O GRAN FINALE ATACAMENHO: SALAR DE TARA


E a viagem ao Deserto do Atacama se aproximava do final. Último dia. O destino era o tão aguardado Salar de Tara.

Algumas pessoas que já haviam estado por lá tinham dito que era o lugar mais espetacular do Atacama. Então, não poderia ficar de fora da programação de jeito nenhum. Mas, foi preciso bater pé para que o hotel Explora cumprisse com o programado. Como o local é distante de San Pedro de Atacama - 140 quilômetros, sendo 40 sem asfalto - os hotéis fazem de tudo para evitar as saídas para o Salar de Tara. Sabendo disso, agendei o passeio no dia em que cheguei dizendo que era minha prioridade número um. Ainda assim, tive dificuldades com o hotel que ficava sempre tentando me convencer de que era distante e sem muitos encantos. Foi preciso ser firme com o gerente. Eles incluem esse destino na lista de opções do hotel, quando vendem as excursões, antes da chegada dos turistas no Atacama. No entanto, na prática, já havia alguns meses que os carros do hotel não iam até lá.

A saída estava prevista para as 8:30 da manhã, depois de um necessário chá de coca, já que a altitude era grande, 4800 metros. O trajeto é longo. Mas, a estrada é linda. Atravessa os Andes, quase encontra a fronteira com a Bolívia, passa pelo lago Quipiaco e o cenário vai mudando conforme a altitude.

Os telefones perdem a comunicação. Não há qualquer sinal de contato com San Pedro de Atacama. Nosso guia tinha um celular via satélite para o caso de haver algum problema. Encontramos apenas um outro carro no caminho de terra depois que termina o asfalto. Pouca gente circula por lá (o que considero uma dádiva). O motorista precisa conhecer muito bem o trajeto. Não há placas de sinalização e com o vento, as trilhas vão sendo cobertas com areia.

A estrada de San Pedro para o Salar de Tara tem 100 quilômetros de asfalto mais 40 de terra.

No trajeto, vulcões... 

 … salares...

lagos...

 … vicunhas, e

penitentes.

 Os penitentes são peças enormes de gelo esculpidas pelo vento, que nunca derretem.

Depois de percorrer 100 quilômetros de asfalto inicia um percurso de mais 40 quilômetros pela areia, com direito a muitas paradas para fotos. Os olhos ficam inquietos com as nuances de cores que vão surgindo. A começar pelo solo que assume tons alaranjados e é repleto de formações rochosas em formatos exóticos, que não existem em nenhum outro lugar. São os Moais de Tara, também chamados de Los Monges. Essas pedras imensas foram esculpidas pelo vento e impressionam pela sua altura. Algumas tem mais de 30 metros.

 El Indio, um dos Moais de Tara. Ele recebeu esse nome por parecer um índio. Ao fundo, o Salar Águas Calientes (há vários salares com esse nome no Atacama). 

El Indio tem mais de 30 metros de altura. Observe como as pessoas ficam pequeninas ao seu lado
Minha pergunta é: como essa pedra gigantesca foi parar assim em pé e não cai com a ação do vento?

As sombras dos Moais de Tara formam figuras interessantes. Essa rocha parece um animal atento ao que acontece ao seu redor.  

Essa outra rocha tem o formato de uma pessoa rezando e a sombra sugere mãos em oração.

Essa rocha parece um imenso canhão apontando para o céu

A seguir, mais um longo trajeto de areia, com bandos de vicunhas despreocupadas, penitentes (aqueles blocos de gelo que nunca derretem apesar de estarem no meio do deserto) e perdizes muito grandes.

Muitos penitentes pelo caminho

 As vicunhas, primas magrinhas das lhamas, estão sempre presentes nas grandes altitudes do Atacama.

De repente, a "cereja do bolo". Depois de uma curva fechada, a surpresa da Catedral de Tara. Um paredão de rochas de origem vulcânica esculpido no formato de um cânion que desemboca no Salar de Tara. Mágico. Esplêndido. Abençoado. Um verdadeiro oásis com vegetação verde. E, repleto de flamingos em fase de reprodução fazendo suas danças de acasalamento.

Catedral de Tara.


Salar de Tara.

Foi nesse cenário surreal que sentei para meditar enquanto o guia e o motorista preparavam um almoço super especial com direito a mesa arrumada com toalha xadrez, cadeiras, pratos e talheres. Um momento para ficar registrado eternamente na memória. 

 Estão servidos?


Aqui chegou ao fim o relato de uma viagem muito especial. O Deserto do Atacama tem uma paisagem que certamente nasceu de um momento de inspiração máxima da natureza. Vulcões, lagos, salares, flamingos, vicunhas, lhamas, geiseres, cactus gigantes, penitentes, sol e neve numa convivência totalmente harmônica. Uma paisagem de beleza rara que se mantém intocada esperando pelos aventureiros que vem em busca de beleza e liberdade de espírito.


Leia também os posts anteriores:

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Claudia
    Que série! Espetacular!
    Parabéns pelo texto e pelas lindas fotos!
    Qual o próximo destino?
    Abs
    VS

    ResponderExcluir
  2. Acompanhei todos os posts, uma delícia de ler ... Todos ricos em detalhes e emoções. Parabéns e ótimas viagens !

    ResponderExcluir
  3. Maravilhoso ! Leitura imperdível !
    Adorei os penitentes .
    Parabéns ! Bj
    MT

    ResponderExcluir
  4. Bravo, adorei!

    Vou mandar os links dos posts do Atacama ao meu marido e acho que ele se convencerá. Que lugar inspirador!

    Qual foi o passeio que você mais gostou nessa viagem?

    Beijos,

    Andressa

    ResponderExcluir
  5. Fotos maravilhosas! Belíssimo roteiro. Tô na área, dando uma pesquisada no seu blog, dicas para nossa próxima viagem. Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Obrigada, VS.

    Próxima parada: Turquia.

    Em breve.

    ResponderExcluir
  7. Obrigada, Mariana.

    Próxima série será sobre Turquia.

    Bj

    ResponderExcluir
  8. MT,

    Esses penitentes são incríveis. Um calor escaldante e os danados não derretem. Muito persistentes.

    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Andressa,

    Amei o Salar de Tara. Mas, é difícil escolher o melhor. Cada cantinho é espetacular no Atacama, E, diz para o marido que a viagem não é só para mochileiro e bicho grilo, Dá para circular pelo Atacama com bastante conforto. Tem hotéis muito legais e super luxuosos, sempre respeitando o padrão local. Ele vai se surpreender como eu me surpreendi.

    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Taia,

    Oba! Sempre de olho na próxima parada. Isso mesmo. Se eu puder te ajudar, estou à disposição sempre.

    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Claudia

    Passo sempre por aqui só para ficar suspirando.....cada paisagem de tirar o fôlego, literalmente!!!!
    Como pode nosso planeta tão judiado ter ainda lugares assim???

    Beijinhos e bons ventos sempre!

    Bia

    ResponderExcluir
  12. Uauuu maravilha !!! Tb já está na listinha das próximas viagens !!! Suas fotos estão cada dia melhores e os relatos ótimos !!! Amei

    ResponderExcluir
  13. Bia,

    O Atacama realmente impressiona por sua beleza intocada. Tomara que continue assim por muito tempo. Isso é o que torna o lugar tão especial. Se conseguir alguns dias a mais quando for ao Chile, não deixe de ir até lá.

    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Gabi,

    Vale colocar no início da wish list. É perto e maravilhoso.

    Bjsss

    ResponderExcluir
  15. Claudia,
    Foi muito bom relembrar o Atacama através das suas fotos maravilhosas e de seu relato preciso. Que lugar|

    ResponderExcluir
  16. Cláudia
    Suas fotos são magníficas e dão a exata noção de como deve ser realmente incrível este lugar! Sempre fui apaixonada por lugares inusitados, como o Atacama e tantos outros....
    Parabéns!!!

    Beijussss

    Bia
    www.biaviagemambiental.blogspot.com

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!

_Business_Class_728x90_SAO_ORL