AS CORES DO SALAR DE ATACAMA


Inacreditável como a cada dia o deserto se mostrava mais surpreendente. As paisagens iam mudando constantemente. Minha primeira expressão de perplexidade foi no Vale da Lua. Fiquei boquiaberta achando que seria impossível algo mais bonito. Depois, desci as dunas do Vale da Morte e me diverti demais em outro cenário espetacular. Então, fui ao Salar de Atacama e mal conseguia acreditar no capricho da natureza à minha frente.

Salar do Atacama é o maior salar do Chile e um dos maiores do mundo. Uma imensidão branca que parece não ter fim. São 100 quilômetros de comprimento por 80 de largura de um chão que é puro sal petrificado. O tom branco amarelado só é quebrado pelo azul das lagoas e pelo rosa dos flamingos. E, são muitas lagoas. Uma mais linda do que a outra.

Salar de Atacama.

 Laguna Chaxa e ao  fundo a Cordilheira dos Andes com seus vulcões.

O salar é cercado pela Cordilheira dos Andes de um lado e pela Cordilheira do Sal do outro. Um cinturão de vulcões compõe a paisagem: Licancabur, Acamarachi, Águas Calientes e Láscar (que é um dos vulcões mais ativos do Chile). Para onde quer que se olhe, lá estão eles imponentes.

Mapa do Salar de Atacama.

A altitude do salar é de 2.300 metros. Não é muito. Por isso, esse é mais um dos programas indicados para os primeiros dias de adaptação no Deserto do Atacama. As caminhadas são curtas e por trilhas bem sinalizadas. Considerado um passeio fácil - nível I. O que é difícil mesmo é selecionar as fotos para ilustrar o post.

As cores e relevos do Salar de Atacama não saem jamais da retina.

Lagoas de cores diversas quebram a monotonia do Salar de Atacama.

Esse terreno plano e craquelado ocupa 3 mil quilômetros quadrados. Só há outros dois maiores do que ele no mundo: o Salar de Uyuni (Bolívia) e as Salinas Grandes (Argentina). É gigantesco, árido e por incrível que pareça, cheio de vida. Faz parte da Reserva Nacional Los Flamencos e vive repleto de aves, lagartos e raposas.

Há três diferentes espécies de flamingos no Atacama.

Salar de Atacama.

No meio dessa imensidão de sal há várias lagoas para se visitar. Algumas de água doce e outras de água extremamente salgada. Todas espetaculares.

Optei por visitar de manhã:
  • Laguna Chaxa (60 quilômetros de San Pedro), e 
  • Vilarejo de Toconao (38 quilômetros de San Pedro).
Na parte da tarde, depois do almoço, retornei para conhecer:
  • Laguna Cejar (29 quilômetos de San Pedro) e Laguna de Piedra praticamente coladas uma na outra, 
  • Ojos de Cenotes,
  • Laguna Tebinquiche (44 quilômetros de San Pedro). 
A Laguna Chaxa é formada por água salina. A água vem por canais subterrâneos a partir da Cordilheira dos Andes até desembocar nas lagoas. O terreno ao redor das lagoas é todo rugoso, pois com a evaporação da água, que tem alta concentração salina, verdadeiras esculturas de sal se formam no solo. Interessante, que alguns microorganismos - que são como pequenos camarões - conseguem sobreviver nessas lagoas, apesar da alta salinidade. E, é deles que os flamingos se alimentam. A cor rosada das aves vem exatamente desses camarõezinhos. Quanto mais se alimentam, mais rosados eles ficam. A natureza é muito sábia.

Pequenas trilhas no Salar do Atacama conduzem à Laguna Chaxa.

Laguna Chaxa repleta de flamingos e outras aves.

Salar de Atacama tem ótima infraestrutura turísitca. O acesso é feito por estradas boas e bem sinalizadas. Quem estiver de carro pode chegar sem dificuldade. Na entrada da reserva tem um guichê que cobra uma taxa de 2.500 pesos por visitante. O carro fica estacionado ali e uma trilha conduz os visitantes até a lagoa. Quem estiver num tour em grupo já chega com a entrada paga e ainda tem um guia que vai explanando as características da região.

Laguna Chaxa.

Na Laguna Chaxa dá para chegar bem perto dos flamingos.

Os hotéis também oferecem excursões de bicicleta a partir de San Pedro de Atacama. O percurso é bastante empoeirado e o sol escaldante. Portanto, preferi a van uma vez que ao chegar nas lagoas e no salar já havia pequenas caminhadas programadas.

A saída do hotel costuma ser sempre ao redor das 9 horas. O trajeto de San Pedro de Atacama até a Laguna Chaxa dura uma hora de carro. Mais uma hora de caminhada.

Na volta, uma parada rápida para conhecer o pequeno vilarejo de Toconao. A cidadela tem construções de características diferentes das outras do Atacama. As casas são feita de liparita, uma pedra vulcânica.

Casas típicas de Toconao.

Mercearia de Toconao.

Outro mercadinho de Toconao. E, sempre há um cachorro sem dono pelas ruas.

São apenas algumas ruas com uma praça, algumas lojas bem singelas de artesanato e uma igrejinha de 1744 que é a principal atração do lugarejo, especialmente pelo campanário feito em adobe com palha. A população gira ao redor de 500 habitantes e vive de agricultura, artesanato e exploração de lítio.

 O campanário da igreja de Toconao é a única construção em adobe no vilarejo
Observe que a porta do campanário é feita com madeira de cactus.

A Igreja de Toconao feita de pedras vulcânicas é a principal atração da cidadela

Interior singelo e simpático da Igreja de Toconao.

Loja de artesanato em Toconao

Toconao

Na parte da tarde foi a vez de visitar a Laguna Cejar, Laguna de PiedraOjos de Cenotes e assistir o por do sol espetacular na Laguna Tebinquiche.

A Laguna Cejar é outro passeio divertido, especialmente para quem gosta de relaxar na água. A lagoa tem água tão salgada que é impossível afundar. Como no Mar Morto. É um lugar para se tomar um pouco de sol, com muito protetor e brincar de boiar na superfície da água. A lagoa é de um azul intenso e tem as bordas branquinhas de sal. Mergulhar a cabeça não é a melhor ideia, pois o sal castiga os olhos. Para entrar na lagoa é preciso muito cuidado. Algumas bordas afiadas feitas de sal podem cortar a pele e machucar feio. E, ninguém merece estragar uma viagem por descuido. Então, a ordem é entrar na água muito lentamente, não se jogar, não afundar a cabeça e se possível usar sapatos de borracha para proteger os pés. Assim tudo dá certo e a diversão é garantida.

A água tem temperatura agradável, pois é de origem vulcânica. Mas, não chega a ser quente como nas Termas de Puritama. Ao sair da água, os guias costumam borrifar água doce que levam em galões com chuveirinho, para tirar o excesso de sal do corpo dos visitantes. Levar roupas secas pra trocar é fundamental, uma vez que a temperatura cai abruptamente no deserto ao final do dia. E, ficar molhado no frio para esperar o por do sol é pedir pra ficar resfriado.

Praticamente ao lado da Laguna Cejar tem outra lagoa linda: Laguna de Piedra - também com alta concentração de sal. 

Laguna Cejar.


Muita gente procura a Laguna Cejar para passar o dia. 
Evite os finais de semana para não achar que está no "Piscinão de Ramos".

 Ao redor da Laguna de Piedra, o que parece ser areia é sal.

Algumas pessoas dizem que essa região um dia já foi mar. Porém, outras afirmam categoricamente que seria impossível o mar ter avançado sobre a Cordilheira dos Andes. Fica a dúvida.

Pertinho dali, um contraste interessante. Duas fontes de água doce surgem no meio do salar e fazem a festa de quem gosta de mergulhar. Os mais destemidos pulam fazendo acrobacias nos Ojos de Cenotes. A palavra "cenote" quer dizer poço. No Salar de Atacama, eles brotam de fontes subterrâneas de água.  

Ojos de Cenotes.

Reflexos interessantes são produzidos na água dos Ojos del Salar.

Ainda visitamos outras duas lagoas na região antes do gran finale. Todas lindas e diferentes umas das outras. Mas, o por do sol na Laguna Tebinquiche foi absolutamente inesquecível. 

 Outra das tantas lagoas no Salar de Atacama.

Quando o sol começa a cair, as cores do céu vão mudando rapidamente numa gama que vai do amarelo ao avermelhado. Essas cores se refletem nas montanhas das cordilheiras ao redor, do lado oposto ao do  sol. E a dúvida é... para que lado olhar? De um lado, o por do sol clássico no horizonte. Como todo mundo conhece. E, do outro uma cordilheira inteira mudando de cor. É um espetáculo indescritível!

 Sequência de fotos da mudança de cores no por do sol na Laguna Tebinquiche.

E do outro lado um por do sol de cores lindas, mas totalmente convencional. 

Será que eu gostei do Salar de Atacama? Basta ver o sorriso no rosto.

Um dia perfeito. Não perca de jeito nenhum o por do sol!

O próximo post será sobre Geiseres del Tatio, vilarejo de Machuca, Termas de Puritama e, caminhada no canion de Guatin entre cactus gigantes.

Leia também: 

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Claudia

    As fotos do por do sol estão uma marrrrrravilha!
    Abs
    VS

    ResponderExcluir
  2. Que maravilha,Claudia!
    As fotos estão fantásticas!
    Abraços e feliz natal !
    MT

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Sempre visito seu blog. Existem muitos blogs excelentes sobre viagens, mas, para mim, o seu está no topo da lista. Seu texto é gostoso de ler, e as fotos são belíssimas. Parabéns! Bom 2014 para você!
    Clarice

    ResponderExcluir
  4. MT,

    Desejo ótimas festas e uma novo ano repleto de alegrias.

    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Clarice,

    Muito obrigada. É ótimo ter um retorno tão positivo! Só tenho a agradecer.

    Bj e ótimo 2014!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!