

O sol brilha em Noronha o ano inteiro. Afinal, esse pedacinho do paraíso se situa a quatro graus abaixo da linha do Equador. A temperatura média é perfeita para quem quer curtir umas férias deliciosas, 28 graus durante o dia e de noite sopra uma brisa fresca. Dizem que chuvas são esporádicas e que há apenas duas estações: uma seca, que vai de setembro a março (sendo que os meses de dezembro e janeiro os preferidos dos surfistas) e outra chuvosa, de abril a agosto. Mas, o tempo é sempre imprevisível.

Baía do Sancho, eleita pela Veja com base no TripAdvisor como a praia mais bonita do Brasil.

O arquipélago de Fernando de Noronha é formado por vinte e uma ilhas de terras vulcânicas. Apenas a maior é habitada, sendo relativamente pequena. Tem 17 quilômetros quadrados e uma população de 3.500 pessoas que desfrutam do cotidiano da natureza nesse santuário ecológico. Mas, nem sempre foi assim. Na Segunda Guerra, a ilha serviu de base para aviões americanos e durante a ditadura militar abrigou uma colônia penal. Atualmente, é propriedade do governo de Pernambuco e o IBAMA é responsável pela sua fiscalização.

HISTóRICO DA ILHA

1503 - Américo Vespúcio se depara com o arquipélago, sua embarcação naufraga, mas todos os tripulantes sobrevivem.
1504 - Noronha é doada a "Fernão de Loronha", que acaba dando origem ao lugar.
1737 - Os portugueses se dão conta de que a ilha é a ligação marítima entre a América do Sul e a Europa e resolvem protegê-la. Expulsam os invasores e constroem fortes. Nesse ano é instaurada uma colônia penal.
1832 - Charles Darwin, o autor da Teoria da Evolução, visita o arquipélago e define o lugar como "um paraíso de rochas vulcânicas do Atlântico".
1938 - Durante a ditadura de Getúlio Vargas, a colônia vira presídio político.
1942 - Em plena II Guerra Mundial, é instalada uma base militar americana e outra brasileira na ilha.
1957 - O governo permite que os EUA construam um posto de observação de mísseis, próximo ao Boldró. Os americanos ficam por lá até 1965.
1972 - Começa o turismo em Fernando de Noronha com um grupo de pessoas que sai de Recife e desembarca na ilha.
1984 - Reconhecendo Noronha como importante local de reprodução das tartarugas marinhas, o Projeto Tamar instala uma base na ilha.
1988 - O arquipélago se transforma em Parque Nacional Marinho.

Mapa de Fernando de Noronha.

A BELEZA DAS PRAIAS

Dezesseis praias espetaculares contornam a ilha, que é dividida em dois lados, chamados de “mar de dentro” (voltado para o continente) e “mar de fora” (voltado para o continente africano). No mar de dentro ficam os locais mais procurados pelos turistas: Baia dos Golfinhos, Baia do Sancho, Baia dos Porcos, Praia da Cacimba do Padre, Praia do Bode, Praia do Americano, Praia do Boldró, Praia da Conceição, Praia do Meio, Praia do Cachorro e Praia do Porto.

Ø A Baia do Sancho. Essa praia é minha preferida na ilha. Aliás, não só minha como de muita gente. Foi eleita pela revista Veja com base nos comentários do TripAdvisor como a praia mais bonita do mundo. A Baía do Sancho é uma pequena enseada de acesso difícil. No entanto, todo o esforço é compensado com o que a natureza oferece. Para se desfrutar dessa beleza, é preciso descer duas escadas de ferro totalmente verticais encravadas na pedra, além de mais uns duzentos degraus irregulares, feitos na própria encosta. É indispensável andar sempre munido de snorkel, máscara e pé de pato, para não perder nada. As águas são calmas e transparentes, de um azul encantador e o mar repleto de raias, tubarões, tartarugas, peixinhos e golfinhos. Outra opção é ir até lá de barco.

Importante: para visitar a Baía do Sancho é preciso fazer o controle de entrada no PIC (Ponto de Informação e Controle) que fica dentro de uma lojinha com lanchonete, banheiros e aluguel de material para mergulho. Portanto, é preciso apresentar o ingresso do Parque Marinho que tem prazo de validade de 10 dias, a partir de sua compra. O valor para brasileiros é de 81 reais e para estrangeiros 162 reais.

* Os pontos de vendas dessas carteirinhas de ingresso são no quiosque da Praça Flamboyant, no PIC Sancho e no centro de visitantes do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), no Boldró. www.parnanoronha.com.br



Baía do Sancho. 

Ø A Baia dos Porcos. É considerada uma das praias mais bonitas do Brasil. Tem um mar azul-turquesa cristalino que ocupa uma faixa de areia de apenas 100 metros e concentra piscinas naturais deliciosas na maré baixa. O acesso é feito através das pedras, pela Praia da Cacimba do Padre. Ao entrar no mar é preciso tomar cuidado para não pisar em uma raia. Há muitas delas na beira d’água, lisas e pintadas, grandes e pequenas. Não dá para ir à Noronha e deixar a Baía dos Porcos fora do programa.

O acesso à Baia dos Porcos não é dos mais fáceis, 
mas vale cada degrau que se sobe e desce pelas pedras.

Ø As praias da Conceição, Meio, Boldró, Americano, Bode, Cacimba do Padre e Cachorro são as preferidas dos surfistas podendo ter ondas de mais de três metros de janeiro à março. Cada praia tem o seu charme especial.

A Conceição é o point do momento. A praia fica no sopé do Morro do Pico. É uma das maiores praias da ilha. A galera costuma se encontrar ali para uma partida de futevolei, para tomar sol, correr ao entardecer ou para beber alguma coisa no Duda Rei. O ceviche do Duda Rei anda muito bem falado.

Praia da Conceição. 

Mais alguns passos e se chega à praia do Meio onde a galera costuma curtir o por do sol comendo sushi ao som de um DJ, no Bar do Meio.

Por do sol visto do Bar do Meio.

O Boldró tem piscinas naturais espetaculares na hora da maré baixa (consulte a tábua da maré). E o melhor, só pra você. A praia costuma ficar vazia, pois o acesso é difícil. Os surfistas adoram as ondas que se formam nessa praia.

Piscinas naturais da praia do Boldró.

A Cacimba do Padre é uma praia relativamente tranquila. Também é adorada pelos surfistas. Tem um peixinho assado na brasa excelente no Bar das Gêmeas (muito simples) e é caminho para se chegar à paradisíaca Baía dos Porcos.

Cacimba do Padre tem sempre uma legião de surfistas na água.

A praia do Cachorro é a preferida dos surfistas e na maré cheia não tem como entrar, pois a faixa de areia fica totalmente coberta.

Praia do Cachorro.

A praia do Bode é praticamente a continuação da Cacimba do Padre. Também tem piscinas naturais na maré baixa. Ao lado fica a praia do Americano pequenina e sempre deserta. Durante o período de ocupação militar, a praia era usada como Posto de Observação e seu uso era proibido inclusive pela população da ilha.

As praias do Bode e do Americano podem ser avistadas do Forte de São Pedro do Boldró.

Ø O Porto de Santo Antônio é um local calmo e de fácil acesso para mergulho de superfície. Com o auxílio de um snorkel se pode ver o navio grego Eleani Stathatos naufragado em suas águas transparentes e milhares de peixinhos coloridos que fazem da embarcação sua morada. Atualmente, pranchas de SUP são alugadas no Porto. O pier do Porto é usado como ponto de chegada e saída de embarcações de carga, pesca e de passeios.


Praia do Porto. Na maré baixa se formam piscinas naturais no canto esquerdo.
.
Ø A Baia dos Golfinhos é um mirante de 60 metros de altura, estrategicamente posicionado para estudos sobre os hábitos desses mamíferos. Pode-se ver a entrada dos golfinhos de manhã cedo na ilha e assistir um show de piruetas. É lá que eles chegam em grandes grupos, ficam brincando e descansando a partir das 6 horas da manhã. Os biólogos oferecem binóculos aos visitantes, além de dar algumas explicações interessantíssimas sobre a vida dos Golfinhos Rotadores. Mas, se der preguiça de acordar cedo não tem problema. Os golfinhos costumam ficar o dia todo circulando e se exibindo na baía. O acesso é pela lojinha da Baía do Sancho. Uma caminhada de 20 minutos por uma pequena trilha leva ao mirante.

Baía dos Golfinhos.

Uma trilha de pouco mais de um quilômetro leva ao Mirante da Baía dos Golfinhos.

 Baía dos Golfinhos.


No lado do mar de fora estão a Praia do Atalaia, a Baía do Sueste (base do projeto Tamar de preservação de Tartarugas Marinhas) e a Praia do Leão.

 Ø A Praia do Atalaia tem uma imensa piscina natural com acesso bastante controlado. No máximo 100 pessoas tem permissão de entrar na praia por dia. Portanto, ao chegar na ilha já faça uma reserva para garantir sua vaga. O trajeto é feito a pé, a partir do ponto de apoio do ICMBio, na Vila do Trinta, em uma caminhada que dura em torno de 30 minutos.  Ao chegar lá, o visitante é recebido por um biólogo e instruído a não tocar em nada, não assustar os peixes e permanecer por no máximo 30 minutos com máscara e snorkel nesse aquário a céu aberto que tem profundidade menor do que um metro. É inacreditável o que se pode observar. Peixes, muitos peixes, cardumes inteiros que nem se incomodam com a presença constante dos visitantes em seu habitat natural, filhotes de tubarão, tartarugas, polvos, moreas e mututucas.

Importante: reserve antecipadamente para garantir uma vaga. Não deixe de ir. Lembre-se que você precisa ter a carteirinha de ingresso ao Parque Marinho e pode escolher entre fazer a trilha curta  com duração de duas horas (sendo 30 de caminhada, mais um tempo de espera, 30 minutos mergulhando e outros 30 minutos para retornar) ou a trilha longa com duração de 4 horas e a companhia obrigatória de um guia.

OBS: É proibido o uso de filtro solar.

Vale a pena a caminhada de meia hora para um mergulho de snorkel na Praia do Atalaia. Realmente, parece um aquário. Por ali peixinhos de todas as cores, polvos, tartarugas e até filhotes de tubarão transitam na maior calma em meio aos visitantes.
.
Ø A Baia do Sueste é o paraíso para se nadar entre tartarugas e tubarões. Essa é uma praia de mangue, portanto um pouco mais turva do que as outras. Mar calmo. Os animais encontram alimentos em abundância e com um equilíbrio ecológico tão perfeito nem os tubarões atacam humanos. Os ilhéus costumam dizer que os tubarões são “vegetarianos” em Noronha.

Importante: Na entrada da Baía do Sueste tem um PIC (Ponto de Informação e Controle). Eles oferecem toda a infraestrutura para os visitantes: material de mergulho, colete para flutuação (obrigatório) e guias preparados. É preciso apresentar a carteirinha de ingresso ao Parque Marinho.

Baía do Sueste.

Ø A Praia do Leão é a mais extensa do arquipélago. O acesso é difícil e as ondas são enormes, na maior parte do tempo. Há um ponto de observação do alto do morro para quem quer admirar a paisagem em matizes de azul e verde sem perder o fôlego. No final da praia, no canto que fica à direita, durante a maré baixa, piscinas naturais se formam.

Praia do Leão. Ponto de desova das tartarugas marinhas.
.
É PROIBIDO!!!!

MERGULHAR COM OS GOLFINHOS.
CATAR CONCHINHAS.
ACAMPAR NAS PRAIAS.
MEXER NOS CORAIS
DEIXAR LIXO ESPALHADO PELO CHÃO.
PISAR NAS AREIAS À NOITE, ENTRE OS MESES DE DEZEMBRO E JULHO, POR CAUSA DA DESOVA DAS TARTARUGAS.

MERGULHAR É PRECISO

O mergulho, certamente, é a maior atração de Fernando de Noronha. As águas são tão transparentes que a visibilidade no fundo do mar pode ir além de 20 metros. Visitar o arquipélago e não mergulhar é um pecado. Pode-se contemplar um sistema natural com aproximadamente 230 espécies de peixes, quinze variedades de corais e cinco de tubarões.

Para a prática do mergulho livre, com máscara, snorkel e pés de pato, os locais mais indicados são a Baía dos Porcos, Baia do Sancho, Baía de Sueste e Praia de Atalaia. O mergulho autônomo, com cilindro de ar comprimido é o mais praticado nas ilhotas do arquipélago, como a Ilha Rata, Morro de Fora e Ponta da Sapata. Mergulhar com cilindro é programa indispensável no roteiro de Fernando de Noronha, existindo diversas operadoras locais que fazem o aluguel de equipamentos e o “batismo de mergulho” – primeira experiência com cilindro em mergulho autônomo.

Mergulhar com cilindro é obrigatório em Noronha.

PASSEIOS DE BARCO E MERGULHO

Melhores operadoras para scuba diving são a Atlantis Dive, Águas Claras e Noronha Dive.

Mergulho de profundidade pode ser aprendido com o "Bodão" na Praia do Porto.

Para ver os golfinhos faça um passeio de barco até a Ponta da Sapata ou até a Baía do Sancho.

Passeios privados podem ser feitos com a Costa Blue, Na Onda, Alquimista ou Happy Day.

Aluguel de barco mais exclusivo da ilha é o Maria Bonita do Zé Maria tel: 81 3619.1258

Pescaria é com o Zé Maria e Fish Hunter.

 Zé Maria não brinca na pescaria.

COMO E ONDE CIRCULAR PELA ILHA O aeroporto fica bem no centro da ilha e a BR 363 serpenteia por toda a ilha numa extensão de aproximadamente 10 quilômetros. Essa é uma das poucas vias asfaltadas. As pequenas estradas que levam aos vilarejos e às praias são de terra, por isso uma boa opção para se aventurar pela ilha é o buggy – meio de transporte mais usado por lá.

Buggy é a melhor maneira de se locomover pela ilha. Sentado no carro, Pedrinho. Um cabra animado e pra lá de conhecido em Noronha nos ajudando a conhecer os cantinhos mais escondidos do pedaço.

A Vila dos Remédios foi onde começou a urbanização e ainda preserva traços históricos como fortes, igrejas e casarões do século XVIII, dentre eles a Fortaleza de Nossa Senhora dos Remédios, o Palácio São Miguel (atualmente, sede administrativa da ilha), igreja de Nossa Senhora dos Remédios de 1737 e Memorial de Fernando de Noronha.

Igreja de Nossa Senhora dos Remédios.

Na Vila do Trinta, fica o Centro Comercial de Noronha onde no passado funcionou o 30º Batalhão de Caçadores Militares e hoje conta com supermercado, padaria e lojas de artesanato. Tudo muito simples e em total sintonia com a natureza que é a grande estrela de Noronha.

MAIS ALGUNS PASSEIOS

1. Ao chegar na ilha o ideal é fazer um “ilha tour” para tomar intimidade com o local. Com o auxílio de um mapa ou acompanhado por um guia é possível em um dia conhecer todas as praias e os vilarejos de Noronha. Assim, fica mais fácil escolher a programação para os dias seguintes.

2. Um passeio de barco pelo mar de dentro garante outro olhar para as belezas da ilha. Os barcos partem do Porto e vão até a Ponta da Sapata, onde o mar fez um buraco no paredão de pedra. O passeio pode ser em grupo ou em barco alugado só para a família. Ao longo do trajeto é comum ter a companhia de golfinhos saltando perto do barco. Uma parada na Baia do Sancho, para banho, dá um toque especial ao percurso.

3. O plana-sub ou aqua-sub (nome dado pelas operadoras locais) é um passeio de barco, realizado em locais de mar calmo para mergulho de superfície com snorkel e máscara, onde um grupo de três a cinco pessoas é puxado por uma corda amarrada ao barco e que tem na sua extremidade uma pequena prancha que servirá de apoio para as manobras de mergulho. É muito divertido e se pode ver o navio naufragado no Porto, tartarugas, raias e cardumes enormes de peixes coloridos.


4. O pôr-do-sol no Forte do Boldró é o ponto de encontro do final de tarde. Muita gente se reúne para reverenciar os tons alaranjados e rosados que colorem o céu de Noronha por volta das 6 horas da tarde.

Por do sol no Forte do Boldró.

5. As palestras do Projeto Tamar acontecem diariamente às 20:30 hs. São apresentados temas variados a cada noite. Um vídeo abre a apresentação e a seguir um biólogo aborda determinado tema, que pode ser sobre tartarugas, tubarões, golfinhos rotadores e outros.

Desova de artarugas do Projeto Tamar.

QUANDO IR

Noronha é uma boa escolha em qualquer época do ano. De setembro a março, o clima é seco e a paisagem amarelada. Nos meses de abril a agosto chove mais, mas a paisagem terrestre é mais bonita. Mergulhadores preferem os meses de julho a setembro, quando as águas estão mais calmas e transparentes. Já os surfistas encontram as melhores ondas em dezembro e janeiro. Para fazer trilhas, os meses ideais são setembro e outubro, quando a ilha continua verde e as chuvas cessam.

PAGAMENTO DA TPA

Para os turistas entrarem na ilha é cobrada pela Administração de Fernando de Noronha uma Taxa de Preservação Ambiental (TPA) que pode ser paga pela internet antes da viagem ou no próprio aeroporto ao chegar na ilha.

Se optar por pagar pela internet saiba que é preciso preencher o formulário com seus dados e informações sobre a viagem. Para isso, é importante que você saiba antecipadamente seus voos de chegada e saída, quantos dias permanecerá na ilha e onde ficará hospedado. Com esse procedimento será gerada uma guia de identificação pessoal, boleto bancário e Ficha de Controle Migratório. No aeroporto, todos esses documentos serão checados. Há uma fila para quem pagou tudo antecipadamente e outra para quem pretende pagar no balcão. As duas filas costumam ser grandes em alta temporada.

A taxa é cobrada de acordo com os dias de permanência da ilha. Por exemplo, para um dia o visitante deve pagar R$48,20 (20 UFIR), para ficar sete dias a taxa é de R$ 298,84 (124 UFIR) por pessoa, mas quem pretende ficar um mês deve desembolsar o valor de R$ 3.976,50 (1.650 UFIR). Não é barato. E, isso serve exatamente para limitar o número de visitantes.

PREPARE O BOLSO

Tudo é caro em Fernando de Noronha, a começar pela passagem aérea. Mas, não é só isso. As pousadas são caríssimas. A alimentação tem preço salgado para o que oferece. Os passeios são caros. Além disso, geralmente é preciso andar com dinheiro vivo uma vez que os estabelecimentos não têm cartão de débito nem aceitam cartão de crédito.

COMO CHEGAR

As companhias aéreas Gol e Azul têm voos regulares para Fernando de Noronha.

POUSADAS

Há uma grande quantidade de pousadas na ilha. A maioria delas é muito simples. As que oferecem melhor serviço e conforto são: Triboju, Maravilha, Teju-Açú, Zé-Maria, Solar dos Ventos, Beijupirá e Pousada da Morena. As pousadas de categoria mais simples são: Pousada da Vila, Beco de Noronha, Pousada Alquimista, Mar Atlântico e Simpatia da Ilha. Nenhuma delas fica na praia. Mas, a ilha é pequena e o acesso a qualquer lugar é fácil e rápido.

Pousada Triboju.

RESTAURANTES

Já se foi o tempo em que era difícil comer bem em Noronha. Agora, os restaurantes têm chefs vindos de vários cantos do mundo e há muitos lugares onde se come super bem. Claro, que sempre dentro do esperado para uma ilha distante e muito simples.

Xica da Silva. Fica na Floresta Nova e está aberto para almoço e jantar. Peça como entrada os bolinhos de macaxeira com carne de sol. Os sucos da casa são muito bons. Os pratos principais mais pedidos são o Baião de Dois e o Peixe com Purê de Abóbora recheado com camarões.

Varanda. Fica na Vila do Trinta perto do Porto. Comece pedindo um mix de pastéis e como prato principal a casa sugere os gratinados de fruto do mar, o camarão na abóbora ou o peixe em crosta de castanha.

Mergulhão. Fica no Porto e tem um visual lindo. É perfeito para se curtir o por do sol beliscando as entradinhas. Os camarões são gigantes e deliciosos.

Esse é o visual que se tem das mesas do Mergulhão. 

Beijupirá. Fica na Pousada Beijupirá e tem um cardápio criativo já bem conhecido dos frequentadores de Porto de Galinhas. Delicioso. Ambiente bem simples e rústico. Atendido com muita simpatia, apesar do serviço lento. Mas, para que pressa?

Bar do Meio. Esse bar fica entre as praias da Conceição e praia do Meio. É um ótimo lugar para se curtir o por do sol e comer um sushi. Bem simples. Pé na areia.

Bar Duda Rei. Outro bar de praia e que está em alta. A galera que vai badalar na praia da Conceição aproveita para comer um ceviche e beber alguma coisa.

Bar das Gêmeas. Se quiser comer um peixe inteiro assado na brasa preparado bem ao estilo da ilha vá ao bar pé na areia das Gêmeas. Peixe super fresco e delicioso.

O Pico. Esse restaurante com carinha de bistrô fica dentro de uma lojinha quase na entrada para a pousada do Zé Maria. No almoço serve a sugestão do chef em entrada, prato principal e sobremesa. À noite, o cardápio é normal.

Tricolor. Esse restaurante fica na Vila dos Remédios e serve uma moqueca com a cara da ilha. A proprietária é quem cozinha e o marido dela atende as mesas. Muito simpático.

Zé Maria. Conhecido na ilha pelo festival que serve às quartas e sábados. Faça reserva, principalmente nas épocas de alta temporada.

Mundo Verde. A lojinha vive cheia daquela galera natureba (onde me incluo, rs) que não vive sem um pote de açaí e sem uma bela tapioca.


DICAS DE BALADA DADAS PELO MEU AMIGO PEDRINHO, MORADOR DE NORONHA E UM AMANTE DA NOITE NA ILHA

Segunda-feira é dia de maracatu no Bar do Cachorro depois das 23 hs e mais tarde tem forró.

Terça é o dia do Ginga Bar com pop rock das 21 horas até meia noite.

Quarta, novamente tem forró no Bar do Cachorro depois das 22 hs.

Quinta tem reggae na Pizzaria Musenza depois das 23 hs.

Sexta é dia de forró no Bar do Cachorro depois das 22 hs.

Sábado é dia de reggae outra vez na Pizzaria Musenza.

Domingo é dia de MPB no restaurante O Pico depois das 20:30 hs. E, depois da missa, tem samba na Pizzaria Musenza que fica ao lado da igreja N. S. dos Remédios.

De camisa azul, o famoso Pedrinho, o rei da noite de Noronha.

RESUMINDO AS PRAIAS

Baía do Sancho para curtir a melhor praia do Brasil e mergulhar com snorkel. Para entrar precisa ter a carteirinha.

Conceição é o point da galera que adora esportes. Surf e futevolei. Tem como ponto de apoio o Bar Duda Rei e o Bar do Meio.

Boldró é sempre vazia e tem piscinas naturais maravilhosas na maré baixa. 

Baía do Sueste para fazer mergulho de snorkel com guia e observar tartarugas, raias, peixes coloridos e tubarões. Precisa da carteirinha, colete para flutuação e guia.

Porto é boa para mergulhar com snorkel e ver o navio naufragado, tem pranchas de SUP para alugar e na maré baixa fica com piscinas naturais nos corais do canto esquerdo. 

Leão é local de desova de tartarugas. É uma praia muito perigosa. Tem muitas correntes e já houve casos de afogamento. Bacana para relaxar, ler um livro, namorar, ver tartarugas. É bem vazia e o acesso é íngrime. Não tem nenhuma infraestrutura. 

Atalaia. Lugar maravilhoso para mergulhar de snorkel e se sentir dentro de um aquário. É preciso ter a carteirinha e agendar previamente. Imperdível!!!!

Cacimba do Padre é a preferida dos surfistas e passagem para a Baía dos Porcos.

Baía dos Porcos é ótima para mergulhar com snorkel na maré cheia. 

Baía dos Porcos.

E assim começa o ano de 2015. Cheio de boas energias vindas do paraíso brasileiro Fernando de Noronha. 

Se você ainda não conhece coloque já na sua lista de prioridades. 
É um dos lugares mais bonitos do mundo!!!

* Esse post foi atualizado em janeiro de 2015. 


Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Adorei saber um pouco sobre Fernando de Noronha....Gostei do Blog !

    ResponderExcluir
  2. Monica.
    Obrigada pela visita.
    Quando puder visite Noronha. Você não vai se arrepender!

    ResponderExcluir
  3. Olá!!
    Adoro seu blog.. está nos meus favoritos!! Em Maio de 2009 estive com minha esposa em Noronha.... lindo d mais mesmo!
    Fomos a Buenos Aires, depois fomos pra Porto de Galinhas e por ultimo Noronha!!! Adoro viajar!!!
    Esse ano iremos em maio para Fortaleza, Jeri, São L do MAranhão e Lençóis Maranhenses!!
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Gostaria muito de ir a Fernando Noronha, especialmente para fazer mergulho, mas também gosto muito de boa hotelaria, qual seria a melhor opção?

    www.myfavouriterestaurants.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Quanto as pousadas, a melhor delas mas também a mais cara é a Pousada Maravilha. Gostei muito da Teju-Açu. Pequena e aconchegante com quartos bem decorados e bom serviço. O restaurante é bom com um café da manhã delicioso.
    Zé-Maria é a mais conhecida (mas, confesso que não gostei nem das instalaçoes, nem do cheiro, nem do restaurante...sorry...falei...).
    Fernado de Noronha vale a pena!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Oi Claudia, ha pouco tempo que conhecí seu blog, parabens por ele, é impressionante como vc escreve bem e consegue passar exatamente como são os lugares.
    Quanto a Fernando de Noronha, é realmente um pedaço do céu, mas administrado pelo próprio diabo, rs.
    É uma pena ver uma quantidade enorme de dinheiro que é arrecadado com a taxa de turismo não ser usado em prol da ilha, indo tudo para Recife. Estive lá em 2008 e a ilha já esta se tornando uma favela, as casa das pessoas são feitas de tijolo, pior que muitas construções da Rocinha.
    A ilha não tem nenhuma infra-estrutura e usam o agumento ecológico para que não seja feito nada.
    Como turismo natural é ótimo, mas como turismo de uma forma geral achei bem complicado. Come-se mal, gasta-se muito, não tem NENHUMA vida noturna. Enfim acho que poderia ser muito mais do que é.
    Rodrigo.

    ResponderExcluir
  7. É Rodrigo!
    Todo lugar tem um lado A e um lado B.
    Mas, confesso que me diverti muito. Especialmente por não ter turismo de massa. Fiquei perplexa quando vi um navio enorme despejando gente pelo ladrão. Vida noturna tem pouca. Para quem gosta...deve fazer falta.
    Valeu!

    ResponderExcluir
  8. Oi Claudia!! Primeiramente queria parabenizá-la pelo maravilhoso blog!

    Gostaria que me desse uns palpites de pacotes ALL INCLUSIVE para minha lua de mel, que será em julho ou outubro deste ano...
    Será que pode me ajudar? Estou meio perdida!
    Meu orçamento é em média de R$ 3.000,00 PARA O CASAL!! Desde já lhe agradeço!!

    ResponderExcluir
  9. Olá Claudia! Obrigada pelas informações! Muito úteis! Queria saber se em Noronha, conseguimos visitar as praias sozinhos ou precisa sempre ter um guia para acessar as trilhas. para os passeios, você recomenda reservar com antecedência? recomenda alguma empresa?
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  10. Oi Anônimo,

    Para quem vai pela primeira vez sugiro fazer um "Ilha Tour" para começar o namoro com a ilha. No texto falo os passeios que só podem ser feitos com guias e os que podem ser feitos por conta própria. Boa viagem.

    ResponderExcluir
  11. Oi Claudia, adorei o post com as informações. Sou do blog turistando com a Lu e queria saber se vc indicaria essa viagem com filhos pequenos (2 aninhos). Estou planejando uma viagem pra lá e um casal de amigos com filhos se interessou. O que vc diria? Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu,

      Acho que tem outros lugares mais fáceis para crianças pequenas. Tem muita gente que leva os filhos pequeninos, mas o meio de transporte mais usado na ilha é o buggy. Não tem hotéis pé na areia. Então, é preciso fazer deslocamentos o tempo todo. Se o casal for descomplicado funciona, caso contrário, não.

      Espero ter ajudado.

      Claudia

      Excluir
  12. Boa TARDE!!

    vcs sabem como eh o clima em junho. e se normalmente tem promoção

    Desde ja Agradeço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suelen,

      Noronha é quente o ano todo. Refresca um pouco de noite.

      Quanto a promoções você conversar com agências de turismo.

      Boa viagem.

      Excluir

Deixe seu comentário. Obrigada!