SALZBURG, A TERRA DE MOZART

Por Claudia Liechavicius

Com um cenário tão bucólico como esse dá para entender de onde vinha a fonte de inspiração de ninguém menos do que o eterno Amadeus Wolfgang Mozart. Os Alpes como pano de fundo, muitas torres de igreja, cúpulas imponentes, um belo forte medieval e uma cidade de arquitetura impecável às margens do rio Salzach. Foi em Salzburgo, na Áustria, que o músico nasceu e passou grande parte de sua vida. Aliás, tudo na cidade remete a ele. Os chocolates, as indumentárias de época para se tirar uma foto vestido a caráter, a casa onde ele morou, o local onde ele nasceu, a estátua na praça, os festivais  concorridíssimos de música clássica. Seja bem-vindo a terra de Mozart.



Praça de Mozart, no centro histórico de Salzburg.

Salzburg é a quarta maior cidade da Áustria ficando atrás apenas de Viena, Graz e Linz. Sua população gira em torno de 150 mil habitantes. Sua localização é nobre, às margens do rio Salzach e cercada por montanhas imponentes. Para completar, seu centro histórico é considerado Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1996. Então, coloque essa pérola austríaca na sua listinha de lugares a conhecer e tente fazer com que a data da viagem coincida com o período de um dos maiores (e melhores) festivais de música do mundo: o Festival de Salzburg.


Vitrine de uma loja do centro histórico de Salzburg.

O FILHO PRÓDIGO

Não há como negar que Salzburg tem muito orgulho de ter sido o berço onde Mozart foi dado à luz no dia 27 de janeiro de 1756, na rua Getreidegasse número 9. Seu pai, Leopold Mozart, mudou-se de Augsburg para Salzburg para assumir o cargo de quarto violino na Capela Real e mais tarde chegou a ser  vice-mestre de capela. Casou-se com Anna Maria Pertl. Tiveram sete filhos, dos quais apenas dois sobreviveram por mais de um ano, Wolfgang Amadeus e sua irmã Nannerl. Desde cedo seu talento era evidente. Começou a compor aos cinco anos e foi autor de mais de 600 obras brilhantes. Passou os últimos anos de sua vida em Viena e Praga. Infelizmente, morreu muito cedo, aos 35 anos e é considerado um dos maiores compositores clássicos de todos os tempos. Imaginem o que teria feito se tivesse vivido o dobro...

A casa onde Mozart nasceu, na rua principal do centro histórico, é hoje um museu. 
A grande atração é o cravo onde ele compôs a maior parte dos concertos para piano. 

O FESTIVAL DE SALZBURG

Os festivais iniciaram na cidade graças a força do filho ilustre, Mozart, em 1842, na ocasião em que foi inaugurado um monumento a ele. Depois disso, a Fundação Mozarteum promoveu vários outros eventos de música clássica. Mas, em 1912 é que o festival foi realmente instituído. O local onde os festivais aconteciam era nos estábulos dos príncipes e arcebispos. Em 2006, três novas grandes casas foram inauguradas para receber os melhores músicos do mundo:
  • Grobes Festspielhaus (Grande Casa dos Festivais), 
  • Teatro  Felsenreitschule
  • Nova Haus für Mozart (Casa para Mozart). 
Esse é o ponto alto de Salzburg. O evento é elegante e grandioso! A cidade atrai hordas de apreciadores da boa música. As óperas, sinfonias, concertos e recitais são tão concorridos que costumam se esgotar com meses de antecedência. Quem gosta de música clássica costuma voltar todos os anos à cidade. Há quem se aventure a chegar em Salzburg sem ingresso para tentar por intermédio de cambistas, mas o valor fica exorbitante (ingressos que custam entre 200 e 300 euros podem ser vendidos no câmbio negro por mais de 1.000 euros).

O Festival de Salzburg acontece anualmente da última semana de julho ao final de agosto. Também há um outro menor da época da Páscoa que dura apenas uns 4 dias. Para saber mais informações consulte o site www.salzburgerfestspiele.at


Mozart em todas as vitrines e por todos os lados.


O CENTRO HISTÓRICO


A cidade é relativamente pequena (apesar de ser a quarta maior do país). No entanto, é preciso caminhar muito para conhecer seus recantos e alguns lugares interessantes ficam no alto do morro, ou seja, subidas e descidas íngrimes fazem parte do trajeto. Vá prevenido para andar bastante, ladeira acima. Inclua no seu roteiro:
  • Fortaleza de Hohensalzburg
  • Mosteiro de Nonnberg
  • Abadia de São Pedro
  • Catedral de Salzburg
  • Residência dos Arcebispos
  • Igreja dos Franciscanos
  • Rua Getreidegasse
  • Museu de Mozart
  • Palácio Mirabell
  • Rua Linzergasse


    A FORTALEZA DE HOHENSALZBURG

    Ela ostenta um dos maiores castelos medievais da Europa. Tem 250 metros de comprimento e 150 de largura. É um dos principais cartões-postais da cidade e pode ser vista facilmente de qualquer ponto, pois fica no topo da colina.

    A Fortaleza de Hohensalzburg.

    Sua construção foi iniciada em 1077 pelo arcebispo Gebhardt von Helffenstein. Mais tarde, em 1495 foi a vez do príncipe Leonhard von Keutschach reformar e ampliar a construção. A lenda conta que Leonhard tinha grande interesse pelos livros. Por isso, era zombado pelo povo. Quando ele passava as pessoas jogavam beterrabas. Mais tarde, ele deu o troco quando assumiu o trono e para brindar seu sucesso colocou uma beterraba como símbolo de triunfo no brasão. 


    Em 1857, com a inauguração das linhas ferroviárias para Viena o Munique, o turismo começou a crescer e o imperador Francisco José anulou o status de fortificação militar do castelo e abriu suas portas à visitação. Para facilitar o acesso tem um funicular que auxilia num bom trecho da subida. O bilhete de ingresso dá direito de subir e descer no funicular, visitar o interior do castelo com um audio guia, o Museu do Forte, o Museu de Marionetes e o Museu do Regimento Rainer. Vale subir até o castelo pois, além da visita em si, o visual que se tem lá do alto é maravilhoso: a cidade com suas cúpulas, o rio e as montanhas nevadas ao longe. 

    Interior da Fortaleza.

    Vista da cidade a partir da Fortaleza de Hohensalzburg.


    Na descida do funicular se passa pela Kapitel-Platz que fica ao lado da catedral. Ali uma enorme bola dourada atrai o olhar de quem passa. No topo da bola, um homem que olha fixamente em direção a montanha à procura de uma mulher. Confesso que não consegui ver a mulher, mas todos juram que ela está lá numa pequena gruta. A obra se chama Sphaera e é assinada por Stephan Balkenhos, faz parte do  Kunstprojekt Salzburg 2006.



    Linda a Esfera!


    MOSTEIRO DE NONNBERG

    O mosteiro beneditino é o mais antigo convento para freiras do norte dos Alpes. Foi fundado por volta do ano de 714 por São Ruperto. A torre romana vermelha foi aumentada em 1711 por Sebastian Stumpfegger. Ela é parte do panorama da cidade.


    A torre vermelha do Mosteiro de Nonnberg é uma das que mais chama atenção em Salzburg por ter a cor diferente das outras que são verdes. 

    ABADIA DE SÃO PEDRO


    É o mosteiro mais antigo da ordem dos beneditinos de toda região de língua alemã. A igreja do mosteiro foi construída entre 1130 e 1143 como uma basílica romana e no século XVIII foi reformada, passando a adotar um visual barroco. Foi nessa igreja que Mozart apresentou pela primeira vez a sua missa em dó menor. Todos os anos, na véspera do aniversário de seu falecimento toca-se o requiem.


    A Abadia de São Pedro é o primeiro prédio à direita e abaixo, na foto acima.


    CATEDRAL DE SALZBURG


    A Catedral sinaliza o centro da Cidade Velha. Já na época de Ruperto (primeiro bispo de Salzburg - é considerado o apóstolo da Bavária e da Áustria) existia ali uma igrejinha que foi ampliada lentamente até atingir o tamanho atual. Hoje é considerada a maior catedral romana dos países de língua alemã.

    Na cumeeira da Catedral de Salzburg tem uma estátua do Cristo Redentor.


    Detalhes da Cúpula da Catedral, onde Mozart foi batizado.


    RESIDÊNCIA DOS ARCEBISPOS


    A suntuosa residência onde viveu o antigo príncipe arcebispo fica bem ao lado da catedral e tem seus salões abertos à visitação. De um lado da praça a Antiga Residência e do outro a Nova Residência, ao norte casas burguesas e para enfeitar ainda mais o local muitas carruagens ficam ali paradas a espera de turistas para circular pela cidade.

    No inverno, a Fonte da Residência fica coberta. 


    Charmosas carruagens circulam a partir da Praça da Residência.


    IGREJA FRANCISCANA


    Essa igreja é uma das mais antigas da cidade. Foi dedicada às freiras do Convento São Pedro. A torre barroca é sua grande atração.

    Torres da Igreja Franciscana.


    A RUA GETREIDEGASSE

    A rua onde Mozart nasceu é a principal do centro histórico de Salzburg. Movimentada, cheia de lojas, restaurantes, hotéis e o ponto por onde mais circulam os visitantes da cidade.


    A rua Getreidegasse termina na Igreja São Blásio, na colina de Mönchsberg.



    Ao lado da igreja, encravado no morro, fica a entrada do Museu de Arte Moderna. 

    CURIOSIDADE: são muitos os letreiros de lojas em ferro e alguns até são folheados em ouro. Dizem que tiveram origem na Idade Média, quando muitas pessoas não sabiam ler e uma linguagem simbólica era importante na comunicação. 


     Letreiros interessantes chamam a atenção nos estabelecimentos comerciais.


    Essa campainha é incrível. Parece que também foi feita na Idade Média.


    Uma das lojas mais interessantes do centro da cidade (também tem em Innsbruck) é essa de ovos enfeitados não apenas para a Páscoa, mas com os motivos mais diversos. São vendidos durante o ano todo a precinhos bem salgados. Os meus preferidos não poderiam ser outros senão com mapas...


    PALÁCIO MIRABELL E A CIDADE NOVA

    Esse palácio tem uma história densa. Foi construído pelo arcebispo Wolf Dietrich que não conseguiu levar a fundo o celibato. Teve um relacionamento com Salome Alt com quem teve dez filhos e mandou erguer o palácio - que se chamava Altenau - para ela. Isso não era segredo para ninguém. Mas, a igreja católica não aceitou esse relacionamento. O príncipe foi atacado e teve que fugir da cidade. Pouco tempo depois, foi capturado e permaneceu prisioneiro na fortaleza por seis anos, até sua morte. Para tentar apagar essa história, o nome do palácio foi mudado para Mirabell. Mas, quem esquece uma história de amor?

    Palácio Mirabell.

    O Palácio Mirabell e seus jardins ficam na Cidade Nova, do outro lado do rio e são a principal atração dessa parte da cidade. Andando uma quadra se chega a rua Linzergasse, que antigamente era uma via de saída da cidade e agora é uma rua de pedestres onde fica a Igreja de São Sebastião. 

    Rua Linzergasse.

    BONS HOTÉIS NA CIDADE


    Schloss Fuschl. Super elegante. Ocupa um pequeno castelo. Tem campo de golfe e um belo spa. Vale uma experiência, mesmo sendo um pouco distante do centro histórico. Fica na Schloss Strasse 19. Telefone: +43 0622 922530 - schlossfuschlsalzburg.com

    Boutique Hotel AM DOM. Fica num ponto bem central, na rua Goldgasse 17. Telefone: +43 0622 842765. Os quartos são modernos e bem decorados - hotelamdom.at

    Hotel Goldener Hirsch. Fica na principal rua de comércio de Salzburg,  Getreidegasse 37. Faz parte do grupo Luxury Collection Hotel. Tem um excelente restaurante. luxurycollection.com/goldenerhirsch


    BONS RESTAURANTES


    Goldener Hirsch. Ótimo restaurante, no hotel citado acima. Comida austríaca mas com toque contemporâneo. Telefone: +43 06628084-0

    Purzelbaum. Excelente bistrô no centro histórico de Salzburg. Fica na rua Zugallistrase 7, telefone: +43 0662 848843

    Carpe Diem. É um restaurante mais moderno e cheio de gente interessante. Fica no centro histórico. +43 0662 848800


    Hangar-7. Restaurante super badalado, no aeroporto de Salzburg, que recebe chefes do mundo todo. A cada mês o cardápio fica por conta de um chef diferente. Difícil é conseguir reserva. hangar7.com/en/ikarus/


    E, já que está viajando e comer doce é permitido, não engorda nem faz mal... Prove a sobremesa típica da cidade: o Salzburg Nockerln!




    SALZBURG CARD 

    Ao chegar na estação ferroviária tem um guichê de informações turísticas que funciona maravilhosamente bem. Recebi um mapa da cidade com a explicação dos principais pontos turísticos e a  funcionária ofereceu um cartão de 22 euros que dá direito a visita dos principais pontos de interesse da cidade por 24 horas. Perfeito. Assim, não é preciso perder tempo com filas, além do cartão incluir passe livre de ônibus pela cidade. Muito prático e eficiente.

    CLIMA: no inverno faz muito frio. A temperatura costuma ficar abaixo de zero de dezembro a fevereiro. Mas, estamos falando de uma cidade localizada perto dos Alpes. Não tem como ser quente no inverno. Em junho, julho e agosto a temperatura pode chegar a 30 graus - o que não é muito comum, pois costuma ser agradável no verão.

    IDIOMA: alemão

    MOEDA: euro

    MAPA DA CIDADE:


    DISTÂNCIA DE SALZBURG A INNSBRUCK: 190 Km - são 2 horas de trem

    Leia também sobre Innsbruck aqui.

    Compartilhe: