TAHAA, UMA ILHA EM FORMA DE POESIA


Difícil escolher a ilha mais incrível do Tahiti. Difícil mesmo! Cada uma delas tem sua personalidade, seus cantinhos mágicos e seus encantos. Mas, o tom azul do mar cristalino de Taha'a e aqueles corais multicoloridos cheios de peixinhos "de aquário" não saem da minha retina. Também chamada de Uporu, a ilha fica no arquipélago das Ilhas da Sociedade e divide a mesma lagoa com a ilha de Raiatea, um dos lugares mais importantes na história e na cultura do povo polinésio. 

Pôr do sol em Taha'a tendo o contorno de Bora Bora ao fundo.

Taha'a é uma ilha montanhosa muito verde cercada por lagoas de água turquesa. É famosa por suas plantações de baunilha e pelas fazendas de pérolas negras. Raiatea é sua vizinha mais próxima, apenas quatro quilômetros as separa. Já, Bora Bora pode ser avistada ao longe e ganha tons lindos durante o pôr do sol. Ao redor de Taha'a muitas ilhotas virgens, chamadas de "motus" - mais de quarenta - tornam o lugar ainda mais acolhedor.

As montanhas de Taha'a vistas da varanda do meu bangalô no resort Le Taha'a.

ONDE TAHA'A MOSTRA SEU CHARME

Numa dessas ilhotas, no motu Tautau, fica o delicioso resort LE TAHA'A, um hotel cinco estrelas, único membro do grupo Relais & Chateux na Polinésia Francesa. Ele é, sem sombra de dúvida, a melhor opção de estadia para quem quer conhecer Taha'a. Tem ambiente tranquilo, relaxado, sem frescura e muito charmoso. Ele ocupa oitenta por cento da ilhota. É espaçoso, construído no meio da vegetação nativa, cercado por praias de areia branca, tem um mar que mais parece uma piscina de tão tranquilo e uma barreira de corais inacreditável numa das pontas do motu que pode ser explorada facilmente, apenas com snorkel. É um sonho!

Além da riqueza dos corais a fauna marinha é espetacular

Para chegar, voamos de Bora Bora até Raiatea. O voo dura menos de dez minutos. É o tempo do avião da Air Tahiti levantar e logo pousar. No aeroporto de Raiatea, um barco do próprio hotel já aguardava para o transfer de 30 minutos até o motu

De Bora Bora para Taha'a são menos de 50 quilômetros. Também é possível ir de helicóptero em 15 minutos (e o visual deve ser incrível) ou de lancha em mais ou menos uma hora e meia dependendo das condições do mar (que é aberto e bem batido). Considero a combinação avião Air Tahiti e barco privativo do hotel, a mais simples e prática. Lancha e helicóptero dependem muito das condições do tempo.

Outra possibilidade é fazer um voo com a Air Tahiti de Papeete para Raiatea (de 40 minutos) e mais 30 minutos de barco até o hotel. 

Bangalôs overwater do resort Le Taha'a.

A CHEGADA

A maior parte dos hotéis da Polinésia Francesa oferece um colar de flores para dar as boas-vindas aos hóspedes. Faz parte da tradição. No Le Taha'a a recepção foi ainda mais especial. O mimo chegou na forma de uma guirlanda linda e perfumada de flores. Paixão imediata. Sabe um daqueles carinhos que fazem toda a diferença. Quase dormi com ela de tanto que gostei.

Minha guirlanda de flores.

A seguir as malas foram levadas para a nossa beach villa enquanto um drink de boas-vindas era servido na recepção do hotel, ao lado de um jardim de baunilha. Bem inusitado. 

UM CANTINHO PRA CHAMAR DE MEU

Escolhemos uma vila de frente para o mar, para termos mais espaço no quarto e mais liberdade de andar de pés descalços pela areia. Esse paraíso merece ser muito bem explorado e aproveitado!

Meu cantinho no Le Taha'a.  

Tínhamos 180 metros quadrados de puro charme ao nosso dispor. No quarto uma cama com dossel e um janelão de frente pro mar. Ao lado, uma sala de estar com um sofazão delicioso, frigobar no capricho, máquina de café Nespresso, mesa para escrever meus textos para o blog de frente pro mar (fonte de muita inspiração!) e bom wi-fi (coisa rara no Tahiti), ao lado de uma área super aconchegante com espreguiçadeiras, piscina e jardim. O banheiro era conjugado com o quarto e ainda tinha uma banheira e um chuveiro ao ar livre.

 Meu "beach villa". 

Os bangalôs overwater também são ótima escolha, especialmente os que são posicionados para o pôr do sol. São caprichados e têm parte do chão de vidro para se ver os peixinhos, arraias e tubarões passeando por ali. Eles têm 90 metros quadrados. São um pouco menores. Essa é uma escolha muito pessoal. Tudo depende das prioridades do casal.

Overwater bungalow.

UMA ROTINA SUBLIME

Acordar de frente para o mar mais azul do mundo, abrir os janelões do quarto e deixar o sol entrar. Depois, sair de pés descalços andando pela areia em direção ao café da manhã que fica numa área aberta, ventilada, toda arborizada. Isso é que é rotina, hein? Dá para repetir muitas e muitas vezes sem cansar.

Café da manhã no Le Vanille.

E já que estamos falando em comer, o resort tem três restaurantes. O LE VANILLE abre para o café da manhã e jantar. O mais sofisticado é o OHIRI, de cozinha franco-polinésia. Esse abre somente para o jantar e precisa de reserva. E para o almoço, tem o LA PLAGE que fica de frente para a piscina e para a praia. Tem peixes frescos deliciosos.

Ceviche à moda da Polinésia.

Depois é hora de escolher algum cantinho da ilha para explorar. Dá para ficar na praia, na piscina, andar de caiaque, mergulhar de snorkel nos corais, jogar tênis, ir à academia, fazer uma massagem no spa. Tem programa para mais de uma semana.

Um pouquinho de yoga para começar bem o dia.

Mas, se der vontade de ir mais longe basta solicitar ao hotel um barco com marinheiro para visitar os arredores. Para esses serviços são contratados moradores da ilha. E o nosso marinheiro foi o "melhor". Chegou vestindo pareô, usando colar de flores, cantando e tocando "Ai se eu te pego" no ukulele.  A simpatia em pessoa, esse nosso "Michel Teló Taitiano"

Os taitianos são de bem com a vida.

Com ele fomos nadar com as arraias, alimentar os tubarões e mergulhar numa ilha de corais. Ele explicou como deveríamos proceder durante o encontro com os tubarões e arraias. Nos deixou muito seguros.

Deu medo? Então vai com medo mesmo.

Mergulhando com  as arraias. É preciso ter atenção com o ferrão, na cauda.

O Safari pela Lagoa foi a excursão privativa que escolhemos para conhecer os arredores de Taha'a. O resort também oferece mergulho de profundidade, pesca, excursão a Raiatea, pic nic nos "motus"...

Para encerrar com chave de ouro, nada como reverenciar o pôr do sol em Taha'a, um dos mais especiais da Polinésia Francesa. As cores mudam a cada dia mas o astral é sempre o mesmo: mágico!

 Dias especiais num paraíso chamado Taha'a

Recomendo passar no mínimo 4 dias no Le Taha'a para você aproveitar com calma toda a energia que emana desse lugar.

Le Taha'a.

Nessa viagem também visitamos MOOREA, Bora Bora (texto em andamento), Papeete (texto em andamento), TIKEHAU, RANGIROA e TETIAROA, onde nos CASAMOS.

Leia também sobre o que você precisa saber quando estiver RUMO A POLINÉSIA FRANCESA.

E por favor, compartilhe conosco suas dicas sobre o Tahiti. Escreva aqui nos comentários. Se tiver alguma pergunta, estou pronta para responder!


Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Claudia,

    Definitivamente, o jardim de corais mais belo de toda a Polinésia está ali, no ladinho do Le Taha'a.
    Concordo contigo que é um páreo duro escolher a ilha mais linda de todo o Tahiti. Cada uma tem sua característica e é impossível comparar. Arrisco dizer o mesmo sobre os hotéis (tirando o The Brando, que daí é covardia). São tão diferentes uns dos outros e cada qual com suas especificidades, que fica bem difícil saber qual o melhor.
    Viagem linda essa sua. É um lugar para guardar naquele cantinho especial.
    Fico feliz que tenha gostado de Taha'a!

    Beijos,

    Andressa
    www.tahitiehaqui.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andressa,

      Taha'a deixou boas lembranças. Realmente, os corais são a marca registrada das lagoas do atol. Que cores incríveis! Que fauna marinha espetacular. Demos de cara com um moreia enorme. Ui! Que susto!!!
      As arraias e tubarões também foram muito legais. E o hotel é um charme. Ocupa a ilha inteira. Super espaçoso. Pessoas fantásticas. Adorei tudo.

      Beijos

      Excluir

Deixe seu comentário. Obrigada!