UM DIA DE MUITA REFLEXÃO EM HIROSHIMA


Já se passaram 70 anos desde as oito horas e quinze minutos da manhã do dia seis de agosto de 1945. Foi quando a tragédia causada pela primeira bomba atômica mudou o mundo. Uma cidade inteira foi destruída sob um cogumelo de fogo e fumaça. Milhares de vidas foram perdidas de maneira insana. Muitos dos que sobreviveram carregaram pelo resto da vida ou ainda carregam o sofrimento dos danos físicos e emocionais irreparáveis causados pela estupidez humana e pela ganância do poder. Entrava no ar a Era Nuclear.

A bomba foi lançada sobre esse prédio. Explodiu 600 metros acima dele. Milagrosamente ele não foi abaixo e continua como na foto até os dias de hoje. Um monumento ao horror. 
É o Domo da Bomba Atômica.

 Por muito tempo havia controvérsias entre demolir o domo ou deixar em pé. Em 1967, foi decidido que seria conservado como um monumento. Em 1996, o Domo da Bomba Atômica foi registrado como Patrimônio Mundial da Paz.

A bomba Little Boy lançada em Hiroshima pelos Estados Unidos durante a Segunda Guerra tinha mais ou menos 3 metros de comprimento e pesava 4 toneladas. Era considerada pequena. Ela explodiu 600 metros acima do centro da cidade e irradiou ondas de imenso calor que chegaram a 1 milhão de graus Celsius, além de muita radioatividade liberada pela fusão de plutônio com urânio. Praticamente todos os prédios que estavam num raio de 2 quilômetros do epicentro da bomba foram destruídos. Cerca de 140 mil pessoas perderam suas vidas. Na época, a cidade tinha 350 mil habitantes e era um forte centro militar.

Visitar o Parque do Memorial da Paz de Hiroshima causa um tremendo pesar. Expõe uma ferida que parece fechada mas que nunca vai cicatrizar. Cada objeto, cada foto, cada texto exposto no museu personifica o horror sofrido por uma nação.

 Memorial da Paz de Hiroshima.

Chama eterna, Mausoléu Cenotáfio. 

Monumento à Paz dedicado às crianças.

Andar pelos corredores do museu, atravessar os jardins sombrios do memorial e chegar até o Domo da Bomba Atômica, que inexplicavelmente se mantém de pé, causa momentos de profunda reflexão. Todos caminham perplexos. Olhares tristes de quem mal acredita no que vê. Impossível não se emocionar. Meus olhos se encheram de lágrimas diversas vezes.

Fotografias são permitidas no museu. Mas, quem se atreve a apontar a câmera para registrar aquelas cenas?

O valor do ingresso é irrisório, 50 yens, para que todos possam visitar e entender que é preciso abolir esse tipo de arma da face da terra. Os danos causados pela bomba atômica são tão catastróficos que a humanidade não pode coexistir com armas nucleares. Está aí Hiroshima (e Nagasaki) para contar esse capítulo hediondo da história da humanidade.

E, por incrível que pareça, Hiroshima renasceu das cinzas. A cidade se recuperou com força total e tenta mostrar ao mundo todo com dignidade que a comunhão entre os povos é possível e que a paz é a saída.


Hiroshima hoje é uma cidade moderna. Pelas ruas, muitas lojas e  bondes elétricos. 


Um belo exemplo da rápida reconstrução da cidade está no Castelo de Hiroshima. Ele originalmente foi construído por Mori Terumoto, no século XVI como um centro feudal que abrigou muitos lordes até o século XIX. Quando o sistema feudal foi abolido, passou a ser usado com fins militares até ser destruído pela bomba atômica. Em 1958, a torre principal foi reconstruída e hoje é usada como museu. O complexo também inclui o templo Hiroshima Gokoku Jinja e áreas de ruínas do castelo original. Um grande fosso cerca o complexo. O valor do ingresso para visitar a torre do Castelo Imperial é 370 yens.

 Muralhas do Castelo de Hiroshima.

Ruínas do castelo e ao fundo a torre reconstruída.

A Torre do Castelo de Hiroshima abriga um museu. 

  Menino em trajes típicos em frente ao templo Hiroshima Gokoku Jinja.

Outro lugar que merece uma visita, pertinho de Hiroshima é a ilha de Miyajima. São apenas 10 quilômetros. Dá para ir até lá de trem descendo na estação Miyajima-guchi, de bonde elétrico descendo em Hiroden-Miyajima-guchi ou de taxi. Depois é preciso tomar um ferry que chega na ilha em 10 minutos. O próximo post será dedicado à Miyajima. 

 Mapa da ilha de Miyajima.


PRINCIPAIS PONTOS DE INTERESSE EM HIROSHIMA

Museu Memorial da Paz, Parque da Paz, Memorial das Crianças, Genbaku Dome e Mausoléu Cenotáfio (isso tudo fica na mesma área)
Castelo de Hiroshima
Ilha de Miyajima com seus templos, o tori sobre a água, cervos soltos pelo parque e a subida de teleférico ao sagrado Mt. Misen

COMO SE LOCOMOVER PELA CIDADE

Use bonde elétrico e trem para se locomover pela cidade. Mas, saiba que são lentos por fazer muitas paradas ao longo do trajeto.

INDICAÇÃO DE HOTEL

Hotel Ana Crowne Plaza fica a duas quadras do Memorial da Paz. Diária 15 mil yens. Fique no 20 andar do Club Floor que tem quartos mais simpáticos e banheiros recém reformados. Bom café da manhã.

Outras opções de hotel perto da estação de trem são o Sheraton e o Granvia.

COMO CHEGAR

O trem bala de Tóquio para Hiroshima leva 4 horas. Preço 26 mil yens por pessoa na primeira classe.

LEIA TAMBÉM SOBRE

Roteiro Japão

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Não me importava nada de visitar este lugar, parece realmente ser fantástico e uma experiência única.

    ResponderExcluir
  2. Maria,

    Esse é um lugar que todos deveriam visitar para sedimentar o fato de que coisas assim não poderiam acontecer entre os povos. É um lugar sombrio e triste, mas que merece nossa reverência e muito respeito.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!