DUBROVNIK, REALMENTE A "PÉROLA DO ADRIÁTICO"


A Croácia, mais precisamente Dubrovnik vinha povoando meus sonhos há muito tempo. Mas, por não ser num ponto central da Europa acabava ficando sempre de fora dos roteiros para aquelas bandas. Até que finalmente numa viagem rumo a Itália e Sérvia foi possível programar uma semana para conhecer a Croácia - que fica exatamente entre esses dois países. Como de hábito, corri para estudar a história tão conturbada dos croatas e organizar uma viagem condensada num período relativamente curto para um país tão cheio de encantos.

Para chegar em Dubrovnik há várias possibilidades para quem está na Europa. Partindo do Brasil, uma boa opção é ir de Alitália até Roma e de lá fazer um voo de menos de uma hora direto para Dubrovnik que é a cidade mais ao sul do país e praticamente fica na divisa com Montenegro. Aliás, Montenegro é um país que merece ser visitado. Lindo!

Também dá para iniciar a viagem pelas cidades que ficam ao norte do país e estão bem próximas da Itália e Eslovênia, como Rovinj, Porec e Pula. É possível ir de barco partindo de Veneza ou de trem a partir de Trieste. Infelizmente, não tive tempo de conhecer essa região chamada de Ístria. Quem sabe na próxima.

Pela janela do avião já dá para ter uma ideia da beleza da Croácia.
Esta é a ponte de chegada à Dubrovnik.

A cidade antiga pode ser facilmente reconhecida pelos telhados alaranjados guardados por muralhas. Ao fundo, essas montanhas altas fazem parte da Bósnia Herzegovina

Parque Nacional Mlejet.

ROTEIRO DA VIAGEM

O roteiro de uma semana ficou assim:
  • 3 dias em DUBROVNIK (essa foi a cidade que mais me impressionou, poderia ter ficado tranquilamente uma semana para explorar a região com calma). Num desses dias fiz um bate e volta a KOTOR, BUDVA E SV. STEFAN, Montenegro (vale muito a pena conhecer a região dos fiordes).
  • Depois, de carro alugado fui de DUBROVNIK até SPLIT passando por MALI STON (cidade com a maior muralha depois da Muralha da China); NEUM, na Bósnia Herzegovina, até chegar em SPLIT (segunda maior cidade do país) onde fiquei 2 dias.
  • De SPLIT fui de ferryboat até a ILHA DE HVAR (super badalada) onde passei mais 2 dias. Ao retornar à Split ainda reservei um tempo para conhecer TROGIR (uma das cidades mais antigas do país). Fica praticamente ao lado do aeroporto, menos de 5 quilômetros e a cidade é imperdível. 
Mapa da Croácia e países que fazem fronteira.

ENTRANDO PARA A UNIÃO EUROPEIA

A Croácia foi reconhecida como nação independente pela comunidade internacional, apenas em 1995, depois de uma longa e tensa trajetória. Nesse momento começou uma caminhada em direção a sua reconstrução política e econômica. E, seguindo os passos da vizinha Eslovênia, a Croácia também decidiu se integrar a União Europeia. Por coincidência, acompanhei parte desse momento histórico. Exatamente quando visitava o país o euro começou a circular e a Croácia se tornou o vigésimo oitavo membro da União Europeia. Esta integração está servindo como pavimento para que outros países sejam aceitos no grupo, inclusive a Sérvia, que foi o epicentro das terríveis batalhas travadas em 1990.

Quem poderia supor que esse paraíso cheio de vida tenha sido palco de tantas batalhas sangrentas?

Essa região tão linda e tranquila atualmente, já foi marcada por inúmeros conflitos. As razões de tanta desavença eram políticas, geográficas, religiosas, étnicas e econômicas. Um passado bem turbulento. No final da Primeira Guerra Mundial, em 1918, com a morte do herdeiro do Império Áustro-Húngaro, a Croácia passou a fazer parte do Reino da Iugoslávia, juntamente com a Sérvia e a Eslovênia. Mais tarde, quando estourou a Segunda Guerra Mundial, as tropas nazistas invadiram o território e um grande conflito interno assombrou a região. Com a derrota alemã, o ditador Tito conseguiu habilmente assumir o controle da Iugoslávia, que passou a ser formada pela Sérvia, Montenegro, Eslovênia, Croácia, Macedônia e Bósnia Herzegovina. O Titoísmo era sintetizado com a máxima: "Seis repúblicas, cinco etnias, quatro línguas, três religiões, dois alfabetos e um Partido". Complicado unir tantas diferenças. Mas, com força e determinação, ele se manteve no poder até a morte, em 1980. Nesse momento, todo ressentimento que estava adormecido, pelas diferenças étnicas, veio à tona em forma de guerra e as repúblicas iugoslavas foram sendo desmembradas. Muito sangue rolou. Em 1991, a Eslovênia e a Croácia iniciaram um movimento pela independênica. A seguir, foi a vez da Macedônia. E, depois, Bósnia e Herzegovina. Os conflitos foram pesados. Só na Bósnia houve mais de 250 mil mortos. De toda a antiga Iugoslávia acabaram restando apenas Sérvia e Montenegro. As duas nações se mantiveram unidas de 2003 a 2006 como Estado da Sérvia e Montenegro. Nesse momento, os montenegrinos demonstraram em plebiscito o desejo de se separar da Sérvia. E, conseguiram. Agora, finalmente, parece que reina a paz naquela região que outrora sofreu tanto com guerras fratricidas. Que reine a paz!

Dubrovnik e seus tradicionais telhados reconstruídos após tantos bombardeios.

FAZENDO JUZ AO TÍTULO DE PÉROLA DO ADRIÁTICO

Reza a lenda que Dubrovnik foi fundada no século VII por fugitivos de uma cidade chamada antigamente de Epidauro, que pertencia a Grécia e hoje se chama Cavtat. Foi uma república independente por mais de 700 anos. No século XI, tornou-se importante rota de comércio marítimo. Chegou a ter uma esquadra de 500 navios. Mantinha relações internacionais privilegiadas com Turquia, África  e Índia. Chegou até a ter relações diplomáticas com a corte inglesa na Idade Média. Mas, falando assim parece que seu percurso foi apenas de flores. Não foi. Esteve nas mãos dos bizantinos, dos venezianos, sofreu um forte terremoto em 1667 que matou mais de 5 mil habitantes e foi duramente prejudicada por bombardeios na guerra de 1991. Mais de 2 mil bombas e mísseis foram lançados sobre a cidade. Apesar de tudo, ela renasceu ainda mais bela. Conseguiu manter sua graça entre muros magníficos, igrejas góticas, renascentistas e barrocas, monastérios, palacetes e fontes, num astral absolutamente acolhedor. E, como não podia ser diferente, Dubrovnik foi declarada em 1979 Patrimônio Mundial da Unesco.

Stradun, rua principal de Dubrovnik. A limpeza e o capricho imperam.

Stradun vista a partir de um trecho da muralha.

Dubrovnik soube aproveitar suas feridas e só ganhou com isso. É um belo exemplo de cidade medieval murada. Tem ruas regulares, simétricas, limpíssimas, bem conservadas, branquinhas. Parece uma cidade cenográfica. A maior parte do centro histórico data da reconstrução feita após o episódio do terremoto. No entanto, mais recentemente, um acordo feito com a Unesco e União Europeia auxiliou a cidade a ficar impecável após os bombardeios dos sérvios. E ficou um espetáculo! Pequenina, charmosa e impressionante. Merece o título de "pérola do Adriático" dado por George Bernard Shaw (escritor irlandês) que se apaixonou pela cidade e dizia que ali era o paraíso na terra. O cara sabia das coisas!

"A pérola do Adriático".

Por ser uma cidade bem pequena, pode muito bem ser vista em um dia, mas isso é um pecado. Ela merece pelo menos uma semana. Fiquei três dias e não deu para nada!

A visita deve começar pelos muros que são um dos seus principais ícones. Foram construídos no século X e mais tarde foram sendo reforçados. Sua extensão é de aproximadamente dois quilômetros e em algumas áreas sua altura chega a 25 metros. O acesso é feito por uma escadaria perto do Monastério Franciscano, atrás do Portão Pile. O visual que se tem a partir das passarelas sobre as muralhas é imperdível.


As muralhas de Dubrovnik.


Vista deslumbrante de Dubrovnik a partir da muralha.

Uma das entradas de Dubrovnik é pelo Portão Pile. Bem ao estilo medieval, o acesso à essa porta é feito por uma ponte sobre um fosso. Agora, o fosso não tem mais água. Virou um jardim. Uma imagem de São Brás adorna o portão. Ao atravessa-lo se chega à rua principal, Stradun. Momento de êxtase. As construções mais lindas se sucedem: a Fonte de Onofrio (de 1438), o Monastério Franciscano (que tem no seu interior uma das farmácias mais antigas da Europa, 1391), a Coluna de Orlando junto à Igreja de São Brás (padroeiro da cidade). No meio disso tudo cafés, sorveterias e restaurantes simpáticos. Mais à frente, o Palácio Sponza (antiga Casa da Moeda, de 1516), o Palácio do Reitor (de 1441, foi o centro político-administrativo e agora é um museu municipal) e a catedral. Nessa altura já se está quase saindo do centro antigo pelo outro portão, o Portão Ploce. Esse lado da cidade é voltado para um porto animadíssimo de onde partem embarcações de passeio. 

Portão Pile sempre repleto de turistas e a imagem de São Brás.

A Fonte de Onofre fazia parte do sistema de abastecimento de água da cidade. A água vinha do rio Dubrovcka que fica a 12 quilômetros de distância.

O Palácio do Reitor foi o centro político e administrativo da República por muito tempo.

Em primeiro plano a igreja de São Brás e ao fundo a cúpula da catedral de Dubrovnik.

O Palácio Sponza hoje abriga os Arquivos do Estado

DEGUSTANDO DUBROVNIK

Conhecer os principais pontos de interesse é relativamente rápido. Um dia e está tudo visto. No entanto,  Dubrovnik deve ser trilhada lentamente. De dia, um giro pelo centro antigo, pausa para um café ou quem sabe um sorvete se o calor estiver castigando. Para completar um mergulho em uma das tantas praias e ilhas nos arredores da cidade e à noite, o prazer de sentar num restaurante qualquer. Ao cair do dia, mesas surgem no meio das ruas, onde antes não havia nada. E, elas não ficam vazias. Se enchem de vida e de turistas ávidos por degustar uma comida que ainda é fresquíssima e feita com carinho. Onde quer que se vá, a escolha será acertada. Os restaurantes mais caros não são necessariamente os melhores em Dubrovnik. Nem vou indicar restaurantes dessa vez, pois me surpreendi com a qualidade de tudo que experimentei. Desde um simples pãozinho até um prato mais elaborado. A escolha dos restaurantes foi feita na base da vontade. Era o restaurante que me escolhia. Deu muito certo!

Os restaurantes de Dubrovnik são muito convidativos.

 Restaurante Nautika. Tem uma das cozinhas mais bem elaboradas da cidade. Mas, o principal é a vista durante o por do sol.

A cozinha croata tem influência de outros países do litoral mediterrâneo, como a Itália, Espanha, Grécia, Turquia. É uma mistura que dá certo. Somado à isso tem o peixe fresco e os produtos cultivados na região.

Diariamente, uma feira livre era montada bem cedo ao lado do hotel. Muito interessante. À moda antiga. Aspargus, tomates, cenouras, folhas, frutas, mel, presunto cru, além de artesanato e sachês de lavanda. Antes do almoço, a feira sumia em poucos minutos e o reduto dos feirantes dava lugar às mesas dos restaurantes.

Feira livre em Dubrovnik.

O mesmo local passa a ser ocupado por mesas de restaurantes a partir da hora do almoço. E, cedinho, no dia seguinte a feira recomeça.

TELEFÉRICO DE DUBROVNIK

A cidade conta com um bondinho que conecta as muralhas com o Monte Srd. Ele voltou a funcionar há pouco tempo, pois foi destruído em 1991, durante a guerra. O percurso dura menos de cinco minutos e a vista é linda. Dá para ver toda a cidade murada, o mar, as ilhas e as montanhas da Bósnia Herzegovina que ficam muito próximas da cidade.

Teleférico de Dubrovnik.

Vista a partir do mirante do teleférico. Na frente o mar...

... e atrás, a imensidão das montanhas da Bósnia Herzegovina.

ILHA DE LOKRUM

Há muitas coisas interessantes perto de Dubrovnik. A Ilha de Lokrum, por exemplo, fica a menos de um quilômetro do porto e é imperdível. No centro da ilha tem os restos de uma antiga abadia beneditina, de 1023. Mas, as pessoas costumam ir até a ilha muito mais em busca de suas belezas naturais. Há um lago de água doce, super gelado, cercado de pedras e vários locais indicados para quem quer dar um mergulho no mar. O acesso é feito pelo meio das pedras. Muito interessante. As pessoas sentam no chão duro de pedras e ficam ali por horas tomando sol. Inusitado. Para quem prefere mais conforto há bares com espreguiçadeiras deliciosas perto do mar.

Porto de Dubrovnik, de onde partem barcos para Lokrum.



Ilha de Lokrum.

Praia da Ilha de Lokrum.

SUGESTÕES DE BATE E VOLTA
  • MONTENEGRO (para visitar as cidades de Kotor, Budva e Sv. Stefan)
  • ILHA DE KORCULA
  • PARQUE NACIONAL DE MLJET

OUTRAS INFORMAÇÕES IMPORTANTES

DOCUMENTOS: brasileiros não precisam de visto para entrar na Croácia. É preciso apresentar apenas o passaporte. E, os trâmites na alfândega são simples e com boa agilidade. 

MELHOR ÉPOCA: o verão é a melhor época para visitar a Croácia, de junho à setembro. Fui no final de junho e achei perfeito. Os lugares ainda não estavam muito cheios e a temperatura girava entre 20 e 30 graus. Com esse mar espetacular não dá para ir numa época fria que não dê para aproveitar. Julho e agosto costumam ser lotados.

IDIOMA: croata. Bem difícil. Mas, o inglês é falado por muita gente e o italiano também. Eles são  simpáticos e sempre querem ajudar. 

SEGURANÇA: o país é muito tranquilo. Dá para andar pelas ruas de noite sem problemas. Mulheres sozinhas podem visitar a Croácia sem risco. 

GORJETAS: a prática é de 10%. 

PRAIAS DE NUDISMO: são muito comuns. É uma tradição na Croácia. Há muitas praias designadas como Naturistas. 

FUSO HORÁRIO: a Croácia está quatro horas à frente do Brasil. 

MOEDA: Kuna. A Croácia acaba de entrar para a Comunidade Europeia, mas ainda não aderiu ao euro. 1 dólar = 5,7 kunas.

COMO CHEGAR: o mais prático é ir de Alitália direto do Brasil para Roma e de Roma fazer um voo de menos de uma hora até Dubrovnik. Também é possível ir de barco a partir de Veneza ou de trem saindo de Trieste. 

HOTÉIS: Dentro das muralhas adorei o Pucic Palace. O hotel é pequeno, tem apenas 19 quartos de decoração super aconchegante. O padrão é cinco estrelas. O banheiro é moderno, com banheira. Atendimento super simpático e impecável. Café da manhã servido num terraço delicioso. 

Hotel Pucic Palace, Dubrovnik.

Outra boa opção para quem não se importar de ficar fora das muralhas é o Hilton Imperial Dubrovnik. Ele é fora, no entanto bem pertinho. Basta sair pelo Portão Pile e andar uns 50 metros. Tem padrão cinco estrelas. Mas, por ficar fora do centro antigo, o preço cai. 

Sabe um daqueles lugares de onde você não quer ir embora... foi assim em Dubrovnik. Amei!

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Sensacional!Deu vontade de conhecer.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Cláudia, que maravilha de post !
    As fotos lindas, como sempre,além de toda a informação histórica e turística. Amei ! Dubrovnik está na minha wish list.
    Eu estava sentindo falta e já preocupada com a falta de notícias tuas.
    Abraços
    MT

    ResponderExcluir
  3. Dubrovnik é uma cidade linda que eu ainda não tive o prazer de conhecer, mas está na minha lista há algum tempo. Suas fotos estão lindas como sempre. Beijos e obrigada por compartilhar sua viagem!

    ResponderExcluir
  4. Lindo,
    Estava sentindo falta de teus posts.
    Bjos
    Ana

    ResponderExcluir
  5. Flavinha!

    Croácia e Montenegro são realmente demais. Valem uma viagem com certeza!

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. MT,

    Tenho trabalhado muito! Quase não tem sobrado tempo para nada além do trabalho! São fases. Por isso, não conseguia escrever. Ainda falta Montenegro, que é um país belíssimo com seus fiordes. Vou tentar manter a frequência de um post por semana, como sempre foi.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Claudia
    Demorou mas valeu a pena esperar!
    Um dos seus melhores posts, tanto nas fotos como no texto!
    Parabens e mais uma vez obrigado por nos fazer viajar contingo a cada palavra!
    Abs
    VS

    ResponderExcluir
  8. Regina Helena,

    Esse país é muito bonito. Vale a pena circular com calma de norte a sul. Muita história, belezas naturais, pessoas amáveis e comida deliciosa. Excelente.

    Bj

    ResponderExcluir
  9. Ana, querida,

    Foi muita falta de tempo. Mas, vou tentar achar espaço na minha agenda para escrever os posts que ainda faltam sobre Montenegro e mais algumas cidades da Croácia.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Claudia, a Croácia parece ser mesmo um país encantador!!! Depois de ver suas fotos, então....me deu uma vontade de ir lá ver de pertinho! Mas, acabo de chegar de uma viagem e tenho que dar um tempinho agora, rsrs

    Beijocas e bons ventos por aí!

    Bia

    www.biaviagemambiental.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Claudia,

    Amei, amei, amei!

    A Croácia também faz parte da minha `pequena` wish list!

    Como te contei no IG, o capitão do navio em que estive por 11 dias na Polinésia, é de Dubrovnik, e nos contou muitas coisas sobre seu país, cuja história é deveras interessante.

    Como comentei sobre seu blog, ele ficou de dar uma olhada!

    Depois de ver muitas pérolas negras, pretende conhecer em breve essa pérola do Adriático.

    Beijos,
    Andressa

    ResponderExcluir
  12. Bia,

    Lembrei de você na Croácia com aquele mar imenso e espetacular. A beleza natural é incrível e ainda muito bem preservada. Quando puder programe mesmo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Andressa,

    Você arrasou nesse ano. Duas vezes ao Tahiti. Pérolas Negras em profusão. Que espetáculo!

    A Croácia é bem diferente, mas também muito interessante. Uma viagem mais dinâmica, pois tem muitos lugares legais pra se ver. É preciso circular bastante. Adorei!!!!!

    Você vai gostar. Mas, sei que seu padrão de qualidade está super alto!!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Geografia e história não fazem mal a ninguém e você ainda nos brinda com dicas de turismo. É por isso que sempre leio seu blog. Obrigado pelas aulas.

    ResponderExcluir
  15. Menina, que fotos M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A-S!!!!!
    Tudo lindo demais, amei!!! A última tá parecendo capa de disco! ;)

    Sou louca para conhecer a Croácia!! Já tem uns 3 anos que ela aparece na lista e no final acabo não conseguindo ir... vamos ver no ano que vem! ;)

    Bjs e saudades! Qdo vem por dubai novamente?

    ResponderExcluir
  16. Rui,

    Eu é que agradeço pelo seu comentário.

    Obrigada mesmo!

    Claudia

    ResponderExcluir
  17. Oi Fê!

    Quanto tempo. Dubai está sempre na minha mira. Sempre é um bom pit stop quando o caminho é a Ásia. E, eu amo ir pra Ásia!!!!

    Quando puder programar a Croácia nem pense duas vezes. O país é maravilhoso!!!!! Amei tudo. Da história à gastronomia.

    Tenho visto suas fotos espetaculares no IG.

    Beijos

    Claudia

    ResponderExcluir
  18. Lindo seu blog! Gostei do jeito que escreveu, especialmente este post que ficou muito interessante!

    Muito boa esta série de links! Temos alguns relatos de viagens bem legais em nosso blog também!

    Muita Viagem - blog com relato de viagens

    ResponderExcluir
  19. Lindo seu blog! Gostei do jeito que escreveu, especialmente este post que ficou muito interessante!

    Muito boa esta série de links! Temos alguns relatos de viagens bem legais em nosso blog também!

    Muita Viagem - blog com relato de viagens

    ResponderExcluir
  20. Claudia, minha irmã do meio esteve em Dubrovnik há alguns anos e também amou!!!! Esse ano vou fazer uma festa para comemorar meus 40 anos e o tema será AVIAÇÃO E VIAGENS com direito a decoração cheia de detalhes, rsrs! Foi uma coincidência ter visitado exatos 40 países até agora, mas sabe o que percebo? Eu não posso dizer que conheço todos esses lugares, só que "estive lá". Já você viaja por várias cidades de um mesmo país, conhece a capital, algumas cidades badaladas e também outras bem desconhecidas, no interior dos países. Eu admiro bastante isso! Você vai muito além do roteiro turistão tradicional e pode dizer que "conhece" de verdade vários países! Quando crescer, quero ser igual a você, rsrs! Um grande beijo e que no seu caminho apareçam oportunidades infinitas de viajar!

    ResponderExcluir
  21. Katia,

    Você viaja bastante!!!! Vive com o pé na estrada. Esse casal sabe aproveitar a vida. As últimas viagens de vocês foram incríveis.

    Viajar é muito bom. Está no meu DNA cigano! Já nasci com rodinhas nos pés. Quando fico mais de um mês em casa começo a entrar em crise de abstinência. hahaha.

    Parabéns pelos 40 aninhos. Tem que comemorar em grande estilo. Essa é uma data bem especial. Desejo um ano maravilhoso cheio de conquistas e muitas viagens.

    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Conheci Dubrovnick em 1990 ,parte da passeio cruzeiro na copa do mundo , nesta epoca nao deu para conhecer muito da cidade ficamos mais no porto , quem sabe ainda nao consigo conhecer a cidade nova e aproveitar para conhecer a Lithuania cidade de Kaunas onde meu Pai nasceu...

    ResponderExcluir
  23. Luiz Carlos,

    Nossos sobrenomes são muito parecidos. Meu avô também nasceu em Kaunas. Se bobear somos até parentes. rs.

    Dubrovnik vale muito a pena. Dá para ficar uma semana tranquilamente.

    Já, na Lithuania fiquei apenas dois dias, por isso não consegui conhecer Kaunas. Uma pena. Quero voltar.

    ResponderExcluir
  24. Querida Cláudia, sem dúvida é a melhor página que já encontrei falando sobre Dubrovnik. Vou pra lá em Setembro, na 3ª semana, você acha bacana? Estará calor a ponto de tomar banho de mar? E esta ida à Montenegro, como faço? Super me interessei, mas não achava ninguém que tinha ido. Beijão!

    ResponderExcluir
  25. Thalyta,

    Super quente provavelmente não estará mais. Tomara que vc ainda consiga aproveitar aquele marzão lindo. Mas, se não conseguir, há muito o que fazer por lá.

    Para ir à Montenegro aluguei um carro. Em uma hora você chega no país. É bem pertinho. Fácil de entrar. Também tem linhas regulares de ônibus e excursões tipo bate-e-volta oferecidas em todos os cantos da cidade.

    Você vai adorar!

    ResponderExcluir
  26. Claudia,

    Realmente seu post e suas fotos são incriveis, espetaculares......Vou com minha esposa no final de Maio/2015 visitar as cidades, praias e ilhas que você recomendou. Não vejo a hora de conhecer a "Pérola do Adriatico" e seus encantos.

    Obrigado por escrever tão bem e nos ajudar a planejar melhor nossa viagem.

    Beijos,
    Magno Cezar de Oliveira

    ResponderExcluir
  27. Magno,

    Fico muito feliz por ter ajudado no planejamento da viagem de vocês. Esse é o objetivo do blog.

    Espero que gostem muito de Dubrovnik. Eu gostei demais.

    Boa viagem!

    ResponderExcluir
  28. Claudia,

    Parabéns pelos detalhes do post, muito bacana.

    Tenho 4 dias na região. O que vc sugere?

    Pensei em 2 para Dubrovnik e mais 2 para transitar entre Hvar e Split.

    Obrigado

    ResponderExcluir
  29. Claudia,

    Parabéns pelos detalhes do post, muito bacana.

    Tenho 4 dias na região. O que vc sugere?

    Pensei em 2 para Dubrovnik e mais 2 para transitar entre Hvar e Split.

    Obrigado

    ResponderExcluir
  30. Pois é, André.

    Quatro dias não dá para muita coisa. Dedique dois dias a Dubrovnik que é o melhor da Croácia e depois um dia um dia e meio para Hvar, durma na ilha e meio dia para Split, onde a parte histórica é pequena.

    Boa viagem!

    ResponderExcluir
  31. Olá Cláudia

    Adorei seu post, o melhor que li sobre essa cidade linda, já estou encantada!!

    Abs

    ResponderExcluir
  32. Perfeito o seu blog! Super bem escrito, cheio de detalhes, dicas muito bacanas. Já me sinto lá, mas viajo em agosto ;)

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  33. Oi Clau,
    Olha eu aqui vindo pegar dicas no seu bloguito pra minha super viagem :)
    Adorei a descrição!!!
    Bjão

    ResponderExcluir
  34. Oi Mirella!!!!

    Que honra. A Croácia é um país encantador. Adorei tudo. As pessoas, as cidades, a cor do mar, o por do sol incrível, os hotéis e a comida. Me diverti e trouxe ótimas lembranças do país.

    O que precisar, me fala.

    Beijos

    ResponderExcluir
  35. Ola Claudia,

    Eu vou fazer um roteiro bem parecido com o seu , mas estou com dificuldade de saber quanto tempo exato leva de carro de Dubrovnik até Split e se a estrada é fácil, ou vale a pena contratar um motorista .

    Obrigada

    Beijos

    Karine

    ResponderExcluir
  36. Karine,

    A distância é pequena pouco mais de 200 quilômetros. Mas, tem muita coisa interessante no caminho. Fui parando e levei quase 6 horas. Mas dá para ir direto em 3 horas. A estrada é boa e não precisa motorista. Fácil. Tem apenas uma fronteira com a Bósnia no caminho. Você entra na Bósnia, trilha alguns quilômetros e sai novamente. Carro alugado já vem com a documentação para atravessar a fronteira sem problema. Super tranquilo.
    Boa viagem.

    ResponderExcluir
  37. Olá, adorei o blog! Parabéns! Vou entrar na Croácia em maio, vindo de Ancona, na Itália, (de ferry) porque vamos antes à Toscana. Somos um casal sessentão, mas ainda "jovens". Vc acha uma boa ideia? E o que acha de alugar um carro em Split e seguir rodando até Zagreb (8 dias)? Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cida, seja bem-vinda à Croácia! :)
      A Claudia respondeu bem, seria legal alugar um carro para locomover mais fácil entre as cidades. Não deixe de visitar Lagos de Plitvice, Zadar, Trogir, Split, Hvar e Dubrovnik.
      Tem ferry Ancona – Split e Bari – Dubrovnik, mais informações sobre o horário procure no site da Jadrolinija, que é a empresa pública de ferrys.
      Boa viagem!
      Natasa

      Excluir
  38. Oi Cida,

    Acho perfeito ir de ferry. Alugar carro é a melhor ideia para circular pelo país. Fácil. Estradas ótimas.

    Boa viagem.

    Bj

    ResponderExcluir
  39. Olá Claudia,

    primeiramente, parabéns! Muito bom o blog.

    Apesar que voce já deu pistas de quantos dias em cada lugar na Croácia, queria a sua opiniao. Terei 14 dias, porem quero aproveitar esse tempo para ir em cidades "proximas" como Budapeste, Viena e/ou Praga. Desse modo, quantos dias na Croacia e suas cidades voce sugere eu ficar? Nao tenho tanta prioradade em ir nesses outros países.
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  40. Ola Claudia,

    primeiramente, parabéns! O blog ficou muito bom!

    Apesar que voce já deixou dicas de quantos dias em cada lugar, queria a sua opiniao.
    Terei 14 dias chegando em Dubrovnik. Penso em ir em outros países "próximos", como Hungria, Aústria e/ou Rep Tcheca. Desse modo, quantos dias voce acha que eu devo ficar na Croacia e suas cidades e ilhas?
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  41. Estou indo pra la em abril e confesso que estava meio insegura, mas depois de ler esse post fiquei super ansiosa!! Com certeza vou amar. Bjss

    ResponderExcluir
  42. Evie,

    Vai sem medo. A Croácia é encantadora. Dubrovnik é uma gracinha de cidade.

    Boa viagem.

    ResponderExcluir
  43. André.

    Programe uma semana na Croácia e o restante distribua entre Budapeste, Viena e Praga. Dois dias para cada uma dessas cidades é o mínimo. Elas são lindas. e tem que prever os tempos de deslocamento que acabam cortando o dia pela metade.

    Boa viagem. Seu roteiro é excelente.

    ResponderExcluir
  44. Claudia, boa noite! Será Q pode me dar uma dica? Vc trocou dinheiro no aeroporto ou na cidade? Tem alguma sugestão? Chego lá dia 30/4. Obrigada, bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evie,

      Eu costumo trocar um pouquinho no aeroporto e depois vou trocando aos poucos no hotel ou nos bancos da cidade. Em Dubrovnik eu solicitei transfer do hotel, então não precisava pagar hotel na chegada. Troquei apenas no hotel.

      Boa viagem.

      Beijo

      Excluir
    2. Ok Claudia! Muito obrigada. Bjs

      Excluir
  45. Olá Claudia!
    Pesquisando sobre a Rússia cheguei na Croácia, meu destino de julho. Amei a série de post e dicas riquíssimas! :)
    Parabéns pelo blog :)
    Bjs
    Camilian

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!