O AZUL CARIBENHO DE CAYO COCO E CAYO GUILLERMO


Cuba é uma grande ilha cercada de ilhotas - chamadas de “cayos” -  por todos os lados. Na minha primeira visita ao país conheci Cayo Largo e fiquei muito bem impressionada. Dessa vez, resolvi mudar de rumo. Em vez de ir para o sul fui para o norte da província de Ciego de Ávila, para conhecer o incrível arquipélago Jardines del Rey formado por cerca de 400 mini ilhas, quase todas desabitadas. Mas, duas delas saíram do anonimato pelas mãos do escritor Ernest Hemingway, que viveu muitos anos em Cuba e usou as ilhas como refúgio particular. Agora, Cayo Guillermo e Cayo Coco, atraem levas de turistas.

Pôr do sol em Cayo Coco.

PRAIAS E LIVROS

Hemingway manteve por muito tempo uma casa de veraneio na Playa Pilar, em Cayo Guillermo, onde chegava com seu barco “Pilar”, que empresta o nome à belíssima praia. Aquela imensidão azul turquesa era uma de suas grandes fontes de inspiração. E isso é fácil de perceber em algumas de suas obras, como “O Velho e o Mar”, que li e reli na minha adolescência. A casa já não existe mais. Foi varrida por um furacão. Sobrou apenas uma marcação no chão sinalizando o local que encantou o escritor. As duas ilhotas próximas à casa de Hemingway têm os nomes de seus filhos: Patrick e Gregory.

Na ponte de acesso a Cayo Coco é Hemingway quem dá as boas-vindas.


Playa Pilar e ao fundo a ilhota onde ficava a casa Hemingway. 

Bem, ele trouxe a fama e vida ao lugar. No entanto, o arquipélago foi descoberto muito antes por Diego Velásquez. O conquistador espanhol aportou por lá, em 1522, e se encantou tanto com o que encontrou que dedicou seu achado ao rei Carlos V, chamando o arquipélago de Jardines del Rey. Mais tarde, essas ilhotas serviram como refúgio de piratas e também como ponto clandestino de desembarque de escravos quando a escravidão foi abolida.

Além de praias lindas, Cayo Coco e Cayo Guillermo têm bons ventos para kitesurfe.

UM ATERRO POLÊMICO

O acesso para Cayo Coco e Cayo Guillermo, por terra, passou a ser possível apenas em 1988 quando foi feito um grande aterro chamado de “Pedraplén”, contestado pelos ecologistas por bloquear o fluxo da maré, onde surgiu uma estrada de 27 quilômetros ligando o continente a algumas ilhas do arquipélago. Então, vários hotéis tipo “all inclusive”, foram construídos atraindo o turismo para a região e foi feito inclusive um aeroporto que recebe voos nacionais e internacionais.

Optei por ir de carro até o arquipélago para conhecer no trajeto as cidades históricas de Cuba e a área rural do país. A distância é de aproximadamente 600 quilômetros. Ao chegar de carro no aterro que dá acesso a Cayo Coco e Cayo Guillermo paga-se um pedágio de 2 cucs. Ao longo do caminho flamingos dão as boas-vindas. A região atrai uma grande quantidade de animais pois é formada por pântanos, mangues e mar. Muitas cutias também podem ser vistas nos mangues. A fauna e a flora são muito ricas.

Os flamingos tem presença garantida em Cayo Coco.

CAYO COCO

Cayo Coco é a primeira ilha do trajeto. O nome da ilha vem de uma espécie de ave chamada pelos cubanos de “coco”, o íbis-branco. A ilha é grande para o padrão do arquipélago. Tem 22 quilômetros de praias de areia branca. Algumas são belíssimas, outras nem tanto. A melhor delas, em Cayo Coco, é a Playa de los Flamencos. Ela tem 3 quilômetros de extensão, dunas, mangue e uma água azul turquesa que dança conforme a maré, mas não tem super hotéis, o melhor é o Memories Flamenco Beach Resort.

Playa de los Flamencos, Cayo Coco. 

Os melhores hotéis ficam na Playa Colorada: Meliá Cayo Coco e Pullman The Collection, mas não espere a melhor praia. Esses resorts são muito procurados por canadenses e europeus que querem fugir do frio do Hemisfério Norte. São resorts imensos, com serviço fraco, pois eles ainda estão aprendendo a receber os turistas. Nesse caso, o que realmente vale é a beleza natural.

Playa Colorada, Cayo Coco.

O hotel Pullman é novíssimo. Abriu as portas há menos de um ano. É o mais luxuoso da ilha. Fique na ala The Collection que é mais tranquila, com restaurantes separados, piscina exclusiva e aceita apenas adultos. Dali, vá de carro para as demais praias. As distâncias são relativamente curtas.

Piscina do hotel The Collection Pullman.

 Suite do hotel The Collection Pullman.

Outros locais bonitos em Cayo Coco são: Playa Prohibida, Duna de la Loma del Puerto, Playa Coco e Cayo Paredón Grande.

Playa Coco. 

CAYO GUILLERMO

Já, Cayo Guillermo é a “cereja do bolo”. Cayo Guillermo fica a 40 quilômetros de Cayo Coco. A ilha tem apenas 13 quilômetros quadrados, muitos mangues e a famosa Playa Pilar, considerada "uma das 25 mais bonitas do mundo" e “Top 10 do Caribe”.  Essa praia tem um mar azul inacreditável, corais lindos, milhares de peixes coloridos, muitas estrelas do mar, um navio espanhol naufragado que pode ser visto de snorkel e bons ventos para kitesurfe. É um pequeno paraíso em Cuba. Pena que esteja ficando cheia demais. Tem até um ônibus vermelho daqueles de dois andares que circula pelas ilhas levando dezenas de turistas para lá e para cá. Turismo de massa acaba sendo prejudicial. Até hotéis já começaram a surgir ali. O primeiro foi o Iberostar Playa Pilar e perto dele já tem outro sendo construído.

Cayo Guillermo, Playa Pilar.

Playa Pilar é um lugar de onde não dá vontade de ir embora. 

Em Playa Pilar dá para correr, praticar yoga, mergulhar de snorkel ou curtir um dolce far niente.

COMO CHEGAR

Carro. De Havana até Cayo Coco são 600 quilômetros que podem ser percorridos em 8 oito horas com tranquilidade, fazendo algumas paradas no caminho. Optei por dormir em Cienfuegos para conhecer a cidade. Depois, fiz uma parada para almoçar em Trinidad e assim, a viagem ficou mais relaxada.

Em Cayo Coco, cavalos para explorar as praias.

Avião. Há voos internos no país de Havana até Cayo Coco. Consulte antecipadamente os horários para não se frustrar. Transporte em Cuba é um assunto delicado.

Taxi em Cayo Coco.

ONDE FICAR

EM CAYO COCO
            Playa Colorada: Pullman The Collection e Meliá Cayo Coco
            Playa de los Flamencos: Memories Flamenco Beach Resort

CAYO GUILLERMO

            Playa Pilar: Iberostar Playa Pilar, Sercotel

Sercotel, Cayo Guillermo.

Lembre de reservar tudo com muita antecedência. Cuba é um lugar complicado em termos de logística. Não dá para deixar nada para resolver na hora. Não dá!!! Amarre muito bem sua viagem antes de chegar ao país. Reserve hotéis, carro, voos antecipadamente para evitar problemas. 

LEIA TAMBÉM

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Respostas
    1. Manu,

      Esse mar caribenho de Cuba é um absurdo de lindo.
      Beijos

      Excluir
  2. Respostas
    1. Pamela,

      Vai logo enquanto não muda tudo. Ainda é muito pitoresco e especial.

      Beijos

      Excluir
  3. Nossa, que lugar incrível!!! Paradisíaco.. Excelente dica de viagem para quem ama o mar!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nathalia,

      É uma viagem legal para conjugar história e natureza. Cuba tem de tudo.

      Bj

      Excluir
  4. Doida para conhecer um mar dessa cor!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Cláudia. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    ResponderExcluir
  6. Olá, Cláudia, eu conheci Cayo Largo e fiquei muito impressionado. Cayo Guilhermo é tão bonita quanto?

    ResponderExcluir
  7. Ola Cláudia. Estou em dúvida se vale a pena alugar um carro de Varadero para ir direto à Cayo Coco, ficar 3 dias na ilha, e depois seguir viagem pelo interior (Trinidad e Cienfuegos).
    Você acha necessário estar de carro enquanto estiver em Cayo Coco ou há transporte fácil para se deslocar entre Cayo Coco e Cayo Guillermo? Estou receosa de ficar pagando diário de aluguel de carro e acabar deixando o carro estacionado no hotel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Danuza,
      Nós usamos o carro o tempo todo, pois somos muito agitados. Caso você curta ficar sempre no hotel e na mesma praia, então não vai precisar do carro. Nós optamos por rodar a ilha toda. É lindo. Recomendo!
      Beijo

      Excluir
  8. Amei as dicas e as fotos! Eu, meu marido e minha mãe iremos a Cayo Coco em novembro e eu fiquei bem interessada no hotel Pullman, até porque tenho lido muitos relatos negativos com relacão aos demais resorts! Vocês gostaram do hotel? Uma vez lá, é possível visitar as outras ilhas sem ter alugado carro? Obrigada <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriela,

      Ter um carro ajuda muito. Mas há transporte público e taxis.
      Só não deixe de ir.
      Beijo

      Excluir

Deixe seu comentário. Obrigada!