BIENVENUE A PARIS


Quer fugir daquele tipo de viagem que desperta apenas o consumismo desenfreado e mergulhar de cabeça onde o mundo fez história? E ainda, de quebra, acender o fogo da paixão? Isso não quer dizer que a Louis Vuitton e o aroma dos perfumes não aticem quem circula por lá. Mas, com certeza, a história grita mais alto. Então, que tal dar um pulinho à França? Berço do Iluminismo. Ela influenciou o mundo inteiro com valores de liberdade, igualdade e laicidade no decorrer do século XVII - “Século das Luzes”. Cultura, arte, arquitetura e marcas do passado estão preservadas tanto na frenética capital, Paris, como nas românticas cidades do interior. Obras renascentistas, arte barroca, estilo gótico e rococó convivem pacificamente com o modernismo. Pelas ruas o cheirinho tentador das boulangeries e patisseries convida ao deleite. É uma festa para a mente, para o coração e para os sentidos. Vinhos, castelos, camembert, revoluções, baguetes, croissants, museus, cafés e não para por aí. Ah! Vai um croque-monsieur com uma taça de “champagne”? Santé!


PARIS, CIDADE LUZ

Romântica, madura, elegante e sempre surpreendente. É impossível ficar indiferente aos apelos da capital francesa. Debruçada às margens do Rio Sena, Paris é a cidade mais visitada do mundo! Para entender e dominar a cidade é preciso prestar atenção às referências que o Sena define. Margem direita ou Rive Droite abriga o elegante bairro de Champs-Elysées, Madeleine, Marais, Chatelet-Lês Halles e Palais Royal.

E o Rio Sena corre lentamente indiferente ao turbilhão de gente que vai e vem em Paris.

Na intelectual margem esquerda ou Rive Gauche é onde ficam alguns dos bairros históricos mais conhecidos, como Saint-Germain, Invalides e Quartier Latin. Com essa perspectiva fica fácil se achar pela cidade e encontrar as principais atrações: Museu do Louvre, Torre Eiffel, Pompidou, Notre-Dame, Basílica de Sacre-Coeur, Museu D’Orsey, Opera, Moulin Rouge, Arco do Triunfo...

Basílica de Sacre-Coeur.

Além disso, se a intenção é entrar em sintonia de cara com os franceses é preciso se esforçar para falar francês. Assim, tudo ficará mais fácil. Então, vamos por partes. A primeira imagem que vem a cabeça de quem pensa em Paris é a Torre Eiffel. Símbolo supremo da cidade. Ela foi construída por Gustave Eiffel para a Exposição Universal de 1889, período em que a Revolução Industrial estava em ebulição. Escandalizou os críticos contemporâneos, o que prova que nem sempre a crítica tem razão. Foi projetada para comemorar o centenário da Revolução Francesa e seria desmontada pouco tempo depois, mas o sucesso foi tão grande que ela nunca mais saiu de lá. A torre tem três níveis. O primeiro, com apenas 57 metros de altura, pode ser alcançado pela escada de 360 degraus, pois as filas são sempre enormes para se tomar o elevador. No segundo nível é onde fica o Restaurante Julio Verne, um dos melhores de Paris tanto pela comida como pela vista. Indo de escada são 700 degraus, portanto o elevador é mais prático. O terceiro nível tem 274 metros de altura, só pode ser alcançado de elevador e têm limitação para o número de visitantes, no máximo 800 pessoas de cada vez. A altura total da torre é de 320 metros e se manteve como o edifício mais alto do mundo até 1931, ano em que foi inaugurado o Empire State Building de Nova York. Mesmo que a paciência seja curta para esperar na fila do elevador, pela menos uma foto deve ser levada como prova de que a Cidade Luz foi visitada.

Torre Eiffel à luz do dia, linda de perto ou de longe. 

Bem em frente à torre, em uma pequena colina que fica do outro lado do rio, ficam o Palais de Chaillot e o Jardin du Trocadéro. Foram construídos para a Exposição Universal de 1937. O palácio aloja quatro museus em suas alas em colunatas, um teatro e um cinema. Já, os jardins franceses são impecáveis. Continuando a caminhada chega-se ao Arco do Triunfo. O monumento foi construído por ordem de Napoleão para celebrar suas vitórias. Fica bem no centro de uma pequena praça redonda chamada de Place de l’Etoile. Tem 50 metros de altura e o acesso é fácil. Lá de cima, o visual é lindo. Doze avenidas foram projetadas por Georges-Eugène Haussmann em forma de estrela, a partir do arco, para substituir as ruas apertadas e insalubres da cidade medieval, segundo Napoleão. O novo plano redesenhou a cidade num padrão geométrico interessante com ruas largas e ventiladas. A Avenue Champs-Elysées é a principal rua que parte do arco e a mais badalada da região, mas já foi um pântano. É um bom lugar para se tomar um café, escolher um restaurante ou bisbilhotar os ousados protótipos futuristas de veículos de todas as marcas nas vitrines das lojas.


Ao fundo, o Arco do Triunfo.

Andando sempre pela Avenida Champs-Elysées em direção ao Louvre, várias maravilhas arquitetônicas brindam o trajeto. O Petit Palais funciona como um museu e também foi construído para abrigar uma Exposição Universal, a de 1900. Em frente fica o Grand Palais com uma imponente fachada clássica feita em pedra, um magnífico telhado de vidro, estátuas de bronze e muito ferro trabalhado ao estilo Art Nouveau. Foi construído ao mesmo tempo em que o Petit Palais.

O telhado de vidro do Grand Palais é uma obra-prima.

Também por ali fica o Palais de l’Elysées que é cercado por um belíssimo jardim. Foi construído em 1718 e tem sido a residência oficial do presidente da República desde 1873. Ainda nesse trajeto fica a Place de la Concorde, uma das praças mais suntuosas e históricas da Europa. Inicialmente era chamada de Praça Luis XV quando o rei mandou que sua estátua equestre fosse colocada em lugar de destaque. O monumento durou menos de 20 anos e foi substituída por uma guilhotina, chamada de Viúva Negra. O nome da praça mudou para Praça da Revolução e Luis XV foi decapitado ali, em 1793, seguido por mais de mil outras vítimas. Com otimismo, ao acabar a revolução a praça foi denominada de Praça da Concórdia.

Place de la Concorde.

Ao lado da praça ficam duas mansões neoclássicas: o Hôtel de la Marine e o imperdível Hôtel Crillon. Também fica perto a Igreja de Ste-Marie de la Madaleine que foi construída por Napoleão em estilo greco-romano e mais parece um imenso templo da Grécia Antiga do que igreja católica. Tem 52 colunas coríntias de 20 metros de altura e nenhuma cruz no alto. Atrás dela fica o Fauchon, loja com produtos alimentícios de primeira qualidade com apresentação impecável que é como um parque de diversões para quem adora gastronomia. Merece uma visita, especialmente, de quem gosta de comer com requinte e com os olhos.

No final do dia um tom dourado embeleza ainda mais os prédios da Rue do Rivoli (rua que passa ao lado da Place de la Concorde).

Depois dessa paradinha e de um pequeno descanso é hora de seguir andando pelo Jardin de las Tullerias que se estende da Place de la Concorde até a Place du Carroussel. É um dos espaços abertos mais procurados de Paris. No verão muita gente senta por ali para tomar sol. O Musée de l’Orangerie fica numa esquina do Jardin de las Tullerias e é muito gracioso. Esteve fechado, em manutenção por um bom tempo, mas, felizmente, já abriu suas portas aos amantes de Monet, especialmente. Parte da série de ninféias, as pinturas do auge da carreira de Monet encontram-se em dois salões ovais no andar térreo. A sensação é de que você está dentro dos quadros, pois as telas são gigantescas e fixadas em paredes arredondadas. Um show. Também tem telas de Renoir, Cézannes, Picasso e vários outros pintores de destaque.

  
Com as paredes arredondadas a sensação é de estar dentro das obras de Monet. 
Acima alguns pedacinhos das ninféias. 

Agora chegou a hora da estrela maior de Paris. O Louvre. Ele contém uma das mais importantes coleções de arte do mundo e sua história vem dos tempos medievais. Já foi uma fortaleza construída em 1190 pelo rei Filipe Augusto para proteger Paris dos ataques vikings. No reinado de Francisco I, o calabouço e a torre foram substituídos por uma construção em estilo renascentista. Bem recentemente, em 1989, foi construída a pirâmide de vidro que serve como entrada. O acervo do Louvre é impressionante. Não dá para ver tudo de uma só vez. É preciso priorizar o que se quer ver. Entre os destaques: Mona Lisa (1504), de Leonardo da Vinci; Tumba de Phillipe Pot (século XV), de Antoine lê Moiturier; Vênus de Milo (século II AC), da Grécia; Cavalos de Marly (1745), de Guillaume Coustou entre tantas outras. É preciso um bom tempo para se aventurar pelas galerias do Louvre.

A pirâmide de vidro é a entrada do Louvre.

Ainda na margem direita do Rio Sena fica o Moulin Rouge. Tradicional teatro de shows de vedetes bailarinas de “cancan” que entrou em funcionamento em torno de 1900. De original da antiga casa noturna restam apenas as pás vermelhas do moinho do lado de fora. Toulose-Laautrec imortalizou os espetáculos de cancan nos seus desenhos. A Opéra-Garnier - um dos maiores teatros de ópera do mundo – foi projetada por Charles Garnier para Napoleão III. É uma construção extravagante, parecido com um bolo de noiva. Tem uma escadaria de mármore de Carrara magnífica e capacidade para 1.900 espectadores. Mais distante um pouco fica a Basílica de Sacré-Coeur, igreja neo-românica dedicada ao Sagrado Coração de Jesus que foi construída no período de 1870 a 1914 e abriga entre seus tesouros a imagem de Virgem Maria e o Menino, de Brunet. A igreja não é especialmente bonita, mas chama atenção pelo seu tamanho. A região de Lês Halles – Châtelet foi uma das primeiras ocupadas pelos parisienses. Lês Hallet era a zona de um antigo mercado fundado na Idade Média e Chatêlet era como se chamava a antiga fortaleza medieval que protegia a entrada da cidade. Atualmente duas construções supermodernas contrastam com os ares do passado: o Fórum dês Halles, centro comercial; e, o Centre George Pompidou, centro cultural. Esse último é um edifício pelo avesso. O esqueleto do prédio, escadas rolantes, elevadores e tubulações de água e ar ficam à mostra. O acervo de arte moderna do museu é enorme. Na praça, do lado de fora, pessoas se reúnem para ver artistas de rua.

As esculturas de Niki de Saint-Phalle, na fonte da Praça Stravinskij que fica ao lado do Centro Pompidou.
.
Cansou? Espero que não, pois ainda tem todo o lado esquerdo do Rio Sena. O Rive Gauche onde ficam os bairros históricos mais famosos de Paris, como, Saint-Germain, Invalides e Quartier Latin. Essa margem está associada aos poetas, filósofos, artistas e pensadores radicais. Ainda mantém o espírito boêmio e os cafés nas calçadas. O Quartier Latin, que fica entre o Sena e os Jardins du Luxembourg, é a área mais antiga, repleta de galerias de arte, e livrarias. É desse lado do rio que a fachada da Sorbone, primeira universidade francesa, de 1253, domina o cenário. Saint-Germain-des-Prés é um dos melhores lugares para se ter uma idéia de como era a cidade nos tempos da revolução. Deu para notar que Rive Gauche abriga a nata dos intelectuais chiques de Paris. Lês Invalides é um grande complexo de prédios e compreende o Hotel dês Invalides que foi construído em 1671, para acolher os veteranos de guerra feridos e sem lar, muitos dos quais haviam se tornado mendigos. Já abrigou mais de seis mil soldados e, atualmente, ainda acolhe um pequeno número deles – menos de cem pessoas. Mais tarde incorporou a Igreja Dôme com seu reluzente telhado dourado. Ela foi construída como capela particular por Luis XV. O complexo é uma obra prima da arquitetura francesa.

Boulevard Saint-Germain.

Ainda no Bairro dos Inválidos fica o Musée Rodin. Considerado um dos maiores escultores franceses, Rodin doou as obras que lá se encontram em troca de um apartamento de propriedade do Estado. “O Pensador” é sua obra mais importante exposta no museu. A medieval Catedral de Notre-Dame, as torres góticas do Palais de Justice e a obra prima da também gótica Sainte-Chapelle atraem os turistas à Ile de la Cite. As origens de Paris estão presas a essa pequena ilha em forma de barco no meio do Rio Sena. Era habitada pelos celtas no século III AC. Foi uma das tribos, a Parisii que deu nome à cidade. Isso tudo mostra que a cidade tem história, muita história. Em certos locais por onde se passa a sensação é de uma volta ao passado. É como se fosse uma viagem no tempo!

Para sair da Ile de la Cité basta atravessar o Rio Sena.

PARIS COM CRIANÇAS

Crianças precisam de atividades nas quais se divirtam ao seu modo. Chega um momento em que eles cansam de ver museus, construções antigas e comer em bons restaurantes. Então é a hora de uma pausa para os pequenos na Cidade das Ciências, no Parque Asterix ou na Euro Disney. A Cidade das Ciências é um enorme museu de ciências e tecnologia com cinco andares de atividades interativas para as crianças. Têm jogos sobre espaço, terra, oceanos capazes de entreter a galera mirim por um dia inteiro. É muito bacana. Vale a pena dar um pulo até lá. A Euro Disney tem dois parques temáticos: a Disneyland e a Walt Disney Studios. Fica em Marne-la-Vallée, subúrbio próximo de Paris. Em 40 minutos se vai do centro da cidade até lá. É bem menor do que o complexo de Orlando com o qual os brasileiros estão acostumados, mas a magia é garantida.

Euro Disney, diversão para toda a família.

O Parque Asterix fica próximo ao aeroporto Charles de Gaulle. Esse parque temático é baseado nas estórias em quadrinhos de Goscinny e Uderzo. É um sucesso na França. A arquitetura remete às viagens de Asterix e ao acampamento romano onde se dá a estória. Para divertir a turma tem atrações como passeios de carro em alta velocidade, carrossel, as façanhas dos Três Mosqueteiros, uma rua que reproduz Paris antiga e muito mais.

ATENDENDO AOS APELOS DO CONSUMO

E, como ninguém é de ferro, quase todos os desejos consumistas podem ser realizados em Paris. Na Rue du Faubourg Saint-Honoré e na Avenue Montaigne se encontram as extravagâncias da alta costura. Em Saint-Germain-des-Prés se acha arte, livros e objetos sofisticados. Marais é a Meca da vanguarda. A Rue de la Paix e a Place Vendôme são repletas de jóias e cristais. Ou seja, têm de tudo para todos os bolsos e gostos.

Se você está namorando aquele relógio Cartier, Bulgari ou Rolex vá até a Place Vendome!

BONS HOTÉIS EM PARIS

Shangri-La, Península, Mandarin Oriental, Plaza Athénée, Ritz, Geroge V, Crillon, Bristol, Hotel Royal Monceau, Marriott Champs-Elysées.

Quarto do Hotel Shangri-La. Um super visual da Torre Eiffel.

Outro hotel não tão luxuoso, mas bem localizado e simpático é o Radisson Blue Arco do triunfo.

ONDE COMER BEM 

Nada melhor do que seguir as dicas de quem é do local e de quem entende um bocado de gastronomia. Então, vamos às dicas de nossos amigos, entre eles, Claude Troigrois para comer muito bem em Paris.

Escargots não podem ficar de fora.

Dos restaurantes estrelados seguem excelentes opções:

Ø Apicius, de Jean Pierre Vigato, telefone 143801966
Ø Arpege, de Alain Passard, telefone 145514733
Ø Pierre Gagnaire, telefone 144351825
Ø Guy Savoy, telefone 143804061
Ø L'Aatelier, Joël Robuchon, telefone 147237575
Ø Le Meurice

Bistrot

Ø Ma Bourgogne, telefone 142784464
Ø Bistrot de Létoile, telefone 140671116
Ø Bistrot d’A Cote, telefone 143545910
Ø Ami Louis, telefone 148877748
Ø Benoit, telefone 142722576
Ø Chez Pauline, telefone 142962070
Ø D’Chez Eux, telefone 147055255

Brasserie – Café

Ø Pied de Cochon (frutos do mar), telefone 140137700
Ø Lipp, telefone 145485391
Ø Café Costes, telefone 145085439
Ø Aux Deux Magots, telefone 145485525 Ø Café de Flore, telefone 145485526
Ø Café Flore
.
Diversos

Ø Chez Gladines (pato maravilhoso), telefone 145807010
Ø Blue Elephant (Tailandês), telefone 147004200
Ø Kinugawa (Japonês), telefone 142606507
Ø Mansouria (Marroquino), telefone 143710016
Ø Conti (Italiano), telefone 147277467
Ø Le Relais de L’Entrecôte (entrecote com batata frita) , telefone 149520717. A casa mais tradicional fica na Boulevard du Montparnasse 101 - telefone 146338282.
Ø Kong (contemporâneo, light), instalado no último andar do prédio da grife Kenzo. Decoração de Philippe Starck e Laurent Taïeb. Rue du Pont Neuf, 1. Telefone 140390910.

Lojas

Ø Maison Du Caviar, telefone 147235343
Ø Androuet (queijos), telefone 142899500
Ø Poilane (pães), telefone 154484259
Ø La Maison du Chocolat, telefone 142273944
Ø La Maison de la Truffe, telefone 142655322 Ø Lafayette Gourmet, telefone 148744606
Ø Fauchon, telefone 147426011
Ø Ladurre (doces), telefone 140750975
Ø Kusmi Tea (chá), www.kusmitea.com

Os macarons da Ladurre são imperdíveis, especialmente os de baunilha.
.
Bistronomie.

Essa expressão associa os conceitos da tradição da cozinha francesa com bons preços.

* Astier. 44 Rue Jean-Pierre, Timbaud, telefone 143571635, http://www.restaurant-astier.com/
* Au Bascou. 38 Rue Reamur, telefone 142726925
* Le Bistrot de L'Alycastre. 2 Rue Clement, telefone 143257766
* Le Chateaubriand. 129 Avenue Parmentier, telefone 143574595
* Le Comptoir. 9 Carrefour de L'Odéon, telefone 144270797 (é um dos restaurantes do momento)
* Ze Kitchen Galerie. Estrelado pelo Guia Michelin. 4 Rue des Grandes Augustins, telefone 144320032, http://www.zekitchengalerie.fr/

Chocolatiers

Ø Jacques Génin
Ø Jean-Paul Hévin
Ø Pierre Herme
Ø Patrick Roger
Ø Regis - Rue du Passy 89
Ø Le Bonbon au Palais - Rue Monge 19

Queijarias

Ø Formagerie Alleosse. Excelente burrata. Rua Poncelet 13
Ø Marie-Anne Cantin. Já foi eleita a melhor da França. Rue du Champs Mars 12
Ø Quatrehomme. Fornecedor de queijos dos melhores restaurantes de paris. Rue de Sévres 62

Sorveterias

Ø Maison Berthillon
Ø Amorino.

Mercados e Feiras

Ø D'Alligre (XII) - um dos mercados mais populares e antigos de Paris. A dica é provar ostras fresquíssimas com champagne.  www.marchedaligre.free.fr

Ø Bastille (XI) - mercado enorme, com produtos de excelente qualidade. Boulevard Richard Lenoir

Ø Des Enfants Rouges (III) - fica num ponto bem central, no Marais. Também é uma feira muito antiga. Funciona desde 1777. Rue Bretagne 39

Ø Raspail (VI) - Feira que acontece aos sábados no Boulevard Raspail.

Melhores lugares para comer Tarte Tatin em Paris (segundo Alain Ducasse)


Ø Bar du Brésil 
Ø Les Philosophes

Restaurantes indicados por Alain Ducasse

Ø Le Baratin (XX). Cardápio num quadro negro, simplicidade total, restaurante para os locais. Rue Jouye-Rouve 3.
Ø Bistrot Paul Bert (XI). Rue Paul Bert 18
Ø Chapeau Melon (XIX). Restaurante bem sucedido de comida orgânica, em Belleville. Rue Rébeval 92.

 
 
Escrever sobre Paris é difícil, pois há muito o que fazer na cidade no sol ou na chuva, no verão ou no inverno e ser breve é uma tarefa quase impossível!

Aproveitem a viagem! 

Obs: Esse texto foi atualizado em julhode 2016.

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Muito bem abordado, já morei em Paris e estou escrevendo sobre ela, vai ser difícil ficar no mesmo nível desse post.

    ResponderExcluir
  2. Que elogio maravilhoso. Especialmente, partindo de quem realmente conhece a cidade. Eu sou apaixonada por Paris. Sempre que posso dou um pulinho até lá. E,bgosto mais a cada nova viagem.
    Obrigada pela sua visita.
    Claudia

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante a postagem sobre Paris também. Realmente a cidade é muito charmosa.
    Parabéns pelas considerações e a ajuda que estas informações trazem a quem deseja fazer uma viagem.
    Admiro sua família que unidade sabe aproveitar a vida através do conhecimento de novas culturas em lugares incríveis como Paris.
    Nada melhor para aprender história do que vivencia-la dessa maneira dinâmica.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Naiara.
    Eu adoro viajar com meus filhos. Eles quase sempre vão comigo. Cultura é o que melhor posso dar para eles. E, realmente, estudar história in loco é maravilhoso.
    Volte sempre!

    ResponderExcluir
  5. Paris, acredito que seja hoje mais do que nunca uma ilusao para turistas deslumbrados e desinformados das condicoes que vive o verdadeiro parigino (que diga-se de passagem esta cada vez mais raro em Paris).
    Para comecar a entender Paris pergunte a um Parigino o que ele pensa da Torre Eifel coisa que para os turistas è o simbolo da Franca (nao existe coisa mais cafona do que aquilo para eles), ja dali a nossa ilusao da cidade perfeita e romantica cai para a realidade.
    Ruas sujas, a quantidade de ilegais vindos do leste europeu prontos a te derrubar em qualquer ponto de Paris, os melhores restaurantes e casa de espetaculos fechando as portas por falta de clientes e dando espaco aos fast food e kebabs, as maiores grifes pariginas com balconistas de bracos cruzados rezando para que entre um japones ou um russo para sair da noia e conseguir assim vender algo sustancioso, economia que vai de mal a pior, greves continuas, protestos da populacao indignada com a situacao atual da Franca. Paris ha muito tempo nao è mais o que era antes, aquele povo lindo, bem vestido, com a copa de champagne nas maos hoje nao existem mais, o glamour dos teatros onde so se entrava a black tie foi substutuido por uma juventude que se droga nas pracas e estacoes de trens.
    Eh...Ainda bem que muitos ainda vao ali com os olhos de turista, porque se nao fosse isso Paris nao seria sempre Paris...

    ResponderExcluir
  6. Oi meu amigo italiano anônimo!
    Já percebi sua decepção com a contemporaneidade. Os anos passam e tudo muda...É assim... Especialmente, nas grandes cidades.
    Mas, podemos pintar qualquer lugar sujo e cinzenta com cores nobres. Isso está dentro de cada um de nós.
    Divirta-se com o mundo e com o que a vida tem de belo. Nem tudo são trevas!!!!!! Há flores, muitas flores no caminho!!!!

    ResponderExcluir
  7. A Claudia tem razão, no caminho há muitas flores, basta acreditar.

    Acredito que todo lugar tem vantagens e desvantagens, e não é possível agradar a todos sempre. Se cada um só se preocupar com os pontos negativos, acho que nào existiria um país perfeito para viver ou conhecer.

    =]

    Parabéns pelo Blog Claudia. Adorei os posts e achei incrível como você descreve os lugares, dando vida e emoção.

    bjos

    ResponderExcluir
  8. Renata, querida!

    Obrigada pela delicadeza.

    Quero saber mais sobre o Líbano. Vou acomapnhar você e seu marido.

    Beijos

    Claudia

    ResponderExcluir
  9. La vie em rose, Claudia!

    Obrigada pela visita ao meu blog.

    Paris é uma cidade encantadora, sem dúvida!

    Foi o meu primeiro destino na Europa e onde celebrei meu noivado. Talvez por isso, eu morra de amores por ela.
    Posso indicar um hotel com preço legal, que foi recentemente renovado e com localização excelente? O Saint Severin, no Quartier Latin. Nada de muito luxo, mas bom (dizem que hotel bom é hotel novo ou renovado), com localização fantástica e uma sacadinha para a rua sensacional.

    Adorei o relato!

    Andressa

    ResponderExcluir
  10. Andressa! Você tem história de amor com Paris... Assim, tudo fica mais colorido. Muito bom.
    Obrigada pela dica do hotel. Realmente, hotel novo é a melhor opção.
    Bj
    Claudia

    ResponderExcluir
  11. Adorei a sua reportagem fotográfica, descrição e dicas sobre Paris.

    Como sempre um artigo muito completo e sublime.

    Só me resta continuar a dizer, é óptimo "viajar consigo" através dos seus artigos

    ResponderExcluir
  12. Adorei a sua reportagem fotográfica, descrição e dicas sobre Paris.

    Como sempre um artigo muito completo e sublime.

    Só me resta continuar a dizer, é óptimo "viajar consigo" através dos seus artigos

    ResponderExcluir
  13. Amei teu blog.Aqui podemos viajar sem sair de casa. Muito fofo vc compartilhar viu?
    Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  14. Oi Turista,
    É sempre muito bom receber sua visita.
    Adoro sua gentileza!!!
    Tenha uma ótima semana.
    Claudia

    ResponderExcluir
  15. Sandra.

    Você é a seguidora de número 300. Um número redondinho. Bons ventos!!!
    Qual é seu blog? Também quero visitar.
    Bj
    Claudia

    ResponderExcluir
  16. Há flores, muitas flores no caminho!!!! Gosto de ver o mundo assim também, as mazelas do dia a dia já são grandes o suficiente. Vou anotar suas dicas e mostrar para o maridão. Animadíssimos com a viagem, beijocas!

    ResponderExcluir
  17. Taia!
    Post dedicado a voce. Espero que ajude em aalguma escolha de restaurante ou lugar. Aproveitem muito a Cidade Luz. Namorem bastante. Isso êh o que vale nessa vida.
    Beijoka
    Claudia

    ResponderExcluir
  18. Claudia!

    As suas fotos superam as de qualquer revista ou guia de viagem!São lindas!!
    Desta vez a sua foto Disney é com o Pluto!rsrs...também tenho uma!
    O que vc fala sobre os hoteis em Paris é absolutamente certo.Não é possível encontrar um hotel com alguma qualidade por um preço razoável.Para mim é a cidade mais cara da Europa!Um 5* em Estocolmo custa o mesmo que um de 2 ou 3 * em Paris!Mais voilá... C`est Paris!

    Bjs

    ResponderExcluir
  19. A cidade e linda e parece bem romantica, as fotos como sempre esta de primeira qualidade. Amei conhecer lugar , coisa assim merece ser sempre visitadas, mesmo que seja por blogger. Parabéns

    ResponderExcluir
  20. Oh, Margarida!
    Com esse comentário já estou me sentindo quase uma fotografa profissional. Rsrsrsrs

    Hotéis em Paris são sempre difíceis de escolher não êh mesmo? Por isso, apesar da localização super turística do Marriott, gosto de ficar lá.

    Beijinho

    Claudia

    ResponderExcluir
  21. Claudia,

    Uma vez fiquei em um hotel no Quartier Latin chamado Saint Severin e adorei.
    Não é dos mais baratos, mas pelo menos não é minúsculo e foi recém reformado, sem falar na super localização, pertinho da Fonte St. Michel.

    Bjs,

    Andressa

    ResponderExcluir
  22. Nossa, Claudia, eu já havia escrito sobre esse hotel aqui. Desconsidere, hehe!

    Paris é tão entusiástica que a gente se empolga e repete as coisas!

    Bjs,

    Andressa

    ResponderExcluir
  23. Andressa.
    Esse post foi escrito inicialmente no ano passado. Mas, tenho ido muito à Paris (que metida - hehehe) . Então, atualizei as indicações de restaurantes e hotéis, e troquei todas as fotos. Na verdade, o post novo foi o RETRATOS DE PARIS. Por isso, você já tinha comentado antes. Mas, deixe sempre suas contribuições. É ótimo para ajudar aos viajantes de plantão (como nós).
    Um beijo
    Claudia

    ResponderExcluir
  24. Claudia,amei as dicas de onde comer bem!!!!!!! Que post mais completo,como todos os que vc faz... Menina, eu estou enrolando pra fazer um post sobre Cancun porque esses relatos de viagem, apesar de serem bem interessantes, me dão uma trabalheira danada pra lembrar de detalhes e pesquisar informações. O bom é postar logo depois de voltar, como vc faz!!!! Preciso aprender isso!!!!! Ah,sabe que quase nunca vejo as fotos das esculturas de Niki de Saint-Phalle?E eu adoro, acho super coloridas e tem tudo a ver o local onde estão expostas! Um grande beijo!!!!

    ResponderExcluir
  25. Katia,
    Se eu não escrever quando ainda esta fresco na cabeça acabo deixando de lado. Por isso, volto, organizo as fotos e logo faço o post. Assim fica bem mais fácil.
    Seus poste de viagem são sempre maravilhosos! Voce sabe que sou sua fã!
    Beijo
    Claudia

    ResponderExcluir
  26. Parabéns peo seu blog. De extremo bom gosto. Já passei por alguns lugares que você descreve, simplesmente ótimo. Adoro viajar, e ainda quero chegar em todos os lugares onde você foi.. (dificil heim).. mas já começei, agora com seu Blog melhor ainda. Vai ficar mais fácil. Sempre viajo por conta propria sem pacotes, apenas com as dicas como as suas. PARABÉNS.. não deixe de escever
    Abraços MARA PEIXOTO

    ResponderExcluir
  27. Encontrei seu blog por acaso e adorei.
    Estive em Paris duas vezes, uma no inverno e outra no verão e na minha humilde opinião é uma cidade fantástica!!!! Seu relato está completíssimo, muitas informações importantes.
    Também tenho um blog de viagens, mas é somente de relatos e de fotos.
    Te convido a conhecer, pois gostaria de ter sua opinião. O endereço é http://meamarroemviajar.blogspot.com

    Um abraço!!!!!!!

    ResponderExcluir
  28. Oi Rose,
    Seja muito bem-vinda. Vou lá te visitar também.
    Bj
    Claudia

    ResponderExcluir
  29. Oi Rose,
    Seja muito bem-vinda. Vou lá te visitar também.
    Bj
    Claudia

    ResponderExcluir
  30. Oi Tania,

    Também adoooro Paris.
    Seja muito bem-vinda ao blog. Volte sempre.
    Tenha um ótimo 2012.

    ResponderExcluir
  31. Claudia!! Que delicia de viagens que vc faz...comecei a te seguir, pois estarei indo pro Brasil em agosto e queria indicacoes sobre Ilheus, achei seu blog e agora quero fazer todos os roteiros que vc indicou...eheheeh!!

    Parabens!

    Roberta

    ResponderExcluir
  32. Roberta,
    Seja muito bem-vinda ao blog e ao Brasil. Se precisar de mais alguma ajuda ou dica é só pedir.
    Claudia

    ResponderExcluir
  33. Parabéns Cláudia! Este é o melhor blog sobre viagens/turismo que já vi. Relembramos, conhecemos ou despertamos interesse em conhecer.
    Continue viajando sempre com saúde e alegria.

    ResponderExcluir
  34. Lucia,
    Agradeço demais seu comentário tão gentil. São eles que fazem a pena o trabalho todo de manter um blog atualizado no ar.
    Obrigada por suas palavras.

    ResponderExcluir
  35. ADOREI CONHECER SEU BLOG ! SUAS DICAS ME PARECEM CORRETAS ! VOU AGORA 19 DE MAIO PARA PARIS. VOU JA CONHECENDO UM POUCO DA CIDADE !CONTINUE SEMPRE COM SUAS VIAGENS !BEIJOS

    ResponderExcluir
  36. Oi Cláuudia,

    Maravilhoso seu blog.Adorei tudo sobre Paris.já estive lá há alguns anos atrás e realmente me encantei com a cidade,sua cultura,seus museus,sobre tudo.
    Quero retornar com minha filha e meu marido. Bj Maisa..

    ResponderExcluir
  37. Cláudia! achei seu blog super interessante Já estive em Paris três vezes e mesmo assim obtive dicas fantásticas.Parabéns!! Mas o que eu gostaria mesmo (se vc não se importar) é tirar uma dúvida. Estou lendo o livro A Parisiense (Ines de la Fressange) e gostaria muito de saber o que significa Ier ou VIIe após o nome das ruas de Paris. Ex.: 18,rue Montmartre, Ier. Tentei pesquisar mas como não falo francês ficou difícil. Agradeço se vc puder me ajudar.
    Abraço,
    Laurie

    ResponderExcluir
  38. Cláudia,
    Parabéns pelo blog, é excelente e lindas fotos.
    Abraços,
    kalna

    ResponderExcluir
  39. Claudia, Felicitations sur le blog. Très sympa, bien, maintenant nous allons parler portugais, d´accord.
    Excelente post sobre essa cidade que tanto nos encanta, já escrevi sobre Paris e ainda escrevo, principalmente com foco histórico sobre a cidade, e fico feliz em ver alguém descrevendo-a tão bem e mostrando a Paris que todos sonham. A Bientôt.

    ResponderExcluir
  40. Respondendo a Laurie. Laurie o significado é simples, como seu exemplo, 18, rue Montmartre, Ier, isso significa "premier (primeiro) arrondissement." Paris é dividida por arrondissements, como se fossem bairros, por exemplo: Basilica do Sacre Coeur, fica no 18eme, o Louvre no Ier, Torre Eiffel no 7eme... e assim por diante. Espero tê-la ajudado a compreender.

    ResponderExcluir
  41. Obrigada, Joe pela sua visita e pelo comentário, especialmente partindo de um historiador.

    Fiquei completamente embevecida por Paris depois de ter sido apresentada à cidade por uma pessoa que era restauradora das obras do Louvre. Ela conhecia a cidade como a palma da mão e sabia da história de cada pedrinha de Paris. Foi incrível! Essa foi minha experiência mais emocionante na Cidade Luz.

    Obrigada mais uma vez.

    Claudia

    ResponderExcluir
  42. Oi Cláudia! Adorei o seu post e me identifiquei muito com o que você escreveu. Eu já estive em Paris durante um programa de intercâmbio e realmente essa cidade é fantástica. A cidade tem sempre algo durante o dia ou à noite para fazer e é muito legal pois eu aproveitei cada minuto nessa cidade cheia de agito.

    Além de conhecer essa linda cidade, eu tb fiz um curso de francês e coloquei mais um idioma no meu curriculum. Eu estudei na escola Sprachcaffe que fica no centro da cidade de Paris e foi muito legal pq também ela ofereceu o serviço de hospedagem.

    Como todos já sabem, férias em Paris são inesquecíveis e tb recomendo a escola onde fiz o curso de francês e passo a dica logo abaixo. beijos

    http://www.sprachcaffe.com/portuguese/study_abroad/language_schools/paris/main.htm

    ResponderExcluir
  43. Oi Colega, tudo bem? Passei para uma visita e lhe convido a fazer o mesmo na http://www.naprovence.com
    Se a troca de links lhe interessa é so me avisar. Seria um prazer contar com você no nosso blogroll: http://www.naprovence.com/contato/links/
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  44. Adorei o site! Nossa, tem mtas dicas, de vários lugares pelo mundo. No caso, a minha trip no final deste ano é para a França. Ñ vi posts sobre seguro viagem. Alguém pode me indicar uma boa empresa? Bjs, Mayara.

    ResponderExcluir
  45. Conheci a Europa em Agosto deste ano. Passei pela França e Paris tbm. Foi um dos lugares que eu + gostei! Mayara, o seguro eu fechei c/ a www.touristcard.com.br Eles estão c/ uma promo p/ quem apresentar o código. Usa o meu:tourist15. Bjs ... Gabriela.

    ResponderExcluir
  46. Acho que é o melhor post sobre Paris que já li!! Seu blog é muito rico e bem escrito. Informações que fazem a diferença em relação aos demais. Obrigada e parabéns!!!

    ResponderExcluir
  47. Que blog nota 10.
    Meus parabéns.

    Neste final de ano vou a Bento Gonçalves/RS e em Agosto/2015 vou a Paris com o meu filho que até lá terá cinco anos.

    Suas dicas são demais. Muito legais.

    Continue assim.
    Bjs

    ResponderExcluir
  48. Muito obrigada!

    Desejo um ótimo Natal e excelente viagem à Paris em 2015.

    Bj

    ResponderExcluir
  49. Oi, Cláudia. Parabéns pelo blog e por este ótimo artigo sobre Paris.
    Uma pergunta: vc acaso tem alguma notícia posterior sobre o mencionado Hotel Paris Laperle (ou La Perle)? Especialmente sobre um apartamento de 50 m2 que consta no site dele?? Fico desde já imensamente agradecido pela atenção que puder dispensar.
    Obrigado.
    José A. C.

    ResponderExcluir
  50. José,

    Entra no site do hotel para ter mais informações. Manda e-mail para eles com suas dúvidas.

    Ótima viagem!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!