VIAJAR SOZINHA PODE SER UMA BOA


Uma semana em Paris foi meu último destino escolhido para um voo solo. Para ter tranquilidade, reservei um hotel numa região que conheço bem, contratei um transfer para me buscar no aeroporto, comprei antecipadamente um Pass Lib Paris para entrar nos museus sem enfrentar filas gigantescas e reservei alguns restaurantes daqueles que não podem faltar numa ida à cidade-luz. Estava pronta para flanar sem pressa, sem rumo, sem horário. 
Paris.

Gosto da possibilidade de administrar meu tempo como bem entender. Como é bom sentar à mesa de um café, ver a vida passar comendo um croissant quentinho. Entrar numa loja e bisbilhotar tudo que der vontade sem nenhum compromisso agendado a seguir. Circular num bom museu e poder contemplar, pelo tempo que desejar, uma obra impactante. Caminhar às margens do Sena e sentar numa curva qualquer do rio para ver os barcos passarem num vai e vem sem fim. Ou quem sabe escolher um lugar bacana para curtir o pôr do sol e ficar ali, sem pensar no tempo, fotografando as diferentes nuances de cores. Viajar sozinha faz com que eu me sinta mais forte, mais viva, mais autoconfiante. Desperta um enorme sentimento de liberdade e responsabilidade ao mesmo tempo. Faz com que eu tenha mais jogo de cintura para resolver os eventuais contratempos que sem dúvida acontecerão.
É uma experiência e tanto. Acredite!
Pesquisa e planejamento são palavras-chave principalmente em uma viagem solo. Estude bem o destino que vai visitar e redobre os cuidados. Nada que impeça de mudar os planos ao longo do trajeto, de dar uma guinada no roteiro... Mas partir para o novo com boa organização prévia garante segurança, fator essencial para quem está sozinho.
- Escolha um hotel confiável e bem localizado, perto de estações de metrô (ou de ônibus, trem, bonde).
- Agende um transfer, pelo menos para a chegada (especialmente se o seu voo chegar à noite e o idioma for uma barreira).
- Coloque um chip local no seu telefone.
- Tenha sempre um mapa a sua disposição. 
- Leve o nome e o endereço do hotel anotado em seu celular e em um papel. Precaução nunca é demais.
- Contrate um seguro de viagem para eventuais imprevistos.
- Reserve antecipadamente restaurantes e espetáculos, assim você evita filas e aborrecimentos. O OpenTable.com é um bom site para reservas de restaurantes.
- Monte uma playlist que tenha a cara do seu destino e escolha um bom livro para lhe fazer companhia.
- Eleja alguns programas imperdíveis (museus, parques etc.), mas deixe "espaço" para as boas surpresas do caminho.
MELHORES DESTINOS PARA QUEM VIAJA SOZINHO
Cada um tem de levar em consideração o seu perfil na hora de traçar o roteiro. Esta é uma escolha muito pessoal, que depende de vários fatores. Grandes metrópoles, como Londres, Lisboa, Paris, Barcelona, Viena, Berlim, Amsterdã, Roma, Toronto, Nova York, Las Vegas, Buenos Aires, são lugares divertidos e cheios de possibilidades para quem viaja sozinho. Prefira épocas em que o clima é menos frio, quando há mais gente na rua e as cidades ficam mais festivas. Destinos à beira-mar e países latinos, onde as pessoas são mais calorosas, também são boas pedidas para se sentir mais acolhido. Eu, sendo mulher, não iria sozinha a lugares ermos, recém-saídos de conflitos, países onde as diferenças entre os sexos ainda não são respeitadas e em lugares românticos -- me sentiria completamente fora do contexto! Para os homens ainda é bem mais fácil viajar sozinho.
Amsterdã.
5 LIÇÕES DE QUEM VIAJA SOZINHO
Aprender a equilibrar liberdade e responsabilidade
Você pode fazer o que quiser na hora que quiser! Mas também precisa de uma boa dose de bom senso para não entrar em roubada. Tem escola melhor do que essa? 
Atender os seus próprios desejos
O trabalho, os filhos, o marido, a mulher... É claro que agradar quem a gente ama faz um bem danado. Mas reservar um tempinho para si próprio é um bom modo de se paparicar. Você merece!
Saber que sempre dá para contar com você mesmo
A sensação de que você deu conta -- de entrar no avião sem acompanhante, de destrinchar um mapa, de se virar com uma língua estranha, de voltar são e salvo -- é indescritível. Vale como um curso intensivo de autoconfiança para a vida pessoal e profissional!
Ter jogo de cintura para lidar com todo tipo de imprevisto
Por mais planejamento que se faça, uma coisa ou outra sempre pode sair do script -- durante a viagem e fora dela. Olha quanto aprendizado: saber mudar a rota com agilidade, encontrar soluções ainda melhores, às vezes digerir certa frustração ou se surpreender com o imprevisível!
Descobrir que você é uma ótima companhia
Ver a vida passar, ler um bom livro sentado num café, conversar com desconhecidos, ouvir os próprios pensamentos... Quando estamos sozinhos em uma viagem, nos enxergamos de fora. É um tempo para se curtir, compreender alguns dilemas, arriscar novas atitudes. Sem grandes expectativas nem julgamentos.

Experimente fazer um voo solo. 
Você pode se surpreender!

LEIA TAMBÉM




Booking.com

Compartilhe:

COMENTÁRIOS

  1. Claudia,

    Assim como você também adoro viajar na minha própria companhia. Tenho tempo para refletir sobre meus dilemas e meu crescimento pessoal é inegável. Mas, infelizmente alguns destinos ainda são difíceis para mulheres sozinhas, não é?

    Beijo

    Cândida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas, tem muitos lugares lindos que podemos desfrutar sem medo!
      Bjs

      Excluir

Deixe seu comentário. Obrigada!