PENÍNSULA DE MONTEREY NA CALIFÓRNIA


Indiscutivelmente os cenários mais bonitos da Califórnia estão na Península de Monterey. É nessa pequena ponta de terra que ficam as charmosas cidades de Pacific Grove, Monterey, Carmel e a famosa Pebble Beach com a belíssima rota 17-Mile Drive.

A combinação dos desfiladeiros que encontram o mar do Pacífico repleto de leões marinhos, baleias, lontras e golfinhos, com casas de arquitetura caprichada e locais históricos, torna o conjunto da obra mais do que especial.

Pôr do sol em Pacific Grove.

UMA MISTURA QUE DEU CERTO


Além de simpáticas enseadas pontilhadas de casas vitorianas, a Península de Monterey tem marcas históricas importantes. Os primeiros a chegarem foram os índios, depois vieram os espanhóis. Em 1770, o missionário catalão Junípero Serra e o explorador Gaspar Portola - que mais tarde foi nomeado governador da Califórnia - fundaram o povoado. Monterey foi a capital da Califórnia de 1777 até 1849 sob o governo tanto da Espanha (que chamava a região de Nueva España) como mais tarde do México (que a chamava de Alta Califórnia). A bandeira americana só passou a tremular naquele cantinho em 1846 durante a guerra dos Estados Unidos contra o México.

Em 1940, as bênçãos vieram do mar e Monterey ganhou o apelido de “Capital Mundial da Sardinha”. No entanto, como num passe de mágica as sardinhas sumiram do pedaço. Deixaram como lembrança de sua antiga morada, o famoso Monterey Bay Aquarium, um aquário que merece uma visita em Cannery Row - uma área portuária que foi importante enquanto havia sardinhas, quando elas desapareceram, as fábricas foram abandonadas e mais tarde recuperadas numa versão bastante temática.

Monumento em honra àqueles que contribuíram com a história de Monterey. 
No centro, o escritor John Steinbeck cercado por oito personagens importantes para a região,

É exatamente dessa mistura curiosa de povos, idiomas, culturas, vida marinha, belezas naturais, penhascos, enseadas, praias, arquitetura vitoriana, hotéis charmosos e prédios históricos que é feita a Península de Monterey.

As baleias são presença constante na Península de Monterey.

MONTEREY


O primeiro ponto de parada obrigatório para quem vem de San Francisco é a pequenina cidade de Monterey. Puro charme!

Na praça de Monterey, o primeiro Bubba Gump Shrimp Company já com mais de 20 anos

O aquário é o ponto alto da cidade. Ele tem tantos atrativos que podem ocupar uma tarde inteira de quem quer ver os cardumes de sardinhas, tubarões, arraias em tanques abertos, tartarugas, simpáticos pinguins, águas vivas psicodélicas, lontras e muitos aquários cheios de animais marinhos.

Águas vivas do Aquário de Monterey.

As sardinhas já não fazem mais a festa dos pescadores na Península de Monterey. 
Mas, no aquário ainda atraem o olhar dos visitantes. 

Ao sair do aquário caminhe pela Cannery Row (que em português quer dizer setor de conservas) e você verá ao longo da rua, lojas, restaurantes, hotéis e cafés ocupando o lugar de antigas instalações de embalagem de sardinha que ganharam fama pelas mãos do escritor John Steinbeck. Ele teve dezessete de suas obras adaptadas para filme por grandes diretores de Hollywood, entre eles Cannery Row estrelado por Debra Wing em 1982.

 Cannery Row.

Veja também as casas históricas da região - Custom House, Larkin House, Robert Louis Stevenson’s House, Casa Soberanes que datam dos séculos XVIII e XIX, nas proximidades do Fisherman’s Wharf. Para conhecer um pouco mais sobre a história visite os museus de Colton Hall e o Museu Marítimo.

DICA: barcos para observação de baleias partem diariamente do píer de Fisherman’s Wharf. Se você tem vontade de ver as baleias de pertinho, essa é uma boa oportunidade.

Para ficar hospedado em Monterey indico o Hotel Intercontinental, praticamente ao lado do aquário. Um charme! Totalmente integrado a arquitetura local.

Hotel Intercontinental Monterey.

PACIFIC GROVE


A poucos quarteirões de Monterey você encontra a apaixonante Pacific Grove.

Pacific Grove.

Na Península de Monterey é tudo pertinho. Dá para fazer um belo passeio de bicicleta, pois o visual é deslumbrante.

Ande sem pressa pela Ocean View Boulevard onde sugiro que você fique hospedado no hotel boutique Seven Gables Inn. Um clássico. Ele ocupa um casarão em estilo vitoriano, de frente pro mar. Tem apenas 25 quartos, todos decorados de modo diferente e elegante. O café da manhã é servido num salão de frente pro mar e vez ou outra ao olhar pela janela dá para ver, ao longe, o esguicho de uma baleia. Uma experiência única.

Seven Gables Inn.

O Seven Gables tem localização privilegiada. Acordar com esse visual é perfeito.

Visite o centrinho da cidade que é minúsculo, mas muito bonitinho. Ele se estende por apenas três quarteirões históricos repletos de casas vitorianas que datam do final do século XIX. Nessas casas que parecem de boneca hoje funcionam galerias de arte, antiquários e restaurantes.

Também aproveite para ir ao Museu de História Natural Pacific Grove na esquina das avenidas Forest e Central e a Point Pinos Lighthouse, o farol mais antigo da costa oeste ainda em funcionamento (desde 1855), na Asilomar Boulevard.

Point Pinos Lighthouse.

Pacific Grove é a porta de entrada da famosa 17 Mile Drive, uma das estradas mais bonitas do mundo. A rota cenográfica passa por Pebble Beach onde há casas belíssimas de frente para o mar, campos de golfe, hotéis espetaculares e vai até Carmel-by-the-sea.

Para jantar em Pacific Grove indico o italiano Il Vecchio, 110 Central Avenue.

17 MILE DRIVE


Não há maneira mais simpática de ir de Pacific Grove até Carmel do que pela 17 Mile Drive. A rota é belíssima e vai margeando a dramática-rochosa Pacific Coast.

Uma rota cenográfica, cheia de mirantes, 17-Mile Drive.

The Lone Cypress, um ícone de Pebble Beach. 
A árvore se mantém presa nas rochas por mais de 250 anos. 

No portão de entrada, após pagar o valor de 10 dólares por carro, o motorista recebe um mapa que indica os melhores pontos a serem visitados, os campos de golfe e hotéis. O Fairway One abriu as portas em 2017. Já The Lodge at Pebble Beach, The Inn at Spanish Bay e Casa Palmero são os mais procurados pelos jogadores de golfe que frequentam a região. Todos excelentes. São bons lugares para almoçar pelo caminho.

17-Mile Drive e seus hotéis luxuosos de frente pro mar. 

CARMEL-BY-THE-SEA


Ao sul da Península de Monterey surge Carmel pousada entre o mar e uma floresta de pinheiros. Uma cidade realmente pitoresca e romântica. Tem menos de 4 mil habitantes que vivem embalados por um modo de vida próprio e muito especial, em um território de menos de três quilômetros quadrados. Na área residencial não tem calçadas nem postes de luz. As casas são conhecidas pelo nome.

Pelas ruas de Carmel.

Basta uma caminhada rápida pelo centrinho e fica fácil perceber a veia artística de Carmel. A cidade respira arte. Tem mais de 90 galerias e estúdios espalhados pelas ruas. Dizem que 60% dos seus moradores vive de sua produção artística. Foi depois do terremoto de 1906 em San Francisco, que muitos artesãos se mudaram para Carmel provocando um “boom” artístico e cultural no pequeno vilarejo. Mas, a cidade ficou realmente conhecida no mundo todo quando Clint Eastwood virou prefeito, entre 1986 e 1988.

Antiquários e galerias de arte são a marca registrada de Carmel.

Carmel foi eleita em 2016 pela revista Condé Nast Traveller como uma das "melhores pequenas cidades dos Estados Unidos" para se viver. Ela pode ser uma boa base para quem quer visitar a Península de Monterey e Big Sur. Tem excelentes hotéis, bons restaurantes, uma praia linda de areia branca e muitas vinícolas. Aliás, são mais de 80 nessa região. Tanto que recebeu o apelido de “Grand Canyon Azul”.

Casa de praia em Carmel-by-the-beach. É tudo muito integrado à natureza.

Visite ainda a Carmel Mission. A Missão Espanhola foi fundada pelo Padre Serra, em 1770. Essa é uma das 21 missões que existem entre Sonoma e San Diego. Mesmo tendo sido parcialmente destruída, ela foi recuperada e é um marco histórico importante. Também vá a reserva de Point Lobos, que fica bem perto.

Carmel Mission.


Para almoçar indico o restaurante La Bicyclette, um bistrô de cozinha europeia rústica na esquina das ruas Dolores e Carmel. Uma graça e bem concorrido.

TEMPO NECESSÁRIO PARA CONHECER A PENÍNSULA DE MONTEREY

Para conhecer com calma a Península de Monterey programe no mínimo 3 dias. Se puder continue sua viagem pela Big Sur.

LEIA TAMBÉM 


Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Já fiquei hospedado por duas vezes em Carmel! Visitei o Aquario e passeamos pela 17- Mile Drive. Jantar em Carmel é muito romântico! Parabéns, o post está ótimo! Fiquei com vontade de voltar!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá João.

      Essa região é muito charmosa e romântica. É meu cantinho preferido da Pacific Coast.

      Fiquei feliz de ter transmitido a vontade de voltar.

      Boa viagem.

      Excluir
  2. Não tinha ideia que era uma zona tão bonita. As fotografias são encantadoras.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!