PASSANDO O DIA EM MURANO E BURANO


MURANO

Quem nunca ouviu falar nos famosos cristais de Murano? Há quem ame e quem ache cafona. Mas, isso não entra em questão. Afinal, gosto não se discute. Gostando ou não, numa viagem à Veneza, não dá para deixar de fora do roteiro esse conjunto de sete pequenas ilhas chamado de Murano e que têm uma tremenda tradição na indústria de vidraria. A distância é de apenas 1 quilômetro a partir de Veneza. Bem pertinho. E, Murano é uma graça. Pequenina, com apenas 5 mil habitantes e toda conectada por pontes.

Murano.

Murano ganhou força em 1291 quando o governo determinou que as fábricas de vidro deveriam ser todas transferidas de Veneza para Murano devido ao risco de incêndio. Pois,  Veneza era praticamente toda construída de madeira. A partir daí a indústria de vidro soprado cresceu muito e o nome da cidade "Murano" passou a ser sinônimo dos famosos vidros. Murano foi por muito tempo o maior produtor de cristais da Europa. 

Numa das tantas pontes de Murano.

O que mais vale a pena em Murano é visitar uma fábrica de vidro para conhecer o processo de fabricação artesanal. Visitei a New Murano Gallery, na Calle Vivarini 6/A, telefone 041 52 75110.  Os artesãos fazem peças belíssimas. Mas, como são consideradas obras de arte, têm preço condizente com a fama do artista. Além disso, caminhe pelas ilhotas, atravesse as pontes, conheça as igrejas de Santa Maria, São Donato, São Pedro e o Museu do Cristal

Artesão trabalhando na New Murano Gallery.

BURANO

Isso que foi falado acima, pode ser feito em uma manhã, se você partir cedo de Veneza. Então, aproveite para tomar outro barco e ir até a ilha de Burano. A cidadezinha, também formada sobre algumas ilhotas é um encanto. Seu colorido intenso é o que a diferencia das outras cidades ao seu redor. 

 Pelas ruas de Burano.

As casas tem fachada simples e muito alegre. Os canais são repletos de barcos. Afinal, Burano é habitada basicamente por pescadores e rendeiras. 

Burano e seus canais repletos de pequenas embarcações

Dizem que a renda de Burano já foi a mais procurada da Europa. Era até conhecida como "pontos no ar" (punto in aria), tal sua delicadeza. Hoje ainda existe uma escola para manter a tradição das rendeiras, a "Scuola dei Merletti". Mas, a autêntica renda de Burano já é difícil encontrar.

Rendas de todo tipo nas lojas de Burano.

Burano pode ser facilmente reconhecida, antes mesmo do barco chegar por ter uma igreja com a torre inclinada. Qualquer semelhança com Pisa é mera coincidência. Coisas da Itália. 


A torre da igreja inclinada de Burano serve como referência.

A rua principal de Burano se chama Via Baldassare Galuppi, batizada com o nome do compositor que nasceu na cidade. 

Burano também é muito procurada por ter restaurantes que servem peixes fresquíssimos. Adorei o Riva Rosa, um restaurante super charmoso, sofisticado e com excelente cozinha. Fica na Via San Mauro, 296. O ideal é fazer reserva pelo telefone 041 73 0850

 Burano.

DICA: Ainda tem outra ilhota interessante. Torcello. Ela guarda relíquias dos séculos V e VI, como a catedral de Santa Maria Dell'Assunta e a igreja de Santa Fosca. Não consegui visitar nessa viagem. Mas, com certeza, irei na próxima ida à Veneza. Afinal, sempre deixo alguma coisa para ter motivo para programar a próxima. 

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Claudia

    Também ainda não consegui ir a Torcello! :-)

    As ilhas são lindas e as fotos ficaram maravilhosas...

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cláudia!
    Guardo um carinho todo especial por Veneza, Murano e Burano. Já fiz um post sobre esses lugares. Até ganhei o livro Mil Dias em Veneza por ter feito uma descrição do que eu faria se tivesse todo esse tempo na cidade... Dá uma conferida...rs!
    Dou preferência para não voltar aos lugares que já fui, pois a lista dos locais desconhecidos é infindável, mas Veneza... quem sabe eu tenha o prazer de ir com o marido? Sonhar não custa nada. Da primeira vez, minha companhia foi a filha.
    Suas imagens são sempre um convite...
    Bom final de semana!

    ResponderExcluir
  3. Margarida,

    Se você ainda não foi à Torcello (e sei que já foi muitas vezes à Veneza), então ainda estou no prazo. hahaha.

    Quero muito dar um pulo até lá na próxima viagem à Veneza. Dessa vez não deu. Mas, em breve!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Gina,

    Vou correndo no seu blog ler o relato. Deve estar excelente.

    O mundo é enorme mesmo e há muito que se conhecer. Não voltar num lugar é boa opção para dar conta de tudo. Mas, por questões de logística,kkkk, muitas vezes tenho que voltar ao mesmo lugar muitas vezes. Há cidades que chego a ir mais de 5 vezes num mesmo ano. E, sabe que isso pode ser surpreendente? Muitas vezes, um lugar que parece pouco interessante pode mudar de cara quanto ficamos mais familiares, descobrimos belos cantinhos e entendemos melhor a cultura. Eu gosto de voltar. Já, tem outros lugares que parecem muito legais. No entanto, ao retornarmos sentimos o maior tédio. rs.

    Beijos

    Claudia

    ResponderExcluir
  5. Lindas fotos!!Que ilhotas charmosas e coloridas!!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Claudia. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.

    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie - Boia

    ResponderExcluir
  7. Fui cárias vezes a Veneza, sou apaixonada, mas não conheço Torcello. Com certeza, irei conhecer. Gina qual o seu blog? Obrigada

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!