GLAMOUR E MODA EM ST. TROPEZ


Mega iates riscando o mar, clubes de praia repletos de gente dourada, restaurantes cheios de bossa, o charme das casinhas coloridas à beira-mar, o velho porto, uma antiga cidadela no alto do morro, a feira provençal mais fashion do sul da França e champagne para regar o pôr do sol. Nada como uma estrela para mudar as curvas do destino.


A madrinha Brigitte Bardot transformou St. Tropez num dos destinos mais cobiçados 
da Riviera Francesa. 

A sorte não vinha sorrindo para aquela singela aldeia de pescadores encravada numa península da Cote D’Azur. Os bombardeios da Segunda Guerra Mundial haviam maltratado St. Tropez, no sul da França. Até que uma fada madrinha aportou naquelas areias e transformou a pequena aldeia num símbolo de liberdade e num dos points mais cobiçados do verão europeu.

 
O astral mágico de Saint Tropez. 

Tudo começou em 1956 quando a sensualidade de Brigitte Bardot explodiu no polêmico filme E Deus Criou a Mulher dirigido por seu marido (na época), Roger Vadim. Foi então que a diva ganhou fama internacional, passou a ser considerada a mulher mais livre do pós guerra francês e, adotou as areias de St. Tropez para esbanjar sua sensualidade e ditar a moda.

Brigitte Bardot fez de St Tropez um reduto fashion.

Não deu outra. St. Tropez aderiu ao estilo BB de ser e sua sorte mudou. Lembra da calça St. Tropez? Foi só o começo do que hoje se chama de “estilo tropezienne”. O topless também ganhou força por ali entre os anos 60 e 70.

Bermudas "tropezienne". 

Assim St. Tropez ganhou fama e uma legião de “celebs in love”. Pink Floyd foi o primeiro a cantar seu amor, na música San Tropez, que compôs para reverenciar o reduto da liberdade. Mais recentemente foi a vez de Rihanna se intitular Sra. Tropez na música Cockiness e do rapper J. Cole lançar a canção “St. Tropez”, no álbum 2014 Forest Hills Drive. Entendeu de vem o glamour?

Iates não faltam na marina do Porto Antigo de Saint Tropez.

Hoje St Tropez é um dos lugares mais badalados da Europa durante o verão. É um lugar descolado e ao mesmo tempo elegante. Tem vida agitada dia e noite. Perfeito para descansar, curtir uma prainha, passear pelos vilarejos medievais nos arredores, fazer umas compras, escolher um bom restaurante e finalizar com uma balada.

 Ruelas charmosas no centro antigo de St. Tropez.

Nos clubs da Pampelonne as musas desfilam de salto alto e modelitos caprichados.

AS PRAIAS

Na verdade, as praias de St. Tropez nem são o seu forte (costumam ter água fria e muitas algas). O astral, sim! No centro antigo, tem apenas duas praias pequeninas: a La Ponche (onde fica o lendário hotel La Ponche frequentado por Brigitte Bardot) e a Plage de la Fontanette. Aquelas praias mega badaladas onde ficam os animados Le Club 55, Nikki Beach e Les Palmiers, são distantes. É preciso ir de carro ou de barco. Elas ficam na Baía de Pampelonne que tem uma praia extensa, a Plage Pampelonne. Meu favorito: Club 55, que além de ser o beach club mais concorrido,  tem um bom restaurante para almoçar e uma lojinha com de roupas de praia legais.

Praia de La Ponche ao entardecer. 

Minha praia particular, La Ponche.

 Lojinha do Club 55. 

OS MELHORES RESTAURANTES

Comer bem em Saint Tropez é muito fácil. Para almoçar recomendo o Dior Des Lices num jardim lindo no prédio da Maison Dior. Maravilhoso! Para jantar meus preferidos foram o The Strand (reserve uma mesa na varanda) e o Au Caprice des Deux. No final do dia vale tomar um drinque no lendário bar do Byblos hotel e depois jantar ali mesmo no Rivea, de Alain Ducasse.

Au Caprice des Deux. 

The Strand.

Dior Des Lices.

HOTÉIS LENDÁRIOS

BB faz parte da história de Saint Tropez. Os lugares que frequentava continuam em alta.

Um deles é o hotel La Ponche. De luxo discreto num prédio histórico no centro antigo. Era frequentado pela nata artística e intelectual francesa. A dona acompanha atenta toda movimentação dos hóspedes, que circulam pelo bar e pelas salas que foram um badalado nightclub nos tempos de BB. É o único hotel da cidade de frente para a praia. O café da manhã tem astral delicioso.

La Ponche.

O outro é o Byblos. Um dos hotéis mais badalados da Riviera Francesa. Desde os nãos 50 atrai celebridades com um nightclub super exclusivo, o Les Caves du Roy. É um hotel para quem quer ver e ser visto. Ele fica a alguns quarteirões do centro histórico e longe do mar. Tem um bar concorrido, um restaurante de Alain Ducasse e um spa Sisley.

Byblos.

Outros hotéis legais no centrinho são o Pan Dei, White 1921, La Yaca.

Já o Sezz e o Benkirai são ótimos, mas longe do centro.

NOS ARREDORES

Visite Port Grimaud que foi construída em 1966 mas como segue o estilo arquitetônico tradicional da região, parece uma cidade antiga. É cheia de canais e pontes. Tem muitos restaurantes e uma boa feira provençal. Também vá ao vilarejo medieval Ramatuelle.

Port Grimaud.

QUANDO IR

De junho a setembro é quente e animado. Alta temporada. Nos demais meses muita coisa fecha e a tranquilidade impera. Tudo depende do que você quer encontrar.

 Julho e agosto são altíssima temporada na Riviera Francesa.

COMO CHEGAR

Saint Tropez tem um pequeno aeroporto que recebe aviões particulares e alguns voos regulares de Genebra e Nice.


Outros aeroportos na região: Marseille (130 Km), Toulon (70 Km), Cannes (86 Km).

Santé!

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Post maravilhosos, amei saber mais sobre a famosa Saint tropez!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Beatriz!
      Saint Tropez é um lugar delicioso. Seu astral é mágico. E é cheia de história. :)
      Beijos.

      Excluir

Deixe seu comentário. Obrigada!