BORA BORA, DO AIRBNB AO LUXO


Bora Bora é definitivamente um sonho! É uma ilha muito verde formada por um maciço vulcânico de 38 quilômetros quadrados, cercada pelo mar mais azul que se pode imaginar protegido por uma barreira natural de recifes de corais e motus, na forma de um anel. Relativamente pequena, mas de uma beleza imensa. Basta dizer que já recebeu o título de "ilha mais bonita do mundo". E faz jus ao título! Pode acreditar. 

Vista aérea de Bora Bora.

VOLTANDO NO TEMPO

Sua história começou há mais de quatro milhões de anos quando erupções vulcânicas moldaram esse cenário surreal ao redor dos montes Otemanu (o mais alto, com 727 metros) e Pahia (com 661 metros). O mar invadiu o anel de recifes que circunda a ilha principal criando uma lagoa que é uma verdadeira obra-prima da natureza. A cor da água tem o poder de hipnotizar qualquer um. Como se isso não bastasse, ali foram plantados os primeiros bangalôs "ultra chics" criados pelo homem sobre a água. Essa combinação é um convite e tanto. 

 Bangalôs sobre a água, Bora Bora.

DIVIDINDO BORA BORA EM DOIS TEMPOS

De toda a Polinésia Francesa, Bora Bora é a ilha que tem a maior quantidade de hotéis sofisticados. Dentre eles estão os luxuosos Four Seasons St. Regis que dividem espaço nas ilhotas que formam o anel do atol com vários outros hotéis (Le Meridien, InterContinental Thalasso, Eden Beach, Hilton, Bora Bora Lagoon, Pearl Beach). 

Na ilha central o glamour é menor e os hotéis se concentram numa ponta, ao sul, chamada de Matira que tem a melhor praia de Bora Bora. Ali você encontra os hotéis InterContinental Moana, Matira, Novotel, Sofitel Marara e algumas pensões.

E assim, a vida em Bora Bora passeia entre a simplicidade e o luxo.

Matira Beach, Bora Bora. Inacreditável!

Para conseguir circular tanto pela ilha central como pelas ilhotas do atol e experimentar tudo o que Bora Bora tem a oferecer decidimos dividir nossa estadia em duas partes. Ficamos dois dias no Brando's Overwater Bungalow alugado pelo Airbnb e dois dias no espetacular Four Seasons. Quer saber? Foi perfeito para desbravar tudo a fundo. Pois ir da ilha central para o anel de ilhotas é difícil e caro. Apenas de barco. Sendo que a oferta é pequena e o preço alto.

O rústico Brando's Overwater Bungalows, Airbnb, na ilha principal.

O luxo do Four Seasons, numa das ilhotas do atol.

NA ILHA CENTRAL DE AIRBNB

Bora Bora tem vida calma e simples, com uma população que gira ao redor de 5 mil pessoas. A ilha central é bem pequena, pode ser totalmente contornada de carro, em menos de uma hora. É que a ilha tem apenas uma estrada de meros 32 quilômetros. Vaitape é o principal vilarejo de Bora Bora e onde chega o ferry que sai do aeroporto. O povoado fica praticamente em frente ao Passe Teavanui, a única saída do atol para alto mar. É em Vaitape que se encontra farmácia, locadora de veículos, posto de gasolina, dois supermercados, poucas lojas com pareôs, artesanato e pérolas negras, além de barraquinhas de rua que vendem frutas da região. Mas, ela é tão pequena que você corre o risco de passar e nem perceber que ali era o coração de Bora Bora.

A vida passa sem pressa em Bora Bora.  

Na ponta sul da ilha é onde se concentram os grandes hotéis e onde fica a famosa praia de Matira. Ao norte, na Baía de Faanui foi onde alugamos por dois dias o Brando's Overwater Bungalow, com Richard, o administrador. Também alugamos um carro com ele, fundamental para poder circular pela ilha. Pois, o calor é danado. Também há uma locadora Europcar em Vaitape.

Matira Beach uma praia de águas cristalinas onde arraias e pequenos tubarões passeiam.

The Farm é uma fazenda de pérolas negras bem interessante, em Matira.

O bangalô sobre a água Brando's que alugamos é relativamente simples. Tem dois quartos, um com cama de casal e outro com duas camas de solteiro, um banheiro não muito bem conservado, sala com cozinha e uma varanda enorme de onde se vê um belíssimo pôr do sol. O mais interessante dessa experiência foi ter vivido como um local. Ao acordar fazíamos nosso próprio café da manhã que tinha sempre uma baguete "quentinha" disputada "tapa a tapa" com os taitianos no supermercado Chin Lee. Nosso dia incluía algumas horas em Matira Beach (claro!), caminhadas pelas trilhas para ver a ilha do alto, almoço onde desse vontade de entrar (adorei o Bloody Mary's) e pôr do sol na nossa varanda regado a vinho francês, queijos franceses e torradinhas com Boursin, afinal temos que lembrar que a Polinésia é "francesa". Vivemos momentos simples e memoráveis.

Pôr do sol na Baía de Faanui, Bora Bora.

DIAS DE LUXO NO FOUR SEASONS BORA BORA

Ficar hospedado no Four Seasons nos deu uma outra experiência. Vivemos ali o máximo do luxo que o Tahiti é capaz de oferecer. Para chegar, pegamos o ferry de Vaitape para o aeroporto e de lá partimos de barco para nosso destino final (de onde não tínhamos vontade de sair para lugar nenhum, tal a delícia do que tínhamos a nossa disposição).

Dá vontade de sair de um lugar como esse? 

Optamos por uma vila de frente para o mar. E ficamos muito felizes com a escolha. Aliás, ficamos de queixo caído. Na chegada ao bangalô, ao descer do carrinho elétrico, flores, frutas e champagne nos esperavam com um cartão super gentil. Muito mimo!

Todo carinho do Four Seasons Bora Bora com os hóspedes.

As acomodações do Four Seasons Bora Bora são impecáveis. Nosso bangalô tinha dois quartos maravilhosos, dois banheiros fantásticos com banheira enorme de hidromassagem e uma sala gigantesca.

Um cantinho mágico no Four Seasons Bora Bora.

Do lado de fora, um jardim lindo na sombra das árvores, uma piscina super convidativa de frente para o mar, um ofurô, um gazebo, redes deliciosas e aquele mar azul-turquesa só para nós. Precisa mais alguma coisa? É o paraíso!

Praia privativa.

Além disso, o hotel todo é muito bem cuidado. Vários restaurantes deliciosos, café da manhã impecável, muitos cantinhos charmosos e um super spa. Recomendo sem pensar duas vezes.

 Four Seasons Bora Bora.

E então me diz como sair do hotel? Tínhamos pensado em fazer um passeio de parasail (parasail@mail.pf), um piquenique numa ilha deserta, um jantar no restaurante Villa Mahana e desistimos de tudo só para aproveitar nossos dias nesse hotel incrível. Caro! É verdade. Mas, um daqueles lugares que vale centavo.

COMO CHEGAR

Bora Bora fica a 275 quilômetros de Papeete. Um voo da Air Tahiti de menos de uma hora conecta as duas ilhas. Se você estiver partindo de Papeete ou Moorea sua única opção será o avião. Caso esteja em Taha'a ou Raiatea também é possível chegar em Bora Bora de barco. 

 O simpático aeroporto de Bora Bora, em Motu Mute. 

Um ferry conecta o aeroporto de Bora Bora ao vilarejo de Vaitape. 

O aeroporto de Bora Bora fica em uma das ilhotas, Motu Mute, no anel que circunda o atol. A chegada é linda. O visual pela janela do avião é espetacular.

O aeroporto é mínimo e super simpático. Os hotéis mantém equipes aguardando os hóspedes já que o acesso aos hotéis é feito exclusivamente de barco. Funcionários super gentis providenciam tudo: levam sua mala para o barco, oferecem toalhas geladas para refrescar e, para manter a tradição, presenteiam os visitantes com cheirosos colares de flores.

Caso você vá para a ilha central um ferry gratuito conecta o aeroporto de Bora Bora ao porto de Vaitape em vários horários ao dia.

Compartilhe:

Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Obrigada!