TSUKIJI FISH MARKET, EM TÓQUIO


O Mercado de Peixes é uma das principais atrações de Tóquio. É dali que partem os peixes que abastecem todos os restaurantes da cidade. Desde muito cedo, diariamente, a movimentação ágil dos compradores e dos carrinhos que transportam os peixes é intensa. No entanto, para acompanhar os disputadíssimos leilões, onde a grande estrela é o atum, é preciso madrugar. O ideal é chegar no Portão Kachidoki, na rua Harumi, por volta das 3 ou 4 horas da madrugada para fazer o registro de entrada. Muito cedo, embora o horário de abertura da área reservada aos leilões seja das 5:25 da manhã as 6:15 horas, de segunda à sábado.

Chegue cedo para conseguir assistir o famoso leilão do atum.

COMO GARANTIR A ENTRADA

São distribuídas apenas 120 senhas por dia, por ordem de chegada. Cada um recebe um colete que deve ser usado durante todo tempo. As primeiras 60 pessoas recebem um colete amarelo para fazer a visita das 5:25 da manhã às 5:50 hs. O outro grupo recebe coletes azuis e entra um pouquinho mais tarde, das 5:50 às 6:15 hs. Conseguir uma das senhas diárias é tarefa árdua, pois são poucas e disputadas. Mas, é gratuito.

(Agora vou contar uma fofoca: vi algumas pessoas chegando mais tarde, sendo direcionadas pelo segurança do local para um outro ponto e conseguindo assistir o leilão por “módicos” 40 dólares.)

Depois de receberem os coletes, as pessoas entram numa sala vazia, relativamente pequena para acomodar 120 pessoas. Não tem cadeiras. Ficam todos reunidos, aguardando “espremidos” até chegar o horário. A espera costuma ser de pouco mais de duas horas. Na hora em que bate o cansaço, as pessoas sentam no chão. Se puder, leve uma cadeira desmontável para ficar melhor acomodado ou sente no chão perto de uma parede para poder se apoiar e tirar um cochilo. Demora bastante. Também leve água e alguma coisa para comer. Até dá para sair para ir ao banheiro ou comprar um café, mas na volta, seu lugar provavelmente já terá sido ocupado por outra pessoa.

A espera é longa e sem muito conforto. Esteja preparado. 

No horário programado, a turma se desloca até a área do leilão acompanhada por um funcionário do mercado. O movimento de caminhões e carrinhos é enorme. É preciso ficar atento. Eles estão trabalhando e não têm muita paciência com os turistas curiosos. Não se distraia tirando fotos. É perigoso.

Ao chegar no galpão dos leilões, os visitantes ficam numa área reservada, de onde não podem sair para não atrapalhar. A essas alturas, os peixes congelados já estão separados por lotes conforme o tamanho. Alguns chegam a pesar 200 quilos. Eles ficam agrupados em esteiras de madeira, no chão. Os interessados analisam os peixes. Olham, arrancam um pedacinho, cheiram e fazem suas escolhas. Então, inicia o leilão. Os leiloeiros sobem em pequenos bancos e começa a negociação. É tudo muito rápido e organizado. Para não atrapalhar, é proibido usar flash. Os compradores fazem sinais discretos e ágeis com os dedos indicando o valor do lance. Difícil entender como eles se comunicam. Parece um teatro. O leiloeiro faz coreografias ensaiadas enquanto chama os lotes e canta os preços. No entanto, é um business que movimenta muito dinheiro.

 Observe ao fundo, o leiloeiro em ação com o braço levantado.

E, assim que são arrematados, os peixes são levados.

Impressionante a organização e o cuidado com os peixes. 


A essas alturas já está na hora de comer alguma coisa. É aqui que entra a melhor parte. Nas ruas, ao redor do galpão principal, há vários pequenos restaurantes onde você pode comer o sushi mais fresco do mundo, além de sobas (sopas com massa japonesa), ostras gigantes, tempura e outras iguarias típicas do Japão. Tudo muito simples, sem frescura e de uma qualidade ímpar. Escolha um dos tantos restaurantes do mercado e entre sem medo. Os peixes são fresquíssimos. A textura e o sabor são especiais. Alguns restaurantes chegam a ter fila de até 5 horas na porta  como o Sushi Dai e o Daiwa-Zushi. Se não quiser esperar há muitos outros e todos são bons. Uma dica para conseguir entrar nos mais concorridos é correr para lá depois do leilão ou voltar ao redor das 13:30 hs quando a galera já foi embora e a fila está bem pequena. Não deixe de pedir “toro” que é o atum com mais gordura que desmancha na boca.

Fila para entrar no Sushi Dai. Vale encarar.

A qualidade dos produtos faz valer a espera por um lugar nos pequeninos restaurantes. Sushi Dai.

Os restaurantes onde você escolhe os pratos que vem deslizando na esteira são excelentes.

A área de venda dos peixes no atacado só é aberta ao público após 9:00 horas. Vale circular por lá e depois dar uma caminhada pelas mais de 1500 lojinhas que vendem de tudo: peixes frescos, peixes secos, frutas, verduras,utensílios domésticos, cerâmicas, chás, souvenires, algas, condimentos...

Lulas secas no Mercado do Peixe.

É uma bagunça deliciosa! 

Não deixe de ir ao Mercado de Peixes quando estiver em Tóquio. Aproveite o jet lag do dia seguinte a sua chegada quando você não vai consegue dormir até muito tarde mesmo. 

QUANDO: de segunda a sábado
ONDE: Tsukiji Fish Market
LOCAL:Portão Kachidoki, na rua Harumi
HORÁRIO DE CHEGADA: entre 3 e 4 da madrugada
HORÁRIO DOS LEILÕES: primeira turma das 5:25 da manhã às 5:50 hs e segunda turma das 5:50 às 6:15 hs
COMO CHEGAR: taxi ou metrô - Hibiya Line do Tokyo Metro para a estação Tsukiji.
RESTAURANTES MAIS CONCORRIDOS: Sushi Dai e Daiwa-Zushi.

Compartilhe:

Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Obrigada!