O FANTÁSTICO MUNDO DE GALÁPAGOS

Um arquipélago vulcânico, árido, distante, inóspito, mas cheio de vida. Cada ilha guarda um mundo em si. De seres felizes, cheios de peculiaridades e, que curiosamente, diferem dos seus amiguinhos do continente. As perguntas não calam. Como aqueles animais foram parar ali? Tão longe de tudo! Porquê sofreram mutações? Pois o naturalista britânico Charles Darwin mergulhou nesse universo, observou, estudou, revolucionou nossa compreensão de mundo e desvendou os segredos da seleção natural das espécies. Bem-vindo à Galápagos. 


Albatroz de Galápagos.

É tudo muito recente. A Teoria da Evolução foi publicada por Darwin há 160 anos (em 1859) no livro “A Origem das Espécies”. Sua constatação foi uma verdadeira revolução científica, uma vez que até meados do século XIX, a maioria dos cientistas compartilhava a ideia de que todas as criaturas tinham sido concebidas por Deus. 

Apesar de algumas especulações sobre o assunto, Darwin foi o primeiro cientista a explicar o mecanismo da seleção natural ao embarcar numa expedição na Inglaterra, que durou pouco mais de 4 anos, no navio Beagle, para mapear a costa América do Sul. Mas, foi ao passar por Galápagos, onde permaneceu apenas 19 dias, que uma luz forte acendeu. 

Ele percebeu que em cada ilha existiam variações das espécies, propostas pela adaptação ao ambiente. As tartarugas, por exemplo, tinham diferentes formatos de casco e tamanhos de pescoço, produto da evolução. As que viviam em ilhas de vegetação rasteira tinham pescoços mais curtos, ao passo que aquelas que viviam em locais cheios de arbustos desenvolveram pescoços mais alongados para conseguirem se alimentar. Assim, ele constatou que na luta pela sobrevivência, os mais adaptáveis saem na frente. Não os mais fortes.

Tartaruga-gigante de Galápagos.

Aos poucos a teoria de Darwin foi sendo aceita e comprovada por grande parte da comunidade científica dando margem a muitos debates sobre ciência e religião. Debates esses cujos preceitos foram variando ao longo do tempo e hoje se mostram complementares.

Poucos destinos no mundo conseguem ser tão impactantes como Galápagos. O arquipélago é formado por 13 ilhas vulcânicas maiores e dezenas de ilhotas no Oceano Pacífico, a mil quilômetros da costa do Equador. Lá vivem as famosas tartarugas-gigantes, os icônicos patolas dançarinos de patinhas azuis, as interessantes iguanas do mar, albatrozes, flamingos, a magnífica Fragata do papo vermelho, pequeninos pinguins, tubarões martelo e centenas de lobos-marinhos, além de tantas outras espécies. 

Iguana de Santa Fé.

Para preservar esse ecossistema tão fantástico, todo cuidado é pouco. Com o aumento da população no arquipélago e com o crescimento do turismo, há taxas para se entrar em Galápagos e limite no número de visitantes. Paga-se 20 dólares de taxa de entrada por pessoa mais 50 dólares para o Parque Nacional, em dinheiro. Um controle necessário!

O principal aeroporto do arquipélago fica na ilha de Santa Cruz. É o aeroporto de Baltra, o primeiro aeroporto ecológico do mundo. Ao desembarcar, os passageiros entram numa cabine de ozônio para desinfecção, as malas são higienizadas, a temperatura dos visitantes é aferida e um teste de PCR negativo é solicitado para todos! Mesmo para os equatorianos ou para os residentes que retornam à ilha.

Santa Cruz tem aproximadamente 18 mil habitantes, a maioria deles vive na cidadela de Puerto Ayora. Um vilarejo de vida pacata.

Há outro aeroporto que recebe aviões de porte médio na ilha de São Cristovão, uma ilha charmosa, com menos de 5 mil pessoas. Para as conexões entre as outras duas ilhas habitadas - Isabela (5 mil habitantes) e Floreana (200 habitantes) - têm aviõezinhos bem menores. Tipo "teco-teco".

Mapa de Galápagos. As ilhas habitadas são Santa Cruz, São Cristovão, Isabela e Floreana.

COMO CHEGAR 

Não há voos diretos do Brasil para o Equador. É preciso voar pelo Peru, pela Colômbia ou pelo Panamá até os aeroportos de Quito ou Guayaquil, e então outro trecho até Baltra, ilha que abriga apenas o aeroporto e se conecta com Santa Cruz por um estreito braço de mar que pode ser atravessado de barco em cinco minutos, pelo valor de 1 dólar por pessoa.

O transfer do aeroporto até o terminal dos barcos é feito por um ônibus do próprio aeroporto que já aguarda o desembarque dos passageiros e cobra o valor fixo de 5 dólares por pessoa. O trajeto de 10 minutos é de tirar o fôlego. Lindo! Anuncia o que está por vir.

Difícil chegar em Galápagos e muito mais difícil sair, pois a paixão é certeira.

Galápagos é sensacional.

DE BARCO OU EM TERRA? 

Que tal os dois? Cada um tem suas vantagens. Com tempo, faça uma combinação. Uns dias em terra para entender como vivem os humanos galapaguenhos e ter acesso às praias das redondezas, e uns dias al mare. 

É possível ficar hospedado nas ilhas de Santa Cruz, Isabela, São Cristovão e Floreana. 

Para uma belíssima experiência em terra, sugiro o sensacional Pikaia, na ilha de Santa Cruz, totalmente focado na sustentabilidade e que conta com uma barco de oito cabines para circular em day trips pelo arquipélago com seus hóspedes.

Pikaia, o hotel mais exclusivo de Santa Cruz.

Inclua no seu roteiro alguns dias no Yacht La Pinta. Não perca a oportunidade de embarcar num cruzeiro pelo arquipélago. Pode ser de 5 dias ou de 10 dias. Sugiro o maior tempo possível, pois Galápagos é um dos últimos redutos intocados do mundo. As ilhas são distantes entre si e muitos locais interessantes só têm acesso pelo mar. O Yacht La Pinta é um barco pequeno, com capacidade para 44 passageiros e tem astral de expedição científica, com guias de excelente formação. 

Yacht La Pinta, com capacidade para 44 passageiros.

Seus companheiros de viagem serão lobos-marinhos, golfinhos, tartarugas marinhas, aves exóticas, iguanas marinhas de cores inusitadas... O grande barato de Galápagos é a riqueza da fauna num ambiente de beleza natural estarrecedora, cheio de vulcões, de paz, de respeito pela vida e de belas praias. 

Exóticas aves de patas azuis.

QUANDO VISITAR 

Galápagos pode ser visitado em qualquer época do ano. A alta temporada é nos meses de julho e agosto, e de meados dezembro a janeiro, em função das férias americanas e europeias. Não pelo clima. E vamos combinar que quanto mais sossego melhor. Então fuja desses meses. 

Galápagos tem duas estações: um período chuvoso e quente que vai de dezembro a maio. Depois disso, aparecem muitas flores e a vegetação fica mais bonita de junho a novembro, na temporada mais seca e fria. No entanto, a água fica muito gelada para mergulho. 

Alguns hotéis fecham nos meses de setembro e outubro por ser frio e ter muito vento.

Fui a Galápagos no mês de novembro e vi muitos animais cuidando dos seus filhotes, peguei temperaturas entre 18 e 24 graus, mergulhei com roupa de neoprene sem sentir nenhum frio. Peguei dias de sol e dias nublados. Foi perfeito!

Novembro é um excelente mês para ir à Galápagos.

O QUE MAIS VER NO EQUADOR 

Além do espetacular arquipélago de Galápagos, o Equador é de uma diversidade e de uma riqueza impressionantes. Não deixe de conhecer a capital Quito, a charmosa cidade de Guayaquil, Cuenca e o bosque nublado na região do Choco Andino, onde fica o exclusivo Mashpi Lodge (faça sua reserva aqui).

QUITO tem bairros modernos e um centro colonial muito bem preservado, de arquitetura riquíssima. Caminhe sem pressa pois você estará a 3000 metros de altitude. Cansa muito! Mercados cheios de cor, senhoras benzedeiras e igrejas lindas como o Mosteiro de São Francisco e a Igreja da Companhia de Jesus. O centro histórico de Quito é Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO. Fique hospedado no precioso hotel Casa Gangotena (faça sua reserva aqui), um Relais & Chateaux a alguns passos da igreja de São Francisco. Visite o Marco Zero e ponha um pé no Hemisfério Norte e outro no Hemisfério Sul. Quito tem uma rota chamada Avenida dos Vulcões, Cotopaxi é um dos vulcões mais visitados da região e a cidade de Otavalo, totalmente indígena, tem um mercado espetacular. 

Hotel Casa Gangotena, em Quito.

GUAYAQUIL também merece atenção. É portuária e moderna. Linda. Surpreendente. É a cidade mais populosa do Equador. Fique no Hotel del Parque, um Relais & Chateux, às margens do rio, numa propriedade imensa, muito arborizada, cheia de animais silvestres, num antigo casarão colonial belíssimo que serviu por muitos anos como asilo. Vale ficar dois dias para conhecer o centro histórico e comer muito bem na cidade. Os voos para Galápagos costumam partir do aeroporto de Guayaquil.

Hotel del Parque, em Guayaquil.

BOSQUE NUBLADO DE MASHPI, uma verdadeira bolha de luxo e sustentabilidade se aninha na Reserva Biológica de Mashpi, 3 horas ao norte de Quito, de carro. Somente hóspedes do Mashpi Lodge tem acesso a esse refúgio na floresta que foi construído sem derrubar uma árvore sequer, exatamente para reverter o desmatamento que se alastrava. Fique 3 dias e descubra os segredos desse lugar misterioso. Caminhe pelas trilhas, aproveite a energia das tantas cachoeiras, conheça tudo sobre a fauna e flora com um guia que irá conduzir sua aventura o tempo todo.

Mashpi Lodge, no bosque nublado do Equador.

CUENCA não pensei em incluir no meu roteiro. Mas, ouvi tanta gente falando maravilhas sobre a cidade que fiquei doida para conhecer. Cuenca fica a 470 quilômetros de Quito e 200 ao sul de Guayaquil. Fica na Cordilheira dos Andes, a uma altitude de 2550 metros. Tem um centro histórico de arquitetura colonial listado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Já quero voltar! 

CLIMA

A temperatura pode variar bastante - entre 10 e 28 graus centígrados - ao longo do dia. De uma cidade para outra, a altitude também tem grande variação, podendo chegar a 3 mil metros, como é o caso de Quito. Portanto, o ideal é se vestir em camadas. Camiseta, blusa e casaco que proteja da chuva (uma constante devido às tantas correntes que invadem o Equador). É fundamental levar sapatos confortáveis para caminhar bastante. E para as ilhas é preciso protetor solar e chapéu.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA BRASILEIROS

No momento é preciso apresentar PCR negativo feito até 96 horas antes do embarque, passaporte com validade de 6 meses e certificado internacional de vacina contra febre amarela.

MOEDA

Dólar é a moeda oficial do Equador. 

IDIOMA

Espanhol 

MEU ROTEIRO PELO EQUADOR COM UMA PARADA NO PERU

DIA 1. RIO – LIMA (LATAM) 

DIA 2. LIMA. Hospedagem no Hotel B, um charmoso Relais & Chateaus no bairro boêmio de Barranco, almoço no restaurante Central, do chef Virgilio Martinez, eleito o sexto melhor restaurante do mundo pela The World's 50 Best Restaurants 2019. 

DIA 3. LIMA – GUAYAQUIL (LATAM) Hotel Del Parque, outro Relais & Chateaux sensacional. Ocupa um casarão colonial belíssimo, onde funcionava um asilo. Quartos imensos, com vista linda para a mata e para o rio. Imperdível! O hotel por si só já é a estrela da cidade.

DIAS 4-5-6. VOO GUAYAQUIL – GALÁPAGOS. Hotel Pikaia, na ilha de Santa Cruz, um dos hotéis mais sustentáveis do mundo. Oferece barco exclusivo para seus hóspedes. O barco tem 8 cabines. Um luxo em meio a natureza intocada.

DIAS 7-8-9-10-11. YACHT LA PINTA EM GALÁPAGOS. Barco da Metropolitan Touring com capacidade para 44 passageiros. Escolhi o roteiro de 5 dias pois resolvi dividir minha estadia entre terra e mar. Mas fique quanto mais tempo puder.

DIA 12. VOO GALÁPAGOS – QUITO. Hotel Casa Gangotena, num casarão maravilhoso no centro histórico. Melhor ponto impossível! Dica: reserve o apartamento 106 com vista para a Praça de São Francisco. 

DIAS 13-14-15-16 MASHPI LODGE, no imperdível Bosque Nublado da Floresta Equatoriana, também do grupo Metropolitan Touring. Uma experiência de imersão total na natureza. Trilhas e cachoeiras espetaculares sempre na companhia de um guia especializado.

DIA 17. QUITO - Hotel Casa Gangotena. Mais um dia para curtir esse hotel mega charmosa e com uma cozinha deliciosa. 

DIA 18. QUITO – LIMA – RIO 

Voltei quase chorando. Não estava pronta para ir embora. Depois de oito meses praticamente sem sair de casa com medo do coronavírus, o Equador veio brindar com muita vida minha entrada no novo ciclo. Uma viagem marcante, forte, surpreendente. Ouso dizer que o Equador, e mais precisamente, GALÁPAGOS, entrou para minha seleção de TOP 10 DESTINOS MAIS INCRÍVEIS DO MUNDO!

Obrigada Equador!

Agradeço ao impressionante Pikaia Lodge pela receptividade e pelo convite generoso que tornou a viagem tão especial. Agradeço também Maria Alice Cavalcanti, The Global Nomads, por abrir as portas desse mundo mágico ao me apresentar a Metropolitan Touring, empresa que administra o Yacht La Pinta, o Mashpi Lodge e o Casa Gangotena. Foi tudo muito especial! Obrigada!!

LEIA TAMBÉM

17 HOTÉIS SUSTENTÁVEIS PARA O PERÍODO PÓS ISOLAMENTO

LIMA, CON MUCHO GUSTO

MACHU PICCHU, A CIDADE PERDIDA DOS INCAS

CUZCO, ANTIGA CAPITAL DO IMPÉRIO INCA

EOLO PATAGÔNIA, UM HOTEL EM FORMA DE POESIA

Booking.com

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Muito bacana Claudia! Dá vontade ir logo amanhã!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rui, Galápagos é imperdível. Daqueles lugares intocados no mundo. Que são bem poucos hoje em dia.
      Beijos

      Excluir
  2. Que viagem diferente. Estou chocada com esses animais lindos.
    Beijos de Curitiba
    Anna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente impressionante. Darwin foi um cara de muita percepção. Revelou essa paraíso e tanto significado para vida e para o mundo.

      Excluir
  3. Amei esse roteiro Claudia! Acompanhei pelo insta e já estava ansiosa pelos posts! Ainda vou conhecer o Equador!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fantástico e surpreendente o Equador. Um país que merece ser visitado. Em breve coloco as outras matérias no ar.
      Beijos

      Excluir

Deixe seu comentário. Obrigada!