TUDO COMEÇA EM PAPEETE


Toda viagem a Polinésia Francesa começa invariavelmente por Papeete, a capital do Tahiti, pois é onde chegam os voos internacionais. Pode-se dizer que Papeete é a porta de entrada desse arquipélago paradisíaco formado por 118 ilhas e atóis escondidinhos no Pacífico Sul. 

Papeete é a cidade mais populosa e mais importante da Polinésia, mas definitivamente está longe de ser a mais bonita. Saber disso com antecedência é importante para você programar adequadamente seu roteiro, uma vez que o arquipélago é belíssimo e cheio de lugares inacreditáveis.

Flores são a marca registrada do Tahiti.

Na chegada, no aeroporto, os turistas são recebidos com música local e colares de flores, uma forma de dar as boas-vindas e mostrar sua reverência à natureza. Flores também servem, segundo a tradição, para afastar a má sorte e os espíritos ruins. Se a cidade não é a mais bonita do Tahiti, a amabilidade das pessoas é incrível.

PONDO OS PÉS NO PARAÍSO

Chegar no Tahiti não é muito fácil. É longe e a malha aérea é restrita. Voei de LATAM saindo do Rio de Janeiro para Santiago do Chile num voo de pouco mais de 4 horas, num sábado. Fiz um pit stop de uma noite em Santiago no charmoso Hotel W, pois o tempo de espera no aeroporto é muito grande. No domingo, fiz outro voo de 5 horas de Santiago até Ilha de Páscoa. Escala de duas horas em Ilha de Páscoa e a seguir mais cinco horas de voo até Papeete.

A maioria dos voos internacionais costumam pousar no Tahiti no final do dia ou de madrugada quando já não é mais possível fazer conexão para as ilhas de sonho nem tomar o ferry para a vizinha Moorea. Nesse caso, é preciso dormir em Papeete por uma noite na chegada. Não tem como fugir. (Para mais informações sobre o voo para o Tahiti clique AQUI).

Papeete.

O aeroporto é bem pequeno e sem muito conforto. Nem pense em ficar ali esperando pela conexão. Um bom hotel, mesmo que só para dormir, tomar café da manhã e ver o sol nascer, é essencial. Entre o InterContinental e o Le Meridien, optei pelo Le Meridien e adorei minha escolha. Ele fica mais distante do aeroporto, no entanto foi reformado recentemente. Não é super luxuoso, mas é perfeito para uma noite bem dormida. Tem 149 quartos de padrão 4 estrelas. Quarto confortável, cama excelente, bons lençóis, ar condicionado funcionando bem, máquina de café expresso, decoração clean em tom pastel com toques da Polinésia. Tem bom wi-fi nos quartos (o que é um privilégio no Tahiti). O banheiro é novinho e integrado ao quarto com um janelão de vidro. Excelente!

Hotel Meridien, Papeete.

Também tem a opção de overwater bungalow para quem quiser chegar já em grande estilo. Eu preferi deixar para estrear essa aventura na ilha de Tikehau (clique no link para saber mais). Afinal, passei apenas uma noite no hotel e às 11 horas do dia seguinte estaria voando para as ilhas do arquipélago Tuamotu, meu primeiro destino de sonho e de mergulho.

Nascer do sol em Papeete no Le Meridien

O café da manhã do hotel é super charmoso, num salão aberto, de frente para um lago cheio de carpas e flores de lótus. Atendimento muito simpático. Croissants quentinhos deliciosos servem para lembrar que tem um "dedinho francês" no pedaço.

Hora do café da manhã no Le Meridein, Papeete

Depois do café ainda tivemos tempo para dar uma caminhada na praia e um mergulho rápido. Vale lembrar que as praias de Papeete não são como as praias de Tikehau, Rangiroa, Taha'a, Tetiaroa, Moorea e Bora Bora (as outras ilhas que visitei nessa viagem). A água não tem aquele azul turquesa que está no imaginário coletivo quando se pensa em Tahiti, tem muitas pedrinhas e corais, e quase não tem areia branca.

Piscina do hotel Le Meridien ao nascer do sol. 

Um mergulho para entrar no astral mágico do Tahiti.

Já, o InterContinental é muito maior do que o Le Meridien, tem 258 quartos, padrão 5 estrelas, não tem praia mesmo sendo de frente para o mar e é bem próximo do aeroporto. Por isso mesmo, é bem mais movimentado, o que não gosto muito. Os próprios moradores da ilha costumam ir até lá no final do dia para tomar algum drink na piscina ao pôr do sol. 

Pôr do sol no hotel InterContinental.

TÁXI, TRANSFER DO HOTEL OU TRANSFER PRIVATIVO EM PAPEETE?

Na saída do aeroporto, os táxis são uma boa opção. Interessante que muitos são conduzidos por mulheres. Os motoristas que peguei foram corretos. Para dar mais segurança aos turistas, os valores são tabelados e variam conforme o horário. Há uma tarifa diurna, que vai das 6 às 20 horas e outra noturna das 20 às 6 horas da manhã. Também é cobrada uma taxa de 100 XPF por mala. Apenas para dar uma ideia do valor, em outubro de 2016:

- Para o Hotel InterContinental Tahiti - 2,1 Km - tarifa diurna 1270 XPF (12 dólares) - tarifa noturna 1480 XPF (14 dólares)
- Para o Le Méridien Tahiti - 10,1 Km - tarifa diurna 2310 XPF (22 dólares) - tarifa noturna 3320 XPF (31 dólares)

Os valores das tarifas para vários pontos da cidade estão anotados em folhetos distribuídos pelo aeroporto. Pegue um deles na saída do voo e confira o valor a ser pago antes mesmo de entrar no táxi ou acesse o site www.transports-terrestres.pf

Como muita gente me advertiu que táxis eram difíceis em Papeete, contratei um transfer com a Popô, uma taitiana que trabalha com a filha fazendo tour pela ilha e transfer do aeroporto para os hotéis. Para quem tiver interesse o telefone dela é + 689 8771.1777. Mas, sinceramente, acho que para a chegada no aeroporto nem precisa. Tem sempre táxis a disposição estacionados em frente ao aeroporto. O preço do transfer dos hotéis é muito alto. Não recomendo.

TROQUE DINHEIRO NO AEROPORTO AO DESEMBARCAR

É fundamental ter dinheiro vivo no Tahiti. A maioria dos lugares não aceita cartão de crédito, apenas dinheiro vivo (com excessão dos hotéis e alguns restaurantes). No aeroporto, tem uma loja para efetuar a troca. A moeda oficial é o Franco Polinésio XPF. Dê preferência por levar EUROS para trocar, pois a Polinésia Francesa como o próprio nome diz é um território ligado à França. A cotação do euro é fixa: 1 euro vale 119 francos polinésios tanto para a compra como para a venda. Há uma taxa fixada em 700 XPF para efetuar a transação de até 500 EUROS.

DEPÓSITO DE BAGAGEM NO AEROPORTO

O aeroporto tem um depósito para bagagens. Se você preferir não levar a mala para o hotel você tem essa possibilidade. Apenas preste atenção aos horários de funcionamento para não deixar a mala para trás.

 Horários e tarifas para depósito de bagagens do aeroporto Faa'a.

ONDE IR EM PAPEETE

Definitivamente, as praias de Papeete não são o forte da ilha. Mas, é ali que se concentra a maior parte da população da Polinésia Francesa. Então, a riqueza cultural é imensa. Um bom lugar para conhecer o modo de vida dos taitianos é o Le Marché, o mercado central. É um lugar vivo. Cheio de cores e de gente. Muitas flores, frutas, artesanato local, pérolas negras e o tradicional óleo de Monoi feito com flor de gardênia (chamada de Tiare no Tahiti). O mercado tem dois andares conectados por uma escada rolante.

 Le Marché.

O mercado é uma festa para os olhos. Mesmo que você não queira comprar nada o passeio vale a pena.

Se ainda tiver tempo, fuja do centro do centro de Papeete, suba as montanhas para ter um visual privilegiado e conferir o modo de vida no cantinho mais pacato da ilha. Vilarejos simples, plantações de hortaliças e frutas pelo caminho. Lá do alto dá para ver o mar circundando a ilha e Moorea ao alcance dos olhos.

Se tiver interesse vá também ao Museu da Pérola e ao Museu Gauguin.

ONDE COMER EM PAPEETE

Le Soufflé. Como o nome já diz, esse restaurante é para quem gosta de soufflé. Tem de todo tipo. Vale reservar pelo telefone 40570017

Le Bélvederè. O bacana desse restaurante é que fica num lugar bem alto, de onde se tem uma vista panorômica de Papeete. Tem que reservar pelo telefone 89403403

Le Coco's (telefone 40582108) e Le Sully (telefone 40833983). Foram indicados por uma amiga brasileira que mora no Tahiti e nos recebeu com o maior carinho.

Food Truck Roulott. Indicado pela nossa motorista Popô como um dos lugares mais frequentados pelos taitianos no momento.

TENHA EM MENTE

Toda viagem à Polinésia Francesa começa por Papeete e não tem outro jeito. A passagem pela capital do Tahiti é regra antes da chegada ao paraíso. Mesmo que você não encontre ali aquelas praias tão sonhadas, vale a pena aproveitar o que a cidade oferece de melhor que é a hospitalidade e a cultura tão cheia de personalidade. Para surfar vá até Teahupoo que faz parte do Circuito Mundial de Surf. Para ver a simplicidade da vida local, suba as montanhas. Para se encantar com as cores da polinésia, vá ao mercado Le Marché. E não esqueça de estar com os olhos voltados para o horizonte quando o sol começar a cair. É nessa hora que o espetáculo da natureza começa. Mas, quando o sol voltar a brilhar no dia seguinte tome o rumo de alguma das ilhas paradisíacas que formam esse arquipélago "objeto de desejo" e fique por lá o tempo que puder!

O próximo post será dedicado a Bora Bora.  Espero vocês.
Deixem seus comentários abaixo. 

Compartilhe:

Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Obrigada!