PENÍNSULA PAPAGAYO, UM CANTO PARA CHAMAR DE MEU


Depois de permanecer em San José alguns dias para explorar a capital da Costa Rica e principalmente os vulcões que ficam no Planalto Central e Região Norte, escolhemos voar de San José à Libéria, na região de Guanacaste e Nicoya do Norte para descansar uns dias, na Costa do Pacífico. Mais especificamente, na Península Papagayo.

Península Papagayo.

Fazer essa escolha foi difícil, pois tínhamos poucos dias e a Costa Rica é dividida em seis regiões - Planalto Central, Região do Caribe, Região Sul, Pacífico Central e Nicoya do Sul, Guanacaste e Nicoya do Norte, Região Norte - todas repletas de atrações convidativas como rafting, arvorismo, passeio pelas florestas, mergulho, praias paradisíacas, parques nacionais, pesca, vulcões, águas termais, visita a ranário, borboletário e orquidário, mas de acesso difícil entre si devido às cadeias montanhas.

O Planalto Central é onde fica a capital San José. A cidade em si não tem muitos atrativos. É perfeita para servir como ponto de apoio para bate-e-volta rumo aos vulcões Poás, Irazú, Arenal e Turrialba. As visitas aos vulcões são absolutamente imperdíveis.

Na Região Norte a atração mais concorrida é o Vulcão Arenal e suas vertentes de águas minerais que podem ser desfrutadas no Tabacón Grand Spa Thermal ou em Balbi. 

No Caribe, as praias mais procuradas são Cahuita e Puerto Viejo de Talamanca com um astral mais jamaicano. Teoricamente, ficam pertinho de San José (200 km). Na prática, são mais de 4 horas de trajeto. 

Já, a Região Sul tem como praias mais procuradas Bahia Drake e Zancudo. Destaque para a Península de Osa (Parque Nacional Corcovado) e Playa Uvita (onde fica o Parque Nacional Marino Ballena - maior recife do país). Os surfistas se reúnem em Dominical e Pavones. Para pesca esportiva a base é Golfito. Se quiser nadar entre tubarões a dica é Isla del Coco. Como dá para perceber há muitas opções!

Um pouco mais ao norte vem a região costeira do Planalto Central e Nicoya do Sul. Quepos é a cidade mais próxima do Parque Nacional Manuel Antonio, pertinho dali tem a Playa Espadilla (para quem quer fazer um voo de parasailing e tirolesa), Jacó (onde fica o Rio Tárcoles com seus crocodilos) e a formosa Playa Hermosa.

E, finalmente Guanacaste e Nicoya do Norte é onde ficam as praias mais famosas como Flamingo (se destaca pela pesca esportiva), Conchal (praia de mais ou menos um quilômetro repleta de conchinhas), Grande (local de desova de tartarugas), Tamarindo (repleta de resorts, turistas americanos e surfistas), Coco (vilarejo simples com praia de areia escura e dura), Ostional (ponto de partida de barcos de mergulho), Playa Branca e Virador (essas duas últimas na Península Papagayo onde ficamos). Para mergulhar nessa região são indicadas as Islas Murciélafos e Las Catalinas.

Deu para ver que opções não faltam. É preciso fazer escolhas. Não dá para ver tudo em uma viagem só.

Por do sol na Península Papagayo.

PENÍNSULA PAPAGAYO

Nossa escolha recaiu acertadamente sobre a Península Papagayo. É um dos cantinhos mais exclusivos da Costa Rica. Cercada por enormes rochedos e repleta de praias com água transparente, quente e tranquila foi aquele cantinho perfeito para chamar de meu. A natureza é praticamente intocada. Há assentamentos pré-colombianos na Baía Culebra que nunca foram explorados. Por sorte, o país conta com uma bela política de preservação que faz com que sua alma se mantenha íntegra.

 Rochedos e ilhotas formam o visual da Península Papagayo.

Baia Huevos.


Ao fundo, a pequenina ilha se chama Cabeça de Macaco. Realmente, de perto lembra um gorila.

Dentre os hotéis da região optamos pelo Four Seasons por contar com melhor infraestrutura. Ele ocupa uma área muito extensa no topo de uma colina. Tem um campo de golfe espetacular (18 buracos) com vista para os dois lados da península. Lá embaixo, praias deslumbrantes, pequenas ilhas e um discreto movimento de barcos, jet skis, caiaques e prancha de SUP. Aliás, essa é a melhor maneira de circular pelas redondezas, de barco.

Tico costarriquenho com seu caiaque na Playa Virador, Península Papagayo.

O hotel não é pequeno. Tem 165 quartos e algumas casas muito bem decoradas. As casas são perfeitas para famílias grandes. Talvez não seja a melhor opção para quem gosta de hotéis de charme, com pouca gente. Como pegamos baixa temporada, estava praticamente vazio. Fomos no final do mês de maio, uma época considerada chuvosa. Mas, a região norte do país é onde menos chove. Demos sorte. Só dias lindos. As duas praias, as três piscinas, o spa e o campo de golfe eram praticamente nossos.

No total são 3 piscinas sendo uma delas exclusiva para adultos. Ao fundo, o mar

O campo de golfe foi projetado por Arnold Palmer e foi eleito pela revista Golf Digest como um dos melhores 100 fora dos Estados Unidos. Para ir do corpo do hotel até a sede do clube de golfe basta pedir uma carro. Ao chegar lá, um carrinho de golfe é disponibilizado ao hóspede. Mesmo para quem não joga vale a pena pedir um carrinho para passear pelo campo e ver a península do alto. O visual é lindo.

 Sede do clube do golfe do Four Seasons Península Papagayo.

 O campo é extremamente bem cuidado e o visual é impecável

Os quartos são espaçosos e com decoração charmosa. O banheiro é conjugado com o quarto para permitir com que o visual da Península possa ser bem aproveitado. As amenities são L'Occitane (que adoro). As suites têm ótimas varandas protegidas por telas pois o hotel fica perto dos Parques Nacionais Santa Rosa e Guanacaste. Animais não faltam pelas redondezas. Desde os simpáticos coatis e macacos capuchinhos até horrorosas aranhas e escorpiões.

Quarto do Four Seasons Peninsula Papagayo, Costa Rica.

Suite do Four Seasons Península Papagayo.

 Piscina privativa de uma das casas do hotel Four Seasons.

Casas do hotel Four Seasons, de frente para o campo de golfe e com bela vista do mar.

O hotel tem duas praias deliciosas: Playa Blanca e Virador. São relativamente pequenas. Não tem mais do que 500 metros, mas a água é transparente e muito convidativa. Ah! E, o melhor de tudo: vazias. Afinal, americanos adoram piscina (e nesse hotel só tem americanos). Então, ninguém na praia. 

Playa Blanca.

A Playa Virador é um pouco mais movimentada, pois no final do dia se prepara para a despedida do astro-rei. Várias espreguiçadeiras ficam alinhadas, prontas para o momento mágico. Garçons passam com taças de champagne e drinques coloridos. E o danado do por do sol é abusado. Não poderia ter cores mais bonitas. 

Playa Virador.





As cores mudam todos os dias quando o sol se põe na Playa Virador.


Os hóspedes do hotel também podem usar uma área chamada de Beach Club que fica na entrada do resort. De carro são uns 10 minutos até lá. O clube tem uma praia exclusiva, piscinas e restaurante. Nos dias em que estive no hotel, a praia e a piscina estavam fechados. O clube só estava disponível a partir do entardecer para o jantar. 

Beach Club. (Foto fornecida pelo hotel Four Seasons).

O serviço do Four Seasons é muito bom. Na chegada, morangos cobertos com chocolate e uma garrafa de champagne num balde de gelo nos aguardavam. O check in foi feito pelo I Pad, dentro do carro, enquanto fazíamos o traslado do aeroporto de Libéria ao hotel. Funcionários super discretos e sempre prontos a ajudar. Muito simpático. 

Recepção do hotel Four Seasons.

Para conhecer as praias próximas ao hotel o ideal é alugar um barco do hotel ou dos pescadores que vem até a praia oferecer seus serviços. As praias são lindas e vale a pena dar uma circulada. 

Ilha Cabeça de Macaco. Lugar muito procurado para mergulho.

Islas Huevos.

Bahia Culebra.

Praia da Caverna. Observe aquele buraco na pedra... 

... ele atravessa para outra praia.

Playa Naranjo.

PLAYAS DEL COCO

Partindo do hotel de barco, em meia hora se alcança o vilarejo de pescadores mais próximo da Península Papagayo, Playas del Coco. As pessoas falaram muito bem dessa praia, dizendo inclusive que era uma das preferidas das famílias costarriquenhas. Talvez eu tenha chegado lá com muita expectativa, mas achei a praia suja e a cidade sem nenhum charme. Minha intenção, à princípio, era almoçar em algum restaurante por ali. Mudei de ideia. Achei tudo estranho e voltei para almoçar no hotel. 

Playas del Coco.

A areia é escura e dura em Playas del Coco.

À beira-mar, muita gente descansa na sombra. 

Vendedores montam seus pontos de comércio pelas calçadas da rua principal.

E, no cardápio dos restaurantes Gallo-Pinto.

O Gallo-Pinto é um dos pratos típicos da Costa Rica. A reforçada refeição já aparece na mesa bem cedinho, no café da manhã. E, lembra muito o principal prato da mesa dos brasileiros: arroz com feijão. Só que no caso do Gallo-Pinto, o arroz com feijão são mexidos com ovos. Claro que vale experimentar, mas na primeira refeição me parece pesado. Como garantia, melhor esperar para encarar o mexido costarriquenho na hora do almoço e de preferência guarnecido com banana frita, um acompanhamento que não pode faltar na mesa dos ticos Pura Vida!

OUTROS PASSEIOS OFERECIDOS PELO HOTEL
  • Parque Nacional Vulcão Rincão da Velha
  • Canopy na Pedra da Bruxa 
  • Canyon de Guachipelin
  • Caminhada pela floresta 
  • Parque Nacional de Palo Verde e centro de artesanato em barro.
  • Águas termais do Rio Perdido
  • Tour à Nicarágua
  • Cachoeira do Rio Celeste
  • Vulcão Arenal
  • Floresta Monteverde
  • Mergulho

INDICAÇÃO DE HOTEL. Four Seasons Resort, Peninsula Papagayo. O hotel foi uma bela surpresa  para o que esperava encontrar na Costa Rica. De 0 a 10 minha nota é 8. Não dá para se comparar, por exemplo, com o Las Ventanas (México), Conrad Rangali (Maldives) ou Armani Dubai (Emirados Árabes) que só o hotel já vale a viagem. Mas, o hotel é muito bom. Um dos melhores do país.

COMO CHEGAR NA PENÍNSULA PAPAGAYO. De San José optei pela companhia aérea Sansa Regional para voar para Liberia. Os aviões são muito pequenos. Levam apenas 12 passageiros. O interessante é que como são pequenos, eles voam baixo e dá para ver praticamente metade do país durante o sobrevoo. O trajeto é feito em 45 minutos. No aeroporto de Liberia um funcionário do hotel aguarda para fazer o traslado até o Four Seasons. Mais 30 minutos de carro e pronto. O paraíso!

DISTÂNCIA SAN JOSÉ - LIBÉRIA. 217 Km. De avião 45 minutos e de carro 4 horas.

COMPANHIAS AÉREA QUE VOAM DO BRASIL À COSTA RICA. Avianca (via Bogotá), Copa (via Panamá) e American Airlines (via Miami).

Coatis e macacos, figuras fáceis e simpáticas na Península Papagayo.

MOEDA. É interessante observar que eles usam tanto a moeda local COLÖN como o dólar americano. Os dois são aceitos em todos os lugares. As pessoas costumam ter as duas moedas misturadas na carteira. 1 dólar vale 500 colóns.

IDIOMA. Espanhol

FUSO HORÁRIO. Três horas atrás do Brasil.

QUANDO IR. É viável visitar o país o ano todo. No entanto, são consideradas duas estações do ano bem definidas na Costa Rica: verão (de dezembro a abril) e inverno (de maio a novembro). A alta temporada é nos meses de dezembro e janeiro. O inverno é mais chuvoso. 

DOCUMENTOS PARA ENTRAR NO PAÍS. Brasileiros não precisam de visto para ficar até 90 dias no país. É necessário passaporte com validade mínima de seis meses e certificado internacional de vacinação contra Febre Amarela (e eles realmente cobram esse documento!!!!).

FOTO AÉREA DA PENÍNSULA PAPAGAYO


A foto acima foi gentilmente fornecida pelo hotel. Observe que o corpo do hotel Four Seasons fica na área mais baixa da Península e o campo de golfe na parte alta. Ao redor do campo de golfe ficam as casas de aluguel. Dos dois lados da península, praias: Playa Virador e Blanca.

PURA VIDA!


Leia também:

Costa Rica é Pura Vida!

Os incríveis vulcões da Costa Rica


Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Olá Claudia!

    Mais um lugar paradisíaco que desconhecia de todo, e que descubro através do seu blog.

    Adorei a descrição e ainda mais as fotos que a acompanham.

    Dá mesmo vontade de fazer as malas e embarcar já para lá...

    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. Turista,

    A Costa Rica tem tantos lugares interessantes, mas para descansar adorei a Península Papagayo. Perfeita!
    O hotel é muito bem cuidado e as praias ao redor são belíssimas. Daquele tipo que não dá vontade de sair de dentro d'água.

    Obrigada pela visita.

    Beijo

    Claudia

    ResponderExcluir
  3. Oi, Claudia. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie - Boia

    ResponderExcluir
  4. Claudia,

    Há muitas coisas sobre a Costa Rica que eu não tinha conhecimento, em especial a quantidade de vulcões.

    Adorei acompanhar as fotos pelo IG. Uma mais linda que a outra, como de costume.

    E agora, what's next?

    Beijos,
    Andressa

    ResponderExcluir
  5. Oi Claudia!
    Que hotel maravilhoso esse Four Seasons.
    Ja inclui na minha lista de hoteis para conhecer antes de morrer rsrsr.
    Maravilhoso!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Claudia

    Os Golfistas aqui de casa adorariam jogar num campo com uma vista assim... :-)
    Eu ficava mesmo numa das piscinas...rsrs

    beijos!

    ResponderExcluir
  7. Lindíssimo,Claudia!
    Teus posts sempre inspiram muita gente. Aliás, no próximo mês iremos a Lima seguindo tuas dicas, incluindo o hotel.
    Bjs
    MT

    ResponderExcluir
  8. Pois é Andressa, até um tempo atrás pouca gente ia pra Costa Rica. Era um destino de surfistas. Depois que a nossa Gisele Bundchen comprou uma casa por lá, o país passou a ser mais conhecido. Mas, ela só vai para a costa. Então, os vulcões não são muito divulgados.
    É um país bem interessante. Cheio de coisas para se ver e fazer. Para quem gosta de atividades radicais é perfeito.

    Beijos

    Claudia

    ResponderExcluir
  9. Ana Paula,

    Imagino que seja um dos melhores do país. É bem charmoso, mas hotel grande.

    Vale experimentar, especialmente se vc gosta de golfe.

    Bj

    Claudia

    ResponderExcluir
  10. Margarida,

    Quer dizer que você tem dois golfistas? Aqui em casa ninguém joga sério. Só de brincadeira, às vezes. Eu gosto do visual desse campo de golfo. Impressionante!

    Bem, e como você fica com as piscinas, eu fico com as praias. hehehe

    Beijos

    Claudia

    ResponderExcluir
  11. MT,

    Você vai para Lima! Que bom. Também vai à Cuzco e Machu Picchu? Adorei essa viagem. O hotel Miraflores é o melhor localizado na cidade e muito bom. O serviço é excelente.

    Lima tem excelentes restaurantes. Recomendo todos os do Acurio. O La Mar é muito especial. Simples, simpático e delicioso!!! Que ceviche!!!! hum...

    Bjs

    Claudia

    ResponderExcluir
  12. Eu sigo seu Blog. Gosto de viajar pelo mundo, mesmo que virtualmente.
    E as suas postagens são de tirar o folêgo!
    Preparei uma Blogagem Coletiva que começou hoje e vai até 22 de julho. Se você puder paricipar vou ficar muito feliz. Pode incluir estas postagens já prontas e lindas que você tem no Blog.
    Mostra pra gente a beleza desses lugares? E só entrar no blog e ver como faz.
    Obrigada.
    Beijos.

    http://turquezzavariedade.blogspot.com.br/2013/06/paises-volta-ao-mundo.html

    ResponderExcluir
  13. Claudia,

    Que maravilha!
    Consegues encontrar recantos muito especiais neste nosso mundo azul!

    bjos

    Ana

    ResponderExcluir
  14. Ana,

    O mundo é cheio de cantinhos lindos! Adoro descobrir alguns que combinam com meu jeito de ser. A Costa Rica foi uma ótima viagem. Bem aventureira, mas com charme especial.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  15. Oi querida, boa tarde!

    Parabéns pela postagem, está ótima!
    Estava afim de ir para o Papagayo em Novembro e me hospedar no hotel Hilton, lembra dele lá? Será que é bom?

    Outra dúvida é se tu mergulhou e se sim pagou quanto? Ao alugar um barco lembra do preço?

    Muito obrigado e mais uma vez parabéns!

    Matheus Terres - Porto Alegre

    ResponderExcluir
  16. Matheus,

    Não me hospedei no Hilton e não mergulhei. Vou ficar te devendo.

    Aluguei um barco no próprio hotel para conhecer a região e o preço foi justo. Não foi caro.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Obrigada!